CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia

Departamento de Oftalmologia
da Associação Médica Brasileira
Busca

Eventos www.portalsaude.saude.gov.br

Parecer do CFM sobre realização de cirurgia de catarata bilateral no mesmo ato cirúrgico

"Não há elementos definitivos para recomendar a realização de procedimentos cirúrgicos intraoculares, bilaterais, simultâneos?.

Esta é a ementa do parecer elaborado pelo coordenador da Câmara Técnica de Oftalmologia do Conselho Federal de Medicina (CFM), José Fernando Maia Vinagre, em resposta a uma consulta sobre o posicionamento da autarquia sobre a realização da cirurgia de catarata bilateral em apenas um ato cirúrgico.

O parecer enumera as vantagens da realização das cirurgias nos dois olhos num mesmo ato cirúrgico, tais como reabilitação mais rápida, maior economia e menor número de retornos. Entretanto, também enumera os eventuais problemas, entre os quais ressalta a ameaça de endoftalmite.

A íntegra do parecer é a seguinte:

 

Processo Consulta CFM nº 24/13 ? Parecer CFM nº 17/13

 

Interessado: Dr. F.J.M.C

 

Assunto: Cirurgia bilateral no mesmo ato cirúrgico

 

Relator: Conselheiro José Fernando Maia Vinagre

 

EMENTA: Não há elementos definitivos para recomendar a realização de procedimentos cirúrgicos intraoculares, bilaterais, simultâneos.


 


Consulta

 

O dr. F.J.M.C. solicita o posicionamento do CFM sobre a realização de cirurgia de catarata bilateral, realizada em apenas um ato cirúrgico. Questiona, ainda, em que situações pode realizar este tipo de procedimento e se existe alguma

vedação legal.

Adicionalmente, pede o parecer formal, por escrito.

A consulta foi analisada pela Câmara Técnica de Oftalmologia do CFM, que emitiu seu parecer, o qual adoto na íntegra:

 

Parecer

 

?A cirurgia de catarata é a cirurgia mais realizada no mundo. Durante as últimas décadas tem sido ampliado o número de cirurgias de catarata nas redes públicas e particulares de serviços de saúde. O desenvolvimento dos procedimentos cirúrgicos em oftalmologia tem reduzido, sensivelmente, as taxas de complicação, registrando-se melhores resultados.

Tal fato vem minimizando o problema na população, sem que seja possível, entretanto, eliminar as filas de espera para a realização dos procedimentos. Uma das razões para a demanda reprimida está vinculada ao fato de que as cirurgias são realizadas em um olho de cada vez, em cada paciente, duplicando, portanto, a necessidade de apoio logístico, o trabalho dos profissionais e os custos operacionais.

Há tendência crescente à recomendação de que sejam realizadas as cirurgias nos dois olhos no mesmo dia, procedimento este que é tratado na literatura médica como ISBCS (sigla correspondente a ?Immediately Sequencial Bilateral Cataract Surgery?). Considera-se que o uso de Cirurgia de Catarata Bilateral Simultânea (CCBS) possa se tornar a opção preferencial para a maioria dos pacientes de cirurgia de catarata em um futuro próximo.

Aponta-se como vantagem da CCBS o uso de sedação única, mais rápida reabilitação, maior economia, menor número de retornos aos consultórios médicos e menor exigência dos familiares no cuidado com o paciente. A evidência tem mostrado a conveniência de que os casos de catarata congênita bilateral podem, por razões gerais e

oftalmológicas, ser operados, em ambos os olhos, em um mesmo dia, submetendo o paciente a uma única anestesia geral. O mesmo se aplica aos pacientes que não podem cooperar devidamente durante o procedimento. Além daqueles, consideram-se como preferenciais as crianças, os debilitados, os pacientes psiquiátricos que se inserem em necessidades médicas lógicas e que são protegidos pelo entender jurídico.

Mas a matéria é, contudo, um assunto controverso. Alguns dos argumentos contra a realização de CCBS incluem os riscos da endoftalmite bilateral, edema da córnea, edema macular cistoide, edema macular diabético e descolamento de retina. Menciona-se ainda a impossibilidade de se alterar o plano cirúrgico para o segundo olho. A endoftalmite é a principal preocupação, embora autores recentes minimizem este risco, apontando estatísticas que justificam a opção pelo procedimento feitos nos dois olhos, simultaneamente, desde que se obedeça estritamente o protocolo cirúrgico.

Recomenda-se que não se realize CCBS em pacientes com alta miopia ou no aumento do risco de infecção ou edema da córnea e sugere-se, ainda, cuidado em pacientes com glaucoma, subluxação lenticular, catarata densa e patologia da córnea ou retina significativa.

Para os casos que apresentam dificuldade de avaliação no pré-operatório como olhos com comprometimento axial extremamente curtos ou longos, olhos previamente tratados com laser ou cirurgia refrativa corneana ou olhos com trauma anterior (lesão ou cirurgia), recomenda-se a cirurgia unilateral, permitindo a avaliação do resultado antes do planejamento da cirurgia do segundo olho.

Embora não existam estudos de avaliação da morbimortalidade em grandes grupos populacionais, e estudos controlados e randomizados mostram resultados semelhantes para as abordagens cirúrgicas feitas no mesmo dia nos dois olhos ou sequencial, sugerindo que, com adequada seleção dos pacientes, a abordagem simultânea pode render excelentes resultados.

Inúmeros comentam que o risco da anestesia geral, em pacientes que dela precisam, é maior do que o da cirurgia bilateral. Vários autores apontam vantagens logísticas em rotinas implantadas para cirurgias em grande escala. Registram aumento gradativo na utilização desta técnica e mencionam o uso clínico rotineiro deste procedimento em muitos sistemas internacionais de saúde.

Ressaltam que a técnica somente deve ser utilizada quando as normas e rotinas de esterilização forem de alta qualidade e o cirurgião estiver confiante no equilíbrio entre riscos e benefícios para o paciente e seguro de um nível aceitavelmente baixo de complicações pós-operatórias. Atento a tais exigências, a maioria dos autores recomenda uma criteriosa seleção de pacientes. Apresentam listagem de fatores que indicam ou contraindicam o procedimento, todos eles considerados relativos, uma vez que importa muito a experiência do cirurgião em projetos de saúde pública.

Autores afirmam que a recuperação pode ser prolongada em casos de edema da córnea, inflamação de câmara anterior ou edema macular cistoide. A cirurgia feita em um olho apenas permite que o paciente mantenha a função visual em um olho durante a recuperação do outro olho. Consideram, portanto, que os poucos benefícios da cirurgia simultânea são superados pelos riscos de complicações bilaterais, a incapacidade de prever o resultado refrativo, a impossibilidade de se alterar a escolha da lente intraocular, a perda potencial de reembolso médico e o possível aumento de implicações legais. O costume jurídico ensina que no caso da perda da visão de um olho o paciente não pode ser considerado totalmente incapaz. Se houver perda de ambos os olhos existe incapacidade instalada, sujeita a indenização.

Autores recentes mostram sua preocupação ao inovar a técnica e recomendam que a família aponha seu consentimento (Termo de Consentimento Livre e Esclarecido), de forma explícita, ao se decidir pela CCBS. Listam ainda os cuidados indispensáveis antes do processo cirúrgico, dentre os quais destacam a completa separação asséptica entre as cirurgias de primeiro e segundo olho e o uso de antibiótico, como prevenção de endoftalmite pós-operatória. Destacam outros procedimentos de importância para a garantia do sucesso cirúrgico e, principalmente, na prevenção de insucessos. Comenta-se do receio da crítica a relutância dos profissionais em aderir ao novo método.

Sugerem como pacientes preferenciais para o uso de CCBS aqueles que requerem anestesia geral ? aqueles com tremores ou com baixos níveis de cooperação, candidatos a uma lente intraocular multifocal ou aqueles que fazem opção pela técnica. Em favor da CCBS alguns argumentam a possibilidade do aumento de acidentes domésticos, automobilísticos, atropelamentos, quedas e diminuição do número de revisões e exames.

Registram-se ainda considerações relativas ao valor a ser pago pelo procedimento. No caso de realizar a cirurgia dos dois olhos em um só procedimento, o valor a ser pago não será duplicado, seguindo definições diferentes segundo o critério de cada convênio firmado com o serviço (1.75X ou 1.5X).

Percebe-se que as dúvidas se relacionam mais do que com problemas técnicos; se relacionam com aspectos éticos, jurídicos e financeiros, na relação entre médicos e pacientes.

E assim, concluindo, recomenda-se que se faça opção pelo melhor procedimento: ?Não há dúvida de que a CCBS é uma ideia cujo tempo chegou?.

Apontamos, entretanto, alguns cuidados indispensáveis: evitar casos de alto risco; adiar a cirurgia no segundo olho se o primeiro procedimento não for tranquilo e separar o procedimento em duas operações distintas, uma para cada olho desde a antissepsia, instrumental, e paramentação independentes.

Diante de toda esta controvérsia, os profissionais da oftalmologia vêm decidindo, com base em seus próprios critérios, sobre a melhor alternativa cirúrgica.

Esta matéria controversa deveria ser objeto de discussão ampliada no Conselho Federal de Medicina para que se regulamente, no Brasil, esta questão.

Parece oportuno que se definam como preferenciais para cirurgias bilaterais simultâneas os procedimentos extraoculares (plástica, vias lacrimais, pálpebras, refrativa, estrabismo) ou, ainda, em crianças e pacientes com dificuldade de retorno ao centro cirúrgico por múltiplas razões, mas considera-se que ainda não existem elementos definitivos para uma recomendação oficial para a realização de procedimentos intraoculares (catarata, glaucoma, retina e vítreo).?

Este é o parecer,

Brasília - DF, 21 de junho de 2013


José Fernando Maia Vinagre


Conselheiro Relator


Lei do ato médico se consolida de forma positiva

* CFM

Após a entrada em vigor da Lei 12.842/13, que regulamenta a atividade médica, uma análise jurídica da norma confirma que dela emergiram vários pontos positivos para o exercício da medicina, que começam a se consolidar. O principal deles é a confirmação da competência legal - atribuída ao médico - para realizar o diagnóstico nosológico.

O coordenador do Setor Jurídico do Conselho Federal de Medicina (CFM), Alejandro Bullón, explica que, embora se tenha tentado criar uma cultura, incitada por alguns segmentos, de que qualquer profissional poderia realizar o diagnóstico nosológico, este ato é exclusivo do médico. "De fato, hoje no Brasil, somente o médico detém competência legal expressa para a realização de diagnóstico nosológico, de acordo com o tratamento que é dado ao tema nos artigos 2º e 4º".

Há outras atividades que também são asseguradas com a lei, em seu artigo 4º (saiba mais no quadro abaixo). "A edição desta lei é um especificador de responsabilidades com resultados benéficos, sobretudo para a sociedade. O objetivo dela é, primordialmente, a proteção e segurança do paciente, para que este não seja atendido por quem é inabilitado ou imperito para tratar de sua saúde", avalia o 1º vice-presidente do CFM, Carlos Vital.

O 3º vice-presidente do CFM, Emmanuel Fortes, destaca o art. 5º, que estabelece que são privativos de médicos: perícias e auditorias médicas, coordenação e supervisão vinculadas de forma imediata e direta a atividades privativas do médico; ensino de disciplinas especificamente médicas, coordenação dos cursos de graduação em Medicina, dos programas de residência médica, dos cursos de pós-graduação específicos para médicos. "Este dispositivo acaba com dúvidas que vinham sendo trazidas para a classe médica por conta de demandas judiciais", explica.

De acordo com o Setor Jurídico do CFM, já se tem notícia, inclusive, de perícias canceladas porque foram realizadas por profissionais sem formação médica. O artigo tem ainda consequências no universo das seguradoras e operadoras de planos de saúde.

O presidente do CFM, Roberto Luiz d'Avila, destaca outro avanço fundamental: além de dirimir qualquer dúvida que existia em relação aos atos que podem ser praticados pelos profissionais médicos, a Lei 12.842/13 ratifica, por exemplo, a competência do CFM de ditar normas para definir o caráter experimental de procedimentos em medicina.

"Temos, com essa lei, a consolidação inequívoca de algumas das nossas atribuições, como a de reconhecer novos procedimentos e terapias médicas. Com o grande avanço do conhecimento científico e tecnológico das ciências médicas, é essencial zelarmos e trabalharmos com competência pela uniformização e o estabelecimento de critérios de análise e aprovação de novos procedimentos médicos no Brasil", destaca o presidente do CFM.

Artigo 4º traz lista de atividades privativas

Indicação e execução da intervenção cirúrgica e prescrição dos cuidados médicos pré e pós-operatórios;

Indicação da execução e execução de procedimentos invasivos, sejam diagnósticos, terapêuticos ou estéticos,

incluindo os acessos vasculares profundos, as biópsias e as endoscopias;

Intubação traqueal;

Coordenação da estratégia ventilatória inicial para a ventilação mecânica invasiva, bem como das mudanças necessárias diante das intercorrências clínicas, e do programa de interrupção da ventilação mecânica invasiva, incluindo a desintubação traqueal;

Execução de sedação profunda, bloqueios anestésicos e anestesia geral;

Emissão de laudo dos exames endoscópicos e de imagem, dos procedimentos diagnósticos invasivos e dos exames anatomopatológicos;

Determinação do prognóstico relativo ao diagnóstico nosológico;

Indicação de internação e alta médica nos serviços de atenção à saúde;

Realização de perícia médica e exames médico-legais, excetuados os exames laboratoriais de análises clínicas, toxicológicas, genéticas e de biologia molecular;

Atestação médica de condições de saúde, doenças e possíveis sequelas;

Atestação do óbito, exceto em casos de morte natural em localidade em que não haja médico.


Por 11 anos médicos lutaram pela aprovação da lei: veja os destaques dessa jornada

SENADO - 10/2001 a 12/2006
2002 - Em fevereiro, o senador Geraldo Althoff (PFL-SC), médico pediatra, apresenta o Projeto de Lei do Senado (PLS) 25/02, que delimita o campo de atuação do profissional médico.

2004 - Em setembro, a matéria passa a tramitar em conjunto com o PLS 268/02, de autoria do senador Benício Sampaio (PPB/PI).

2006 - Em junho, as entidades médicas entregam 1,5 milhão de assinaturas de apoio à regulamentação da medicina para a Presidência do Senado e líderes partidários. Em dezembro, a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprova o substitutivo da senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO). O PLS 268/02 (sob relatoria da própria senadora), aprovado, vai à Câmara dos Deputados. O PLS 25/02, rejeitado, é arquivado.

CÂMARA - 12/2006 a 10/2009.

2006 - Em dezembro, o PLS 268/02 chega à Câmara dos Deputados como PL 7.703/06.

2009 - O projeto passa pelas comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), Educação e de Cultura (CEC) e Seguridade Social e Família (CSSF). Prevalece o substitutivo do deputado Edinho Bez (PMDB-SC). Em outubro, o PL é aprovado por unanimidade no plenário da Câmara. A matéria retorna ao Senado Federal.

SENADO - 10/2009 a 7/2013

2009 - Em outubro, a matéria retoma como substitutivo da Câmara dos Deputados e é encaminhada para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). A proposta passa ainda pelas comissões de Assuntos Sociais (CAS) e de Educação, Cultura e Esporte (CE).

2010 - Maioria dos votos em enquete do site do Senado é favorável ao texto do projeto que regulamenta exercício da medicina. Com 545.625 votos, registrou 62% dos votantes favoráveis ao PL.

2011 - O senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), relator da matéria na CCJ, apresenta parecer favorável. Mas pedido de vista coletiva adia a votação.

2012 - Em fevereiro, a CCJ aprova o substitutivo. O relator da matéria, senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), rejeita duas emendas e mantém seu voto lido em dezembro de 2011. Neste mesmo mês, a CE aprova o substitutivo da CCJ e a CAS aprova o parecer da senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO). Proposta segue para o plenário.

2013 - Em junho, o plenário do Senado aprova o PLS 268/02. Texto vai à sanção presidencial. No mês seguinte, a lei que disciplina o exercício da medicina no país - Lei 12.842/13 - é sancionada pela presidente Dilma Rousseff com dez vetos, mantidos pelo Congresso


Resolução 4k faz diferença para o olho humano?

* Fonte: Olhar Digital



Parece que o "Full HD" está virando coisa do passado; a tecnologia evolui rápido e atualmente só se fala em "Ultra HD", 4K... No início do ano, na CES ? a maior feira de tecnologia do mundo ?, em Las Vegas, acompanhamos dezenas de lançamentos 4K (o que aponta essa fortíssima tendência). Mas então surgiu uma dúvida: qual é o limite da nossa visão para telas com resolução cada vez maior?

O "4K" (ou Ultra HD) tem resolução de 8,3 megapixels, quatro vezes mais que o Full HD. Segundo o doutor Paulo Schor, oftalmologista da Unifesp, a relação entre o olho humano e as telas de alta resolução é muito pequena. Mas ainda assim, alguns parâmetros podem medir mais ou menos quanto a gente enxerga. O primeiro fator é a capacidade de discriminação entre dois pontos; é o chamado mínimo ângulo de resolução visual. Um segundo fator é a luminosidade mínima captada pelo olho humano. E, mais do que isso, é preciso levar em conta o campo visual que nós temos.

Um bom exemplo para entender essas variáveis é imaginar duas estrelas no céu. Se elas estiverem muito próximas uma da outra, a gente só vê um borrão. Para enxergar as duas é preciso que elas atendam àquele ângulo mínimo de resolução visual. Se o brilho dessas estrelas for muito fraquinho, a gente também não vai enxergar por mais afastadas que elas estejam... E, por último, essas estrelas precisam estar no nosso campo visual ? parece óbvio, mas para enxergá-las, precisamos estar olhando para elas.

Com base nesses dados foi possível calcular a resolução do olho humano. Considerando nosso ângulo de visão de 120 graus, chegou-se ao valor de 576 megapixels - esta seria a resolução máxima que poderíamos enxergar. Mas, de novo, olho não pode ser simplesmente comparado com uma tela.

"A definição é uma parte muito inicial na importância da imagem. Ela é importante, mas tem uma importância de 25%, 1/4 da nossa visão vem da quantidade de células que a gente tem na nossa fóvea, que é uma parte muito pequenina da nossa retina", explica Schor.

Se nossa visão fosse baseada apenas pelos olhos, seria fácil. Mas além de ter dois olhos e poder movê-los ao redor da cena, nosso cérebro é poderoso para combinar os sinais, entender profundidade e montar uma imagem com resolução ainda maior do que é possível com o número de fotorreceptores da nossa retina.

"A gente não precisa ter mais resolução para ter uma experiência visual melhor. A gente provavelmente já chegou no limite de resolução que vai fazer algum sentido para o nosso olho", continua o oftalmologista.

Será que o 4K é o limite? Se pararmos pra pensar, na distância que assistimos TV ou mesmo assistimos a um filme no cinema, talvez faça sentido. Afinal, telas com resolução superior a 4K, como é o caso do 8K (que já existe), só conseguimos notar diferença na qualidade da imagem quando nos aproximamos bastante da tela. E aí, assistir ao conteúdo que seja assim, colado na tela, não faz muito sentido.

Clique aqui e acesse a página com a matéria na íntegra direto do site Olhar Digital.


Check-up oftalmológico anual: a melhor forma de garantir a sua saúde ocular

* Por: Aline Ferreira

Muita gente aproveita o início do ano para realizar um check-up em sua saúde. Realizam inúmeros exames de rotina no coração, nos ossos, na cabeça, mas acabam se esquecendo de checar a visão. Essa época, quando a maioria das pessoas está de férias, é uma boa hora para incluir na agenda um horário para o seu oftalmologista.

O check-up ocular é uma avaliação clínica-oftalmológica que permite através de exames, como fundo de olho e aferição da pressão ocular, analisar as condições visuais do indivíduo, detectando possíveis doenças em fase assintomática e prevenindo para que problemas oculares graves não ocorram.

Independente da faixa etária, os cuidados com a saúde ocular e o atendimento por um oftalmologista são importantes para proteger a visão, e, por isso, é fundamental que sejam realizados periodicamente. Fique atendo aos problemas visuais que podem ocorrer em cada fase da vida e procure um especialista para orientar sobre a melhor medida preventiva ou sobre o tratamento mais indicado para você e sua família.

Quando devo fazer o check-up?



0 a 2 anos: Os cuidados começam cedo



Durante a gestação, a mãe deve se prevenir por meio de vacinas contra doenças como a rubéola e a toxoplasmose, que podem causar cegueira e problemas neurológicos na criança. Assim que nasce, ainda na maternidade, é realizada a primeira avaliação oftalmológica, por meio do teste do olhinho, capaz de detectar, entre outros problemas, catarata congênita, glaucoma congênito e retinoblastoma. Caso o bebê apresente lacrimejamento constante, pálpebras inchadas, secreção purulenta, olho vermelho, estrabismo, pupila esbranquiçada e assimetria entre o tamanho dos globos oculares, deverá ser realizados uma segunda avaliação o mais breve possível.

03 a 12 anos: Problemas de refração podem surgir com o início da vida ocular!



É durante a infância que a visão se desenvolve, atingindo sua maturidade por volta dos cinco anos de idade. Nessa fase, algumas crianças podem apresentar problemas como estrabismo, ambliopia -"olho preguiçoso" - e ptose - pálpebra caída - que podem ser reversíveis se tratados o quanto precocemente. Além disso, com o início da vida escolar podem surgir doenças oculares que influenciam no aprendizado da criança, causando baixo rendimento. Conhecidos como "grau", os erros refrativos são a causa mais comum de deficiência visual na infância, nestes se incluem a miopia, a hipermetropia e o astigmatismo.

13 a 20 anos: Ceratocone tem maior incidência na puberdade



Durante a pré-adolescência e antes da fase adulta, entre os 13 e 20 anos de idade, as pessoas estão mais sujeitas ao aparecimento de ceratocone, doença que acomete uma a cada duas mil pessoas e provoca irregularidades da córnea que, às vezes, vem acompanhado pelo hábito de coçar excessivamente os olhos. Nessa fase, também é muito comum o uso em excesso de aparelhos eletrônicos que podem causar danos à visão, como: síndrome da visão do computador (CVS) e o agravamento da miopia e da hipermetropia. Dores de cabeça, olhos vermelhos, olho seco, coceira e problemas de focagem após estudar, assistir à televisão ou usar o computador podem ser sintomas de doenças oculares.

Após 40 anos: É na idade adulta que surge a presbiopia



Por volta dos 40 anos, torna-se essencial a medição anual da pressão intraocular, principalmente em caso de história familiar de glaucoma e a avaliação de fundo de olho a fim de identificar danos que doenças como o diabetes podem causar à visão. Além disso, é muito comum o aparecimento da presbiopia ou "vista cansada", doença ocular caracterizada pela condição em que a lente do olho perde a sua capacidade de focar objetos de perto, sendo necessário para correção o uso de lentes para visão de curta distância.

Após 65 anos: A catarata e a DMRI são comuns na terceira idade



Com o passar dos anos, as estruturas dos nossos olhos também envelhecem, e com isso podem aparecer alterações visuais, ocasionando esforço visual intenso, baixa na qualidade da visão, dores de cabeça, sonolência e falta de concentração. Na terceira idade também é muito comum que as pessoas desenvolvam doenças como: catarata, principal causa de cegueira reversível no mundo, que ocorre devido à opacificação do cristalino (lente natural dos olhos), e Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), doença ocular que afeta a área da retina (mácula), fazendo com que haja a perda progressiva da visão.

Importante: Visite seu oftalmologista!


Casos especiais como usuários de lentes de contato, pacientes que realizaram cirurgia refrativa, míopes, glaucomatosos de difícil controle, portadores de retinopatia diabética ou degeneração macular relacionada à idade (DMRI) devem se consultar frequentemente com o oftalmologista, e não apenas realizar o check-up anual. Cuide-se!

Confira este e demais artigos relacionados à sua saúde ocular acessando o PDF da Revista Veja Bem, aqui.


Saúde ocular e Futebol

* por Aline Ferreira

A importância do cuidado com os olhos para o bom desempenho esportivo

Assim como acidentes musculares, quedas e fraturas em campo, traumatismos oculares decorrentes da prática esportiva são mais frequentes do que imaginamos e podem causar danos irreversíveis a visão do atleta.

Ocupando o quarto lugar em frequência, depois das lesões ocorridas nas ruas, em casa e no trabalho, as lesões oculares ocasionadas de atividades esportivas representam 25% do total de casos. Estima-se, segundo pesquisas realizadas nos Estados Unidos, que em média ocorram 100 mil casos de acidentes oculares com atletas por ano, representando 14% de todos os atendimentos oftalmológicos.

Jogadores que já apresentem condições como alto grau de miopia, trauma ocular prévio, infecção e antecedentes de cirurgias oculares devem ser ainda mais cautelosos devido ao risco de lesões graves. Em uma partida de futebol, por exemplo, a bola pode causar lesões na órbita, nas pálpebras ou no globo ocular, sem contar com o contato físico (pé, mãos, cotovelos) dos jogadores que podem causar grandes lesões, como o descolamento da retina, sangramentos na parte anterior ou posterior do globo ocular e lesões na córnea.

Além de acidentes oculares, os jogadores podem também desenvolver, na prática do futebol, problemas devido à exposição excessiva dos olhos à luz solar, ocasionando em curto prazo: sensação de corpo estranho nos olhos, dor e irritação, e, em longo prazo: catarata (perda de transparência do cristalino), fotoceratite (inflamação da córnea) e degeneração macular (doença que afeta a mácula, área central da retina responsável pela visão de detalhes).Vale lembrar que lesões oculares podem ocorrer tanto em jogadores de futebol profissionais quanto em amadores.

Utilização de óculos esportivos



Até a Copa do Mundo de 2010, a Federação Internacional do Futebol (FIFA) proibia o uso de óculos em partidas; por isso, segundo o estudo desenvolvido pelo oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, 64% dos jogadores deixavam de corrigir a visão durante os jogos e 1 em cada 4 atletas nunca tinha passado por exame de vista com medo de ser eliminado pelos treinadores.

A boa notícia é que o novo livro de regras do futebol 2011/2012 libera o uso de óculos, desde que o acessório não represente risco para os atletas. Em geral, os óculos apropriados para a prática de esportes, como o futebol, apresentam armações e lentes com materiais de alta resistência ao impacto e proteção contra raios ultravioleta A, o UVA, e ultravioletas B, o UVB, e com a espessura mínima de 3 milímetros e central de 1 milímetro. Além disso, podem ser feitos de silicone nas têmporas e no nariz e ter um formato arredondado, evitando, desta forma, que machuquem ou casem algum dano aos adversários.

Confira esta e outras matérias relacionadas à sua saúde ocular na terceira edição da "Revista Veja Bem", clique aqui.


Entrevista com o presidente do CBO

... estamos falando financeiramente, agora você imagina qual é o custo social ara o indivíduo e psicossocial para a família de alguém que teve uma doença que poderia ser prevenida.

Esta foi uma das colocações feitas pelo presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Milton Ruiz Alves, em entrevista concedida à Rádio ABC, de São Paulo, no qual criticou o veto presidencial ao Inciso IX do Artigo 4º da chamada lei do ato médico que, caso não seja derrubado, abre a possibilidade para que pessoas sem formação médica prescrevam órteses e próteses oftalmológicas.

Escute a íntegra da entrevista aqui

Rádio ABC MILTON RUIZ - OFTALMOLOGIA - 140813


Entidades Médicas protestam contra planos de saúde

25 de abril é o Dia Nacional de Alerta aos Planos de Saúde e diversas organizações representantes da classe médica realizarão assembleias, caminhadas, concentrações e outros protestos contra os abusos das operadoras de planos no Brasil inteiro.

A Associação Médica Brasileira (AMB), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) reivindicam, entre outras coisas, o reajuste do pagamento por consultas e procedimentos, a definição pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) dos contratos entre médicos e planos de saúde apresentados em 2012 e apoio ao Projeto de Lei 6.964/10, sobre reajustes de pagamentos.

Veja matéria completa no portal do CFM.


CREMESP pune médico cúmplice de optometristas



 

O médico Pedro Silveira Gonçalves Filho foi punido pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) por infração ao artigo 38 do Código de Ética Médica, que veda ao médico "Acumpliciar-se com os que exercem ilegalmente a Medicina, ou com profissionais ou instituições médicas que pratiquem atos ilícitos".

Gonçalves Filho é favorável à legalização da optometria exercida por pessoas sem formação médica ligadas ao comércio óptico e, há vários anos, vem manifestando sua opinião em vários fóruns e, além disso, vem constantemente desafiando a legislação em vigor e desrespeitando o Código de Ética Médica: entre outras ações, já participou de vários congressos dos autodenominados optometristas nos quais ministra conhecimentos médicos a pessoas sem a necessária formação e, pelo menos uma vez, em Santa Catarina, foi flagrado assinando prescrições médicas em branco que posteriormente seriam preenchidas por alunos de um curso optometria.

Diante das ilegalidades praticadas pelo médico Gonçalves Filho, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) apresentou denúncia contra ele junto ao Conselho Federal de Medicina (CFM), que a redistribuiu para os vários conselhos regionais de medicina.

Depois de processo legal, no qual teve todas as oportunidades para apresentar sua defesa, o CREMESP aplicou-lhe a pena de Censura Pública em Publicação Oficial. A comunicação oficial da punição foi publicada em 07 de novembro na página B6 (Caderno de Economia) do jornal O Estado de S. Paulo.


