Estatuto
  Diretoria
  Comissões
  Campanhas Sociais
  Ed. Continuada
  Especialização
  Financiamento BB
  Sites das Soc. Filiadas
  Oftalmo. na Internet
  Envio de Artigos ABO
  Rel. das Soc. Filiadas
  Título Especialista
  Artigos
  Acomp. Legislativo
  Projetos de Lei
  CID
  Legislação
  Código de Ética
  AMB e Federadas
  Sociedades
  Olho humano
  Doenças
  Vícios de refração
  Dúvidas
 
 
«« Acesse o menu por aqui.      |      Ou acesse por aqui.»»
 
Campanhas Sociais

Ao longo de sua história, o CBO tem participado de várias ações sociais. Dentre elas, além de outros projetos que procuram facilitar o acesso dos cegos ao mercado de trabalho, pode ser destacada a parceria com a Fundação Bradesco, Micro Power e Brasil Telecom, que resultou no desenvolvimento do programa de acesso à internet para deficientes visuais, o “Virtual Vision”.

Desde 1994, o CBO tem participado ativamente de diversas frentes de trabalho, notadamente de campanhas que objetivam a melhoria das condições de saúde ocular de nosso povo e a conscientização de toda a sociedade sobre problemas e medidas preventivas em Oftalmologia. A logística de atendimento desenvolvida pelo CBO reúne eficácia e baixos custos, em uma performance de excelência. A mobilização nacional conseguida é de tal grandeza que jamais seria possível alcançá-la através de contratação.

As ações discorridas aqui, visam proporcionar uma melhoria na qualidade de vida, tanto a nível cognitivo como social, na população infantil e idosa, uma vez, que, o contato do ser humano com o mundo, em 85% das possibilidades, dá-se através da visão e os problemas visuais acarretam ônus à aprendizagem, desenvolvimento intelectual e à socialização.

Há uma enorme demanda reprimida em Oftalmologia, em diversos segmentos (refração, catarata, retinopatia diabética, baixa visão, glaucoma, entre outros), tanto pela dificuldade de acesso como pela cobertura insuficiente do sistema de saúde e pela incapacidade da população mais carente de completar o tratamento.
O Brasil, segundo o Censo do IBGE/2000, apresenta uma população com alguma deficiência, na ordem de 14,5% da população total, sendo que, as deficiências visuais representam 48,1%, ou seja, 11.8 milhões do total de deficientes, mais de 100% superior à segunda causa de deficiência.

A promoção de saúde em Oftalmologia e outras ações na prevenção da cegueira, têm encontrado respaldo, ainda que, com alcance em pequena parcela da referida demanda, em ações isoladas de cada órgão público (Federal – Ministério da Saúde (SUS); Ministério da Educação (FNDE) Incra, Estadual – Secretarias de Saúde e de Educação Estaduais, Policia Militar-Corpo de Bombeiros, Municipal – Secretarias de Saúde e de Educação Municipais), além de instituições privadas (Comunidade Solidária, Fundação Banco do Brasil, Rotary´s, Lion’s), entre outros, despertando o interesse continuo da população em saúde ocular.

Desta forma, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia tem atuado em diversas frentes que investem definitivamente na saúde ocular da população, buscando assim, a melhoria nos índices de atendimento da demanda expressiva em Oftalmologia, através de uma interação administrativa e operacional, entre os programas existentes, tais como: Campanha de Reabilitação Visual Olho no Olho, Campanha de Baixa Visão, Campanha da Catarata, Campanha de Retinopatia Diabética, Campanha do Glaucoma, Campanha de Reabilitação Visual do INCRA, Campanha de Reabilitação Visual da Comunidade Solidária, Campanha de Reabilitação Visual da Fundação Banco do Brasil, Campanhas de saúde ocular dos Rotary´s e Lions, entre outros.

Campanha de Reabilitação Visual - Olho no Olho

Patrocinador: Ministério da Educação/FNDE
Público Alvo: 3.100.000 escolares/ano, da 1ª série do ensino fundamental, em municípios com população superior a 40 mil habitantes (658 municípios).
Patrocinador: Secretarias da Educação e Saúde do estado de S.P.
Público Alvo: 150 mil escolares da 1ª série do ensino fundamental, em municípios do estado de S.P., com população inferior a 40 mil habitantes (509 municípios).
Patrocinador: Secretaria da Saúde do estado do Tocantins
Público Alvo: 35.000 escolares/ano, da 1ª à 4ª série do ensino fundamental, em municípios do estado do Tocantins (06 municípios).
Atividades em Oftalmologia: Através da aplicação do teste de acuidade visual, nas escolas, identifica-se a demanda que necessita realizar um exame oftalmológico, em hospitais de centros universitários, clinicas oftalmológicas e consultórios para corrigir uma deficiência visual, de refração, sanada com o uso de óculos, através da doação destes.