Identidade profissional eletrônica traz novos benefícios

O Conselho Federal de Medicina (CFM) vem substituindo, desde o ano passado, as carteiras profissionais tradicionais por documentos eletrônicos. Os benefícios da nova carteira do CFM incluem acesso a prontuário eletrônico, serviços do portal médico, consultas à Receita Federal, declaração de impostos e emissão de certidões on-line, assinatura de contratos digitais, geração de procurações eletrônicas, consulta à situação na Receita Federal além de acesso aos serviços desta.
O documento é feito em cartão duro e contém sistema antifraude e chip para certificação digital. Os médicos devem solicitá-lo junto ao Conselho Regional em que estão inscritos e parar o valor de R$74,00. Para utilizá-lo, é necessário ativar o chip em uma Autoridade de Registro. O cartão não deve ser plastificado.
Mais informações podem ser obtidas em: http://portal.cfm.org.br/crmdigital/


O futuro da saúde brasileira



Foi publicado hoje, 1º de fevereiro de 2013, o livro ?Saúde no Brasil em 2021?, que compila as principais discussões do Fórum Internacional ?Saúde em 2011?, projetando a situação da área no país no início da próxima década. A publicação foi feita pela SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina) e pela Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa). Aborda o tema sob diversas perspectivas, incluindo finanças, administração e economia.
O presidente do conselho administrativo da SPDM, o médico oftalmologista Rubens Belfort Júnior, dedica o livro aos atuais estudantes de medicina, que terão grande responsabilidade pela situação da saúde no futuro. ?Em 2021, o calouro de medicina atual será nosso médico. Temos que pensar na inovação, nos recursos humanos e nas novas tecnologias aplicadas à universidade e indústria, que farão parte de sua vida e de todos que o acompanham profissionalmente?.
Antônio Britto, presidente-executivo da Interfarma, destaca a falta de inovação tecnológica aplicada. ?Não há conexão entre os saberes e isso faz com que o conhecimento gerado no país não se transforme em riqueza?. Britto defende a parceria entre ?a iniciativa privada, a universidade e o governo? para melhorar o quadro.

É possível baixar o livro aqui.


Projeto Casa Segura



A Associação Médica Brasileira (AMB) acaba de lançar em seu site dirigido ao público em geral uma cartilha sobre como evitar acidentes domésticos e tornar a casa mais segura.
A cartilha, que pode ser objeto de download, é resultado da Comissa?o de Prevenc?a?o a Acidentes Dome?sticos da AMB.
Veja mais informações e faça o download da cartilha no site http://www.salvesaude.com.br/component/k2/item/305-cartilha-casa-segura.html


Nota de Falecimento

O ex-presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (gestão 1973/75), Leiria de Andrade Júnior, acaba de falecer na madrugada de 25 de outubro.
Leiria de Andrade Júnior diplomou-se em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco em 1954. Trabalhou na UFPE como assistente de Clóvis Paiva e fez o curso de pós-graduação em Oftalmologia no Hospital São Geraldo da Universidade Federal de Minas Gerais com Hilton Rocha.

Retornou a Fortaleza em 1957, prestou concurso junto à Universidade Federal do Ceará assumindo de imediato a cátedra e a chefia da Cadeira de Oftalmologia.

Em 1968, fundou a Clínica de Olhos Leiria de Andrade. Em 1971, foi escolhido para ser o relator do Tema Oficial do XVI Congresso Brasileiro de Oftalmologia. Foi presidente do CBO e do XV Congresso Brasileiro de Oftalmologia, realizado em Fortaleza.

Em 1974, criou a Fundação Leiria de Andrade, entidade beneficente destinada a promover a educação de Pós-Graduação em Oftalmologia.
Também foi fundador e primeiro presidente da Sociedade Cearense de Oftalmologia e da Sociedade Norte Nordeste de Oftalmologia.


Presidente do CBO responde a articulista da Folha


                                  Em 13 de outubro, o articulista Hélio Schwartsman (à esquerda) publicou artigo defendendo a autorização para que pessoas sem formação médica realizem procedimentos relacionados com a prescrição de lentes de grau. No mesmo dia, o presidente do CBO, Milton Ruiz Alves, enviou réplica ao articulista que, em seguida, enviou tréplica ao presidente do CBO, respondida imediatamente. Acompanhe todos os lances da polêmica.


Artigo publicado na página 2 do jornal Folha de S. Paulo de 13 de outubro de 2013


CEGUEIRA ESTATÍSTICA

SÃO PAULO - Um dos passatempos favoritos de estudiosos da teoria da decisão é testar médicos em questões que envolvem estatísticas --e os resultados são assustadores.
Num trabalho de 1982, David Eddy pediu a profissionais de saúde que estimassem a chance de uma paciente que apresentou mamografia positiva para neoplasia de fato ter a doença, considerando que a probabilidade de uma mulher ter câncer é de 1%, a sensibilidade do exame, de 80%, e a taxa de falsos positivos, de 9,6%.

Cerca de 95% dos médicos cravaram que o risco era de 75%, quando a resposta certa é 7,7%. Se você fizer a conta, verá que de cem mulheres testadas, quase dez (9,6%) apresentarão falso positivo e menos de uma (80% de 1%) será um positivo real. Não vou explicar aqui os vieses cognitivos que fazem os médicos e as pessoas em geral interpretarem números tão mal, mas, decididamente, é algo com que devemos nos preocupar.

Faço essas observações devido às críticas que recebi por ter defendido que optometristas possam prescrever óculos. Receio que também aqui nossos valorosos doutores sejam vítimas de uma cegueira estatística.

Segundo o estudo Demografia Médica, atuam no país 9.962 oftalmologistas, o que dá quase um profissional para cada 20 mil habitantes. Se o oftalmologista dedicasse 15 minutos a cada um trabalhando oito horas por dia, levaria dois anos e meio para ver todos. Como parcela considerável da população precisa de atendimento pelo menos anual --sem mencionar cirurgias--, a conta não fecha.

O déficit de oftalmologistas não é exclusivo do Brasil. O mundo todo discute o que fazer para atender à demanda, que cresce com o envelhecimento populacional. Experts como Serge Resnikoff defendem treinar equipes multidisciplinares formadas por oftalmologistas, médicos de outras especialidades, optometristas e ortoptistas. Só o que não faz sentido é deixar pessoas sem enxergar direito por disputas de mercado.

Hélio Schwartsman é bacharel em filosofia


Réplica do presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia


Caro Sr. Hélio Schwartsman,

Seguem informações para subsidiar a correção do texto "cegueira estatística" do ilustre jornalista:

1. O censo oftalmológico realizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) em 2010 contou 17.740 oftalmologistas brasileiros o que perfaz um oftalmologista para 12.134 habitantes; 

    2. Caso, cada oftalmologista dedicasse 15 minutos a cada pessoa trabalhando   oito horas por dia, levaria um ano para examinar todos os brasileiros;

3. No entanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza que um terço da população seja avaliado por ano, dessa forma, levaria cerca quatro meses para examinar todas as pessoas;

4. O Dr. Resnikoff fala em equipes multidisciplinares de oftalmologia para atuarem em países em que há falta de oftalmologistas. Em Moçambique, por exemplo, a relação é de um oftalmologista para cada milhão de habitantes.

5. E, finalmente, o ilustre jornalista ao revelar que fez estas observações em "função de críticas recebidas por ter defendido optometristas", mostrou estar entre os que enxugam gelo no polo ártico. Não seria mais correto, primeiro corrigir a "cegueira estatística" e depois argumentar com a "teoria da decisão" que, aliás, sabem os bem informados, não discrimina quaisquer profissionais, nem mesmo médicos ou jornalistas, ou mesmo aqueles que se julgam imparciais.

 

Dr. Milton Ruiz Alves - Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e professor Associado da FMUSP


Tréplica do articulista Hélio Schwartsman


Caro Milton,

1)      Se o CBO e o CFM (de onde tirei os quase 10 mil) não conseguem chegar a um consenso sobre o número de oftalmologistas em atuação, está provado que a categoria médica como um todo não dá muita atenção para números e planejamento, o que é preocupante.

2)      Bem, para tornar as contas mais realistas (não desenvolvi isso muito na coluna por falta de espaço), teríamos de considerar quantos desses profissionais atuam para o SUS. Imagino que não passem de 1/3 e, mesmo assim, nem todos em regime de exclusividade. Assim, parece seguro afirmar que, para a maioria da população, os números seriam bem piores.

3)      O problema aqui é que alguém precisa triar o terço que necessita de consultas anuais e, para fazê-lo, é necessário que alguém veja esses pacientes. Em vários países desenvolvidos, optometristas ajudam nessa tarefa.

4)      Voltemos então ao problema do SUS. Além de boa parte dos oftalmologistas não trabalharem para a rede pública (o que é perfeitamente legítimo, pois ninguém deve ser obrigado a atuar onde não queira nem por um salário com o qual não concorde), temos um desequilíbrio regional significativo. Em certas áreas do Brasil, a situação é de perfil moçambicano e só isso já justificaria a adoção de estratégias como a sugerida por Resnikoff, que, em trabalho de 2012 (?The number of ophthalmologists in practice and training worldwide: a growing gap despite more than 200?000 practitioners?) diz textualmente que a estratégia de equipes multidisciplinares vale também para países desenvolvidos, já que a população idosa tem aumentado num ritmo duas vezes maior do que o de oftalmologistas.

5)      Jamais sugeri que os múltiplos vises cognitivos que acometem nossa espécie não valem para mim.

6)      É claro que tudo no mundo é possível, mas se Estados responsáveis e desenvolvidos como Holanda, Austrália, Canadá, EUA e muitos outros autorizam optometristas a prescrever óculos para a população (em alguns casos até a operar olhos), custa-me crer que só o Brasil, que insiste na exclusividade dada aos oftalmologistas, esteja certo.

Abraço,

Hélio Schwartsman


 

Resposta do presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia


 

Caro Sr. Hélio Schwartsman,

Muitíssimo obrigado pela resposta e pela possibilidade deste diálogo. As considerações abaixo foram feitas respeitando-se a numeração que você utilizou no texto de sua resposta.

1. A explicação para os diferentes números no que se refere ao total de médicos oftalmologistas atuantes no país é a seguinte:

a) o censo oftalmológico CBO 2010 contou todos os médicos oftalmologistas em exercício no Brasil. O número total encontrado foi confrontado com aquele do cadastro de visitas que as indústrias Alcon, Allergan e Essilor fazem aos médicos oftalmologistas. Na metodologia empregada, os médicos oftalmologistas que atuam em mais de um domicílio foram contados como apenas um. Daí, o número 17.740 oftalmologist as e a relação de um oftalmologista para 12.134 habitantes. O fornecimento deste cadastro do CBO para o MS propiciou neste ano que o cadastramento de médicos e/ou clínicas privadas para a execução do Programa Olhar Brasil passasse de 400 para 1600. O MS considerou este fato primordial para o bom resultado obtido neste programa este ano (isto porque o MS não dispunha de cadastro atualizado dos oftalmologistas brasileiros). Para contribuir com o MS nesta área, de quem somos parceiros muito próximos há mais de 20 anos, no momento, estamos conduzindo uma atualização do censo oftalmológico.

b) a AMB conta o número total de médicos oftalmologistas especialistas com título emitido por ela (AMB); o número é parecido com o apresentado por você no artigo.

c) o CFM conta o número total de médicos oftalmologistas especialistas pela AMB que registraram o diploma nos CRMs; e aqui o número é bem menor que o apresentado pela AMB.

2. No SUS, de fato, atuam menos de 5 mil oftalmologistas credenciados (perto de 1/4 dos oftalmologistas) porque o governo federal não contrata médicos oftalmologistas e não permite o credenciamento universal do oftalmologista no SUS. O credenciamento universal dos oftalmologistas no SUS é bandeira antiga da categoria e teria ajudado a minimizar estas dificuldades no atendimento médico oftalmológico.  O MS estabeleceu em maio de 2008 a Política Nacional de Atenção Especializada em Oftalmologia (PNAEO), um programa de ordenamento aos Estados e Municípios com serviços de Atenção Especializada em Oftalmologia com a criação de Redes estaduais e regionais para funcionar em hospitais gerais ou especializados ou em ambulatórios especializados em assistência oftalmológica.  Quando estiver implantada, a PNAEO deverá contribuir para diminuir estas dificuldades na área da saúde ocular.

3. No s países indicados o número de médicos oftalmologista é bem menor proporcionalmente que no Brasil (não considere aqui o número de profissionais do CFM ou da AMB). No Brasil, a legislação vigente impede a venda casada (prescrição e comércio dos óculos pelo mesmo profissional). Nos Estados Unidos, por exemplo, considerando-se a prescrição de óculos para as crianças, os optometristas prescrevem cinco a seis vezes mais óculos do que os oftalmologistas. No Brasil, você tem razão, é necessário aumentar o número de oftalmologistas se o modelo atual prevalecer.

4. Voltemos então ao pro blema da assistência oftalmológica no SUS. Se houvesse o credenciamento universal do médico oftalmologista no SUS haveria um aumento substancial de médicos oftalmologistas trabalhando na rede pública. Fazer consultas oftalmológicas e poder realizar os procedimentos no SUS, como por exemplo, a cirurgia da catarata, é o sonho da maioria dos oftalmologistas em exercício.    Nas áreas em que ocorre desequilíbrio regional significativo o CBO trabalha com o MS para que o atendimento primário em saúde ocular possa ser realizado pelo médico do PSF, bem como por meio de telemedicina supervisionar este trabalho de campo.  O número de oftalmologistas no Brasil aumenta cerca de um mil por ano.  No momento, o CBO está credenciamento serviços oftalmológicos que possam fo rmar mais oftalmologistas, especialmente nas regiões norte e nordeste.

5. Não deveria ter abordado o assunto da forma como o fiz neste item.

6. Países como a Inglaterra contabilizam que empregar o optometrista para a condução de programas de prevenção, como o do glaucoma, no final, custa mais caro para o país, do que se conduzido pelo oftalmologista. A realização do exame refratométrico (para verificar os graus das lentes dos óculos) é o momento que o oftalmologista diagnostica doenças que mais tarde poderão comprometer a visão das pessoas e o optometrista não. Isto, sem considerar o  fato de a formação dos optometristas nos países que você citou ser muito melhor que a daqueles que se dizem optometristas aqui. No Brasil, a optometria não é regulamentada por lei para atendimento médico ou para fazer o exame refratométrico. O optometrista aqui pode exercer a profissão de óptico e aviar a receita médica da prescrição de óculos. O optometrista no Brasil faz cursos de capacitação de 60 horas a 2 anos de duração.

Mais uma vez, gostaria muito de agradecer a sua disponibilidade em responder e de me colocar a sua disposição para esclarecimentos e mesmo para uma conversa amigável.

Abraço,

Milton Ruiz


Inscrições abertas para Prova do ICO 2014



O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) informa que estão abertas as inscrições para as Provas do International Council of Ophthalmology (ICO). O tradicional exame é realizado simultaneamente em mais de 60 países, sendo o CBO responsável por sua aplicação no Brasil. A aprovação é valorizada por instituições estrangeiras, o que facilita a obtenção de estágios no exterior.

O exame completo é formado por três diferentes provas:

Basic Science subjects related to Ophthalmology: 80 questões sobre Ciências Básicas em Oftalmologia, duração de 2 horas;

Theoretical Optics and Refraction: 30 questões sobre Óptica e Refração, duração de 1 hora;

Clinical Sciences: exclusiva aos aprovados no Basic Science & Theoretical Optics and Refraction, 200 questões, duração de 4 horas.

Inscrições:
Período: até 15 de janeiro de 2014.
Data da prova: 24 de abril de 2014 (5ª feira)
Local: São Paulo ? SP
Critério: Ser associado do CBO
Aluno de Curso de Especialização credenciado CBO é isento da anuidade

Documentos necessários:

Formulário de inscrição preenchido e assinado - disponível para impressão no site oficial do ICO: ICO_Basic_Clinical_App_Form_2014_Layout_1.pdf
Uma foto 3x4
Cópia Simples do diploma de médico
Cópia simples do CRM
Copia simples do pagamento da inscrição

Clique aqui e faça sua inscrição


Prevenção de traumas oculares na infância



Crianças brincam, correm e pulam sem parar... Dotadas de espírito aventureiro, são demasiadamente espertas, adoram fazer doce e são especialistas em fazer todo o tipo de traquinagens. Possuem aquela habilidade gostosa de diariamente nos surpreender com sua inocência, a inocência boa. Criança é tudo de bom!

É fundamental para o desenvolvimento de qualquer criança a brincadeira, a arte e a prática esportiva, porém, acidentes sempre podem acontecer. E são normalmente evitáveis.

Neste vídeo educacional abaixo, elaborado com exemplos ilustrativos para facilitar o aprendizado, o presidente do CBO, Milton Ruiz Alves, conta para o papai e para a mamãe dicas fundamentais para a prevenção da saúde ocular infantil dentro do seu lar, com o cuidado na hora de praticar esportes e o perigo das "brincadeiras perigosas".

O CBO preconiza que criança deve ser criança sempre, mas com a diária supervisão e acompanhamento de um adulto responsável. Nunca deixe seus filhos sozinhos e aproveite as dicas do vídeo para eliminar todos os possíveis riscos à saúde ocular dos pequenos.

Veja o vídeo, clique aqui


CBO representado no Congresso Mundial



O presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Milton Ruiz Alves e Tesoureiro da entidade, Mauro Nishi, serão os representantes do CBO no Congresso Mundial de Oftalmologia, que será realizado de 2 a 6 de abril na cidade de Tóquio, no Japão.

Milton Alves irá ministrar a aula "Impact of Ambient Levels of Air Pollution on the Ocular Surface".

Já Mauro Nishi irá ministrar a aula "Update on Corneal Graft Rejection".

Clique aqui e acesse o site do evento.


Prorrogado prazo para o envio de trabalhos científicos no XXI Congresso



A Comissão Científica do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia da Língua Portuguesa, prorrogou o prazo para o envio de Curso de Instrução, Trabalho Científico, Relatos de Caso e Vídeos em um mês.

Agora, o participante do evento tem até o dia 16/04/2014 para enviar os trabalhos científicos. É importante ressaltar que existem algumas normas que precisam ser cumpridas para o envio correto de cada trabalho. Clique nos links abaixo e confira as normas:

Temas Livres e Relatos de Casos

Cursos de Instrução

Vídeo

É necessário estar inscrito no congresso para o envio de qualquer material. Não deixe para a última hora e participe do conteúdo científico deste grande evento da Oftalmologia Nacional!


De olho no correio: Aqui tem médico com Título de Especialista CBO/AMB!



Em continuidade à política de valorização do Título de Especialista em Oftalmologia, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia inicia hoje o envio da arte com os dizeres "Aqui trabalha médico com Título de Especialista CBO/AMB", para ser emoldurado e exposto com orgulho em local de destaque de sua clínica e consultório.

Além disso, seguirá também 80 mini-selos que reforçam a nobre titulação e um voucher que possibilita a compra da moldura em qualquer loja da rede "Moldura Minuto", com desconto de 30%.

O pacote com a arte, os selos e o voucher será enviado pelo correio para 8.781 médicos oftalmologistas que possuem o Título de Especialista CBO/AMB em todo o País!

Receba o material enviado e exiba em seu consultório ou clínica com orgulho, pois você está entre os médicos mais preparados para salvaguardar a saúde ocular do brasileiro!!


Curso CBO-Liderança com inscrições abertas até 04/08/2014



O Curso CBO-Lideranças está com as inscrições abertas até o dia 04/08/2014. Elaborado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, possui como objetivo proporcionar recursos para os futuros líderes das Sociedades Estaduais (ou regionais) de Oftalmologia e Sociedades de Subespecialidades afiliadas ao CBO com a finalidade de capacitá-los para que assumam suas posições de liderança nos vários cenários que envolvem a educação, prevenção da cegueira, educação de pacientes e relacionamento profissional.

Clique aqui e confira o edital completo com todas as devidas informações referentes ao CBO-Lideranças e veja como realizar a sua inscrição.

Se preferir, veja abaixo o resumo:


  • O Curso CBO-Lideranças nasceu de um projeto do doutor Alexandre Ventura, coordenado pela professora doutora Zélia Corrêa, durante sua participação no Curso de Liderança da AAO.

  • As inscrições estão abertas até 04/08//2014;

  • Não é possível autonomear-se para participar do Curso;

  • Este curso não tem nenhuma relação com o da AAO;

  • Somente as Sociedades Filiadas, CBO Estados e integrantes do CDG podem indicar um oftalmologista para participar do Curso CBO-Lideranças;

  • Será aceito somente uma indicação para cada Sociedade Filiada, CBO Estados e Integrantes do CDG;

  • O candidato indicado deve ser associado ao CBO (quite com a tesouraria em 2014);

  • O candidato deve ser associado titular do CBO (com Título de Especialista) há pelo menos 5 anos;

  • Todas as informações podem ser acessadas no Edital;

  • O "formulário de nomeação", que pode ser acessado aqui, deve ser preenchido pela parte do indicado e da entidade que o indica;

  • Serão aceitos os envios do "formulário de nomeação" por Correio (ao CBO), pelo e-mail assessoria@cbo.com.br ou pelo fax (11) 3171-0953;

  • Todas as inscrições realizadas dentro do prazo serão avaliadas pelo Comitê de Seleção do CBO-Desenvolvimento de Lideranças.

  • Organizadores CBO-Lideranças


Alexandre Ventura
Gustavo Victor
Pedro Carricondo
Zélia Maria da Silva Corrêa

Realização

Milton Ruiz Alves
Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia

Gustavo Victor
Coordenador do CBO-Jovem


Pagamento da anuidade 2012 já disponível no portal

Clique aqui para pagar sua anuidade

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que já está disponível no seu portal na internet uma área exclusiva para o pagamento da anuidade de 2012. Além de multiplicar as possibilidades para efetuar o débito, a diretoria do CBO não reajustou o valor para este ano, permanecendo o mesmo valor promocional pago em 2011.

A principal novidade para 2012 é a possibilidade de realizar o pagamento por meio de cartão de crédito das principais bandeiras e parcelar o valor em até 4 vezes sem juros.

O CBO garante total segurança a todos os dados solicitados nesse tipo de pagamento, pois contratou uma empresa especializada em transações on-line que foi a primeira a prestar este serviço no mercado e está ativa há mais de 10 anos.

Além do pagamento via cartão de crédito, também está disponível a possibilidade de pagamento via boleto bancário, que deve ser impresso a partir do site e pago (até a data de seu vencimento) em qualquer agência bancária ou casas lotéricas.

Valores da Anuidade 2012 e suas condições de pagamentos

Valor promocional sem reajuste, válido até 27 de abril: não perca esta oportunidade, pois as condições serão alteradas após 28 de abril!

R$ 500,00 - à vista (boleto ou cartão de crédito, sendo que esta última opção permite o parcelamento em até quatro parcelas);

R$ 250,00 - exclusivo para médicos formados há menos de 05 (cinco) anos (2007 em diante) em medicina. Pagamento somente à vista.

Importante

Em 2012 o Associado poderá direcionar R$ 50,00 do valor de sua anuidade do CBO para uma sociedade estadual de oftalmologia ou ainda para a FeCOOESO. Esta opção é válida somente até 27 de abril. Associados beneficiados pelo desconto de 50% da anuidade não podem fazer a doação

Anuidade após 27 de abril

R$ 540,00 - à vista (boleto ou cartão de crédito, sendo que esta última opção permite o parcelamento em até quatro parcelas);

R$ 270,00 - valor promocional - exclusivo para médicos formados há menos de 05 (cinco) anos (2007 em diante) em medicina. Pagamento somente à vista.


Prazo final para inscrição nos Concursos Culturais do Congresso CBO 2014 termina em 15 de julho. Participe!



O Congresso CBO 2014 traz inovações culturais aos participantes que desejem concorrer a dois concursos, sendo um de fotografias com o tema "Um dia na vida de um oftalmologista" e o de "Casos e Prosas na Oftalmologia". Os interessados deverão estar atentos ao prazo final de inscrições, que se encerram no dia 15 de julho. A inscrição deve ser realizada direto no site do Congresso.

Curso de Fotografias "Um dia na vida de um oftalmologista"

O tema escolhido pela Comissão Executiva para o concurso de fotografias "Um dia na vida de um oftalmologista" visa aumentar a percepção da sociedade sobre a importância do trabalho deste especialista, trabalhando diariamente na prevenção da cegueira e reabilitação visual nas mais diversas condições. As fotografias serão julgadas por uma comissão composta por 03 (três) profissionais indicados pela Comissão Executiva do CBO 2014, incluindo profissionais de comunicação, assim como oftalmologistas.

Os critérios para avaliação considerados serão a relevância do tema proposto, poder da mensagem, criatividade e qualidade técnica. Haverá, também, votação popular no facebook do CBO, quando as pessoas que seguem a página social da entidade poderão votar na sua preferida por meio do botão curtir. Este processo não oferece prêmio, apenas 01 ponto para a foto vencedora, que será somado na votação final da comissão.

Jurados do Concurso: José Vital Monteiro (Jornalista do CBO); Tiago Machado (Mídia do CBO); Nando Chiappetta (Repórter Fotográfico do Jornal Diário de PE) e o Dr. Rubens Belfort Mattos Neto (Professor, Coordenador do Departamento de Oncologia Ocular da UNIFESP).

Regulamento do Concurso


A disputa está aberta a oftalmologistas e profissionais inscritos no XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia da Língua Portuguesa;

Cada participante pode concorrer com, no máximo, três fotografias;

O tema do concurso é: "Um dia na vida de um oftalmologista";

As fotografias devem ser apresentadas em duplicata no formato 20 X 30 centímetros, coloridas, em papel mate ou fosco e um arquivo em CD para cada foto;

Não será permitido o uso de montagens, efeitos e tratamento de imagem por computador;

Os participantes devem identificar cada fotografia inscrita com o pseudônimo, por meio de uma etiqueta adesiva colocada no verso, posicionada próxima à borda superior da fotografia e, dessa forma, indicar a orientação correta da imagem;

Cada imagem deve ser acompanhada pela história do tema da fotografia, contendo um máximo de 1.000 caracteres (incluindo espaço), como material anexo em Word, em letra TIMES NEW ROMAN - 12, em páginas A4, que será escrita pelo próprio colega e assinado com um pseudônimo;

A ficha de inscrição encontra-se no site. Ela deve ser encaminhada em um envelope fechado juntamente com o envelope das fotos (este deve estar lacrado com o pseudônimo do lado de fora). O pseudônimo não deve estar relacionado com o nome do autor;

A autoria das fotografias será conhecida somente após o processo de julgamento;

As fotografias inscritas não serão devolvidas e passarão a fazer parte do acervo do CBO, podendo ser utilizadas em exposições, divulgações, etc;

Os participantes deverão apresentar uma autorização de cessão de imagem da(s) pessoa(s) que puder(em) ser identificada(s) de alguma forma na foto. O participante isenta o CBO da responsabilidade das questões que envolvem o direito de imagem, e autorizam a publicação da foto pelo CBO, em mídias eletrônicas e impressas;

A assinatura do termo de liberação de imagem implica na aceitação e concordância com todos os itens deste Regulamento;

O Júri será composto por uma comissão de 03 (três) membros indicados pela Comissão Executiva do CBO 2014, incluindo profissionais de comunicação, assim como oftalmologistas.


Programa de Atualização em Refração CBO chega ao seu terceiro ano


Aspectos do Curso realizado em São Paulo, em dezembro de 2012


*entrevista da semana

Em maio, a cidade de Manaus, no Amazonas, será sede do primeiro curso do "Programa de Atualização em Refração CBO" em 2014. Até o final deste ano o curso será ofertado em mais cinco cidades do País, refletindo o esforço da entidade para despertar nos médicos o interesse pela refratometria ocular.

Além de Manaus, o curso será realizado nas cidades de Campo Grande (MS), Florianópolis (SC), Aracajú (SE), São Paulo (SP) e Franca (SP). Clique aqui e confira as datas de realização do curso na sua cidade.

Na entrevista abaixo, Milton Ruiz Alves, presidente do CBO e um dos idealizadores do Programa, fala sobre a importância da refratometria para a Oftalmologia, como foi elaborada a grade do curso e convida os colegas para com antecedência fazer a inscrição.

CBO: O Programa de Atualização em Refração chega ao seu terceiro ano. Qual a dimensão deste projeto? Ele cumpriu o seu objetivo?

MRA: A refratometria ocular faz parte do exame ocular e é com ela que comumente iniciamos o exame oftalmológico. O CBO entende ser necessário e muito prudente valorizá-la. A refratometria ocular vai muito além do que mensurar o erro de refração com o emprego de um refrator computadorizado. A obtenção dos valores do erro de refração pela retinoscopia manual ou computadorizada sob cicloplegia é a primeira parte do exame refratométrico. O médico de posse destes dados e conhecendo as necessidades visuais do paciente irá então prescrever lentes oftálmicas que proporcionem boa visão com conforto.
Durante os últimos anos a refratometria ocular vem sendo pouco valorizada nos cursos de aprimoramento. O CBO pretende com os Cursos de "Atualização em Refração" oferecer oportunidade a cada médico assistente de poder entender a racionale da prescrição óptica e replicar este conhecimento. Os cursos de Refração, realizados nos anos anteriores, cumpriram o objetivo de difundir o gosto pelo estudo da refratometria ocular. Mais de 700 médicos foram capacitados e muito deles hoje são responsáveis pelo seu ensino da refratometria ocular nos cursos de aprimoramento.

CBO: Como é elaborada a grade científica deste Curso?

MRA: O curso é programado para ter, em seu primeiro dia, até quatro horas de informação teórica, abordando principalmente as técnicas de exame, uma análise crítica da prescrição e discute como fazer a escolha das lentes oftálmicas. No segundo dia do curso, em mais de quatro horas, o raciocínio crítico da prescrição é extensamente discutido por meio da apresentação e discussão de casos de refração.

CBO: Esta grade pode ser alterada de acordo com o Estado ou região em que o curso é aplicado? Como funciona isso?

MRA: Na primeira parte do curso, as aulas teóricas abordam temas definidos e como são conceitos básicos, os seus conteúdos normalmente não são modificados. Na segunda parte do curso, a mais importante, a discussão de casos sendo uma atividade interativa ela é única porque é construída segundo as necessidades dos médicos de cada região em que o curso ocorre.

CBO: Qual a importância da Refração atualmente? Em sua opinião, por que o oftalmologista prefere se especializar em outra especialidade em detrimento da refratometria?

MRA: É muito importante dominar a técnica da refratometria ocular porque a necessidade de correção óptica é a razão principal de procura do oftalmologista para 85% dos pacientes. O oftalmologista procura o aperfeiçoamento em outras áreas por razões de mercado. Em todas as profissões, e também na medicina, o especialista é mais valorizado que o generalista. Esta é a razão da procura pela especialização. No entanto, o colega que realiza muito bem a cirurgia de catarata, se não souber prescrever lentes adequadas pode desapontar o seu paciente. Saber fazer uma boa refração não é pingar um colírio que dilata a pupila e nem passar o paciente no refrator automático e apertar um botão. A arte da prescrição óptica é o que procuramos ensinar nos Cursos de Atualização em Refração. É importante salientar que fazendo bem o exame refratométrico é que o médico conseguira fidelizar o paciente e dessa forma aumentará em muitas vezes a chance de seu consultório ter sucesso.

CBO: E para a Oftalmologia?

MRA: Para a Oftalmologia é extremamente importante. A refratometria ocular como parte do exame oftalmológico sendo ato médico deve ser realizada por profissional habilitado. Durante o exame de refração o médico tem a oportunidade de diagnosticar doenças oculares que sem serem diagnosticadas e tratadas oportunamente poderiam comprometer a saúde ocular do paciente. Então, considerar a refratometria como parte da consulta oftalmológica, não é defender reserva de mercado para a nossa classe, mas sim, a maneira de preservar a saúde ocular dos nossos pacientes.

CBO: Como é organizada a escolha das cidades que ministrarão o curso?

MRA: Para o CBO o curso deve ser levado para os pontos mais representativos do País e para os mais longínquos também. A seleção das cidades começa por aquelas que manifestam o desejo de receber o curso.

CBO: Qual a importância da Essilor para este projeto?

MRA: A Essilor oferece o apoio financeiro para este projeto. O Curso de Refração não é focado em interesses específicos da empresa. O Curso tem por objetivo difundir o estudo da refração ocular e capacitar os colegas a entender a racionale da prescrição óptica.

CBO: Quem pode se inscrever para participar do Curso? Ele é gratuito?

MRA: O curso é gratuito e aberto para todos os médicos oftalmologistas, generalistas ou especialistas, bem como aos alunos de cursos de Aprimoramento. Todos são bem vindos. As vagas, no entanto, são limitadas devido ao espaço físico do ambiente em que o curso é realizado, portanto, fica aqui a dica para os interessados em participar do curso, seja da cidade sede ou das proximidades, façam agora mesmo a sua solicitação de sua inscrição.

*clique aqui e confira o cronograma e datas dos próximos cursos em 2014.


Preso casal especializado em roubos a clínicas oftalmológicas

 Armamento apreendido com os suspeitos


A Polícia Civil prendeu um casal apontado como um dos principais articuladores de um esquema de roubo e receptação de equipamentos oftalmológicos da cidade de São Paulo. A dupla foi flagrada quando se preparava para atacar um consultório na Vila Mariana, Zona Sul. Integrantes da 2ª Patrimônio (Delegacia de Investigações sobre Crimes Patrimoniais de Intervenção Estratégica) do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) apurava as atividades dos acusados quando detectou nova invasão. As prisões aconteceram na tarde de sexta-feira (25), mas só foram divulgadas hoje para não atrapalhar os trabalhos.

Segundo o delegado Eduardo Camargo Lima, titular da 2ª Patrimônio, as prisões devem possibilitar o esclarecimento de, pelo menos, 14 roubos em clínicas médicas. "Os dois presos e, em alguns casos, um terceiro envolvido, marcavam consulta. Depois anunciavam o roubo. Levavam equipamentos oftalmológicos. Além do prejuízo financeiro estavam trazendo muita intranquilidade para quem trabalha nesse ramo de atividade", comentou Camargo Lima.

A equipe da 2ª Patrimônio, durante as investigações, conseguiu identificar qual seria o próximo alvo do envolvidos nos ataques. O casal agendou uma consulta em uma clínica oftalmológica instalada na rua Francisco Tavares de Oliveira Filho. Os policiais ficaram em posições estratégicas nas imediações do local.

O casal foi identificado visualmente nas proximidades da clínica. A abordagem aconteceu rua. "Nosso intuito de antecipar a ação foi para evitar uma reação que poderia colocar em risco clientes e proprietários", avaliou Camargo Lima. Os policiais detiveram a doméstica Monique Mele Machado Duo, de 23 anos, e o servente Fábio Bezerra da Silva, de 39.

O acerto na antecipação das prisões ficou evidente durante a revista no casal. A equipe da 2ª Patrimônio encontrou em poder da dupla um revólver calibre 38 e uma pistola 6.35. As duas armas estavam municiadas. Os policiais também encontraram com os detidos fitas plásticas, tipo lacre, utilizadas para atar as pessoa e duas chaves de fendas. Para o delegado Camargo Lima, o próximo passo será prender o responsável por receptar e vender os equipamentos roubados.



Fonte: DEIC


Semana no Senado começa com pauta trancada pela MP do Mais Médicos



A Medida Provisória (MP) 621/2013, que instituiu o Programa Mais Médicos, é o item mais polêmico da pauta do Plenário na próxima semana. A MP, que vence no início de novembro, está trancando a pauta, que inclui, ainda, projeto sobre procedimentos para incorporação, fusão e desmembramento de municípios. Também pode ser votado projeto que reverte alterações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em relação à distribuição das vagas na Câmara dos Deputados.

A MP do programa Mais Médicos foi editada com o objetivo de ampliar o atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) em cidades onde há carência desses profissionais. Aprovada na quarta-feira (9) pela Câmara dos Deputados, na forma do Projeto de Lei de Conversão (PLV) 26/2013, o texto teve forte oposição dos médicos e entidades que os representam.

Um dos pontos mais polêmicos nos debates sobre a MP foi a necessidade de revalidação do diploma do médico estrangeiro. O relatório do deputado Rogério Carvalho (PT-SE) previa que o estrangeiro não precisaria revalidar o diploma nos três anos do programa e no primeiro ano da eventual prorrogação (de três anos). Emenda aprovada pelo Plenário da Câmara, no entanto, restringiu a dispensa apenas aos três primeiros anos do programa.

A forma de registro dos médicos vindos do exterior também deve gerar discussão em Plenário. O texto original da MP estabelece que o registro provisório seja feito pelos Conselhos Regionais de Medicina. Em razão da demora na emissão dos registros, que estaria dificultando o início do trabalho de alguns médicos, o relator passou essa incumbência ao Ministério da Saúde. Apenas a fiscalização do trabalho dos participantes do programa continuaria sendo feita pelos conselhos.

Outros projetos

Mesmo com a pauta trancada, algumas proposições poderão ser votadas. Segundo a Secretaria-Geral da Mesa, o trancamento, na prática, não alcança matérias de competência privativa do Senado, como a indicação de autoridades. Também não são afetados pelo trancamento da pauta projetos de decreto legislativo.

É o caso do PDS 85/2013, do senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), que susta os efeitos de resolução administrativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A resolução redefiniu o número de deputados federais, estaduais e distritais no país, em resposta a pedido da Assembleia Legislativa do Amazonas.

Com as mudanças propostas pela resolução do TSE há, por exemplo, o ganho de quatro cadeiras na bancada do Pará. Minas Gerais, Ceará, Santa Catarina e Amazonas também ganham mais deputados. Por outro lado, as representações de Paraíba, Piauí, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Alagoas e Rio Grande do Sul perdem representantes.

O projeto tramita em regime de urgência. Se aprovado no Plenário, ainda deve ser analisado pela Câmara dos Deputados.

Outro projeto que também está em regime de urgência é o substitutivo (SDC 98/2002) ao projeto de lei complementar do Senado que regulamenta a criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios. Pela proposta, as assembleias legislativas vão recuperar a condição de examinar a criação de novos municípios, suspensa há 17 anos.

Voto aberto

Também podem entrar na pauta de votação três propostas de emenda à Constituição que tratam do voto aberto nas deliberações legislativas (PECs 43/2013, 20/201328 / 2013). As três propostas tramitam na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde há expectativa de que sejam votadas na próxima semana. Se houver tempo, podem ser incluídas na pauta do Plenário. O entendimento do relator, senador Sérgio Souza (PMDB-PR), é de que não deve mais haver voto secreto em nenhum tipo de deliberação.

Fonte: Agência Senado


Mesmo com vetos, diagnóstico e prescrição continuam a ser exclusividade dos médicos



O Conselho Federal de Medicina (CFM) esclarece à população que, mesmo com a manutenção dos vetos da presidente Dilma Rousseff à Lei 12.842/2013, ?os médicos continuam a ser responsáveis pelo diagnóstico de doenças e prescrição de tratamentos, sendo que os outros profissionais atuarão dentro das atribuições previstas em suas legislações e conforme jurisprudência dos Tribunais Superiores?.

Médicos e estudantes de Medicina acompanham sessão no CongressoDe acordo com o CFM, a decisão do Congresso não implica em ampliação das competências e atribuições das outras 13 categorias da área da saúde, que já estão previstas em suas respectivas legislações, que não lhes permitem diagnóstico e tratamento de doenças.

?Quem realizar atos de diagnóstico de doenças e prescrição de tratamentos deve ser denunciado e, se condenado, pode receber pena de seis meses a dois anos de prisão, conforme estabelece o Código Penal?, alerta o Conselho Federal de Medicina.

Além de informar que a população continuará a ter os médicos como os únicos habilitados a fazer diagnósticos e prescrições de tratamentos, o CFM chama a atenção da sociedade para o prejuízo que os vetos da presidente Dilma Rousseff trarão para os pacientes, especialmente aqueles atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Sem a garantia do que estava previsto no texto original do PLS 268/2002, o Governo poderá adotar protocolos oferecendo aos pacientes serviços realizados por profissionais sem a devida competência. Caso isso ocorra, iremos ao Poder Judiciário visando a proteção e segurança da população.

Senadores e deputados em votaçãoResultado difícil ? O Congresso Nacional manteve os 10 vetos da presidente Dilma Rousseff à Lei do Ato Médico numa decisão apertada. A votação, realizada na noite de terça-feira (20), foi feita por meio de cédula única, em que os parlamentares marcaram se aceitavam ou não os vetos do Executivo. Para derrubada dos vetos era necessário o apoio de 257 deputados e de 41 senadores.

A regra de votação sobre vetos da Presidência da República exige o mínimo de 257 deputados e 41 senadores a favor de sua derrubada. Até a manhã desta quarta-feira, o CFM apurou que o número de deputados necessário para que os 10 vetos caíssem foi atingido. Mas, 40 senadores optaram pela manutenção dos vetos enquanto 30 votaram pela derrubada e 11 se abstiveram. O Senado informou que a votação foi válida e que a contagem final será divulgada durante o dia.

Confira, abaixo, a íntegra do alerta do CFM:

 

Nota de Esclarecimento do CFM


Manutenção dos vetos à Lei do Ato Médico não amplia competências e atribuições de outras categorias profissionais da saúde


ALERTA À POPULAÇÃO


Brasília, 21 de agosto de 2013.


Para evitar equívocos de interpretação, assegurar o bom atendimento e informar à população sobre seus direitos, o Conselho Federal de Medicina (CFM) esclarece que:

1) A manutenção dos vetos ao projeto de Lei do Ato Médico não implica em ampliação das competências e atribuições das outras 13 categorias da área da saúde;

2) Os médicos continuam a ser responsáveis pelo diagnóstico de doenças e prescrição de tratamentos, sendo que os outros profissionais atuarão unicamente dentro do escopo de suas respectivas legislações, conforme jurisprudência dos Tribunais Superiores;

3) Pessoas que realizem atos de diagnóstico de doenças e prescrição de tratamentos devem ser denunciadas às autoridades por exercício ilegal da Medicina, crime previsto no Código Penal com penas que vão de seis meses a dois anos de prisão;

4) Os pacientes devem ficar tranquilos, confiar sua saúde aos médicos, que têm assumido papel chave na assistência, e cobrar dos gestores o investimento necessário para qualificar os serviços públicos de saúde;

5) Os Conselhos de Medicina ressaltam que estão atentos às possíveis irregularidades, como parte de sua missão de defender a qualidade da assistência, a boa prática médica e a proteção e segurança da vida e da saúde dos pacientes.

Conselho Federal de Medicina (CFM)




Mobilização Médica

As entidades médicas nacionais divulgaram em 23 de julho a Carta Aberta à População onde explicam os motivos da contrariedade da categoria às medidas anunciadas pelo Governo no escopo da MP 621.

 O material informa que os médicos são solidários às queixas da população, mas ressaltam que não são apenas profissionais que resolverão os problemas do atendimento. O texto destaca a necessidade de mais investimento na saúde e diz que as entidades médicas não são contra a vinda de médicos estrangeiros, desde que estes provem sua qualificação pelo Revalida e domínio da língua portuguesa. ?Ninguém é contra a vinda desses profissionais, mas antes deles atenderem você, seus filhos, sua família, eles precisam provar que são competentes passando em exames sérios. No mundo inteiro é assim. Por que no Brasil tem que ser diferente??, diz um dos trechos.

 Na carta aberta, os médicos pedem a compreensão da população: ?em nenhum momento, queremos prejudicar você, cidadão, tão vítima quanto os médicos nesse processo. No entanto, mobilizações podem acontecer no seu estado para chamar a atenção das autoridades?.

Leia a íntegra do documento no site http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=24014:medicos-explicam-a-populacao-porque-sao-contra-as-medidas-do-governo&catid=3

onde também existe um link para obter o documento em PDF para ser reproduzido e distribuído aos pacientes.


Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo lança campanha “Veja bem, Veja para sempre”

A Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo, sob a coordenação do oftalmologista Jorge Rocha lança a campanha "Veja bem, veja para sempre".

A campanha, que tem o objetivo de esclarecer e educar sobre a Degeneração de Mácula Relacionada à Idade, a DMRI, é mais uma ação da SBRV, com o apoio da Novartis.

Atualmente, aproximadamente 30 milhões de pessoas no mundo têm DMRI. Este dado representa o dobro das pessoas acometidas de Alzheimer. Só no Brasil a estimativa é de que 3 milhões pessoas acima de 65 anos sofram de DMRI.

Mais informações no site ou na página oficial da campanha no facebook (https://www.facebook.com/vejaparasempre)


MPF/BA: Justiça suspende atividades de associação que atuava ilegalmente como conselho profissional de óptica e optometria

Além de ter as atividades e a cobrança de taxas suspensas, o CROO/BA terá que comunicar a decisão liminar a seus afiliados e ao público em geral.

Ao atender pedidos formulados em ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA), a 1ª Vara da Justiça Federal determinou, no último dia 15 de junho, a suspensão das atividades do Conselho Regional de Óptica e Optometria da Bahia (CROO/BA), incluindo a cobrança de taxas a seus associados. Apesar de se autodenominar como "conselho", o CROO/BA consiste em uma associação civil e como tal não possui competência para fiscalizar exercício de profissão. A Justiça também determinou que o CROO/BA informe aos seus filiados o teor da decisão liminar, sob pena de pagamento de multa diária pelo descumprimento, e que publique, em jornal de grande circulação no estado, a notícia da suspensão integral das suas atividades.

O MPF apurou que o CROO/BA, apesar de ser uma associação civil, apresenta-se publicamente como "conselho profissional", invocando para si o direito de regulamentar e fiscalizar o exercício da profissão de técnico em óptica e optometria, com a cobrança de taxas e constituição de conselhos e tribunais de ética, responsáveis pelo acompanhamento, regulamentação e apreciação da conduta de seus membros.

De acordo com a ação do MPF, a atividade do conselho é ilegal porque compete à União legislar e criar órgãos de fiscalização e controle de categorias profissionais ou econômicas. O procurador da República Ovídio Augusto Amoedo Machado, autor da ação, afirma que "inexiste dispositivo legal a instituir o Conselho Regional de Óptica e Optometria da Bahia como órgão fiscalizador da profissão, sendo descabida a prática de qualquer ato que induza à falsa impressão de que a entidade possui competência para atuar como conselho de classe, uma vez que a sua atribuição como associação civil limita-se à defesa dos interesses de seus associados".

Na decisão, o Judiciário afirmou que o fato acarreta repercussões diretas na área da saúde. "Além disso, os filiados do CROO/BA podem estar sendo enganados quanto à real situação jurídica do mesmo, estando sujeitos, portanto, ao recolhimento de taxas e contribuições ilegais", diz a liminar. As normas relativas à profissão dos ópticos e optometristas estão expressas no Decreto Federal nº 24.492/34 e cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exercer a fiscalização e regulamentação da referida atividade profissional.

Fonte: Procuradoria de República na Bahia


Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa realizará exames para detecção do ceratocone

Ação na Estação Central do metrô vai alertar para os riscos da síndrome ocular que acomete mais de 9 milhões de brasileiros

Cerca de 1% da população mundial é portadora de ceratocone. A síndrome, pouco conhecida pela população, é caracterizada pelo afinamento e aumento da curvatura da córnea (ectasia), que assume o formato de cone, o que provoca astigmatismo associado ou não à miopia e pode comprometer severamente a visão.

Para alertar sobre os riscos do ceratocone, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa (SBCR) realiza, dia 7 de fevereiro (sexta-feira), a campanha "Ceratocone - De Olho no Futuro". Das 8h às 18h, médicos oftalmologistas e residentes dessa especialidade estarão no estande montado na estação Central do metrô, no Rio, para oferecer gratuitamente o exame de detecção. A meta é realizar 500 atendimentos por ordem de chegada. Serão distribuídas senhas no local.

"O estágio inicial do ceratocone é assintomático e o diagnóstico precoce é fundamental, pois há medidas para evitar a progressão da doença, que vão desde parar de coçar os olhos até a cirurgia de crosslinking", alerta Renato Ambrósio Júnior, presidente da SBCR. "Por isso, é fundamental informar a população", acrescenta.

Uma luta que já dura 13 anos

Aos 24 anos, o psicólogo Vinícius Ribeiro da Silva percebeu algo errado com sua visão lateral. Recebeu a prescrição de óculos para a miopia, mas foi insuficiente para sanar o desconforto visual, até que chegou ao diagnóstico correto. "Fiquei assustado quando soube que tinha ceratocone nos dois olhos", conta.

Ao longo do tratamento, Vinícius usou lentes de contato rígidas e, quando intolerante a estas, fez implante de anel intracorneano. Em 2013, submeteu-se à cirurgia de crosslinking. "Agora, consigo até enxergar sem óculos, pois estou com pouco grau em cada olho", comemora.

"Mas é importante destacar que o objetivo principal da cirurgia para ceratocone não é diminuir o grau para permitir boa visão sem óculos. Trata-se de procedimentos terapêuticos para reabilitar a visão, bem como estabilizar a doença, o que reduz risco de progressão", destaca Ambrósio. Para o presidente da SBCR, a correção refrativa do grau deve ser secundária no planejamento da cirurgia, e vai depender de cada caso.

Coçar os olhos agrava a doença

As causas do ceratocone ainda não são totalmente conhecidas. Sabe-se que fatores genéticos somados a fatores como o hábito de coçar os olhos, por exemplo, contribuem para o seu desenvolvimento.

Tratamentos

A correção por óculos é suficiente nas fases iniciais. Com a evolução do ceratocone, a adaptação de lentes de contato passa a ser a forma mais eficaz de melhorar a visão, mas estas não freiam o desenvolvimento da doença. De acordo com o presidente SBCR, a cirurgia pode ser indicada tanto para reabilitar a visão quanto para frear a progressão da doença, mesmo se a visão não estiver comprometida.

Sinais de alerta

Os primeiros sinais costumam aparecer durante a adolescência e podem progredir, geralmente, até os 35 anos. Alguns casos podem progredir pela vida toda. Dificuldade de enxergar; sensibilidade à luz; lacrimejamento; aumento anormal do grau dos óculos para longe estão entre os principais sinais.

Diagnóstico

A topografia e a tomografia de córnea são os exames mais indicados para identificar a doença em fases iniciais, antes de haver perda de visão. Para saber mais, acesse: www.tudosobreceratocone.com.br.

Durante a campanha "Ceratocone - De Olho no Futuro", na estação Central do metrô, serão distribuídos folhetos com informações sobre a doença. As pessoas que receberem o diagnóstico de ceratocone serão encaminhadas para atendimento no Instituto Benjamin Constant (IBC) ou Hospital dos Servidores do Estado (HSE).

Para mais informações sobre a campanha "Ceratocone - de Olho no Futuro", o telefone para contato é o (21) 2225-2600.


Mais médicos

Confira posicionamento do médico oftalmologista João Ângelo Siqueira* sobre o papel do médico brasileiro em tempo das ações do Ministério da Saúde e do Programa Mais Médicos. O artigo foi publicado no site do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Nos últimos tempos, temos visto um interesse crescente do governo e da população pela melhoria do sistema de saúde no Brasil, o que é louvável e desde sempre desejável.

No entanto, devido a algumas interpretações e abordagens polêmicas, é necessário que nós, como médicos brasileiros e, portanto, signatários de compromisso inabalável pela defesa da saúde dos nossos semelhantes, nos manifestemos, sem qualquer viés político ideológico, corporativista ou de outra natureza que não seja de levar aos nossos irmãos brasileiros uma saúde cada vez de mais qualidade. Sempre desejamos ser "O Melhor e o Mais próximo Médico" que nossa sociedade pudesse almejar.

Para isto, enfrentamos vestibulares e concursos concorridíssimos, cursos longos, estressantes e complexos, plantões intermináveis, ambulatórios, residências, pós-graduações, mestrados, doutorados, educação continuada, congressos internos e globais, merecendo de nossos pares, em todo o mundo, elogios, premiações e titulações de enaltecer todo o povo brasileiro.

Sim, o Médico e a Medicina brasileira são respeitados por sua qualidade em todo o mundo.
A ideia de estar sempre ao lado de nossa gente, sobretudo os mais necessitados, não é nova, tão pouco pertence a este ou a qualquer governo anterior.

Esta ideia, seguida de ações concretas, é nossa, dos médicos brasileiros.

Foram os médicos brasileiros que criaram, pioneiramente em todo o mundo, programas como o internato rural, onde professores e pré-formandos residem em confins de nosso País, levando assistência, novos hábitos e conquistas para nossa gente.

Inúmeros programas foram criados pelos médicos e são executados Brasil afora há tempos, buscando atender regiões e populações carentes. Exemplos como o Projeto Urbi, que tive a felicidade de frequentar com o saudoso Prof. Hilton Rocha, que vencia os sertões mineiros atendendo, em caravana, pacientes, adultos e crianças, com problemas de visão, sendo que os casos graves eram encaminhados para resolução na capital, em hospital mantido pela equipe médica em cooperação com a sociedade.

Mutirões de várias especialidades, criados pelas sociedades médicas, e aqui, por força de minha área, lembro-me dos mutirões de catarata, do glaucoma, do diabetes, cortam as estradas e até os rios do país (barcos na Amazônia oferecem atendimento e mesmo cirurgias a populações ribeirinhas) minimizando as carências deste planeta múltiplo, de primeiro/ décimo mundo, chamado Brasil.

Foram os médicos brasileiros que idealizaram e que defendem diuturnamente o SUS, maior sistema público de saúde do mundo, que só não é melhor por não ter sido, até o presente momento, tratado como prioridade pelos governos.

Enfim, são os Médicos Brasileiros que enfrentam no dia a dia os ambulatórios assaltados por gangues em periferias; os hospitais sem mínimas condições, mesmo nas grandes capitais; os doentes sem solução, que de tanto tentarmos curá-los, adoecemos junto com eles; os postos de saúde nos interiores mais longínquos, sem estrutura física, sem equipamentos e medicamentos básicos e muitas vezes com ingerências políticas locais que só fazem dificultar os atendimentos.

Somado a tudo isto, enfrentamos com frequência manchetes negativas da imprensa e os riscos de processos judiciais, acusados de sermos nós os responsáveis pelas mazelas de todo o sistema de saúde.

Soluções concretas e viáveis, como a carreira de Estado para o médico no Brasil e mais recursos, com a devida melhor gestão, são projetos em tramitação na Câmara Federal, carecendo de apoio da mídia, dos governantes, dos juristas e de toda sociedade cidadã, que quer colaborar com a realização do sonho de saúde com qualidade para todos.

Nós, os médicos brasileiros, nunca abandonamos, e nunca abandonaremos nossos ideais e nossa gente.

* É médico pela UFMG, pós graduação pela Université Louis Pasteur e doutorado pela UFMG.
Membro titular do Conselho Brasileiro de Oftalmologia.


Projeto que obrigava planos de saúde a substituírem profissional descredenciado é derrubado

Dos 74 deputados que assinaram o requerimento, 47 desistiram e apresentaram recurso para derrubá-lo

BRASÍLIA - A articulação política das entidades médicas no Congresso Nacional conseguiu derrubar requerimento que, na prática, retardava a aprovação de um projeto obrigando os planos de saúde a substituírem o profissional descredenciado por outro equivalente, e determinando que o consumidor seja avisado da mudança com 30 dias de antecedência. Segundo o deputado André Figueiredo (PDT-CE), 47 dos 74 deputados que assinaram o requerimento voltaram atrás e apresentaram um novo recurso para derrubá-lo. Com isso, o projeto está livre para ir à sanção da presidente Dilma Rousseff.

Nós conseguimos a retirada de 47 assinaturas. Desde ontem que vínhamos trabalhando. Já protocolamos o recurso contra a tramitação do recurso, que prevê que pelo menos 50% das assinaturas tivessem sido retiradas. Nós conseguimos ir além, retiramos 47 e agora o projeto vai para sanção presidencial. Agora, está com Dilma. Foi uma articulação. O Conselho Federal de Medicina e Colégio Brasileiro de Radiologia entraram em contato conosco - disse Figueiredo
Atualmente, a lei fala apenas do compromisso de trocar entidades hospitalares descredenciadas. O projeto cita "qualquer prestador de serviço de saúde".

O pedido do requerimento foi feito pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) - responsável pela regulamentação dos planos de saúde no país - por meio da liderança do governo na Câmara. Parlamentares da bancada da saúde reclamam da manobra e destacam um outro ponto do projeto que entendem ser importante para regular as relações entre médicos e planos de saúde.

O projeto determina a obrigatoriedade de um contrato por escrito entre as duas partes, tratando, entre outros pontos, da forma como se dará o reajuste dos serviços prestados pelo profissional e pagos pelo plano. É justamente a forma do reajuste que enfrenta oposição da ANS. Já os deputados favoráveis ao projeto, e também o Conselho Federal de Medicina (CFM), dizem que, na verdade, está havendo lobby dos planos de saúde, que negam qualquer manobra.

O projeto, estabelece que o contrato deve trazer a descrição de todos os serviços contratados, além de definir os valores, prazos e procedimentos para faturamento e pagamento dos serviços prestados. Outro ponto é a forma e a periodicidade do reajuste, que deve ser feito anualmente, em até 90 dias após o início de cada ano-calendário. Passado esse prazo, o projeto estipula que cabe à ANS, "quando for o caso" definir o índice de reajuste. Para a agência, isso seria uma interferência indevida no mercado.

Fonte: O GLOBO




Revista Salud Ocular Comunitaria

Glaucoma primário de ângulo aberto: um assunto de todos é o tema central da Revista Salud Ocular Comunitaria, de agosto. A publicação virtual, editada pela IAPB (International Agency for the Prevention of Blindiness), é a versão em castelhano do Community of Eye Health Journal, editado pelo International Centre for Eye Health, London.