Esta Campanha identifica ainda, os portadores de visão sub-normal, portadores de catarata e outras patologias.

Campanha de Baixa Visão
Patrocinador: Ministério da Educação/SEE
Público Alvo: aproximadamente 5 mil escolares, identificados na Campanha Olho no Olho de 2000 e 2001, bem como a demanda reprimida existente em cada localidade.
Atividades em Oftalmologia: Os portadores de Baixa Visão, são identificados pela acuidade visual = ou menor que 0,3, no melhor olho com a melhor correção possível, de causa congênita ou adquirida, que não se consegue corrigir com recursos ópticos comuns. O maior problema dos portadores de Baixa Visão, é, que, são erroneamente rotulados com deficientes mentais ou cegos, pela falta de recursos humanos e materiais, para a realização de diagnóstico capacitado. Na perspectiva mundial, a proporcionalidade é de três a cinco indivíduos portadores de Baixa Visão para um cego. No Brasil, devido à falta de diagnósticos e de programas de atendimentos especializados, a estimativa é invertida, ou seja, existem 3 cegos para um portador de Baixa Visão. Até o momento, não foi possível se realizar o atendimento oftalmológico dos pacientes, por falta de recursos financeiros, uma vez, que, inicialmente foi necessário se formar o grupo de profissionais capacitados ao referido atendimento.

A identificação dos portadores de Baixa Visão, se dá através da aplicação do teste de acuidade visual, nas escolas, e ainda aqueles casos identificados precocemente, através de exames em hospitais, clinicas e consultórios.

Campanha da Catarata
Patrocinador: Ministério da Saúde / SUS
Público Alvo: 320 mil procedimentos/ano, em todo o território nacional.
Atividades em Oftalmologia: Esta Campanha é patrocinada pelo Ministério da Saúde/ SUS, com o envolvimento direto das secretarias de saúde estaduais e municipais, e dos serviços credenciados, em todo o território nacional, sendo que, através de ações de triagem isoladas, identificam-se os portadores da deficiência, catarata, para posteriormente efetuar os procedimentos cirúrgicos aos casos indicados.

Salienta-se ainda, que neste programa, no momento das triagens e ou dos procedimentos, são identificadas outras patologias, não atendidas pelo programa, refração, visão sub-normal, entre outras.

Campanha de Retinopatia Diabética
Patrocinador: Ministério da Saúde / SUS
Público Alvo: 95 mil procedimentos/ano, em todo o território nacional.
Atividades em Oftalmologia: A retinopatia diabética afeta à metade dos pacientes diabéticos. É a principal causa de cegueira em adultos, sendo que, o diagnóstico precoce e o tratamento oportuno podem reduzir em mais de 80% o risco de cegueira entre aqueles pacientes, o que ressalta a importância de ações que possam interagir entre si.

O diabetes, no Brasil, atinge um contingente de aproximadamente 10.8 milhões de indivíduos. Sendo assim, se levarmos em conta o nível de procedimentos realizados atualmente, temos uma demanda reprimida significativa a ser atendida por este programa.

Campanha do Glaucoma
Patrocinador: Ministério da Saúde/SUS
Público Alvo:
Atividades em Oftalmologia:

Campanha de Reabilitação Visual do INCRA
Patrocinador: INCRA/Governo Federal
Público Alvo: Aproximadamente 1.5 milhão de pessoas, de todas as faixas etárias, formadas pelas 500 mil famílias dos assentamentos já formatados pelo INCRA, em todo o território nacional.
Atividades de Oftalmologia: Este programa, ainda na sua formatação, atendeu em seu piloto, em 2001, um assentamento de Brasília, com 1500 pessoas. O atendimento oftalmológico se deu em parceria com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, responsável pela logística dos equipamentos e dos profissionais médicos e de apoio. A aplicação dos testes de acuidade visual se deu no assentamento, através dos agentes de saúde do Distrito Federal, com o atendimento oftalmológico de diagnóstico e refração, com doação dos óculos, também no local, sendo os portadores de outras patologias, identificados e encaminhados aos programas de saúde apropriados para o tratamento.

Campanha de Reabilitação Visual – Comunidade Solidária
Patrocinador: ONG/Governo Federal
Público Alvo: Aproximadamente 1 milhão de jovens e adultos/ano, participantes do programa de alfabetização da “ Comunidade Solidária ”, em todo o território nacional.
Atividades em Oftalmologia: Este programa é coordenado pela ONG “ Comunidade Solidária ”, com co-patrocínio do governo federal, atingindo todos os participantes do segmento de alfabetização. A identificação da necessidade de exame oftalmológico, se dá em sala de aula, a triagem, com o atendimento oftalmológico nos centros universitários credenciados ao programa. Este programa prevê o atendimento por mutirões, no próprio centro universitário, ou o deslocamento de equipes de profissionais a determinadas localidades estratégicas, para o atendimento. O programa prevê também a doação dos óculos aos casos indicados.