O índice completo da publicação é o seguinte:

Glaucoma primario de ángulo abierto: un asunto de todos;

Editorial: Glaucoma;

Género y glaucoma;

El consenso en Latinoamérica del Método de Investigación y desarrollo (RAND) para el Glaucoma Primario de Ángulo Abierto;

Estableciendo las normas para la atención del glaucoma;

Epidemiología del Glaucoma en América Latina;

Detección de posible glaucoma solo con equipo limitado: un primer paso crucial;

El próximo paso: evaluación detallada de un paciente adulto con glaucoma;

Sospechoso de Glaucoma y Glaucoma Preperimétrico: La Frontera;

Telemedicina Y Rastreo Masivo Del Glaucoma: Nuestra Experiencia En Santander (Colombia);

La papila en el glaucoma;

Cómo evaluar un defecto pupilar aferente relativo (DPAR)

Consejo pratico: Como medir la presión intraocular: tonometría de

Aplanación;

Serie sobre equipamento: Cómo verificar la calibración de los tonómetros de Goldmann;

Evaluación de campimetría para detectar glaucoma: guía prática;

Póster: Algo malo le ocurre a mi visión, ¿qué puedo hacer?;

Terapias alternativas para el tratamiento del Glaucoma;

Manejo postoperatorio de la trabeculectomía en los primeros tres meses;

Los Implantes Valvulares, Una Alternativa en el Manejo Quirúrgico del Glaucoma: Experiencia a 20 años;

Cuando la trabeculectomía fala;

Tratamiento médico para el glaucoma de ángulo abierto;

Cómo aplicarse las gotas usted mismo;

9. ª Asamblea General de la IAPB;

Glosario sobre glaucoma;

Estrategia de tamizaje de glaucoma en la atención primaria: manejo del paciente con sospecha de glaucoma.

Repercusiones en el Tratamiento Médico del Glaucoma, Enfermedad de la Superficie Ocular: Perspectiva y Manejo;

La Intervención Psicológica del Paciente con Glaucoma y su Familia desde el Modelo de la Terapia Médica Familiar;

Se anuncia la ganadora del Premio 2013 Lions/PAAO en Prevención de Ceguera;

Ponga a prueba su conocimiento y comprensión;

Recursos útiles y anúncios.

 

Faça o download da publicação aqui


Programa de Atualização em Refração CBO volta em maio

Manaus será a primeira cidade a sediar o curso em 2014

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia irá realizar, pelo terceiro ano, o seu curso de Atualização em Refração, agora com o importante apoio da Essilor. O objetivo principal desta iniciativa é oferecer aos oftalmologistas, residentes de oftalmologia e alunos de curso de Especialização CBO, a possibilidade gratuita de aprimorar e reciclar os conhecimentos com as principais técnicas da refratometria.

O programa será realizado, em 2014, em seis cidades que se candidataram a sediar as edições. São elas:

Manaus (AM) nos dias 09 e 10 de maio;
Campo Grande (MS) nos dias 08 e 09 de agosto;
Florianópolis (SC) nos dias 03 e 04 de outubro;
Aracaju (SE) nos dias 24 e 25 de outubro;
São Paulo (SP) - na Universidade de São Paulo (USP) - no dia 27 de novembro
Franca (SP) nos dias 05 e 06 de dezembro

O colega terá todas as informações necessárias sobre o período de inscrições de cada curso no site do CBO, nas redes sociais da entidade e também via newsletter, portanto, confira diariamente os seus e-mails e atente-se para que a comunicação do CBO não caia em lixo eletrônico ou caixa de SPAM.


Artigo do presidente da SBO

Permitir que a prescrição de óculos seja feita por alguém que não é médico oftalmologista é um perigo para a população brasileira.

É o que diz o presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia Marcus Viníciuos Abbud Safady em artigo publicado no jornal O Globo de 16 de agosto.

Leia a matéria completa

Dilma perdeu o melhor caminho

O veto presidencial de alguns pontos do projeto de  lei 268/2002, que regulamenta o Ato Médico em nosso país, surpreendeu a todos.

É difícil entender como um projeto, discutido durante mais de dez anos por vários grupos de pessoas, entre comissões da Câmara dos Deputados, comissões do Senado Federal, entidades representativas da classe médica e de outras profissões da área de Saúde, e que serviu de base para o texto final, seja vetado no momento da análise presidencial. Cabe a pergunta: que tipo de informações a presidente Dilma Rousseff recebeu de sua assessoria?

Os argumentos jurídicos relativos ao veto do item que trata como Ato Médico a prescrição de órteses (lentes corretoras) e próteses (lentes para cirurgia de catarata) oftalmológicas não se justificam, na medida em que as últimas decisões do Superior Tribunal de Justiça mostram exatamente que tal ato já foi declarado como privativo do médico.

Permitir que a prescrição de óculos seja feita por alguém que não o médico oftalmologista é um perigo para a população brasileira. O exame de refração ocular, ou exame de vista, como é conhecido, e, quando necessária, a prescrição de uma lente para a compensação de miopias, hipermetropias, astigmatismos e presbiopia (vista cansada), são complexos.

Com um exame oftalmológico completo, que só um médico oftalmologista está preparado e treinado legalmente para realizar, temos a possibilidade de detectar precocemente e cuidar de patologias como a retinopatia diabética, o glaucoma, a degeneração macular relacionada à idade, entre outras, as grandes causas de baixa visão na população, podendo levar à cegueira.

temos ainda o custo social que acarreta a baixa visão causada nesses casos, quando o tratamento não é iniciado precocemente. Em termos financeiros, se toda nossa população tivesse acesso ao médico oftalmologista através do credenciamento universal pelo SUS, pleito antigo, os gastos seriam certamente muito menores em comparação ao que se gasta hoje com o tratamento das doenças descritas acima. Sem falar na maior quantidade de óculos prescritos quando o exame não é feito por médico oftalmologista, como demonstram inúmeros estudos.

A oftalmologia brasileira está preparada, qualitativa e quantitativamente, para realizar seu trabalho. O governo federal esta escolhendo caminhos que, a nosso ver, não são os melhores a curto, médio e longo prazos.

Nossa tarefa como sociedade médica e não só mostrar os riscos dessa decisão, mas, também, que existem outros caminhos. Estamos a favor da melhor saúde ocular possível para a população brasileira. Não estamos contra o governo federal. É nosso dever orientar da melhor maneira possível os poderes que decidem os rumos da saúde pública em nosso país. E, também, propor soluções para auxiliar no processo.

Marcus Vinícius Abbud Safady é presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia


Trabalhos premiados do XXXVII Congresso Brasileiro de Oftalmologia / XXX Congresso Pan-Americano de Oftalmologia

?Avaliação de eficácia e segurança do implante de Susanna em pacientes com glaucoma refratário e glaucoma neovascular? é o tema do trabalho que receberá o Prêmio Conselho Brasileiro de Oftalmologia no XXXVII Congresso Brasileiro de Oftalmologia / XXX Congresso Pan-Americano de Oftalmologia.

A lista completa dos melhores trabalhos apresentados no evento é a seguinte:

1.     Prêmio Conselho Brasileiro de Oftalmologia 

Avaliação de eficácia e segurança do implante de Susanna em pacientes com glaucoma refratário e glaucoma neuovascular

Autores: Luis Gustavo Biteli, Augusto Paranhos Junior, Carolina Pelegrini Barbosa Gracitelli, Fábio Kanadani, Flávia da Silva Villas Boas, Marcelo Hatanaka, Remo Susanna Junior, Tiago dos Santos Prata

2.     Prêmio Oftalmologia Cirúrgica

Serial specular microscopy, pachymetry and intraocular pressure in patients submitted to congenital cataract surgery

Autores: Camila Vieira Oliveira Carvalho Ventura, Bruna V. Ventura, Marcelo C. Ventura, Tiago F. Arantes.

Avaliação da sensibilidade corneana após crosslinking em portadores de ceratocone

Autores: Anelise de Medeiros Lago, Belquiz Rodrigues do Amaral Nassaralla, João Jorge Nassaralla Junior, Larissa Rossana Souza Stival.

3.     Prêmio Oftalmologia Clínica

Optic nerve and lateral geniculate body and their association with functional and ocular structural changes in glaucoma

Autores: Rafael Lacerda Furlanetto, Augusto Paranhos Jr, Cláudio Luiz Lottenberg, Daniela Batista Almeida Freitas, Edson Amaro Jr, Fabiano Emori, Michel Michelan, Sérgio Henrique Teixeira

4.     Prêmio Pesquisa Básica (laboratorial ou animal)

Desenvolvimento de modelo experimental de retinopatia proliferativa por injeção intravítrea de VEGF

Autores: Emmerson Badaro Cardoso, Eduardo Amorim Novais, Eduardo Buchele Rodrigues, Kalil Bueno Abdalla, Michel Eid Farah, Mikael Chun, Muller Urias, Paulo Augusto de Arruda Melo Filho.

5.     Prêmio Regional: Sul

IOP lowering of Ravoprost/Timolol fixed combination in OAG OR OHT patients with uncontrolled IOP on Timolol monotherapy

Autores: Marcelo Jordão Lopes da Silva, Abayomi Ogundele, Marcelo Hatanaka, Maria Rosa Bet de Moraes Silva, Roberto M Vessani.

6.     Prêmio Regional: Sudeste

Avaliação de citocinas do fluído lacrimal em indivíduos expostos a diferentes níveis de poluição ambiental

Autores: Monique Matsuda, Alfésio Braga, Mário Luiz Ribeiro Monteiro, Paulo Hilário Nascimento Saldiva, Rodolfo Bonatti.

7.     Prêmio Regional: Centro-Oeste

Avaliação da toxicidade retiniana à formulação de Rapamicina encapsulada em lipossomos: um estudo in vitro e in vivo

Autores: Murilo Batista Abud, Alan Rassi, David Isaac, Eliana Lima, Leonardo Souza, Marcos Ávila, Ricardo Gomes.

8.     Prêmio Waldemar e Rubens Belfort (concedido ao melhor artigo publicado na revista Arquivos Brasileiros de Oftalmologia no ano anterior ao congresso)

Aumento da expressão do MCP-1 coroidal e escleral em modelo experimental de hipercolesterolemia (publicado no volume 75, nº 1, janeiro/fevereiro de 2012)

Autores: Rogil José de Almeida Torres; Lucia de Noronha; Antonio Marcelo Barbante Casella; Thaís Isabel Lumikoski; Leonardo Brandão Précoma; Caroline Luzia de Almeida Torres; Andréa Luchini; Mario Claudio Soares Sturzeneker; Dalton Bertolim Précoma.


Miss Minas Gerais não se deixa abater por doença que pode causar cegueira

Janaína Barcelos ficou em segundo lugar no concurso Miss Brasil 2013 e vive superando as dificuldades impostas pela retinose pigmentar, uma doença sem cura que leva à cegueira. Uma a cada cinco mil pessoas no mundo sofre do problema que degenera gradativamente a retina.


 




Janaína já perdeu a visão periferial e diz enxergar pouquíssimo com pouca luz. A mineira relatou ter tido dificuldade para caminhar durante a final do Miss Brasil 2013. Segundo ela, para não fazer feio durante o concurso teve de memorizar durante os treinos o caminho a ser percorrido

Janaína já perdeu a visão periferial e diz enxergar pouquíssimo com pouca luz. A mineira relatou ter tido dificuldade para caminhar durante a final do Miss Brasil 2013. Segundo ela, para não fazer feio durante o concurso teve de memorizar durante os treinos o caminho a ser percorrido



O auditório está escuro. Os holofotes que iluminam o lugar deveriam ser suficientes para as câmeras de TV e para pessoas com visão normal transitarem sem problema pelo palco, mas esse não é o caso para Janaína. Durante o dia ela só enxerga o que está no centro de seu campo de visão e quando a luz é baixa a situação se complica ainda mais. Tudo parece como uma tela de celular sem brilho, cercada por uma borda, como aquela criada pela iluminação de uma vela. Persistente, ela decora o caminho que terá de percorrer enquanto a luz lhe permite ver e, à noite, quando a visão começa a falhar, ela se foca no pouco que consegue enxergar e no trajeto que memorizou.

Pela televisão pode não ter dado para perceber, mas foi assim que a miss Minas Gerais, a estudante de jornalismo Janaína Barcelos, de 25 anos, se preparou para a final do concurso Miss Brasil, que aconteceu no último final de semana em Belo Horizonte.

A mineira de Betim, na Grande BH, faz parte de um grupo significativo de cerca de 50 mil brasileiros diagnosticados com retinose pigmentar, uma doença degenerativa e irreversível na retina. Apesar do número ser pequeno diante do tamanho da população brasileira, a gravidade da doença torna essa marca muito expressiva. ?Essa é uma doença com um impacto social grande na vida de seus portadores, por isso esse número deve ser considerado grande. E a nossa percepção é de que o número real deles seja ainda maior?, afirma o oftalmologista e diretor do Hospital de Olhos de BH, Ricardo Guimarães.
 Janaína descobriu que tinha a doença aos 23 anos, mesma faixa etária em que a maioria dos portadores são diagnosticados com retinose pigmentar. Há algum tempo ela já se achava um pouco desengonçada por sempre tropeçar em objetos no chão. À noite, em baladas ou na rua, a visão deixava muito a desejar. E foi depois de ter chutado um hidrante, que não viu na rua, que ela decidiu procurar ajuda especializada.

O que é?
Um erro genético na formação do DNA é o responsável pela perda gradual da visão. O problema acontece na retina, a 'lente' que capta luz no olho. Ela é composta por células fotoconversoras, chamadas cones e bastonetes. As primeiras são responsáveis pela nossa visão de detalhes (usada para leitura, por exemplo) e as últimas, pela visão de navegação. ?Ambas traduzem a luz captada pelos olhos em impulsos nervosos levados a diversos pontos do nosso cérebro através do nervo óptico. Nas pessoas com retinose pigmentar, essas células morrem gradualmente, o que leva à perda da visão?, explica Guimarães.


Para uma pessoa com os primeiros sintomas de retinose pigmentar, o campo de visão fica parecido com uma imagem iluminada por uma vela, com o centro nítido e as bordas nebulosas (Reprodução Instagram)

Para uma pessoa com os primeiros sintomas de retinose pigmentar, o campo de visão fica parecido com uma imagem iluminada por uma vela, com o centro nítido e as bordas nebulosas



Assim como aconteceu com Janaína, os primeiros sintomas de quem tem a doença é a perda da visão periferial e noturna. De maneira geral, os bastonetes são os primeiros afetados, impactando a capacidade de navegação da pessoa. A retinose pigmentar não tem cura e a tendência é que o campo de visão do portador vá diminuindo com o tempo até ficar nulo.

Miss Persistência
Saber que junto com o diagnóstico se ganha também um prazo de validade para sua visão compromete muito a vida de seus portadores. Por isso, o grande impacto social da doença. No entanto, no lugar de pensar no cronômetro que corre contra ela, Janaína optou por levar a vida de uma maneira mais positiva.

?Eu sou uma pessoa com muita fé em Deus. Ao mesmo tempo que fiquei desnorteada e meio sem chão ao receber a notícia, tentei pensar no propósito de Deus para minha vida. Fiquei preocupada ao pensar no meu futuro no jornalismo e em que poderia não ver mais minha família. Mas, ao mesmo tempo, fui no céu, pensando no propósito dele. Procuro não me focar nessas coisas?, conta Janaína. A postura é semelhante em relação ao concurso, que lhe trouxe fama e também preocupação. ?Dei meu melhor e se não ganhei foi porque não era para ser. Penso do mesmo jeito sobre a retinose?, afirma.

Questionada sobre o futuro que lhe aguarda, a miss responde com muita naturalidade: ?ficar cega não me assusta?. ?Não sei como, procuro não me preocupar com o dia de amanhã, afinal, nem sei se vou acordar no dia seguinte?, exclama. A positividade não isenta do eventual medo, especialmente considerando que as limitações já começam a lhe impedir de fazer algumas coisas. Contudo, ela acredita que a principal mensagem a ser passada é viver um dia de cada vez e nunca perder fé.

Com isso em mente, dias antes da final do concurso, ela postou em sua página nas redes sociais uma mensagem inspiradora aos fãs (foto).


Mensagem enviada à amigos e fãs, dias antes da final. Janaína já demonstrava preocupação  (Reprodução Facebook)

Mensagem enviada à amigos e fãs, dias antes da final. Janaína já demonstrava preocupação



?Por mais que as pessoas tenham um problema que pareça ser impossível, a gente não pode desistir, porque para tudo na vida há uma solução e um porquê. Mesmo que no momento a gente não entenda, um dia vai fazer sentido?, comenta. A explicação parece quase irônica, uma vez que sua condição deve lhe levar à cegueira entre os 55 e 60 anos de idade, mas até em relação à isso Janaína demonstra bom humor e fé. ?Vai que acontece um milagre!?, brinca.

Tratamentos
O 'milagre' que Janaína tanto espera pode não estar tão longe de acontecer. De acordo com Ricardo Guimarães, o esforço concentrado de pesquisadores em busca de tratamentos para a retinose pigmentar é muito grande.

Apesar de não ter cura, existem alguns tratamentos em estudo e um com efeito de retardamento da degeneração comprovado. ?A suplementação de vitamina A ajuda diminuir a velocidade da perda de resposta da célula da retina. As pesquisas que existem são na linha de terapia gênica, que consiste na troca do gene defeituoso por um gene normal?, explica a oftalmologista do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, Érika Sayuri Yasaki.

Ela ressalta, entretanto, que o uso da vitamina A deve ser acompanhado de perto por um médico. ?Existe um risco de, em doses muito altas, causar câncer. Ela também pode ser tóxica e alterar os níveis de gorduras no organismo. Não é aconselhável comprá-la na farmácia e usar por conta própria?, afirma.

Na USP, um grupo de professores da Faculdade de Medicina e do Hemocentro de Ribeirão Preto testam a recuperação da visão por meio da implantação de células-tronco na retina dos pacientes. O estudo está em andamento desde 2009 e os pesquisadores devem apresentar resultados no ano que vem.

Ainda de acordo com a médica do Albert Einstein, entre outras linhas de pesquisa também tem sido experimentado o uso de um chip de retina, chamado ?olho biônico?. O sistema usa uma câmera de vídeo instalada em um par de óculos para enviar ao cérebro as imagens captadas por chips que podem ser instalados interna ou externamente.




O 'milagre' que Janaína tanto espera pode não estar tão longe de acontecer. De acordo com Ricardo Guimarães, o esforço concentrado de pesquisadores em busca de tratamentos para a retinose pigmentar é muito grande (Reprodução Facebook)

O 'milagre' que Janaína tanto espera pode não estar tão longe de acontecer. De acordo com Ricardo Guimarães, o esforço concentrado de pesquisadores em busca de tratamentos para a retinose pigmentar é muito grande




Processo
A retinose pigmentar é uma doença hereditária e cerca de 40% dos casos identificados têm relação familiar, podendo saltar uma ou duas gerações. O diagnóstico precoce é possível, mas a busca por ele é mais frequentemente aconselhada a quem já possui um histórico familiar.Apesar da certeza de que um dia a visão irá falhar por completo, não há como estipular o tempo exato que levará à degeneração completa da retina. ?Isso depende da intensidade do cuidado, da questão genética e até da época da vida em que a doença foi diagnosticada?, afirma o oftalmologista Ricardo Guimarães.

No caso da jornalista aposentada, Doris Day Gonçalves de Paula, de 50 anos, o período entre diagnóstico e perda total da visão foi de seis anos. Ela trabalhava como repórter de um canal de TV, tinha 35 anos e uma família, quando descobriu que tinha um problema de visão que a levaria à cegueira.

Além dela, sua mãe, irmã e tia também perderam a visão devido à retinose pigmentar. ?No meu caso, tive a cabeça muito boa. Não é que não tive problemas, mas é que vi que teria que tomar outro rumo na minha vida?, conta. De jornalista, ela passou a trabalhar como operadora de telemarketing e toda sua rotina foi transformada. ?Não saio mais de casa sozinha porque atravessar a rua, pegar um ônibus, tudo é difícil?, afirma.

O meio do caminho foi doloroso. Como o processo é lento, os pacientes vão vendo as imagens se tornando em nebulosas aos poucos, até que a visão vai completamente. ?Eu perdi a visão noturna de uma vez só. Saí para fazer uma reportagem na Câmara Municipal de Contagem e quando acabei já estava de noite. Não via nada e tive que pedir ajuda para as pessoas para conseguir pegar um ônibus para casa. Nessa hora não me desesperei, desci do ônibus e fui para casa apalpando os muros e pedindo ajuda, mas quando cheguei no meu portão desabei a chorar. Fiquei em prantos, mas só essa vez mesmo. O que foi mais doloroso foi não conseguir ver mais meu filho crescer. Ele tinha cinco anos quando perdi a visão?, relata.



Matéria publicada no site http://sites.uai.com.br/app/noticia/saudeplena/noticias/2013/10/02/noticia_saudeplena,145760/miss-minas-gerais-nao-de-deixa-abater-por-doenca-degenerativa-da-visao.shtml


CBO em Ação

CBO em Ação
Junho 2014



01/06/





Devido a inúmeras solicitações para a reabertura do processo de inscrição do Exame de Suficiência em Categoria Especial para obtenção do Título de Especialista CBO/AMB, a secretária-geral do CBO, Keila Monteiro de Carvalho, reabriu as inscrições para a prova por uma semana. Com o fim deste novo período, o número de inscritos ultrapassou 420.

05/06





"A assistência oftalmológica precisa ser parte integrante da Atenção Básica". Esta foi a mensagem que o presidente do CBO, Milton Ruiz Alves, levou ao Ministro da Saúde, Arthur Chioro, em audiência realizada na noite de 04 de junho, na qual lideranças da Federação Nacional dos Médicos (FENAM) e demais entidades apresentaram reivindicações, críticas e sugestões ao ministério.

Na avaliação de Ruiz Alves, a audiência com o ministro e seus principais auxiliares foi positiva, já que foi a primeira vez, desde sua posse, que conseguiu ouvir pessoalmente a preocupação da Especialidade com a relutância demonstrada por vários representantes do ministério em tratarem a Oftalmologia como parte da Atenção Básica.

Mauro Nishi, tesoureiro do CBO e Leonardo Mariano dos Reis, 1º secretário da entidade, também participaram da reunião.

####



Nesta mesma data, Ruiz Alves, esteve em audiência com o diretor do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, Rinaldo Marinho Costa Lima, para debater a proposta de incluir exames oftalmológicos nos exames admissional e periódico dos empregados registrados de todo o Brasil. A reunião também contou com a participação do presidente da Associação Brasileira da Indústria Óptica (Abióptica), Bento Alcoforado e do deputado Maurício Trindade (PROS/BA).



O Conselho Brasileiro de Oftalmologia abriu as inscrições para o curso CBO-Lideranças. A iniciativa faz parte do projeto elaborado pelo médico oftalmologista Alexandre Ventura, coordenado pela professora doutora Zélia Corrêa, durante sua participação no Curso de Lideranças da PAAO/AAO. As inscrições estão abertas até 04/08/2014 e os candidatos devem ser indicados pelos integrantes do Conselho de Diretrizes e Gestão da Entidade, diretores das Sociedades Filiadas ao CBO e CBO Estados. Clique aqui e confira mais informações.



A professora doutora Keila Monteiro de Carvalho participou ao vivo do programa "Você Mulher", da TV Universal, representando o Conselho Brasileiro de Oftalmologia. A entrevista recebeu grande número de perguntas e algumas ficaram sem tempo de resposta. Foi realizado um convite ao vivo para nova participação no programa em data a ser combinada.

###



Logo após o final da entrevista ao vivo, Keila Monteiro e o professor doutor Suel Abujamra representaram o CBO na reunião do Conselho Científico da Associação Médica Brasileira (AMB).

06/05





Foi realizada, na sede do CBO em São Paulo-SP, reunião dos Editores Associados dos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia.



Módulo de glaucoma adicionado no www.cboelearning.com.br, com 09 aulas.

10/06





O Conselho Brasileiro de Oftalmologia iniciou o processo de re-certificação de seu Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) ISO 9001:2008.
O Escopo do Sistema de Gestão da Qualidade do CBO é: Aprimoramento do Ensino; Estímulo à pesquisa em Oftalmologia e Defesa Profissional do Oftalmologista. O resultado final sairá até 12/07/2014

16/06





Módulo de Refrativa, com 06 aulas, adicionado no www.cboelearning.com.br

18/06





As inscrições para a escolha dos Cursos de Instrução, do XXI Congresso foram abertas. Cada congressista pode escolher gratuitamente até 02 cursos da lista. Clique aqui e confira mais informações.

24/06





Em continuidade à política de valorização do Título de Especialista em Oftalmologia, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia enviou arte com os dizeres "Aqui trabalha médico com Título de Especialista CBO/AMB", para ser emoldurada e exposta com orgulho em local de destaque de clínicas/consultórios.

O pacote com a arte, que também contou com o envio de 80 selos e um voucher de desconto para compra da moldura, veja aqui mais informações, foi enviado pelo correio para 8.781 médicos oftalmologistas que possuem o Título de Especialista CBO/AMB em todo o País!

A iniciativa foi bastante elogiada pelos médicos na rede social facebook do CBO.

25/06





O dia 24 de junho pode ser considerado histórico para os médicos que atuam na saúde suplementar. O motivo é muito simples: foi sancionada pela presidenta a Lei nº 13.003 que torna obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras e seus prestadores de serviços.

Esta conquista é considerada "a mais importante vitória política da Medicina, desde a problemática aprovação da Lei 12.842/13, conhecida pela Lei do Ato Médico, e da implantação do discutido "Programa Mais Médicos", portanto, deve ser comemorada", afirmou o presidente do CBO, Milton Ruiz Alves.

Clique aqui e confira mais informações sobre esta vitória da medicina no País.

27/06





Foi realizada, na sede do CBO em São Paulo-SP, a segunda reunião que definiu as estratégias de implantação da Comissão CBO-Mulher.

A Comissão CBO-Mulher foi criada para cuidar especificamente das questões relacionadas aos desafios enfrentados pelas mulheres oftalmologistas no que tange ao gerenciamento da carreira e a sua conciliação com as atribuições inerentes ao papel feminino na sociedade.

Participaram desta reunião as professoras doutoras Keila Monteiro de Carvalho e Liana Ventura, a médica oftalmologista Camila Ventura e a assessora de marketing do CBO, Alice Selles.



Marcello Colombo Barboza apresentou ao presidente do CBO o projeto que criou no curso Lideranças da Associação Pan-Americana de Oftalmologia / Academia Americana de Oftalmologia.

Barboza, que foi indicado pelo CBO para o curso da APAO/AAO, montou um programa para aumento do número de médicos que exercem a oftalmologia no Brasil e do número de associados do CBO. O projeto, bastante elogiado por representantes das entidades oftalmológicas internacionais, entre outras coisas preconizou a realização do Exame de Suficiência Categoria Especial, que será realizado em setembro, no Recife, durante a realização do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual e que contará com a participação de mais de 420 candidatos.



A Diretoria do CBO enviou um ofício ao secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Fernando Grella Vieira, agradecendo o empenho das equipes da secretaria na prisão de meliantes especializados em roubos e furtos de consultórios oftalmológicos.



Por fim, no final da tarde, a diretoria do CBO recebeu a visita dos médicos oftalmologistas Ayrton Roberto Branco Ramos e João Lobo Ferreira, presidentes do XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia, que será realizado de 02 a 05 de setembro, em Florianópolis-SC. Na reunião os presidentes mostraram a apresentação do que já está sendo elaborado para tornar Florianópolis a casa da oftalmologia em 2015.

01/05





Com o objetivo de disponibilizar conteúdo de qualidade para a atualização científica dos associados, a Diretoria do CBO reformulou o seu programa de Educação Continuada (E-learning). Com o novo modelo, disponibilizou aulas proferidas no último congresso CBO. O primeiro módulo publicado foi Catarata, com 13 aulas.

02/05




Anúncio de página inteira na Revista Veja, intitulada "Não se deixe enganar", começa a ser distribuído por todo o País.

05/05





"Outdoors" e "frontdoors" de vias de grande movimentação de pessoas receberam o encarte da campanha "Veja Bem". Os encartes ficaram visíveis por 30 dias corridos. Também foi elaborado folder de conscientização, além de uma arte de capa para o perfil social facebook que recebeu diversos elogios.

07/05





Milton Ruiz Alves e Mauro Nishi, como representantes da diretoria do CBO, participaram da reunião da Câmara Técnica do Conselho Federal de Medicina (CFM). A reunião foi realizada na sede do CFM, em Brasília.



No mesmo dia entregaram oficialmente ao Ministério da Saúde projeto intitulado "Mais Acesso à Saúde Ocular". O projeto tem três objetivos básicos: ampliar a inserção dos médicos oftalmologistas nas unidades de atendimento do SUS; diminuir a carência de médicos oftalmologistas nas regiões onde existe e fortalecer a política de educação permanente com a integração do ensino com a atividade profissional cotidiana dos especialistas.

08/05



A diretoria realizou reunião, em sua sede, em São Paulo, para discutir a pauta "Carreta da Cirurgia de Catarata". Participaram da reunião os doutores Paulo Augusto de Arruda Mello, Carlos Eduardo Arieta, Carlos Gabriel Figueiredo, Hamilton Moreira, Marco Antônio Rei de Faria, Marcos Ávila e Newton Kara José.

09/05





Realizada a primeira reunião para consolidação do "CBO Mulheres", no Brasil. A reunião contou com a participação das professoras Keila Monteiro de Carvalho, Denize Fornazari, Maria Cristina Nishiwaki Dantas, a médica oftalmologista Camila Ventura e Alice Selles.



Milton Ruiz Alves esteve presente na realização do primeiro curso de Atualização em Refração CBO 2014. O evento aconteceu em Manaus-AM.

Módulo de Refração disposto no CBO E-learning, com 12 aulas

13/05





Foi aberto link no site do CBO para que interessados manifestem o seu interesse para o credenciamento de novos Cursos de Especialização.