Campanha de Reabilitação Visual da Fundação Banco do Brasil
Patrocinador: Fundação Banco do Brasil
Público Alvo: 50 mil alfabetizandos/ano, do programa BB EDUCAR, da Fundação, em todo o território nacional.
Atividades em Oftalmologia: Este projeto de reabilitação visual teve o seu inicio com o projeto piloto no estado do Rio Grande de Norte, em 2002/2003, em 04 municípios, atingindo aproximadamente 1.2 mil pessoas, jovens e adultos. A ação dimensiona uma triagem dos portadores de deficiência visual, através da aplicação do teste de acuidade visual em sala de aula. No projeto, ainda, se prevê a logística para o atendimento oftalmológico, nos serviços credenciados ao programa, a doação dos óculos e o encaminhamento dos portadores de outras patologias aos serviços próprios ao atendimento especifico.

Campanhas de Saúde Ocular
Patrocinador: ONG´s- (Terceiro Setor) – privado
Público Alvo: 500 mil pessoas/ano, das diversas faixas etárias, em todo o território nacional.
Atividades em Oftalmologia: Estas instituições realizam em todo o território nacional, ações com atendimento oftalmológico, através de patrocínio por recursos financeiros e por recursos materiais, identificando os portador de deficiência visual, aproximadamente 500 mil/ano, doando parte dos óculos necessários e ainda patrocinando uma parte da demanda das outras patologias diagnosticadas, como catarata e retinopatia diabética.

Podemos destacar outros programas existente em saúde ocular, como no estado do Rio de Janeiro, patrocinado pelo Corpo de Bombeiros da capital carioca, o programa patrocinado pela CNBB, entre vários outros.

Entre os trabalhos realizados mencionados acima, podemos destacar os de âmbito federal:

Campanha Olho no Olho
O maior projeto de saúde pública ocular no mundo. Presta assistência oftalmológica a cerca de 3.2 milhões de alunos da primeira série do ensino fundamental das escolas públicas, todos os anos. Esta sólida parceria entre o CBO e o Ministério da Educação completou seu quarto ano de atividade.
  Campanha Nacional de Cirurgias de Catarata
Este projeto representa um grande avanço nas condições de saúde ocular da população mais carente e uma melhoria sensível na qualidade de vida de milhares de idosos. Foi desenvolvido a partir de uma parceria entre o Ministério da Saúde e o CBO, com objetivo de eliminar a fila de pessoas cegas ou incapacitadas por catarata no menor prazo possível. Desde 1999, cerca de 250 mil cirurgias são realizadas a cada ano.
  Campanha Nacional de Retinopatia Diabética
O tratamento adequado do diabetes e o diagnóstico precoce da retinopatia são decisivos na prevenção da cegueira. Por indicação do CBO, o Ministério da Saúde criou os Centros Nacionais de Referência em Retinopatia Diabética. Esses centros representam uma ação contínua no acompanhamento da saúde ocular de milhares de pessoas, em sua maioria idosos.

Ano
Atividade
Cidades
Atingidas
Pessoas
Atingidas
Consultas
Operações
Catarata
Óculos
Doados
Oftalmos.
Envolvidos
2003
Campanha
Olho no Olho
(1)
-
-
-
-
-
-
Campanha
Catarata (2)
700
-
-
316.100
-
1.415
Instituições
Campanha Retinopatia
Diabética (2)
100
-
98.000 procedimentos de fotocoagulações a laser
-
175
Instituições
2002
Campanha
Olho no Olho
(1)
-
-
-
-
-
-
Campanha
Catarata
650
-
-
320.000
-
1.300
Instituições
Campanha Retinopatia
Diabética
80
-
93.100 procedimentos de
fotocoagulações a laser
130
Instituições
2001
Campanha
Olho no Olho
658
3.2
milhões
180.000
-
80.000
2.600
Campanha
Catarata
560
-
-
267.000
-
1.267
Instituições
Campanha Retinopatia
Diabética
68
200.000
87.000 procedimentos de fotocoagulações a laser
-
108
Instituições
2000
Campanha
Olho no Olho
607
3.2
milhões
206.000
-
85.000
2.900
Campanha
Catarata
636
-
-
228.200
-
860
Instituições
Campanha Retinopatia
Diabética
68
150.000
61.000 procedimentos de
fotocoagulações a laser
100
Instituições
1999
Campanha
Olho no Olho
480
3
milhões
190.000
-
65.000 (3)
2.200
Campanha
Catarata
332
-
-
153.000
-
530
Instituições
Campanha
Olho Diabético
23
15.000
15.000 procedimentos de fotocoagulações a laser
-
52
Instituições

(1) Nos anos de 2002 e 2003, não se executou a Campanha Olho no Olho.
(2) Previsão de realizações para 2003.
(3) Dados do FNDE.
 
Busca

Método

Onde Procurar
Resultados

Informações
Confira