Módulo de Retina disponível no CBO E-learning, com 06 aulas

16/05



Milton Ruiz representou a entidade na Reunião do Conselho Deliberativo e Diretoria Plena da AMB. A "Caixa Preta da Saúde", a eleição da AMB e a relação da AMB com o Governo foram os principais pontos discutidos. A reunião foi realizada em Florianópolis-SC.

17/05



Milton Ruiz Alves esteve presente, por todo o dia, no Curso de Atualização em Refração da SOBLEC, em Campinas-SP.

22/05



Milton Ruiz Alves e Mauro Nishi participaram de reunião com José Eduardo Fogolim Passos, Coordenador de media e alta complexidade do Ministério da Saúde.

23/05



Milton Ruiz Alves foi o representante do CBO durante a realização do 39º Congresso da APO. Nesta mesma data foi realizada importante reunião da Comissão CBO para assuntos jurídicos. Foi aberto o espaço para dois oftalmologistas, do grupo Tribuna dos Oftalmologistas do facebook, participarem desta reunião. Ambos agradeceram, mas recusaram o convite por problemas de agenda.

27/05





Adicionado módulo de Uveites no CBO-Elearning, com 05 aulas

29/05



Milton Ruiz Alves participou do XIV Congresso da Sociedade Caipira de Oftalmologia, realizado em Atibaia, SP, de 29 a 31 de maio. Entre outras atividades, fez um balanço da atual situação da Oftalmologia brasileira e suas perspectivas em futuro próximo.

30/05



Mauro Nishi representou a entidade na solenidade de abertura do 21º Simpósio Internacional de Atualização em Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo, realizada em 30 de maio, no Clube A Hebraica, em São Paulo (SP).

Keila Monteiro de Carvalho representou a entidade durante o XXIII Curso Regional de la Asociación Panamericana de Oftalmología y IX Congresso Nacional de la Asociación Uruguaya de Oftalmólogos.

31/05



O presidente do CBO participa do Encontro da Fundação Penido Burnier, em Campinas-SP, onde debate o atual momento da Especialidade


Contagem regressiva para o XXII Congresso Internacional de Oculoplástica

Evento contará com a presença de Robert Kersten, Jurij Bylik e Ann Murchinson, além de dezenas de palestrantes nacionais

O principal evento da Especialidade no País, exclusivamente voltado para os médicos especialistas em cirurgia plástica ocular, já se avizinha e a cidade de Búzios, no Rio de Janeiro-RJ, acolherá, de 15 a 17 de maio de 2014, mais de 50 palestrantes nacionais, 15 internacionais e centenas de congressistas que trocarão experiências e discutirão as principais atualidades do setor no Congresso Internacional de Oculoplástica (CIOP).

Com menos de um mês para o início do evento, toda a infraestrutura física e científica já está pronta para proporcionar aos presentes as principais atualidades em cirurgia plástica e áreas correlatas. "O Blue Tree Park Resort Búzios foi selecionado para abrigar o evento por ter infraestrutura total para atender ao seu programa e capacidade de receber seu público alvo. O local foi cuidadosamente escolhido para proporcionar que o evento aconteça de forma agradável, harmoniosa e descontraída, propiciando ambiente técnico-acadêmico de troca de informações e de confraternização para os seus congressistas", afirma Roberto Murillo Limongi, secretário executivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular (SBCPO).

Em 2014, a grade científica do evento foi elaborada por meio de pesquisa com os sócios da SBCPO, quando foram escolhidos os principais temas incluídos no programa científico (clique aqui e confira toda a programação). Entre os principais temas estão as doenças da órbita, vias lacrimais, pálpebras, cavidade anoftálmica, olho seco, superfície ocular, estética palpebral e periorbitária. "Os wetlabs tratarão sobre o uso do Botox, do preenchimento e da endoscopia nasal na oftalmologia", complementa Linongi

As inscrições para o XXII CIOP ainda estão abertas e podem ser realizadas no site do evento, o www.ciopcongressos.com.br, até o dia 10/05/2014. Também será possível fazer diretamente no local do evento. Abaixo, o secretário faz um convite e exalta três motivos cruciais para que o especialista na área não deixe de se inscrever no congresso.

"Esta edição do evento estará apresentando inovações significativas para o conhecimento: 1- áreas médicas transversais à Cirurgia Plástica Ocular, através da participação efetiva de dois Cirurgiões Plásticos Gerais e um Cirurgião Otorrinolaringologia. 2- ensino teórico e prático do uso da endoscopia nasal na oftalmologia para a avaliação de pacientes portadores de doenças das Vias Lacrimais e 3- bloco temático "oculoplástica jovem" especialmente planejado, através de temas pré-selecionados por meio de um plebiscito entre os alunos dos Serviços Credenciados da SBCPO de todo o Brasil, para incentivar a participação do oftalmologista iniciante, visando não somente a transferir conhecimentos básicos em oculoplástica, mas trazê-los à discussão nacional da especialidade. Você têm motivos de sobra para vir até Búzios e atualizar seus conhecimentos", reforça Limongi.

SBCPO comemora 40 anos de vida



A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular é a segunda mais antiga subespecialidade da Oftalmologia no Brasil, sendo filiada ao Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Durante a realização do XXII CIOP, no último dia do evento, haverá uma seção comemorativa do seu aniversário de 40 anos, com a apresentação de conferência especial sobre a "História da Cirurgia Plástica Ocular no País", proferida por Eduardo Soares, um de seus fundadores.

"A solenidade será precedida por ato de homenagem aos membros da SBCPO que contribuíram para o desenvolvimento da cirurgia plástica ocular no Brasil e entrega de diploma aos novos sócios da entidade", finaliza o secretário executivo.


Ação social “Chute ao Gol” dá inicio às atividades de conscientização sobre o Glaucoma

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível e atinge 2% da população acima de 40 anos no País, ou seja, pelo menos 1 milhão de brasileiros




Durante a Semana Nacional de Combate ao Glaucoma, de 26 a 30 de maio, um time acostumado a colecionar vitórias pelos principais estádios de futebol do mundo entra em campo para alertar a população contra a principal causa de cegueira irreversível no Brasil: o glaucoma. A doença já acomete mais de 1 milhão de brasileiros acima dos 40 anos.



No dia 26 de maio, uma ação de guerrilha ganha a Avenida Paulista, principal cartão postal da cidade, para despertar a atenção da população sobre os perigos desta doença. O evento, que terá início às 08h, no Vão-livre do Museu de Artes de São Paulo (MASP), receberá dois personagens conhecidos de campanhas anteriores, o Olho e o Colírio, que convidarão os presentes a cobrar um pênalti com os olhos vendados, simulando um pouco das dificuldades de quem têm a doença. A participação é gratuita.

Os pentacampeões mundiais com a Seleção Brasileira em 2002, Cafú e Marcos, já vestiram a camisa da campanha "Veja todos os dias - Entre em campo contra o Glaucoma". Na mesma oportunidade, o time paraolímpico de futebol para cegos da Associação de Pais e Amigos e Deficientes Visuais (Apadv) também marcarão presença na ação, interagindo com o público sobre como é praticar o esporte sem a visão.

"O glaucoma é causado pelo aumento da pressão intraocular, que provoca danos permanentes ao nervo ótico. A doença é silenciosa, ou seja, não apresenta sintomas. Aos poucos, os pacientes perdem a visão periférica, até perder totalmente a visão. Como ainda há um tabu de que perda de visão é normal como a chegada da idade, muitos pacientes deixam de consultar um oftalmologista e só percebem esse distúrbio quando já é tarde demais", alerta o médico oftalmologista Francisco Eduardo Lopes de Lima, presidente da Sociedade Brasileira de Glaucoma.

O diagnóstico precoce é a melhor forma de impedir a progressão da doença. Por isso, a Sociedade Brasileira de Glaucoma recomenda a consulta regular ao oftalmologista (pelo menos uma vez ano) e a realização do exame de pressão ocular. A doença é mais prevalente em negros devido à predisposição genética. Além disso, pessoas com pressão ocular alta e com histórico familiar de glaucoma apresentam ainda maior propensão para desenvolvê-la.

O médico explica ainda que o glaucoma não tem cura e não é reversível, nem mesmo com cirurgia. No entanto, com tratamento adequado é possível evitar a progressão da doença, mantendo a visão estabilizada. O tratamento feito à base de colírios, laser ou intervenção cirúrgica (conforme o caso), prescrito e acompanhado por um especialista.

Apareça no dia 26 no vão-livre do MASP e marque esse gol de placa, digno dos grandes craques do futebol, contra o glaucoma!


PL 6964/10 é aprovado pela Câmara dos Deputados

Plano de saúde passa a ser obrigado a substituir descredenciado e comunicar mudança; define também que o contrato entre médicos e operadoras deverá ter cláusulas sobre o reajuste anual dos procedimentos


Foi aprovada hoje, na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), o relatório do deputado Fábio Trad (PMDB/MS) favorável ao PL 6964/10 que "altera a lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde com a redação dada pela Medida Provisória nº 2.177-44, de 24 de agosto de 2001, para tornar obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras e seus prestadores de serviços", que obriga o reajustamento anual dos contratos das operadoras de Planos de Saúde, inclusive com a possibilidade de arbitramento da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

O objetivo é evitar os descredenciamentos súbitos e imotivados tanto de profissionais como de clínicas, hospitais e laboratórios. A proposta torna obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras de planos de saúde e seus prestadores de serviço (pessoas físicas e jurídicas).

Esta proposta já foi aprovada no Senado Federal e é terminativa na CCJC. Não havendo recurso para apreciação no plenário, com o apoio de pelo menos dez por cento dos deputados, irá à sanção presidencial.

Clique aqui e confira na íntegra a matéria publicada no portal da Câmara dos Deputados sobre o assunto.


Módulo de Refrativa já disponível no CBO E-Learning



O Programa de Educação Continuada do CBO consiste na apresentação de vídeos-aulas atualizadas e proferidas por grandes nomes da Oftalmologia nacional. O conteúdo destas aulas foi gravado durante a realização do último XXXVII Congresso Brasileiro de Oftalmologia, realizado de 07 a 10 de agosto do ano passado, no Rio de Janeiro-RJ.

Desde as primeiras publicações, iniciadas na primeira semana do mês de maio, pelo menos um módulo foi adicionado no Portal do E-LEARNING CBO. Agora, com a inclusão da subespecialidade de REFRATIVA, os associados podem acessar 54 aulas, divididas nos módulos de CATARATA, REFRAÇÃO, RETINA, UVEÍTES e GLAUCOMA. Está previsto para entrar no site esta semana o módulo de VISÃO SUBNORMAL.

Confira abaixo as seis novas aulas de Refrativa:

Ablação de Superfície Associada a Crosslinking Especiais
Dr. Ramon Coral Ghanem

Identificação e Tratamento das Complicações de Interface após Lasik
Dr. Marcony Rodrigues de Santhiago

Seleção de Pacientes e Resultados do Implante de Lio em Olhos Fácicos
Dra. Maria Regina Catai Chalita

Cirurgia Refrativa em Pacientes Pseudofácicos
Dr. Marcelo Vieira Netto

Limites da Correção com Ablação de Superfície
Dr. Francisco Grupenmacher

Tratamento de Opacidade da Córnea e Astigmatismos Irregulares
Dra. Cláudia Maria Francesconi

Exclusividade do associado CBO!



O acesso aos vídeos completos, dispostos na página do Elearning CBO 2014, é exclusivo para os médicos oftalmologistas que realizaram o pagamento da anuidade em 2014. Somente tornando-se sócio da entidade o colega poderá desfrutar dos mais de 100 vídeos que estarão acessíveis na página até o início do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado de 03 a 06 de setembro no Recife-PE.

Para efetuar o pagamento da anuidade é muito simples:



Passo 1: acessar o site www.anuidadecbo.com.br
Passo 2: acessar o box de pagamento (a imagem acima mostra a seta, basta clicar no box informativo)
Passo 3: adicionar o CPF do médico titular
Passo 4: confirmar o e-mail
Passo 5: escolher entre as três modalidades de pagamento (boleto bancário, cartão de crédito - com possibilidade de parcelar o valor em até 3x sem juros* - e transferência bancária).
Passo 6: finalizar o pagamento na forma escolhida

*médicos que recebem o desconto de 50% da anuidade (formados há cinco anos ou menos) não podem parcelar o pagamento por cartão de crédito.



Não se deixe enganar: saúde ocular é coisa séria!


O Conselho Brasileiro de Oftalmologia publicou novo vídeo de conscientização, reforçando os perigos da consulta oftalmológica realizada por não médicos, para a população. O vídeo tem 1,38 minutos e pode ser acessado na página de vídeos da entidade, clicando aqui.

Na peça audiovisual é realizado um diálogo com dois personagens tentando descobrir qual a identidade real de uma peça do quebra cabeça que ambos não conheciam. A imagem da peça em questão é um elefante. Os dois personagens acabam não acertando sobre qual animal a peça retransmitia. A ideia do vídeo é informar que o único profissional que consegue realizar um atendimento completo a todas as patologias (peças) oculares é o médico oftalmologista.
Veja abaixo a transcrição completa do vídeo. Clique aqui e acesse na íntegra.

Não leve gato por lebre (ou cobra por elefante).

"Este animal é uma rocha com uma corda presa no corpo. Posso até pendurar nele...". "Tolice, este animal é idêntico a uma serpente, mas não morde porque não tem dentes na boca, é uma cobra doce e macia".

Se você só conhecesse os pedaços do animal, será que ia conseguir reconhecer um elefante quando encontrasse com um? Com a sua saúde ocular acontece a mesma coisa. O profissional que entende de todos os mecanismos de funcionamento do olho, que conhece o todo e não só uma parte e que é capaz de identificar problemas e tratá-los antes que seja tarde demais é o Oftalmologista.

Outros profissionais podem até acertar o grau e prescrever óculos que parecem resolver o problema, mas isso pode apenas estar encobrindo alguma doença mais grave. O exame de refração, para prescrever óculos, é apenas uma parte de um exame muito mais completo do globo ocular. Consulte seu oftalmologista regularmente, ele é o único profissional habilitado a lidar com a sua saúde ocular.


Perigos à Vista: o jogo da prevenção da sua saúde ocular


Com certeza a mamãe e o papai já ensinaram os seus filhos a brincar com jogos de tabuleiro, afinal, é um passatempo muito divertido para ser realizado em família. Provavelmente já devem até ter perdido, de propósito, claro, para poder ver de pertinho a satisfação e o sorriso no rosto dos pequenos, situação que é impagável. Agora, existe um novo jogo de tabuleiro fundamental para a sua saúde ocular e que precisa ser divulgado para todas as famílias do País: Perigos à Vista, o jogo da prevenção da sua saúde ocular!

Elaborado com a participação do Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), Milton Ruiz Alves, Perigos à Vista é um jogo de tabuleiro em audiovisual que reforça a preocupação da entidade para com a prevenção dos danos oculares causados por traumatismos diversos. De acordo com Ruiz Alves, mais de 90% desses traumas podem ser evitados. Veja abaixo alguns dos principais "causadores" que são evitáveis:

1- Cuidados com a luz indireta ao utilizar computadores no trabalho, ou mesmo para o uso pessoal. O contato com esta luz, por muito tempo, pode deixar seus olhos ardendo e também dores de cabeça;

"Enxergamos melhor, com menos esforço, se o fundo for branco e a letra for preta, como contraste. Então, se a luz está apagada nós temos menos contraste e há maior esforço para a leitura. Quando a luz está acesa e de forma adequada, nós temos contraste e, portanto, enxergamos melhor e sem esforço".

2- Use o cinto de segurança em veículos;

"É preciso ter uma noção exata de que quando nós entramos em um carro acabamos carregando com a gente vários fatores de risco para contribuir com um trauma ocular ou de cabeça, que pode implicar em trazer diversos prejuízos para a criança, o adolescente e também o adulto".

3- Use equipamentos de segurança para os serviços domésticos para evitar danos mais severos por qualquer descuido ou fatalidade.

"Todas as atividades do lar devem ser realizadas com proteção ocular. Então, os óculos utilizados pelos profissionais da indústria devem sim ser utilizados dentro de casa. O indivíduo que vai pregar um prego na parede, quando ele faz o movimento de bater o prego, por exemplo, pode desprender um pedaço da parede ou da cabeça do prego e atingir o seu olho. Outra coisa importante é que em todas as atividades que realizamos procuramos utilizar no campo de visão o melhor olho, então se houver um traumatismo ele vai ocorrer no nosso olho que melhor enxerga. Portanto, precisamos prevenir qualquer risco".

Clique aqui e confira na íntegra o vídeo do jogo. Aproveite para repassar para todos os seus contatos!


A palavra do presidente do CBO


A saúde é uma política social fundamental para a melhoria da condição de vida, desenvolvimento econômico, produção de riqueza, inovação, crescimento e emprego de qualidade. A saúde é direito de todos e dever do Estado, conforme garante a Constituição Federal. Este pressuposto levou a construção do SUS, que para ter bom desempenho ainda precisa se livrar do subfinanciamento crônico, do baixo percentual do gasto público, ou seja, da verdade de que o Brasil gasta pouco e mal em saúde.


O governo brasileiro instituiu recentemente o Programa Mais Médicos com finalidades, entre outras, de formar recursos humanos na área médica para o SUS para diminuir a carência de médicos nas regiões prioritárias, fortalecer a prestação de serviços de atenção básica e ampliar a inserção do médico em formação nas unidades de atendimento do SUS. As informações sobre o Programa Mais Médicos veiculadas na mídia teve impacto direto na percepção das pessoas sobre o tema, e na melhora da avaliação política do governo, especialmente pela forma como foi e continua sendo veiculada e tratada pela grande mídia, especialmente pela TV, com a participação de artistas globais.


No entanto, a formação do novo profissional médico para atuar no SUS tem suscitado a necessidade de reformulação da grade curricular médica tradicional e dos cursos de aprimoramento ou residência médica, hoje, identificados com a excessiva geração de especialistas. A nova grade curricular médica deverá ser concebida à luz da ética e expressar o compromisso do desempenho com a universalização da saúde.


Por outro lado, o número de brasileiros sem acesso à consulta oftalmológica é preocupante, uma vez que o SUS não atende a recomendação da OMS de uma periodicidade de cinco anos para a população em geral e nem para aqueles com morbidades crônicas com repercussão ocular cuja periodicidade recomendada é de dois anos. Um estudo estimou que apenas 17% utilizaram o SUS como forma de financiamento de sua  última consulta oftalmológica. Isto mostra a necessidade de aumentar a participação do setor público na atenção aos problemas de saúde ocular ampliando o rastreamento dos problemas de saúde ocular; os cuidados preventivos; o acesso a medicações, armações e lentes, exames complementares e procedimentos cirúrgicos. Para atingir este objetivo, é necessário integrar o atendimento oftalmológico nos diferentes níveis de atenção à saúde, capacitando as equipes de saúde da família para realizar o exame ocular básico. A partir destas avaliações será possível organizar a referência para os ambulatórios de oftalmologia e para os procedimentos a serem realizados em outros níveis de atenção como os cirúrgicos.


Nestes anos todos o CBO tem acumulado grande saldo social porque na questão social tem focado insistentemente no paciente. E nesta nova medicina de compromisso social, o CBO pode contribuir oferecendo ao governo um Programa de Capacitação das equipes de saúde da família para realizar o exame ocular básico e, mais ainda, propondo a formação de um novo profissional médico, com curso de aprimoramento ou residência médica de dois anos de duração, o oftalmologista comunitário, que já nasceria identificado com a prestação de serviços de atenção básica junto ao SUS, incluindo a optometria médica. Estes novos profissionais se somariam aos outros vinte mil médicos oftalmologistas identificados com os procedimentos de média e alta complexidade, cuja formação continuaria a demandar os três anos atuais de residência médica. O governo contribuiria com a implantação da rede de atendimento, com o credenciamento universal do médico oftalmologista junto ao SUS e com a implantação de um plano de carreira e salários. É inegável o impacto destas iniciativas para a saúde pública. Desta forma, a prevenção, gradativamente, tomaria o seu lugar. E o CBO continuaria contribuindo com as políticas governamentais focadas na melhora da qualidade dos serviços de saúde ocular oferecido aos brasileiros.


Milton Ruiz Alves
Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Gestão 2013 / 2015



CBO lançará novo vídeo educativo


O presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Milton Ruiz Alves, acaba de gravar um importante vídeo reforçando aos pacientes a necessidade de um maior cuidado para prevenir acidentes oculares que possam danificar a sua visão.


No material audiovisual, o professor Ruiz Alves fala sobre a prevenção da saúde ocular infantil, seja no lar, na escola, no carro e na prática esportiva. O vídeo também mostra quais são os primeiros procedimentos de primeiros socorros que os pais devem realizar caso qualquer problema ocular seja identificado e o devido encaminhamento posterior ao posto de saúde ou pronto-socorro.


"Nós do CBO acreditamos que a prevenção é fator primordial para a saúde ocular da população, afinal, a recuperação é dolosa para a sociedade, para a família e excepcionalmente para o indivíduo que sofre com a falta de visão. Com pequenas dica e orientação dos perigos é possível evitar este problema. O audiovisual é uma excelente forma de difundir este conteúdo para os pacientes", afirma Ruiz Alves.


O vídeo de prevenção da saúde ocular estará disponível no site do CBO na primeira semana de dezembro.


Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre promove evento com seus pacientes


O Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre (HBO), que possui um Curso de Especialização em Oftalmologia credenciado pelo CBO, irá realizar na próxima quarta-feira (20/11) uma exposição elaborada especialmente pelos pacientes com deficiência visual que são atendidos nos Grupos de Convivência do Centro de Reabilitação Visual (CRV) do Hospital.

A exposição "Olhem o que somos capazes de fazer", contará com aproximadamente 25 obras confeccionadas com material reciclado. O principal objetivo do evento é divulgar os trabalhos desenvolvidos pelos pacientes do CRV, promovendo a socialização entre eles, colaboradores e cidadãos da comunidade. "Nossa intenção é apresentar à comunidade um sentimento importante no processo de reabilitação: o sentir-se capaz. Além disso, acontece a troca de experiências entre deficientes visuais e comunidade, que contribui para independência e autonomia, proporciona a reinserção social e fortalece a relação familiar. O processo de construção dos trabalhos foi muito criativo, prazeroso e instigante para os integrantes dos grupos", afirma Emaline de Souza, psicóloga do CRV do HBO.

O evento terá início às 13h30min e será realizado na frente do Hospital, na Rua Engenheiro Walter Boehl, 285 - Vila Ipiranga, Rio Grande do Sul. A entrada é franca. Participe!


Vagas para estágio no Hospital Oftalmológico de Sorocaba


Já estão abertas (até 17/01/2014) as inscrições para a seleção de candidatos para os estágios de aperfeiçoamento do Hospital Oftalmológico de Sorocaba (HOS - BOS), a saber:

* 08 vagas p/ o Setor de Córnea (2 anos)
* 01 Vaga p/ o Setor de Glaucoma (1 ano)
* 01 vaga p/ o Setor de Lentes de Contato (1 ano)
* 02 vagas p/ o Setor de Plástica Ocular (2 anos)
* 02 vagas p/ o Setor de Retina (2 anos)
* 01 vaga p/ o Setor de Ultrassom (1 ano)
* 04 vagas p/ o Setor de Catarata (2 anos)

De acordo com a área escolhida, o processo seletivo será no dia 28 ou 29/01/2014.

Mais informações pelo site: www.bos.org.br ou pelo telefone: (015) 3212-7077


Cientistas de Harvard criam lente que pode ser utilizada para o tratamento do Glaucoma


Uma das principais dificuldades no combate ao glaucoma é fazer com que quem sofre da doença siga corretamente o tratamento, determinado pelo médico oftalmologista, sem pausas. A falta deste controle acarreta em grandes prejuízos para o êxito do tratamento, afinal, o glaucoma é a maior causa de cegueira não curável no mundo.

Esta situação pode começar a mudar com os avanços da tecnologia. Cientistas da Escola de Medicina de Harvard publicaram nesta semana, na revista Biometrics, estudo referente a um novo composto sintético em forma de lente de contato que libera medicamento para o glaucoma automaticamente e de forma programada. A nova lente seria independente, ou seja, o paciente não precisaria se preocupar em pingar colírios, ficar atento aos horários, etc.

"Este design de lente de contato pode ser utilizado como tratamento para o glaucoma e como uma plataforma para outras aplicações de libertação de compostos oftalmológicos", afirma Joseph Ciolino, principal autor do estudo.

Para Paulo Arruda Mello, Professor Associado da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Presidente da Sociedade Latino-americana de Glaucoma (SLAG), este avanço científico pode tornar o tratamento do glaucoma mais eficiente.

"É uma grande expectativa, principalmente para o paciente. É fundamental para o êxito do tratamento do glaucoma que o paciente siga corretamente o que é estabelecido pelo médico oftalmologista. Só assim é possível controlar a doença", diz.

Ainda segundo o professor, mesmo com o tratamento adequado existe a possibilidade do paciente não tolerar a droga por causa de seus possíveis efeitos colaterais no olho ou no organismo como um todo. Com a nova lente isso poderia deixar de ocorrer.

"Existem duas grandes vantagens de uma lente de contato que libera a droga: primeiro é que o paciente não vai esquecer e segundo que talvez a lente libere menor quantidade da droga e esta menor quantidade, em contato direto com o olho, pode minimizar os efeitos colaterais no próprio olho e no organismo. Para ficar mais claro, é como se no tratamento atual nós usássemos um "balde" da droga para controlar o glaucoma e este procedimento fosse substituído por apenas uma micro gota que penetraria diretamente no olho. Os efeitos colaterais seriam bem menores", complementa Arruda Mello.

Os investimentos científicos na área de medicamentos crescem a cada ano e a indústria tem papel fundamental nestes avanços. Para o professor, quem ganha com isso é a população.

"Hoje com a nanotecnologia você tem maior possibilidade de ter novos sistemas de liberação de drogas e esta lente de contato nada mais é do que um desses avanços. Tem tudo para dar certo, pois o investimento é muito grande e é de interesse para o paciente, para o médico e para a indústria, o que não é pecado nenhum termos interesse em comum para o bem estar da saúde ocular da população. Eu quero remédios cada vez mais eficientes, cada vez mais seguros e é a indústria que vai produzir isso", finaliza.


Ensaio sobre a Miopia


A Miopia é um distúrbio visual que acarreta na focalização de imagem antes de chegar à retina. A pessoa que sofre desta doença não possui problemas para ver com nitidez objetos próximos aos seus olhos, porém, a focalização de objetos mais distantes é visualizada como se os mesmos estivessem embaçados.


Layana Leonardo, aracajuana de 24 anos e formada em Publicidade e Propaganda, é míope de sete graus em cada olho. Descobriu que tinha a doença aos cinco e desde então tem em seus óculos e lentes de contato dois grandes companheiros.

"Eu tenho miopia desde criança, então é uma coisa que vem comigo há muito tempo. Hoje a doença não me causa tantos transtornos, pois estou acostumada. Antes do uso das lentes de contato era complicado, pois não me sentia bem com os óculos "fundo de garrafa"", afirma a jovem.

Migrante, veio à São Paulo se especializar. Escolheu a Miami Ad School/ESPM, uma das mais conceituadas escolas de criação do País. Entre as diversas disciplinas do curso estava a fotografia e com ela a necessidade de elaborar um projeto diferenciado.

"Tinha que fazer um trabalho final para a matéria de Fotografia. Minha intenção era elaborar um ensaio em que a visão fosse o tema principal. Ao testar fotos com os óculos, tive a certeza que ficaria legal um ensaio sobre a miopia. Todo o meu projeto foi elaborado neste formato", conta Layana Leonardo.

Com o início do projeto, a jovem passou a fotografar momentos do seu dia a dia, relatando a diferença do foco da visão para a pessoa míope com o uso dos óculos e sem eles. O Ensaio sobre a Miopia foi finalizado em 13 diferentes fotos.

Veja abaixo  como a pessoa míope enxerga o mundo.


























A palavra do presidente


O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) vem estimulando e efetivando a criação de novos Cursos de Especialização em Oftalmologia, preferencialmente em áreas com baixa oferta de oftalmologistas. De fato, nos últimos três anos, quinze novos cursos foram credenciados, destacando-se inclusive aqueles em Estados com carência de centros formadores de oftalmologistas como Pará e Sergipe, além de outros seis Cursos no Nordeste, quatro em Minas Gerais, dois no Paraná e outro em Santa Catarina.

Em 29 de novembro, o Conselho Deliberativo do CBO aprovou o credenciamento de mais oito Cursos de Especialização em Oftalmologia: Universidade Federal de Alagoas - Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) - (Maceió, AL - três vagas), DayHorc - Hospital de Olhos Ruy Cunha (Itabuna-BA - cinco vagas), Hospital Santa Luzia - Fundação Colombo Spínola (Salvador-BA - três vagas), Universidade Federal do Espírito Santo - Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Vitória-ES - quatro vagas), Hospital da Fundação Banco de Olhos de Goiânia (Goiânia-GO - 06 vagas), Hospital de Olhos Aparecida (Aparecida de Goiânia-GO - duas vagas), Hospital Quarteirão da Saúde de Diadema (Diadema-SP - 03 vagas) e Hospital Oftalmológico do Acre (AC - duas vagas), este último com o credenciamento condicionado à apresentação de documentação. Além disso, o mesmo Conselho Deliberativo aprovou o aumento de mais oito vagas em cinco instituições que já são credenciadas pelo CBO.

Hoje, o CBO tem 75 cursos credenciados, presentes em 17 Estados da Federação e no Distrito Federal. Desta forma, o CBO está contribuindo para a formação de mais médicos oftalmologistas de qualidade, o que traz reflexos positivos na reordenação da oferta de vagas para a Especialização e para a Residência Médica na Oftalmologia.

Sabemos da dificuldade da formação com qualidade destes profissionais em áreas com carência de recursos humanos, especialmente pela falta de supervisão e apoio pedagógico, justamente por se tratarem de áreas com baixa oferta de médicos oftalmologistas, ainda mais de professores.

Neste sentido, o CBO está trabalhando junto ao Ministério da Saúde para viabilizar ações conjuntas baseadas no Ensino à Distância que poderão contribuir para melhorar a formação de oftalmologistas em todas as regiões do País, especialmente naquelas mais carentes.

O CBO também está trabalhando conjuntamente com o Ministério da Saúde para que ações governamentais necessárias possam efetivamente, em curto prazo, melhorar e/ou criar a devida infraestrutura de atendimento oftalmológico local, com equipamentos e insumos, além de devida infraestrutura pedagógica, inclusive com suporte da telemedicina e da educação à distância. O CBO trabalha para que imediatamente em localidades prioritárias para o SUS haja majoração da Tabela de Remuneração SUS e implantação de plano de carreira para credenciados SUS, com remuneração diferenciada que inclua premiação por tempo de serviço, por produtividade, por aperfeiçoamento profissional e bonificação por trabalharem em localidades distantes.

A saúde é direito de todos e dever do Estado, conforme garante a Constituição Federal. Somente com políticas efetivas de saúde voltadas para aumentar a Rede de Atenção em Oftalmologia será possível diminuir a distância que separa o Brasileiro de uma saúde ocular de melhor qualidade.

Milton Ruiz Alves
Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Gestão 2013 / 2015


A história do garoto que não queria usar óculos


Usar óculos, na idade infantil, normalmente acaba sendo uma grande dor de cabeça para os pais. A adaptação da criança é mais complicada, já que ela normalmente não gosta de usá-los ou não se sente confortável com eles. Mais difícil ainda pode ser a relação na escola, principalmente com a possibilidade de sofrer "bullying".

É preciso contornar todos esses problemas, afinal, os óculos quando receitados pelo médico oftalmologista é de grande importância para a melhoria da qualidade de vida da criança, principalmente na escola.

Um exemplo interessante vem dos Estados Unidos. Noah Fisher, um garoto de apenas quatro anos descobriu que iria precisar usar óculos e com medo de ser caçoado pelos seus coleguinhas de escola decidiu que não os usaria. Noah chorava muito, batia o pé e não usou os óculos, o que deixou sua mãe muito preocupada.

Sem conseguir convencer o filho, ela então decidiu criar uma página no facebook. O objetivo era mostrar à Noah que usar óculos é muito legal e que ninguém iria caçoar dele.

A página Glasses for Noah, iniciou apenas entre sua família, porém, acabou ganhando o mundo. Hoje, até este presente momento, já possui quase 68 mil curtidas. Nela você encontra pessoas de diversas localidades que enviam diariamente suas fotos usando óculos. Todos mostram o quanto é legal e descolado o uso deste importante amigo de todos os dias.

O caso de Noah ganhou o noticiário americano, como a ABC. O jovem ficou famoso e já está usando seu par de óculos, no qual ficaram ótimos. Mais do que isso, sua história tem tudo que é preciso para encorajar outras crianças que possuam o mesmo problema.
Este foi um excelente exemplo de como podemos usar as redes sociais para o bem-estar da sociedade e como uma mãe pode ser criativa quando o assunto é o carinho e o cuidado com seu filho.


Oftalmologia da Unifesp comemora 80 anos



O Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da UNIFESP/EPM realizou hoje uma solenidade em comemoração aos 80 anos de fundação da escola. A história do departamento, seus chefes e principais momentos foram recordados e foram ministradas várias aulas sobre os aspectos mais importantes do departamento.

Na ocasião, também foram homenageados os professores José Belmiro de Castro Moreira, Mariza Toledo de Abreu e Ricardo Uras e os ex-alunos Carlos Augusto Moreira Júnior (Professor Titular da UFPR), Remo Susanna Júnior (Professor Titular da USP) e Haroldo Vieira de Moraes Júnior (professor Titular da UFRJ).

Legenda da foto: Os homenageados José Belmiro de Castro Moreira, Mariza Toledo e Abreu, Ricardo Uras e o diretor da Escola Paulista de Medicina, Antônio Carlos Lopes


Presidente da AMB comenta expectativas para a saúde no Brasil


Quais são os principais problemas da saúde pública atualmente no Brasil?

Subfinanciamento, má gestão e corrupção são os três principais problemas da saúde pública no Brasil e que não são verdadeiramente enfrentados pelo governo. O Governo tem desviado o foco e quer imputar aos médicos a culpa pelo caos no sistema público de saúde.

Há muito tempo, reconhecemos a insuficiência dos recursos. Em 2000, a União contribuía com 59% do total de recursos na saúde. Hoje, somente 45% (Estados e Municípios 55%). A aprovação da PEC 29, de 2000, não foi suficiente para resolver o financiamento da saúde, pois a União não participa com o que deveria.


Temos muitos exemplos da gestão temerária, quando observamos a situação de hospitais federais no Rio de Janeiro (Andaraí, Ipanema, Bonsucesso, Servidores etc.), sob a responsabilidade do Ministério da Saúde, da degradante situação de pacientes em corredores e até no chão em emergências das grandes cidades, da longa fila de espera para consultas, exames, cirurgias. A corrupção no setor saúde está estampada semanalmente em nossos jornais.

O programa Mais Médicos traz soluções para esses problemas?

Não. O programa criado pelo governo, em nenhum momento, ataca os principais problemas da saúde pública. É um programa mal desenhado, que não oferece a estrutura adequada para os profissionais trabalharem e que não comprova quais deles possuem os conhecimentos e habilidades necessárias para exercer a medicina no Brasil, o que coloca em risco a saúde da população pobre, que já sofre demais sadia.

Oferecer mais médicos sem organizar a gestão da saúde, de forma profissional e comprometida, não irá resolver os problemas de saúde em nosso país. É necessário aplicar os recursos nos locais adequados e da maneira correta, coibindo qualquer tipo de corrupção ou desvio de dinheiro, além de disponibilizar, no mínimo, equipamentos para exames básicos e medicamentos para que a população possa prosseguir com seus tratamentos. Além disso, é imperativo controles e avaliações sistemáticas.

Infelizmente, há "viés de contaminação" de gestores do sistema de saúde público, nos três níveis (municipal, estadual e federal), misturando politicagem e visão eleitoreira, quando deveria preponderar a competência técnica.

Quais são as expectativas para a saúde no Brasil?

O acesso poderá ser ampliado nesse momento. Porém, sem qualidade a população vai sofrer muito, especialmente a mais pobre e carente, que depende exclusivamente do SUS. É também necessário investir mais em pesquisa e desenvolvimento, retirando as amarras existentes, para que o Brasil seja competitivo a nível mundial.

Não vislumbramos melhorias se não acontecer aumento do financiamento, melhorias da gestão e sério combate à corrupção. Precisamos sim melhorar o acesso com qualidade.

Na saúde suplementar, a ANS precisa exercer melhor seu papel e entender que o Brasil precisa conviver bem com os dois sistemas. O governo precisa se concentrar em seu verdadeiro foco como agência reguladora. Precisamos cada vez mais trabalhar com diretrizes e saúde baseada em evidências.


Florentino Cardoso
Presidente da Associação Médica Brasileira (AMB)


Cuidado com os olhos ao tomar sol


 

Tomar sol é muito bom e na medida certa é bastante saudável para o corpo humano. Porém, você precisa tomar alguns cuidados para que esta prática não acabe prejudicando a saúde, principalmente a sua saúde ocular.

Se por um lado os raios solares são a principal fonte de vitamina D, o excesso da exposição a ele pode causar sérios problemas para os seus olhos, desde lesões oculares, como a queda da percepção de detalhes pela mácula e até a formação da catarata. O uso de óculos escuros é essencial para proteger seus olhos.

"As lentes dos óculos escuros são chamadas de lentes filtrantes. Podem ser de uso medicinal ou social. No caso do uso social, sua função é absorver os raios ultravioletas com o objetivo de reduzir a intensidade da luz que chega aos olhos, propiciando mais conforto e proteção", afirma Keila Miriam Monteiro de Carvalho, Professora Associada em Oftalmologia da Universidade de Campinas (Unicamp).

Ainda segundo a professora, os óculos escuros utilizados no uso medicinal tem a função de controlar o ofuscamento e aumentar o contraste nos casos em que a pessoa tem problemas de visão.

Na hora da escolha dos seus óculos escuros, possivelmente irá se deparar com diferentes cores e formatos. Mais do que uma questão de estética, algumas delas ajudam na redução do cansaço visual. "Para as pessoas sem problemas visuais, a cor cinza em várias gradações proporciona alta fidelidade de cor e conforto para a visão ao ar livre. Inclusive, esta cor reduz o cansaço visual. A cor verde também oferece bom contraste e tem indicação para todas as pessoas, dependendo do gosto", diz Keila Miriam.

Dicas úteis

Use sempre bonés e chapéus;

Evite o contato com o sol nos horários de pico, pois ele está mais forte. Este horário normalmente é configurado do meio-dia até às duas da tarde;

Use os óculos escuros mesmo em dias nublados;

Nunca passe protetor solar ao redor dos olhos;


Agora que você sabe a importância do uso dos óculos corretos para tomar sol, não saia de casa sem eles e aproveite bem o verão, afinal, tomar sol é tudo de bom!


Novo Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2014 já está em vigor


Entrou em vigor, no dia 02 de janeiro de 2014, o novo Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, editado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que torna obrigatória a realização de 50 novos exames, consultas e cirurgias, a 37 medicamentos orais para tratamento domiciliar de câncer, além de coberturas específicas para 29 doenças genéticas, por parte das operadoras para seus beneficiários. De acordo com a ANS, este novo Rol irá beneficiar mais de 42 milhões de consumidores de planos de assistência médica e outros 18 milhões em planos exclusivamente odontológicos, individuais e coletivos, em todo o País.

Dois novos procedimentos oftalmológicos entraram no Rol: Inclusão da Ciclofosfamida para tratamento do Retinoblastoma, independente da fase em que se encontra a doença e a ampliação da possibilidade de prescrição da Tomografia de Coerência Óptica (OCT) que terá cobertura obrigatória quando preenchido um dos seguintes critérios:

A - Acompanhamento de pacientes em tratamento ocular quimioterápico (pacientes que apresentem a forma exsudativa, também conhecida como úmida ou neovascular, da Degeneração Macular Relacionada à idade (DMRI)), incluindo o exame inicial realizado antes do início do tratamento antiangiogênico;

B- Acompanhamento e confirmação diagnóstica das seguintes patologias retinianas: Edema macular diabético; Edema macular cistoide (relacionado ou não à obstrução venenosa); Buraco macular; Membrana neovascular sub-retiniana (que pode estar presente na DMRI, estrias angioides, alta miopia, tumores oculares, coroidopatia serosa central); Membrana epirretiniana e distrofias retinianas.

Clique no link abaixo e confira a lista completa de inclusões do Rol 2014. A cobertura é obrigatória para todas as operadoras de saúde.

Rol de 2014

Veja matéria publicada sobre o assunto no Jornal Oftalmológico Jota Zero, edição 151, no link abaixo. O artigo citado está na página 19.

Artigo Jota Zero

"O Rol 2014 trouxe avanços muito importantes para os tratamentos de saúde da população brasileira, como os medicamentos orais contra câncer, o rastreamento de doenças genéticas e as ampliações de cirurgias menos invasivas e de consultas com profissionais de diversas áreas. Essas inclusões representam maior cuidado com as pessoas e menores riscos à saúde", destaca o diretor-presidente da ANS, André Longo.


A sua aliada no combate ao glaucoma


O glaucoma é a principal causa de cegueira não curável do mundo. Para evitar os avanços da doença é necessário que o paciente siga fielmente o que é determinado pelo médico oftalmologista, o que muitas vezes é bastante complicado, principalmente pelo desconforto. Neste momento, além do apoio familiar que é muito importante, o portador do glaucoma pode contar com a ajuda carinhosa e especializada da Associação Brasileira dos Amigos, Familiares e Portadores de Glaucoma (Abrag).

Fundada em 2000, a entidade nasceu com o objetivo de oferecer apoio, educação e informação para familiares e portadores do Glaucoma. Além disso, atua também na conscientização dos grupos de risco da doença.

"A Abrag atua como parceira do médico, proporcionando ao paciente orientação, educação e apoio. Muitas vezes o paciente sai da consulta deprimido por descobrir ser portador de uma doença incurável que, para ele, poderá levá-lo à morte. Nosso trabalho é justamente orientá-lo sobre o glaucoma, como fazer corretamente seu tratamento, como administrar os horários dos colírios e oferecendo apoio psicológico para o enfrentamento da doença", afirma Elisabete Fruchi, Coordenadora Geral da entidade.

Hoje já são quase 25 mil associados que recebem gratuitamente o material informativo elaborado pela associação, além de orientação personalizada. A entidade também realiza divertidos encontros (veja mais abaixo) e palestras proferidas por especialistas.

Site da Abrag é referência na informação básica sobre o glaucoma

A entidade administra um portal de referência com tudo que o portador e seus familiares precisam saber sobre a doença. No portal, o www.abrag.org.br, é possível encontrar informações referentes aos diferentes tipos de glaucoma, seu diagnóstico, tratamento e qual o grupo de risco para contrair a doença. Além disso, possui links de atalho para folhetos informativos e ilustrados de como utilizar corretamente o colírio, perguntas e respostas sobre o glaucoma e os menus "Receita Fidelidade" e o "Teste o seu risco de ser portador de glaucoma".

"A Receita Fidelidade tem como objetivo facilitar a memorização dos horários de instilação dos colírios, associando-os às atividades diárias, e facilitar sua identificação, com etiquetas e fitas coloridas. Pacientes com baixa visão beneficiam-se deste artifício", complementa a Coordenadora. Clique aqui e acesse a receita.

Outra sessão muito visitada do portal é a opção de e-mail. De acordo com Elisabete Fruchi todas as perguntas enviadas neste canal são prontamente e rapidamente respondidas pela equipe da Abrag.

Compromisso com a ressocialização do paciente

Além de contribuir para que o tratamento seja cumprido à risca pelo paciente, existe outra vertente imprescindível para a Abrag: mostrar para o portador da doença que é possível passar por esta barreira sem deixar de conviver em sociedade.

Para isso e aproveitando a data simbólica de 26 de maio, quando é comemorado o Dia Nacional de Combate à Cegueira pelo Glaucoma, a entidade, em parceria com a Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG) realiza diversas ações sociais durante toda a semana para conscientizar a população dos riscos da doença, além de promover encontros e palestras ministradas por especialistas em glaucoma.



São frutos dessas ações a dupla conhecida como o "Olho e o Colírio", que passearam por pontos movimentados da cidade de São Paulo/SP com uma divertida apresentação sobre a importância do uso correto do colírio, e, também, de um animado passeio ciclístico com portadores da doença, reforçando a importância para o glaucomatoso de conviver com o meio ambiente e praticar esportes.



Os interessados em participar das atividades da Abrag, não somente os portadores de glaucoma, mas também os familiares e população em geral, podem fazer parte da entidade pelo próprio site, www.abrag.org.br, pelo e-mail: abrag@abrag.org.br ou pelo telefone (0xx11) 9 9999-5904. O facebook da entidade pode ser acessado no link www.facebook.com/ABRAGlaucoma


A Abrag recebeu, através da portaria 912 de 05 de maio de 2009, o título de UPF - Utilidade Pública Federal , publicado no Diário Oficial da União de 06 de
maio do mesmo ano.


Compra de óculos piratas pode prejudicar a saúde de seus olhos


No Brasil, a cada 10 óculos comercializados quatro são piratas. A Associação Brasileira da Indústria Ótica (Abiótica) revela que em 2012 o comércio ilegal movimentou R$ 8 bilhões. Os ambulantes comercializam óculos solares e até mesmo de grau sem a devida prescrição médica.

As lentes falsificadas, além de não fornecer a devida proteção aos raios ultravioletas, ainda podem contribuir para um maior número de casos de catarata, possibilitando seu aparecimento precoce nos indivíduos que utilizam esse tipo de material.

"Essas pessoas terão uma incidência maior de catarata. Aqueles que vão apresentar catarata aos 80, 90 anos poderão apresentar catarata aos 50, 60 anos. Então o preço que se vai pagar é mais para frente", afirma Milton Ruiz Alves, presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

O CBO alerta a população para os malefícios do uso de quaisquer óculos piratas. A saúde ocular só é garantida com a consulta regular ao seu oftalmologista. Somente o médico oftalmologista pode prescrever o grau ideal para seus óculos e, tão importante quanto, diagnosticar precocemente qualquer problema ocular. A compra dos óculos deve ser feita em óticas de livre escolha do paciente. A venda casada é crime.

Consulte matéria completa, veiculada no Jornal Nacional de 21/12/2013, no link abaixo:

http://glo.bo/1ewtcZy


Cartilha de Verão


Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) confirmam o que o brasileiro está sentindo na pele todos os dias: o País está passando pelo verão mais quente dos últimos 10 anos e existem dois motivos para isso: o primeiro é o acúmulo de uma massa de ar quente que está em nosso território há quase duas semanas. A segunda é que na maioria das regiões o vento está vindo do norte do país, trazendo um ar mais quente do que o normal.

Existem diversos cuidados que a população deve tomar para enfrentar esses dias quentes contínuos. Pensando nisso, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (PROTESTE), que atua na defesa e no fortalecimento dos direitos dos consumidores brasileiros, elaborou cartilha ilustrada sobre os principais cuidados que o cidadão deve tomar em relação ao verão.

A entidade usa diversos dados de pesquisas elaboradas com os diferentes produtos disponíveis no mercado para a população, com o objetivo de oferecer um conteúdo completo sobre os temas: Conheça a Legislação; Amigo Sol; Pequeninos; Doenças de pele/Como escolher protetor solar; Como escolher os óculos de sol; cabelos protegidos; contra insetos; para comer/Xô, intoxicação alimentar; E para beber?; Desidratação; Saúde na água; Em caso de afogamento/Como agir em enchentes; Na malhação; No trânsito/Bichos de estimação; Liquidação de verão e Imóvel por temporada.

A leitura é simples e ilustrada. Um ótimo material para consulta. Clique no link abaixo e acesse a Cartilha de Verão da PROTESTE.

Cartilha de verão


Os perigos da automedicação


Um dos problemas mais comuns e que afetam prejudicialmente a saúde ocular do brasileiro é a automedicação. O que grande parte da população não sabe é dos grandes prejuízos que esta ação pode causar.

O primeiro grande risco é no diagnóstico, exclusivamente elaborado pelo leigo sem a consulta do médico, e é utilizado medicamento que não trata a doença. Toda a medicação possui efeitos colaterais no organismo, porém, quando tomada indevidamente, a chance do indivíduo sofrer apenas os efeitos colaterais sem nenhum ganho terapêutico é grande.

Existem alguns colírios que podem contribuir para piora de uma possível doença, caso seu uso for de forma errada e progressiva. "Em primeiro lugar, o paciente nunca deve se automedicar, de maneira nenhuma. Segundo, usar um colírio sem receita médica pode piorar a doença, por exemplo, o uso de corticoide que pode acelerar algumas doenças infecciosas, ajuda a desenvolver catarata e o glaucoma no ato do uso indiscriminado", afirma o Professor Associado da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Presidente da Sociedade Latino-americana de Glaucoma (SLAG), Paulo Augusto de Arruda Mello.

Com essa atitude o cidadão acaba colocando a saúde de seus olhos em risco e tendo prejuízo financeiro, já que está gastando dinheiro com uma droga que não promoverá a cura da doença. Além disso, existe outro fator que facilita a automedicação, que é o exemplo, ou sugestões, de conhecidos próximos do enfermo.

"Há, além de várias doenças, vários doentes. Não é porque minha prima estava com o olho vermelho e usou o colírio tal, que eu usando o mesmo remédio tal irei melhorar dos olhos vermelhos, portanto, existem doenças e doentes que precisam também ser analisados", complementa Arruda Mello.

A "Empurro Terapia"

De acordo com o professor, um dos principais motivos para a automedicação é o aspecto cultural brasileiro e latino, que confia no diagnóstico ofertado pela pessoa mais velha e experiente, mas que não possui condições de elaborar um diagnóstico correto. Outra fatia de culpa é referente ao "empurro terapia"

"O "empurro Terapia" é exercido por alguns balconistas de farmácias que não são farmacêuticos e que acabam empurrando alguma medicação. O cara (paciente) entra na farmácia com o olho vermelho e o balconista sugere: "pinga tal coisa que melhora" e o cidadão passa a usar, o que facilita a automedicação", afirma.

Ainda sobre este assunto, Arruda Mello acredita que o farmacêutico pode ser peça fundamental na conscientização dos prejuízos da automedicação e, também, para ensinar corretamente a maneira de aplicar o colírio.

"Nós fizemos um estudo na Escola Paulista de Medicina (EPM) e aproximadamente 60% de usuários crônicos de colírios, que são aquelas pessoas que precisam usar a droga por todo o resto da vida, pingam o colírio de forma inadequada, desde não lavar as mãos e até pingar fora dos olhos a gota. Então o farmacêutico pode ajudar a ensinar muito bem como se faz o uso correto do colírio", ressalta.

Principais doenças que podem ser desenvolvidas com a automedicação

No aspecto infeccioso, a infecção que pode levar até a perda da visão.

Glaucoma: é uma doença ocular causada principalmente pela elevação da pressão intraocular que provoca lesões no nervo ótico e, como consequência, comprometimento visual. É a principal causa de cegueira irreversível no mundo.

Glaucoma Agudo: o glaucoma de ângulo fechado (agudo) ocorre quando a saída do humor aquoso é subitamente bloqueada. Isso origina um aumento rápido, doloroso e grave na pressão intraocular.

Catarata: lesão ocular que atinge e torna opaco o cristalino (lente situada atrás da íris cuja transparência permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem), o que compromete a visão. Esta é uma doença comum em pessoas idosas, porém, com a automedicação é possível contrair mais rapidamente esta doença.

"Nós lutamos diariamente pela medicina preventiva. Na falta do diagnóstico da medicina preventiva, o ideal é um diagnóstico cada vez mais precoce da doença, onde o tratamento é muito mais fácil de obter sucesso", finaliza Arruda Mello.


A Palavra do Presidente


O CBO foi fundado em 1941 com os objetivos de defender e melhorar a saúde ocular da população brasileira e seu acesso à assistência oftalmológica da melhor qualidade; representar a Oftalmologia brasileira e contribuir para a elevação dos níveis técnico e ético do exercício profissional dos médicos oftalmologistas.

Nenhuma sociedade oftalmológica do mundo esteve (e continua) tão envolvida em ações de promoção da saúde ocular como o CBO. Com a realização dos quatro Fóruns Nacionais de Saúde Ocular (o quinto Fórum acontecerá em 2015), no Congresso Nacional, em Brasília, o CBO reafirma o propósito de continuar a trilhar o caminho da aproximação com o Legislativo e Executivo para tratar do aprimorando a Política Nacional de Atenção em Oftalmologia.

O ano de 2013 será lembrado pela edição da Lei 12.871/2013 - Programa Mais Médicos - no qual o governo instituiu o Serviço Civil da Saúde obrigatório no SUS. Mas, também e, principalmente, será lembrado pelo engajamento do CBO e dos oftalmologistas brasileiros na luta das entidades médicas, que se rebelaram contra algumas atitudes do Governo, não por postura corporativista, como o Governo quer que a opinião pública veja a questão, mas sim pela defesa de uma saúde ocular de qualidade para a população, pois o CBO tem convicção de que o atendimento médico oftalmológico é fundamental para a identificação precoce e prevenção de doenças que podem levar à cegueira.

É importante que todos os oftalmologistas saibam que nem por um instante o CBO deixou a questão política da defesa profissional de lado. E que, nesse momento, estamos empenhados e assessorados, lutando todas as novas batalhas que se configuram no cenário atual para que, por meio do exercício profissional do médico oftalmologista, toda a população possa ter acesso a uma saúde ocular de qualidade. Nenhuma possibilidade - mesmo aquelas que podem se desenhar em cenário mais sombrio - está sendo desconsiderada.

A força e a continuidade de todo esse trabalho político depende totalmente da filiação do colega ao CBO e, também, da sua contribuição financeira por meio do pagamento da taxa de anuidade. Não vamos aqui enumerar os muitos e diversos benefícios que o CBO oferece aos seus associados. Mas temos a obrigação de ressaltar que a diretoria, hoje, mantém o compromisso assumido de contribuir para a construção de um CBO mais democrático e de se empenhar na luta pela defesa profissional de todos os oftalmologistas (mesmo daqueles que ainda não se filiaram ao CBO). Para o CBO, de fato, representar todos os oftalmologistas nas diferentes demandas e enfrentamentos jurídicos precipitados pela atual política de saúde do Governo, é necessário que a maioria dos oftalmologistas brasileiros atenda aos chamados de sua entidade, se filiem ao CBO e percebam que podemos ser muito mais fortes se unidos. A força do CBO reside na confiança e no engajamento de todos nós.

Milton Ruiz Alves
Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Gestão 2013/15


Alimentos que fazem bem aos olhos


É muito provável que você já tenha escutado, de seus pais ou avós, o seguinte sermão: "Menino, coma cenoura, pois ela faz muito bem para sua visão". Muito mais do que um simples dito popular, a leguminosa de cor alaranjada é um dos alimentos que mais possuem nutrientes benéficos para a visão.

"Ocorre que a cenoura é fonte de carotenoides, que são constituintes do pigmento macular. É conhecido o fato de que esses componentes são ricos em vitamina A, têm papel como antioxidantes e filtros de luz azul e de alta energia", afirma Keila Miriam de Carvalho, Professora Associada em Oftalmologia da Universidade de Campinas (Unicamp).

Os carotenoides mais comuns (Alfa-Caroteno, Beta-Caroteno, Beta-Cryptoxanthin, licopeno e Luteína) são encontrados em diversas frutas, vegetais e alimentos que contêm frutas e vegetais.

Veja abaixo alguns dos alimentos ricos em carotenoides:

Alfa-Caroteno





A cenoura consumida crua, ou em alimentos é de longe o a alimento com maior quantidade de alfa-caroteno;

Beta-Caroteno





Cenoura, melão, damasco, manga, kiwi, pimentão vermelho, abóbora, batata doce, aspargos e brócolis são as principais fontes de beta-caroteno.

Beta-Cryptoxanthin





Sucos de laranja e de misturas como laranjas e tangerinas são importantes fontes de beta-criptoxantina.

Licopeno





Tomates e produtos de tomate consumidos como alimentos individuais ou como ingredientes em alimentos multicomponentes fornecem a maior parte do licopeno dietético.

Luteína





Contribuintes de luteína + zeaxantina incluem couve, mostarda, ou nabo, espinafre e brócolis. A zeaxantina é um fotoprotetor superior durante a exposição à luz prolongada e a eficácia protectora de luteína tem sido atribuída ao dano oxidativo do carotenóide em si.

Adicione maior quantidade destes alimentos em sua refeição diária. Os seus olhos, e sua visão, agradecem!


Reunião do Conselho de Diretrizes e Gestão é realizada em São Paulo


O Conselho de Diretrizes e Gestão (CDG) e a Diretoria (gestão 2013-2015) do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) realizaram sua primeira reunião em 2014. O evento aconteceu durante o Simpósio Internacional Moacyr Álvaro (Simasp) em 15 de fevereiro, no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo.

A reunião foi base para a discussão de importantes assuntos como o processo eleitoral, ouvidoria profissional, exame de suficiência em categoria especial para a obtenção do Título de Especialista CBO/AMB, que será aplicado durante o Congresso CBO em setembro, refração no Brasil, planejamento estratégico e assuntos gerais.

Participantes da reunião: Diretoria CBO

Milton Ruiz Alves -(Presidente)
Renato Ambrósio Júnior - (Vice-Presidente)
Keila Monteiro de Carvalho - (Secretária-Geral)
Mauro Nishi - (Tesoureiro)
Leonardo Reis - (1º Secretário)

Conselho de Diretrizes e Gestão

Paulo Augusto de Arruda Mello - (coordenador do CDG);
Carlos Augusto Moreira - (integrante vitalício)
Elisabeto Ribeiro Gonçalves - (integrante vitalício)
Geraldo Vicente de Almeida - (integrante vitalício)
Hamilton Moreira - (integrante vitalício)
Harley E. A Bicas - (integrante vitalício)
Marco Antônio Rey de Faria - (integrante vitalício)
Newton Kara-José - (integrante vitalício)
Suel Abujamra - (integrante vitalício)
Breno Barth Amaral de Andrade - (integrante titular)
Haroldo Vieira de Moraes Júnior - (integrante titular)
Newton Kara-José Júnior - (integrante titular)


Oftalmologista cria equipamento portátil para triagem da ceratocone



Do Norte ao Sul do País os oftalmologistas brasileiros fazem o possível para garantir a população o melhor atendimento ocular. Eles são os únicos capazes de diagnosticar e tratar todas as patologias oculares com o auxílio dos principais equipamentos oftálmicos disponibilizados pela indústria.

Além desta parceria com a indústria, existem alguns médicos oftalmologistas que criam seus próprios equipamentos. A prática começa a ser difundida no País, principalmente com a criação das startups - empresas novas, mesmo embrionária ou ainda em fase de constituição, que conta com projetos promissores ligados à pesquisa, investigação e desenvolvimento de ideias inovadoras. Esse modelo foi colocado em prática pelo médico do Rio Grande do Norte Francisco Hirochima Pinheiro, Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e especialista em Cirurgia Refrativa, Lentes de Contato e Farmacologia Ocular, que criou um equipamento portátil capaz de triar o ceratocone.

"O Topograph Smart System consiste em um topógrafo de córnea portátil com alta mobilidade, capaz de ser utilizado e carregado facilmente para qualquer lugar, inclusive durante o ato cirúrgico com o paciente deitado. Essa mobilidade o transforma na mais prática ferramenta de triagem do ceratocone", afirma Hirochima.

Ainda segundo o médico oftalmologista, o topógrafo possui um aplicativo próprio que é instalado no smartphone e trabalha em conjunto com um case, que é encaixado no aparelho celular, dotado de um sistema óptico de projeção. Ao ser acionado na frente da córnea, o aparato é capaz de medir as curvaturas de uma córnea.



Essa ideia surgiu da finalidade de se criar uma ferramenta prática de usar, fácil de carregar, de custo relativamente baixo e que pudesse ser utilizada em poucas etapas com o objetivo de realizar triagem da ceratocone entre os alunos de todas as escolas. "Uma vez diagnosticado precocemente, os indivíduos acometidos pela doença teriam a possibilidade de ter sua evolução "abortada" com a indicação do cross link (tratamento que aumenta a rigidez da córnea)", complementa.

O Topógrafo foi totalmente pensado para ser o mais simples possível. Sua utilização é tão fácil como bater uma foto em câmera digital, basta apenas posicionar o conjunto na frente do olho a ser examinado e clicar na tela do smartphone. O aplicativo faz todo o processamento e análise da imagem, gerando mapas, índices e até imagens interativas.

"Todo o sistema já tem sua propriedade intelectual protegida na forma de registro de patente e faz parte de um grande projeto chamado "Eye care in the bag". No projeto, que está em andamento há cerca de um ano, a Ciência Ilustrada Studio vem desenvolvendo uma série de dispositivos para acoplar ao próprio smartphone os acessórios de baixo custo, que caibam em uma mochila e com capacidade de atender a todas as necessidades de um consultório oftalmológico. Por estarem conectados a um aparelho acessível à internet, esses dispositivos permitem ainda o registro dos exames e seu compartilhamento com uma central integrada a toda rede diagnóstica por geolocalização, gerando em dados a situação ocular de uma população em qualquer lugar do mundo", finaliza Hirochima.

O "Ciência Ilustrada Studio", mencionado pelo oftalmologista, é uma startup incubada na Inova Metrópole, do Instituto metrópole Digital da UFRN. É uma empresa especializada no desenvolvimento e na aplicação de aplicativos e gadgets (dispositivos móveis) na área da saúde.

Ceratocone é uma doença de caráter hereditário que leva ao afinamento e encurvamento progressivos da córnea. Esse processo faz com que a córnea assuma um formato cônico determinando a baixa da visão. No início, o paciente experimenta aumentos frequentes do "grau" dos óculos. Em um fase seguinte, a visão útil só é atingida com o uso de lentes de contato do tipo rígidas e, por fim, o paciente pode necessitar de cirurgias como o implante de anéis intraestromais ou transplante de córnea para poder recobrar a visão.

*crédito para o fotógrafo: Cláudio Abdon


Reunião da Comissão Científica do Congresso é realizada em São Paulo


Durante todo o último domingo (16/02), a Comissão Científica do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual - II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, que será realizado de 3 a 6 de setembro, em Recife-PE, organizou importante reunião na sede do CBO, em São Paulo-SP.

O encontro, que durou mais de 10 horas, foi finalizado no final da tarde. De acordo com Wallace Chamon, Coordenador da Comissão Científica do Congresso, mais de 400 horas da grade de programação científica foram concluídas.

"Em breve as subcomissões de pôsteres, temas livres e relatos de casos, assim como de cursos da comunidade e vídeos começarão a avaliação das submissões. Teremos um evento científico fantástico em Recife", finaliza Chamon.

Participantes da reunião:

Milton Ruiz Alves - Presidente do CBO

Wallace Chamon - Coordenador da Comissão Científica

Keila Monteiro de Carvalho - Secretária-Geral

Armando Stefano Crema - Comissão Científica

Denise de Freitas - Comissão Científica

Gustavo Victor de Paula Baptista - Paineis e Simpósios

Harley E. A. Bicas - Comissão Científica

Marcony Rodrigues de Santhiago - Tema Livre e Pôster

Mário Luiz Ribeiro Monteiro - Comissão Científica

Newton Kara-José Júnior - Vídeos

Paulo Schor - Paineis e Simpósios

Ramon Coral Ghanen - Curso da Comunidade

Rodrigo Pessoa Cavalcanti Lira - Tema Livre e Pôster

Sidney Júlio de Faria e Souza - Comissão Científica

Suzana Matayoshi - Comissão Científica

Tiago Eugênio Faria e Arantes - Curso da Comunidade

Wagner Duarte Batista - Comissão Científica

Walter Yukihiko Takahashi - Comissão Científica

Liana Ventura - Presidente do XXI Congresso

Mauro Nishi - Tesoureiro-CBO


Leonardo Mariano dos Reis assume presidência da COOESO-GO


*Entrevista da semana

O primeiro secretário do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Leonardo Mariano dos Reis foi eleito, em 11 de fevereiro de 2014, presidente da Cooperativa Estadual em Serviços de Oftalmologia do Estado de Goiás (COOESO-GO). A redução da anuidade, ampliação da base, contratação de economista para negociar com os convênios e subsidio para a contratação de assessoria jurídica estão entre as principais metas de sua gestão.

Na entrevista abaixo, Mariano dos Reis faz um pequeno balanço da situação da oftalmologia no Estado de Goiás, sua preocupação com a defesa das prerrogativas profissionais do médico oftalmologista e convida todos os colegas do Estado a participar ativamente das ações da COOESO-GO.

CBO: Fale um pouco da sua trajetória até conquistar o posto de presidente da COOESO-GO
LMR: A primeira reunião para formação da COOESO-GO se deu no final do ano de 2004. Estava terminando a residência médica em oftalmologia e fui o terceiro signatário dessa assembleia. No ano seguinte, assumi a Secretaria Geral do Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego). Em seguida, fui Presidente do Simego e reeleito para mais um mandato. Em 2008, nossa chapa foi eleita para o Conselho Regional de Medicina de Goiás (CRM-GO) e fomos reeleitos no ano passado para mais um mandato, onde atualmente ocupo a segunda vice-presidência. No Conselho Brasileiro de Oftalmologia fui convidado na gestão do Dr. Marco Rey para ocupar a Comissão de Assuntos Jurídicos e na atual gestão, de Milton Ruiz Alves, a Primeira Secretaria.

CBO: Quais são as principais atividades de liderança que pretende trabalhar na COOESO-GO?
LMR: A COOESO é uma empresa cooperativa que no final das contas representa o braço financeiro do movimento dos médicos oftalmologistas. Ela existe para melhor remunerar a oftalmologia e conseguir melhores contratos, quando negociamos coletivamente. Sendo assim, temos também a importante tarefa de apoiar a Sociedade de Oftalmologia nas questões de defesa profissional e educação continuada.

CBO: Qual o cenário encontrado no Estado para o médico oftalmologista?
LMR: Em Goiás existe grande concentração de médicos oftalmologistas nos grandes centros (Goiânia, Anápolis e Aparecida), quantidade suficiente nos médios centros (Luziânia, Rio Verde, Catalão, Itumbiara, Jataí, Caldas Novas, Iporá, Porangatu e Mineiros) e pequena nas cidades menores, principalmente atendendo pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Então, a grande maioria dos pacientes que usam o sistema suplementar acaba procurando as cidades maiores, enquanto nas cidades pequenas o atendimento se dá sazonalmente por médicos que vão regularmente ao município ou por campanhas públicas.

CBO: Quais as principais estratégias da COOESO-GO para valorizar o trabalho do médico oftalmologista?
LMR: Temos que fazer uma campanha de esclarecimento dos procedimentos em oftalmologia e mostrar os quão defasados estão. Em seguida, partirmos para a negociação com as principais operadoras. No SUS, vamos fortalecer a ação do CBO junto ao Ministério da Saúde (MS) pela valorização do médico oftalmologista e para que haja mais atendimentos à população fora da Saúde Suplementar.

CBO: E em relação à defesa de classe? Quais as principais ações para fortalecer as prerrogativas profissionais do médico oftalmologista no Estado?
LMR: É preencher os espaços, alertando a população mais carente de que consulta oftalmológica deve ser feita por médico e dando um bom atendimento a quem nos procura. Fora isso, temos que oferecer denúncias aos órgãos competentes, até porque exercício ilegal da medicina é caso de polícia e crime contra a saúde pública.

CBO: Como os oftalmologistas de Goiás podem contribuir com a COOESO-GO? Quais são os canais para isso?
LMR: Estamos fazendo uma força tarefa para informar aos colegas de Goiás que a COOESO está ativa e robustecida. Por isso agradecemos a oportunidade de divulgar nesse espaço nossos contatos de e-mail: sgo.presidencia@gmail.com e telefone (62 3281-1944). Nossa meta é integrar todos os médicos oftalmologistas de Goiás à COOESO.

CBO: Uma mensagem para o oftalmologista de Goiás
LMR: Agradeço a confiança depositada no grupo e vamos trabalhar muito para dar o retorno político, financeiro, e administrativo o mais rápido possível. Baseado nos princípios da administração pública, seremos sistemáticos com todo o recurso investido.

A nova diretoria da COOESO-GO, gestão 2014-2016 é formada por:

Leonardo Mariano dos Reis - Presidente
Durval Moraes de Carvalho - Secretário
Clausmir Zaneti Jacomini - Tesoureiro


A palavra do Presidente


A gestão "CBO 2013-2015" está completando seis meses. Já estamos no carnaval, logo a copa, o Congresso no Recife e, em seguida, as eleições! É prioridade para o CBO o envolvimento de todos os colegas em Campanha Nacional voltada para a valorização do médico oftalmologista e da Oftalmologia brasileira. Muitos, particularmente, já estão tomando essa iniciativa, como os colegas de Santarém. Não se trata de Campanha contra o Mais Médicos. Se trata de uma Campanha contra as más condições da saúde ocular no Brasil. Tudo o que não está bom pode piorar ainda mais! Principalmente, com o exercício ilegal da medicina por técnicos despreparados e não legitimados para essas funções como já estamos vivenciando.

O CBO já está convocando o Ministério Público para o cumprimento da lei. Em nenhum momento o CBO deixará de se posicionar de forma clara e forte sobre o caos na saúde pública. O CBO vai reapresentar às autoridades da saúde um Programa consistente que foi construído para o aprimoramento da assistência oftalmológica no Brasil. O CBO tem ciência do seu lado nessa luta que confronta princípios e preocupação com a qualidade da assistência da saúde ocular ofertada à população. O CBO não será vergado pela força e nem pela truculência!

O CBO vai entrar forte nas mídias sociais. O CBO vai encurtar a distância que o separa dos colegas não associados. O CBO realizará durante o Congresso Brasileiro, em setembro no Recife, prova especial para que os colegas formados há pelo menos dez anos possam obter o título de especialista AMB/CBO. Para a defesa da classe o CBO precisa do apoio financeiros de todos. Não há tempo excedente de espera, esse é o momento de buscarmos a melhor solução para todos e não há como não posicionarmos ao lado das entidades médicas (CFM, AMB e FENAM). Colegas, não há como adiar mais, logo o carnaval, a copa e em seguida as eleições! Vamos a luta!

Milton Ruiz Alves
Presidente
Gestão 2013-2015


A palavra do Presidente


O número de brasileiros sem acesso à consulta oftalmológica é preocupante, uma vez que o Sistema Único de Saúde (SUS) não atende a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de uma periodicidade de cinco anos para a população em geral e nem para aqueles com morbidades crônicas com repercussão ocular cuja periodicidade recomendada é de dois anos. Um estudo estimou que apenas 17% utilizam o SUS como forma de financiamento de sua última consulta oftalmológica. Isto mostra a necessidade de aumentar a participação do setor público na atenção aos problemas de saúde ocular ampliando o rastreamento dos problemas de saúde ocular; os cuidados preventivos; o acesso a medicações, armações e lentes, exames complementares e procedimentos cirúrgicos.

Para atingir este objetivo, é necessário integrar o atendimento oftalmológico nos diferentes níveis de atenção à saúde, organizar a referência para os ambulatórios de oftalmologia e para os procedimentos a serem realizados em outros níveis de atenção como os cirúrgicos e aumentar a abrangência da assistência oftalmológica no SUS. Nesse sentido, o CBO como parceiro do Ministério da Saúde (MS) e do Ministério da Educação (MEC) no Programa Olhar Brasil, vem atuando junto aos serviços públicos especializados em oftalmologia, com o objetivo de ampliar o atendimento à população que utiliza o SUS.

O CBO, também, vem encaminhado ao MS, por meio do Coordenador da Alta e Média Complexidade, propostas em que oferece curso de capacitação, apoio técnico e consultoria em Oftalmologia, por telemedicina, aos médicos e profissionais da saúde do Programa Saúde da Família (PSF) que atuam em áreas de baixa oferta de oftalmologistas.

Nos últimos 10 anos o número de oftalmologistas brasileiros cresceu 61,2%, chegando, em 2010 a 17.740 especialistas. A média no País é de um profissional para cada 10.724 habitantes. O número se enquadra, com folga, à recomendação da OMS estabelecida para a América Latina que determina um para cada 35 mil habitantes. Descabe insistir na infantil ideia de que o caos na saúde pública se dá por falta de médicos, os problemas atuais resultam das gestões repetidamente míopes do MS e refletem a diminuição da média anual de implantação de equipes do PSF que caiu de 2.046 para 1.018 no governo atual, evidenciando enorme retrocesso.

No entanto, é preciso socializar a responsabilidade para o MS não repetir na área da refração ocular os erros cometidos no PSF. Cumpre vencer a inércia e assumir a parte que incube a cada um. Cabe ao MS adotar soluções permanentes na saúde pública brasileira, contratando médicos oftalmologistas por concurso público e carreira federal vinculada ao MS e disponibilizada por convênios a estados, municípios, áreas de fronteiras, indígena ou qualquer área de difícil provimento desses profissionais. Cabe ao CBO e aos médicos oftalmologistas trabalhar arduamente para que a população brasileira tenha acesso à assistência oftalmológica da melhor qualidade.

Milton Ruiz Alves
Presidente
2013-2015


A palavra do Presidente



A presbiopia foi discutida no Congresso Mundial de Oftalmologia, recentemente, realizado em Tóquio pelos Drs. Serge Resnikoff, Peter Ackland e Hugh Taylor, coordenadores do Simpósio "Hot topics in Elimination of Avoidable Visual Impairment" a partir da apresentação do Dr. Barbar Qureshi: "Will we continue to neglect presbyopia?". Ficou claro que a baixa visual por presbiopia não corrigida está sendo negligenciada em favor da catarata, glaucoma e outras doenças. No mundo, em 2005, havia cerca de 1,04 bilhões de casos de presbiopia funcional, destes, 696 milhões vivendo em países desenvolvidos. Estes números devem crescer nos próximos anos pelo envelhecimento da população. Discutiu-se que a melhor forma de atacar os efeitos deletérios da presbiopia não corrigida é o seu enfrentamento na atenção primária, na comunidade.

Setenta e quatro Projetos de Zona Livre de Catarata, promovidos pelo Núcleo de Prevenção à Cegueira da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), realizados entre 1986 e 1995, mostraram que as principais causas de baixa visão, nas pessoas com 50 anos ou mais de idade, eram o erro de refração não corrigido (42,7%) seguido pela catarata (23,59%). Em 2008, Resnikoff estimou que o número de pessoas com perda visual devido a erro de refração não corrigido na população acima de 40 anos no Brasil era de aproximadamente dois milhões.

E, em 2014, a maioria destas pessoas ainda não tem acesso direto à consulta oftalmológica. O que está errado? Nós temos oftalmologistas, disponibilidade e vontade. O que falta?

Segundo Lavinsky, a Oftalmologia brasileira está algemada perante a sociedade por não poder cumprir o seu papel. Na área pública atuam menos de um terço dos oftalmologistas e 80% da população depende da área pública! A Oftalmologia quer participar, mas não existe um credenciamento universal que dê condições a que todos assistam, mas como somos o elo visível dessa cadeia assistencial levamos a culpa de uma dificuldade que não é cabida, ou quase nada cabida, a nós. Todo mundo sabe que saúde não depende apenas de médico. Saúde é financiamento, e, sobretudo, gestão de qualidade. Que as ações devem ser contínuas e não episódicas ou eleitoreiras, e ações contínuas exigem infraestrutura.

Oportunamente, lembramos que contra a prática do exercício ilegal da Oftalmologia, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia vem intensificando ações de esclarecimento junto aos Ministérios Públicos Estaduais e Vigilâncias Sanitárias, para que estes se posicionem de acordo com a legislação vigente, a favor da saúde pública ocular. Nessa área, a atuação do Ministério Público do Estado não é facultativa e sim obrigatória, conforme prevê a Constituição Federal em seu art. 129, II e III, instaurando inquérito para apuração de exercício ilegal da Medicina e como ato contínuo pedido de cessão dos atos dos optometristas que atendem na região, protegendo assim a população, que na maioria das vezes é carente de informação.

Não nos resta nesta área senão a judicialização deste problema. Para a Oftalmologia e saúde ocular da população brasileira, felizmente, no atual inóspito mundo oficial são, principalmente, dos Ministérios Públicos que recorrentemente emanam sinais de vida ética e inteligente. Temos que acioná-los. Não desanimem! Confiem nos Ministérios Públicos! Os sinais (de vida ética e inteligente) não podem ser desperdiçados em meio ao alarido decorrente da atual política eleitoreira que se abate sobre nós!

Milton Ruiz Alves
Presidente do CBO
Gestão 2013-2015


A palavra do Presidente


A gestão 2013-2015 do CBO está completando seis meses. É importante que todos os oftalmologistas saibam que nesse período de trevas e indefinições, nem por um instante o CBO deixou a questão política da defesa profissional de lado. Realizamos planejamento estratégico para identificar ameaças e implementar ações de enfrentamento. Nenhuma possibilidade - mesmo aquelas que podem se desenhar em um cenário mais sombrio - deixou de ser considerada.

O novo departamento jurídico do CBO está implementado e falando a mesma linguagem: suas recomendações para responder aos anseios da classe no que se refere à defesa profissional estão sendo disponibilizadas a todos os colegas. A nova Comissão de Saúde Suplementar do CBO está criada. Nela, CBO e Fecooeso, estão unidos. Dessa forma, o CBO cumpre o papel de incrementar a defesa profissional também na área da saúde suplementar.

Todos os associados do CBO com certeza reconhecem a importância de se unir forças no momento de incertezas políticas que atravessamos. A força e a continuidade de todo esse trabalho depende totalmente da filiação do colega ao CBO e, também, da sua contribuição financeira por meio do pagamento da taxa de anuidade CBO 2014. A força do CBO reside na confiança e engajamento de todos nós.

Milton Ruiz Alves
Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Gestão 2013/2015


As lentes de contato e seu uso terpêutico



*Entrevista da semana



Recentemente, dois estudos envolvendo lentes de contato foram divulgados pela grande mídia. O primeiro, elaborado por cientistas da Universidade de Harvard, estuda a possibilidade de uma lente de contato que possa pingar automaticamente a droga usada no controle de glaucoma. (para ler mais sobre o tema, clique aqui). O segundo, por meio dos cientistas do Google, desenvolve a possibilidade de criar lentes de contato inteligentes e capazes de detectar a taxa de glicose nas lágrimas de seu usuário. Caso prove sua eficácia, tais lentes poderão substituir a necessidade de agulhadas nos dedos, utilizadas hoje para medir a glicemia na gota do sangue. (clique aqui para ler)

Ambos os estudos reforçam a constante evolução científica e tecnológica das lentes de contato e potencializam o seu uso terapêutico. Para explicar um pouco mais sobre este tema, entrevistamos o Professor Titular Emérito de Oftalmologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Universidade de Campinas (Unicamp) e presidente da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (Soblec), Newton Kara-José.
Em entrevista, o professor fala sobre os avanços tecnológicos das lentes de contato, sua possibilidade de uso terapêutico e muito mais. Veja abaixo:

CBO: Conte um pouco sobre a evolução histórica das lentes de contato

NKJ- As lentes de contato têm passado, nas últimas décadas, por grandes progressos. As lentes de contato para a miopia, para a hipermetropia ou associada ao astigmatismo, melhoraram muito com a chegada de novos materiais e novos desenhos que se adaptam melhor aos diferentes tipos de córneas. Além disso, houve grande progresso na confecção das lentes multifocais para a presbiopia. O campo da lente de contato para a correção da miopia, hipermetropia e astigmatismo já é um campo muito sólido, muito vasto no mundo todo. Só nos Estados Unidos, o número de usuários é de quase 40 milhões. Pelo mundo, o número de usuários aumenta de tal maneira que é possível supor que mais de 50% das pessoas que precisam da correção ótica vão preferir usar as lentes de contato, usando só a lente ou alternando com os óculos, que é uma possibilidade que a lente permite.

CBO - As lentes de contato podem mesmo ser utilizadas para o uso terapêutico?

NKJ- O uso terapêutico da lente de contato já é utilizado há várias décadas em olhos dolorosos, para melhorar a cicatrização e proteção da córnea. A Medicina e a Oftalmologia, em particular, tem um grande obstáculo referente a adesão de indivíduos para o contínuo e regular uso de remédios. A ideia de você usar a lente de contato como uma maneira de liberar medicação contínua nos olhos sempre foi muito desejada pelos médicos e pelos cientistas. Oferece uma série de vantagens, afinal, você teria a liberação da medicação direta no olho e não dependeria da adesão do paciente para cumprir religiosamente com os horários prescritos para o tratamento correto. Pacientes idosos com alguma dificuldade de memória ou de manuseio para colocar o colírio também seriam beneficiados. Isso seguramente um dia virá, a gente espera que um dia realmente venha, porém, hoje ainda continuamos na fase de experimentos e que ocorrem seguramente em diversos locais do mundo.

CBO - Como presidente da Comissão de Prevenção de Cegueira do CBO, o que pensa sobre essas pesquisas? Supondo que ambas sejam efetivadas, o senhor acredita que a população conseguirá ter acesso ou serão muito caras?

NKJ- Veja. Hoje existe a ciência patrocinada pela indústria e por pesquisadores independentes que tem a finalidade de desenvolver métodos, ou fármacos, de utilidade na comunidade. É claro que o pesquisador quer achar coisa nova e muitas vezes ele chega a um resultado que pode servir de imediato ou que irá servir como base para que outras pesquisas sobre o assunto sejam aprimoradas até o resultado final ser realmente útil.

Vou contar um exemplo que nós temos da lente intraocular: em 1945, Harold Ridley, observando pilotos, da Real Força Aérea Britânica na II Guerra Mundial, com lesão ocular por meio de explosão do acrílico da frente das aeronaves, notou que, em alguns casos, parte deste plástico permaneceu nos olhos e sem rejeição. Com isso passou a fazer lente intraocular com grau que ele colocava dentro do olho quando operava a catarata. A ideia foi fenomenal e muitos milhares de pacientes fizeram este procedimento. O que sucedeu depois foi que essa lente era pesada, não havia a tecnologia de hoje para sua preparação e a grande maioria das lentes implantadas na época foram retiradas. Então foi um desastre? Sim, foi um desastre, mas isso difundiu o método até que se começou a aprimorar a tecnologia e o material usado nessas lentes, que hoje são de pelo menos 30 milhões colocadas anualmente em todo o mundo. Nem dá para você pensar, hoje, o que seria da cirurgia de catarata sem a lente intraocular.

Vamos imaginar que em um futuro próximo esses estudos mostrem eficácia e as lentes comecem a ser produzidas em grande quantidade. A história mostra que toda tecnologia nova é muito cara. Há algumas décadas, a lente intraocular era comercializada a preço proibitivo, da mesma forma que a lente rígida e hidrofílica. Ainda hoje a lente gelatinosa ou mole continua com preço muito alto, fora do alcance da maioria e esta é a lente mais indicada para o uso. Essa sistemática começou a mudar com o início da produção de lentes na Índia e Etiópia com preços populares. Apenas com a produção difundida em diversos locais pelo mundo que o preço das lentes de contato sofreu grande redução.

CBO- Sensores na lente podem prejudicar de alguma forma a visão?

NKJ- Para você colocar um sensor dentro da lente, o que aumentaria sua espessura e diminuiria o conforto com o seu uso e a passagem do oxigênio para a córnea, na maneira em que eu penso hoje, sem me aprofundar no tema como os cientistas, dificultaria a chance do indivíduo suportá-la. A lente seria muito mais cara e usada apenas em alguns momentos e inicialmente por um número reduzido de pessoas necessitadas, até que ela prove que realmente é útil para ser usada de maneira generalizada. Vou lembrar mais dois exemplos: a Talidomida, quando pesquisada em laboratório foi considerada uma medicação ótima para inúmeros problemas de saúde. Só que ninguém tinha testado em grávidas, pois não se faz testes em grávidas. Quando ela foi usada pela população de maneira generalizada foi aquele desastre que todos nós conhecemos. Hoje ela volta a ser usada, porém, com absoluta restrição para que as mulheres em período fértil não utilizem o medicamento.

Outro exemplo é a cirurgia refrativa, que é opção para a correção de problemas da necessidade de óculos. Foi realizada na década de 50, que era a cirurgia com o bisturi e teve em seus primeiros casos resultados maravilhosos. Era a própria solução de tudo. A própria pesquisa feita pela Food and Drug Administration (FDA) americana em um grupo selecionado obteve resultados maravilhosos. Quando ela foi generalizada os desastres seguiram o mesmo caminho e foram generalizados. O que quero deixar evidenciado é que pesquisas são apenas pesquisas, trazendo no seu bojo uma grande expectativa, mas apenas vão se mostrar benéficas após o seu uso em seres humanos, com todas as etapas de experiências finalizadas. No dia a dia temos notícias de remédios que após passarem por todos os testes experimentais mostraram-se perigosos aos seres humanos e são retirados do mercado.


Os benefícios dos games



Jogar videogame em consoles, no computador e até mesmo nos modernos smartphones se tornou um passa tempo quase obrigatório para todos os dias. A atividade, muito praticada pelos mais jovens, ganha cada vez mais adeptos entre a população mais velha devido a sua praticidade e a adequação dos jogos para diferentes públicos.

Por muito tempo o uso de videogame foi considerado uma atividade a ser reprimida por pais e responsáveis, principalmente devido a violência de alguns consoles aliada a grande possibilidade de viciar a criança. Hoje essa tendência começa a mudar e existe um grande aliado para isso: jogar videogame pode melhorar as habilidades cognitivas e ajudam a tratar a visão. Pelo menos é o que afirmou Daphne Bavelier, neurocientista das Universidades de Rochester (Estados Unidos) e Genebra (Suíça), durante o encontro anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS), realizado de 13 a 17 de fevereiro na cidade americana de Chicago.

Bavelier publica há mais de uma década estudos que confirmam a melhora da acuidade visual entre jovens jogadores. Ela ressalta que os jogos de ação, por necessitar maior atenção aos pequenos detalhes e em todos os contextos do cenário do jogo, aliado a necessidade de atingir alvos em movimento, funcionam muito melhor do que os demais jogos mais "tranquilos". Uma pesquisa realizada com dois grupos de jovens - um jogou apenas games de ação e o outro games mais amenos, por um período de 50 horas - revelou ganhos na percepção de contraste para ambos os grupos, porém, os que se dedicaram a jogos de ação tiveram ganho de 43% contra 11%.

Outra pesquisa evidenciada no encontro da AAAS foi a possibilidade de usar games para tratar ambliopia, problema no sistema visual em crianças que faz com que elas percam a visão de profundidade, propiciada pelo ângulo entre os dois olhos. O estudo, publicado no periódico "Plos Biology" em 2011, mostra que ao praticar por duas horas diárias exercícios com jogos, os ganhos em diferentes parâmetros da acuidade visual vão de 16% a 54%.

Clique aqui e confira matéria completa sobre o assunto e publicada na Folha de São Paulo em 18/02.


A importância do Teste do Olhinho


O teste do Reflexo Vermelho, popularmente conhecido como Teste do Olhinho, é um exame crucial que deve ser realizado em todos os bebês logo em sua primeira semana de vida e, de preferência, antes da alta da maternidade. Sua principal função é detectar precocemente qualquer problema ocular que os bebês possam ter, com o objetivo de minimizar o agravamento dessas alterações que, em casos mais complexos, pode levar até a uma cegueira irreversível.

A família De Lalla é exemplo da importância da realização desse exame nos recém-nascidos. Em matéria publicada pelo Tem Notícias 1º edição, de Bauru/Marília-SP, em 14 de fevereiro, a mamãe Juliana Gadum De Lalla conta como descobriu que ambos os seus filhos, os brincalhões Theodoro e Heitor, nasceram com catarata total nos olhos.

Clique aqui e veja a matéria completa

Com o diagnóstico precoce da doença, ambos os pequenos passaram por cirurgia, no tempo ideal para o procedimento, e hoje podem brincar tranquilamente pelo quintal de sua residência e com os seus brinquedos favoritos.

O Teste do Reflexo vermelho deve ser encarado como primordial para todas as famílias. O CBO preconiza para que nenhum recém-nascido tenha alta sem a realização do exame.


ASCRS estará presente no Congresso do Recife


Entidade americana será representada pelo seu futuro presidente e pretende contribuir com os principais avanços na área

A Sociedade Americana de Catarata e Cirurgia Refrativa (ASCRS), entidade que possui mais de nove mil membros e possui como missão promover a ciência da cirurgia oftálmica e os conhecimentos e habilidades de cirurgiões oftalmológicos, fornecendo educação clínica e práticas de gestão e trabalhando com os pacientes, governos e comunidade médica para promover uma saúde ocular da mais alta qualidade, participará do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, que será realizado de 3 a 6 de setembro, no Recife.

Confira abaixo a nota da entidade sobre sua participação no evento:

"A Sociedade Americana de Catarata e Cirurgia Refrativa, agora em seu 40º ano, compartilha com o Congresso CBO 2014, a missão de levar a inovação cirúrgica e avanços tecnológicos para a comunidade oftalmológica mundial. Este é o principal ponto em comum entre as nossas organizações. Por esta razão, a ASCRS tem muita honra de estar muito bem representada neste congresso do CBO, através dos doutores Douglas Koch e Richard Lewis. Ambos os oftalmologistas são de renome mundial em catarata, refrativa e cirurgias de glaucoma. Dr. Koch já foi presidente ASCRS e o Dr. Lewis será nosso presidente em 2014. Ambos têm demonstrado liderança em oftalmologia mundial e nos sentimos confiantes de que eles vão trazer o seu conhecimento amplo e experiência em suas respectivas especialidades para seus participantes. A ASCRS deseja ao Congresso CBO 2014 grande sucesso, e está muito feliz em poder participar".

E não vai ser você que irá perder o principal evento científico da Especialidade em 2014, certo? Clique aqui e acesse o site do evento e garanta agora mesmo a sua inscrição


De olho na visão: conjuntivite viral


Existe uma doença ocular contagiosa que aparece com maior frequência na chegada do outono e do inverno: a Conjuntivite Viral. Um dos principais motivos para o aumento do número de casos é devido aos dias mais frios, quando a população mantêm suas casas e as janelas dos ônibus e demais coletivos fechados, criando um ambiente de aglomeração de pessoas.

A Conjuntivite viral é a doença da conjuntiva causada por vírus. Na maior parte dos casos, a contaminação acontece em um olho e depois passa para o outro. Normalmente, o primeiro olho acometido pela doença é onde os sinais e os sintomas são mais intensos.

É uma doença considerada comum, porque a maneira de transmissão do vírus é muito rápida, ou seja, basta uma infecção na conjuntiva e a devida manipulação da lágrima ou da secreção com a mão, por parte do portador, e logo a seguir manusear alguma superfície ou até mesmo cumprimentar outra pessoa saudável, para que a doença alcance uma grande chance de ser propagada.

Os principais sintomas da conjuntivite viral são:

A coceira e a dor nos olhos;
Muita secreção (remela) de cor branca ou amarela;
Sensação de areia nos olhos;
Hipersensibilidade à luz;
Intenso vermelho na parte "branca" dos olhos.


A melhor forma de prevenção da doença é se afastando da pessoa contaminada. Evite abraços, beijos ou utilizar os mesmos objetos que este indivíduo tenha contato. O uso do álcool gel é bastante apropriado para evitar a contaminação. No caso de infecção, não realize a automedicação e consulte um médico oftalmologista.

Ainda com dúvidas sobre a doença? Acesse o vídeo abaixo elaborado pela Professora Titular do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e presidente da Associação Pan-Americana de Oftalmologia (PAAO), Ana Luísa Hofling de Lima Farah.

http://www.youtube.com/watch?v=d8PB8XuRb0U


A Palavra do Presidente


Os óculos foram inventados nos anos 1300. Em 1585, Georg Bartisch, médico europeu, foi considerado o primeiro médico oftalmologista. A optometria surgiu três séculos depois, fundada na ignorância médica vigente que considerava erroneamente que os problemas médico-oftalmológicos eram decorrentes da necessidade de óculos e que se revolviam com a prescrição dos mesmos.

A evolução da ciência médica mostrou que não há como distinguir problemas de refração (ametropias) de doenças oculares e, por isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu os erros de refração em sua Classificação Internacional de Doenças Relacionadas à Saúde (CID 10). Depois se descobriu que nem todo erro de refração necessita de correção óptica e, ainda, que o médico oftalmologista, na ocasião do exame refratométrico, tem a oportunidade de prevenir, diagnosticar e tratar enfermidades que poderão colocar em risco a saúde ocular, sobretudo se confiada à optometria divorciada dos consultórios médicos.

No Brasil, o artigo 38 do Decreto 20.931/1932 proíbe que casas de ótica confeccionem lentes de grau sem prescrição médica, assim como não permite que casas de ótica instalem consultórios médicos nas suas dependências. O Decreto 24.492/1934, complementando as normas do Decreto 20.931/1932, regula a venda de lentes de grau e também determina que as lentes de grau só podem ser vendidas com prescrição médica.

Contra a prática do exercício ilegal da Oftalmologia, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia vem intensificando ações de esclarecimento junto aos Ministérios Públicos Estaduais e Vigilâncias Sanitárias, para que estes se posicionem de acordo com a legislação vigente, a favor da saúde pública ocular. O Judiciário, entendendo que a prática da optometria quanto ao ato da refração e prescrição de lentes de grau, é configurada exercício ilegal da medicina e tem concedido tutela antecipada para busca e apreensão dos materiais oftalmológicos em poder do optometrista. A prática ilegal da Oftalmologia por profissionais não regulamentados é considerada crime de exercício ilegal da medicina, tipificado no art. 282 do Código Penal: "Exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista, farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo os limites. Pena: detenção de seis meses a dois anos".

O Estado deve zelar pela saúde e segurança da população atuando por meio do poder coercitivo e fiscal que possui. Nessa área, também, a atuação do Ministério Público do Estado não é facultativa e sim obrigatória, conforme prevê a Constituição Federal em seu art. 129, II e III, instaurarando inquérito para apuração de exercício ilegal da Medicina e como ato contínuo o pedido de cessão dos atos dos optometristas que atendem na região, protegendo assim a população, que na maioria das vezes é carente de informação.

A força e a continuidade de todo esse trabalho político depende totalmente da filiação do colega ao CBO e, também, da sua contribuição financeira por meio do pagamento da taxa de anuidade CBO 2014. É necessário que todos percebam que podemos ser muito mais fortes se unidos. Só assim poderemos continuar oferecendo à população brasileira uma ainda melhor atenção à saúde ocular.

Milton Ruiz Alves
Presidente do CBO
Gestão 2013-2015


Curso Credenciado da FMUSP conquista a maior média da Prova Nacional de Oftalmologia 2014



* Entrevista da Semana

Os alunos do Curso Credenciado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) conquistaram a maior média, considerando os três exames, da Prova Nacional de Oftalmologia 2014, realizada no final de Janeiro, em São Paulo-SP.

Parte deste sucesso pode ser designado ao professor Milton Ruiz Alves, que assumiu a coordenação do curso credenciado há três anos e implantou, entre os alunos, nova mentalidade para a importância de ir bem ao exame do Título de Especialista. Na entrevista abaixo, Ruiz Alves fala sobre sua carreira acadêmica, como chegou ao curso credenciado, seus planos para o futuro do curso e como auxiliou no desenvolvimento deste grupo que tem tudo para ser vencedor na oftalmologia.

CBO: Conte um pouco da história da sua carreira acadêmica

MRA: Em 1969 começamos o curso médico na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e o encerramos em 1974. No período de 1970 a 1973 fomos bolsista FAPESP no Departamento de Fisiologia (Neurofisiologia), pesquisando a influência de benzodiazepínicos no sono, tendo o professor César Timo-Iaria como orientador, seguramente o principal pesquisador da área de fisiologia da USP. Contribuímos, também, no desenvolvimento da técnica cirúrgica realizada em cadáveres, visando a futura realização de transplantes de fígado, na cirurgia experimental da FMUSP, onde por horas intermináveis segurávamos o afastador! Outra nossa contribuição ocorreu acompanhando o professor Guilherme Mistrorigo, todo o sábado, na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, aguardando a ocorrência de acidente automobilístico e se deslocando para o local do infortúnio para analisar as necessidades, normatizar as condutas e providenciar os materiais que deveríamos ter a mão para os primeiros socorros, etc. nascia ali o pronto socorro nas auto-estradas. Este trabalho virou filme dirigido por Bernardo Bertolucci e ganhou um prêmio na Europa. Na fita, representamos um acidentado recebendo os primeiros socorros!

Após a formatura e os dois anos de residência médica no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP fizemos o curso básico de Oftalmologia da Pan-Americana em Porto Rico. Na volta, em 1977, fomos o preceptor dos residentes do HCFMUSP, atividade marcante para o nosso desenvolvimento profissional. Nessa época, motivados pelo professor Newton Kara-José, mergulhamos de cabeça nas campanhas comunitárias de saúde ocular e na realização de inúmeras pesquisas epidemiológicas e de responsabilidade social. Uma das importantes contribuições do grupo foi o governo de São Paulo ter instituído a obrigatoriedade do uso de do cinto de segurança em veículos que salvou muitos olhos da perfuração e cegueira.

Em 1980 iniciamos a pós-graduação. Em 1983 defendemos tese de doutorado sobre efeitos do Tiotepa na superfície ocular. Em 1993 defendemos tese de livre-docência sobre efeitos da Mitomicina C, também, na superfície ocular. Trabalho pioneiro e importante, uma vez que a Mitomicina C hoje é usada de rotina nas cirurgias de glaucoma, refrativas e no tratamento clínico de tumores da superfície ocular. Tivemos a oportunidade de orientar mais de 25 teses de doutorado, cinco de mestrado e hoje temos cinco alunos terminando as suas teses de doutorado. De 1993 a 2001 tivemos a oportunidade, como médico assistente da Oftalmologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), de desfrutar do melhor momento daquela instituição: o crescimento da Oftalmologia que se tornou centro de referência Nacional e Internacional. No HC da FMUSP assumimos a chefia do Setor de Lentes de Contato e depois do Setor de Córnea e Doenças Externas Oculares. Fomos presidente do Departamento de Oftalmologia da APM, duas vezes secretário, uma vez vice e agora presidente do CBO. Somos delegado do CREMESP há mais de dez anos e, no momento, professor associado da Faculdade de Medicina da USP.

CBO: Como o senhor chegou ao posto de Coordenador do Curso Credenciado da Universidade de São Paulo?

MRA: Há três anos, no momento em que o professor Remo Susana Jr. assumiu a titularidade da Oftalmologia da FMUSP, fomos por ele convidado para cuidar com carinho do Programa de Oftalmologia do Curso Credenciado da USP. As recomendações do Prof. Remo incluíram tanto o desenvolvimento de um programa que facilitasse a formação de liderança como uma re-estruturação da grade curricular com ênfase na aquisição de habilidades cognitivas e cirúrgicas que também valorizasse a parte acadêmica, despertando o interesse dos residentes pela realização de pesquisas e publicação de trabalhos científicos.

CBO: Quais são os critérios para a escolha do médico a ingressar no Curso Credenciado?

MRA: Os médicos residentes ingressam na Oftalmologia do HCFMUSP por concurso. Os cursos mais estruturados são os credenciados pelo CBO e ligados à universidades estaduais ou federais, por serem os mais procurados selecionam os melhores alunos. Como esses cursos oferecem melhores condições para o desenvolvimento profissional desses médicos, certamente, formam profissionais melhor preparados.

CBO: Como o senhor avalia o ensino da oftalmologia em uma era conhecida pela rápida transformação tecnológica e digital?

MRA: O Curso Credenciado do HCUSP dispõe de maravilhosa biblioteca, oferece aos residentes acesso às revistas oftalmológicas nacionais e internacionais, tem excelente estrutura para a realização de palestras e videoconferências, disponibiliza acesso à todas as mídias, etc. Hoje no HC da FMUSP, professor e alunos dispõem de todos esses avanços tecnológicos e constroem o aprendizado conjuntamente. Ambos obtém atualização em tempo real. Você fala alguma coisa e instantaneamente um residente, no seu tablet ou smartphone, checa a informação online. Ou seja, a atividade de ensino deixou de ser atividade estática como era na nossa época de residente de Oftalmologia.

CBO: De acordo com a Comissão de Ensino do CBO, os seus alunos conquistaram a média de 8,49 na realização dos três exames da Prova Nacional de Oftalmologia 2014. Na avaliação do senhor, quais são as principais características desta turma?

MRA: As turmas do Curso Credenciado de Oftalmologia do HC da FMUSP têm características muito interessantes: primeiro, o dia de deles começa antes das 7 horas da manhã e só termina por volta das 20 horas. Então, são seguramente os residentes que mais trabalham no Brasil. Trabalham no atendimento de pacientes no ambulatório geral e de subespecialidades da Oftalmologia. Metade do tempo estão no centro cirúrgico e PS. Então quando você faz o levantamento e compara o número de pacientes atendidos e cirurgias realizadas por eles, não há possibilidade alguma de qualquer outro grupo de residentes "trabalhar" mais do que eles. Além disso, participam de muitas campanhas comunitárias, como por exemplo, "Visão do Futuro" e outras que a FMUSP realiza. Então, primeiro, é a formação no aprendizado prático do atendimento, no desenvolvimento de habilidades cirúrgicas e propedêuticas e, segundo, que é muito importante, estudar para realizar a Prova Nacional de Oftalmologia CBO/AMB. O grupo atual reconheceu a importância de estudar para a realização da prova porque assimilaram que esse resultado valoriza muito mais cada um deles e todo o grupo.

CBO: Se o senhor tivesse que definir, em uma palavra, este grupo, qual seria?

MRA: A diferença é que eles estudaram para fazer a prova. Na prática, eles não são muito diferentes dos ex-alunos dos cursos anteriores do HC da FMUSP. Estes foram motivados para estudar também focando a realização da prova CBO/AMB. A palavra que designa este grupo é "competência".

CBO: O que esperar do Curso Credenciado da USP para os próximos anos?

MRA: O próximo passo é fazer com que os alunos se envolvam mais com pesquisa, para que no final da residência os que tiverem vocação acadêmica possam iniciar a pós-graduação, ou seja, diminuir a distância entre o término do curso de aprimoramento e o início efetivo na pós-graduação. O curso credenciado do HC da FMUSP está se internacionalizando o que deverá facilitar o intercambio dos nossos alunos com os de serviços oftalmológicos de outros países.

CBO: O senhor acredita que o médico jovem, que acaba de finalizar o curso e passou os últimos (no mínimo) nove a dez anos estudando, irá querer ingressar sem descanso no seu doutorado?

MRA: A questão é de ter vocação acadêmica. Você têm profissionais que querem terminar o curso credenciado e partir para a vida prática. Estes são médicos que por escolha própria escolhem a entrada imediata no mercado de trabalho, para eles a vida acadêmica ou o doutorado não interessa. Para os que têm vocação acadêmica é fundamental continuar associado à serviço oftalmológico de preferência ligado à universidade. Estes sabem que a melhor maneira de conseguir um contrato de trabalho em instituição acadêmica é se matricular num programa de doutorado, depois se preparar para fazer a livre-docência e depois chegar a professor associado.

CBO: O senhor continuará liderando o curso...

MRA: Neste ano de 2014 com certeza! No próximo ano, o Professor Remo certamente levará em conta o nosso desempenho e o do grupo de residentes do terceiro ano atual, para decidir. Tenho a convicção de que o desempenho desse grupo atual não desapontará o professor. Penso que a coisa mais importante na vida acadêmica, da maneira como eu vejo, é ter a oportunidade de trabalhar nas duas pontas: fazer pesquisa e ter atividade didática. Então, quem tem a possibilidade de trabalhar com a transmissão de conhecimentos, proferindo aulas e ao mesmo tempo estar envolvido com pesquisas, não sente o tempo passar porque o acompanha, o que é muito importante!

CBO: Agora, como presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, como o senhor avalia o nível de ensino dos Cursos Credenciados pela Entidade, já que eles são responsáveis pela aprovação de 73,87% (entre os 287 alunos presentes no ato do exame)?

MRA: Quando você compara o rendimento dos cursos credenciados na prova CBO/AMB e observa que a média de aprovação dos nossos residentes é sempre muito mais alta que a dos outros cursos, vemos que todos temos que trabalhar duro para aumentar também o desempenho dos cursos não credenciados pelo CBO.



CBO irá promover Exame Especial para obtenção do Título de Especialista


O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) irá promover o Exame de Suficiência em Categoria Especial para a obtenção do Título de Especialista CBO/AMB. O exame, aplicado em caráter excepcional para médicos formados até 31/12/2003 e que ainda não são titulados, foi aprovado pela Associação Médica Brasileira (AMB).

O exame de suficiência será aplicado em 03/09/2014 durante o primeiro dia de atividades do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado em Recife-PE. A realização desta prova não está vinculada com a participação do candidato no devido Congresso.

Clique aqui e acesse o vídeo com a secretária-geral do CBO, Keila Miriam Monteiro de Carvalho, que fala sobre os principais objetivos desta iniciativa e os principais benefícios para o médico que conquista o direito ao Título de Especialista.

Para acessar o edital completo, assim como gerar o boleto para o pagamento e a ficha de inscrição basta clicar aqui.


CBO cria a Comissão de Saúde Suplementar


*Entrevista da semana

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia criou, no começo deste ano, a Comissão de Saúde Suplementar (CSS). Esta iniciativa da entidade tem como objetivo qualificar e uniformizar todas as estratégias de negociação entre as operadoras de saúde e os médicos oftalmologistas, buscando proporcionar novo patamar de valorização das prerrogativas profissionais e inclusão de procedimentos na cobertura obrigatória.

A nova Comissão de Saúde Suplementar incorporou as atividades da Federação das Cooperativas Estaduais de Serviços Administrativos em Oftalmologia (FeCOOESO), ou seja, já nasceu com know-how diferenciado para a negociação com as principais lideranças das operadoras de saúde de todo o País.

Os médicos oftalmologistas Carlos Heler Ribeiro Diniz e Marco Antônio Rey de Faria são os Coordenadores da CSS. O corpo de integrantes da Comissão é completado pela atual diretoria do CBO, formada por Milton Ruiz Alves, Renato Ambrósio Júnior, Keila Monteiro de Carvalho, Leonardo Mariano Reis e Mauro Nishi, além de Fabíola Mansur de Carvalho, Frederico Valadares de Souza Pena, Nelson Louzada, Newton Andrade Júnior, Paulo César Silva Fontes e Reinaldo Flávio da Costa Ramalho.

Na entrevista abaixo, Reinaldo Flávio da Costa Ramalho faz um balanço das principais atividades da nova Comissão de Saúde Suplementar e sua importância para o cenário das negociações entre médicos e operadoras de saúde. Além disso, reforça as principais metas a curto, médio e longo prazo que serão adotadas para potencializar o fortalecimento das prerrogativas profissionais dos médicos oftalmologistas.

CBO: O que é a Comissão de Saúde Suplementar do CBO? Por que ela foi criada?

RR: Motivado pela necessidade de defender os interesses e prerrogativas profissionais da Oftalmologia frente ao crescente mercado de saúde suplementar, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia compôs grupo de profissionais com relevante expertise na área. Desta maneira, a entidade passa a contar com segmento específico voltado para atuação efetiva frente à finalidade proposta.

CBO: No cenário atual, como vocês avaliam a relação entre as operadoras de saúde e os médicos oftalmologistas?

RR: O Brasil conta hoje com cerca de 50 milhões de usuários portadores de planos privados de assistência à saúde, ou seja, ¼ de sua população possui alguma forma de convênio médico. Neste sentido, frente a mercado tão amplo, o que se observa em diversos casos são critérios de análise de solicitações por auditorias destituídas de subsídio técnico e total descompasso nos valores praticados para abono de eventos oftalmológicos. Tal cenário provoca, não raras vezes, animosidades na relação prestador/operadora e que em nada beneficia o paciente.

CBO: Qual a importância de uniformizar, em uma comissão, todo o pensamento e as principais ações de trabalho em benefício da oftalmologia junto às operadoras de saúde? Como isso será feito?

RR: A convergência de diversos pontos de vista na construção de uma linha de pensamento uniforme constitui premissa básica do grupo criado. A parceria da FeCOOESO, com sua consolidada experiência no campo de defesa profissional e, CBO, oferecendo suporte, respaldo político e credibilidade científica, visa propiciar maior número de benefícios aos seus associados.
As principais atividades da Comissão se resumem em estabelecer diálogo com os principais players do mercado (Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS, operadoras, prestadores), assumindo o papel de facilitadora em negociações, contribuindo com protocolos atualizados e indicadores do setor, oferecendo assim substrato técnico para discussão, seja por meio de canais de comunicação estruturados ou de forma presencial.

CBO: Na visão dos doutores, qual será o enfoque para facilitar o diálogo entre as partes com o objetivo de garantir que mais procedimentos oftálmicos sejam cobertos, além de valorizar o pagamento por consulta oftalmológica?

RR: O CBO e a FeCOOESO estarão dando continuidade e aprimorando junto às Sociedades de sub-especialização, todo o processo de inclusão e exclusão de procedimentos oftalmológicos junto a CBHPM. A cada dois anos, o Rol de Procedimentos da ANS, sofre atualizações oriundas de decisões tomadas em reuniões, das quais fazem parte representantes de Sociedades de Especialização e entidades médicas, a saber, AMB, CFM, FENAM, além da ANS e dos Grupos que representam as Operadoras de Plano de Saúde Suplementar.

CBO: Existem fatores determinantes em cada Estado que diferenciam a negociação entre as principais operadoras de saúde (no quesito regional) e os médicos. Como a comissão pretende eliminar estas dificuldades e conseguir os resultados esperados?

RR: Diferenças regionais na precificação de alguns eventos podem ser acatadas em razão de tributações distintas, custo de frete de insumos, etc. Porém, o que não pode ser admitido são discrepâncias relevantes, principalmente no que tange a aviltamento de honorários. A criação de indicadores referenciais para procedimentos gerenciados ("pacotes"), itens de propedêutica e honorários visa balizar o setor eliminando assim as distorções.

CBO: Falando em resultados esperados, quais são eles a médio e longo prazo?

RR: Os canais de comunicação já estão sendo criados. Portanto, podemos prever em médio prazo ofertar aos associados CBO amplo material de suporte, para que possam distinguir que eventos assumiriam caráter de cobertura obrigatória, quais seriam os dispositivos legais e valores médicos de mercado relacionados aos mesmos, quais seriam os valores médios de mercado, para que somente assim, possam obter negociações justas, alicerçadas pelas melhores referências disponíveis. Podemos afirmar inclusive que já contamos com ações de curto prazo, através de cursos presenciais inseridos na grade curricular dos principais congressos oftalmológicos que irão ocorrer neste ano em nosso País.
Em longo prazo, esperamos inserir nos cursos de residência médica em Oftalmologia reconhecidos pelo CBO, disciplina obrigatória que contemple os principais aspectos do mercado de saúde suplementar. Afinal, é fato inconteste que o profissional recém-formado invariavelmente passará a representar um player deste cenário.

CBO: A Comissão irá trabalhar conjuntamente com as COOESOS estaduais? Como será essa divisão de atividades? Qual o papel das COOESOS estaduais?

RR: Sim, a Comissão irá trabalhar em conjunto com as COOESOS estaduais. Na realidade, nossa principal intenção é que elas atuem de maneira sinérgica, ou seja, assumindo o papel de multiplicadoras de informações. Já de muito, as COOESOs Estaduais têm como principal objetivo atuar de forma eficaz, representando um máximo possível os médicos da região, na luta por melhorias e condições de trabalho minimamente aceitáveis. Pleitos como valorização da consulta, pagamento em dobro de honorário (quando cabível) e fornecimento de próteses e órteses são apenas algumas das muitas bandeiras hasteadas pelas Cooperativas Estaduais de Serviços em Oftalmologia na valoração do ato médico.

CBO: Como o oftalmologista interessado pode contribuir com esta Comissão?

RR: Simples. Inicialmente o mesmo deve estar em dia com a sua contribuição anual junto ao CBO. As assembleias realizadas periodicamente pelas COOESOs regionais têm também como objetivo, a abertura de espaço para debate e elaboração de estratégias que visem o melhoramento da relação médico x convênio, entre outras mais. Todo oftalmologista interessado em participar, será bem-vindo, tendo sua opinião ouvida e discutida. O que for definido será levado a Comissão como proposta e base de defesa no interesse comum da classe oftalmológica.

CBO: Alguma informação importante que deve ser ressaltada?

RR: O número de beneficiários de planos privados de assistência privada à saúde se encontra em franca expansão. Tal comportamento sustenta a necessidade de ampliação da rede credenciada existente. Em meio ao cenário político atual, não podemos descartar que se a Optometria não médica for incorporada em protocolo do Sistema Único de Saúde (SUS) pode ocorrer pressão, por parte das operadoras, para a atuação desta classe na área de saúde suplementar. Desta forma, torna-se uma obrigação desta comissão reforçar a necessidade irrefutável de concurso do médico oftalmologista no tratamento das afecções oculares. Somente este profissional poderá garantir atendimento de qualidade, sem colocar em risco a saúde ocular da população.


Inscrições abertas para os concursos culturais do Congresso. Participe!


Programação social do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa conta com grande novidade: os Concursos Culturais.

Neste ano, os oftalmologistas inscritos no principal evento da Especialidade no País, que será realizado de 03 a 06 de Setembro, no Recife-PE, poderão participar de dois concursos, sendo o primeiro exclusivo para fotografias e o segundo de Casos e Prosas na Oftalmologia.

Nomeado "Um dia na vida do oftalmologista", o concurso de fotografia tem como objetivo primordial o aumento da percepção da sociedade para a importância do trabalho do oftalmologista, que previne a cegueira e reabilita a visão diariamente, em condições favoráveis e não favoráveis.

Para participar é necessário produzir uma fotografia relacionada ao tema proposto, acompanhada por legenda de até 1.000 caracteres (com espaço) sobre a história da foto. A legenda deve ser enviada em material anexo em Word, em letra TIMES NEWS ROMAN -12, em página A4 e deverá ser escrita pelo próprio colega e assinado com um pseudônimo.

As fotos serão publicadas no facebook do CBO, quando será aberta a votação popular por meio do botão "curtir". A foto vencedora nas redes sociais receberá 01 (um) ponto e sairá na frente na votação final durante o Congresso.

Prêmios do concurso de Fotografia:

Primeiro prêmio: Uma maquina fotográfica DLSR (utilizada por profissionais de fotografia).
Segundo prêmio: Inscrição no XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia - 2015.
Data final para o envio do material: 30 de junho de 2014

Acesse o site do Congresso e confira as normas e como enviar as fotografias para participar do evento. Participe!


Concurso cultural CBO/Softalpe/Cooeso-PE de Casos e Prosas na Oftalmologia


Você é médico oftalmologista, está inscrito no Congresso e possui uma história engraçada e verídica que aconteceu em algum determinado momento de sua carreira profissional? Que tal compartilhar este "causo" da oftalmologia com os colegas e ainda concorrer a prêmios como um iPad e a inscrição no próximo XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia em 2015?

O Concurso "Casos e Prosas na Oftalmologia" foi elaborado com o objetivo de incentivar os colegas para as produções culturais, valorizando casos curiosos e interessantes da cultura regional. Possui a inscrição limitada a um trabalho por médico oftalmologista.

Para participar do concurso é preciso enviar o "causo" para o e-mail contato@cbo2014.com.br com as seguintes informações: O trabalho deve ser encaminhando em arquivo anexo em Word, com letra TIMES NEW ROMAN - 12, em páginas A4, contendo até 2.500 caracteres (incluindo espaço) e assinado com um pseudônimo.

Prêmios do Concurso Casos e Prosas na Oftalmologia

Primeiro prêmio: um Ipad
Segundo prêmio: Inscrição no XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia - 2015
Data final para o envio de material: 30 de junho de 2014

Acesse o site do Congresso e confira as normas e como enviar as fotografias para participar do evento. Participe!


Prazo para o envio de trabalhos científicos no XXI Congresso acaba dia 20/03


A Comissão Científica do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia da Língua Portuguesa, reforça aos interessados que o prazo para o envio de Curso de Instrução, Trabalho Científico, Relato de Casos e Vídeos acaba em 20 de março de 2014. Para inscrever qualquer trabalho é necessário estar inscrito no Congresso.

As normas para o envio de Temas Livres e Relatos de Casos podem ser acessadas aqui

Clique aqui e conheça as normas para o envio de Cursos de Instrução e aqui para as normas de envio de vídeos.


Uso dos óculos escuros é importante também no outono



Oftalmologista aconselha o uso dos óculos de sol para a proteção da sua saúde ocular

Com a chegada do outono o clima passa a ficar mais ameno e o sol não aparece com aquela força extrema do verão. Nesta gostosa estação é importante reforçar que mesmo com a possível redução da exposição direta aos raios provenientes do sol, é fundamental o uso dos óculos escuros para proteção dos olhos contra os raios ultravioletas (UV).

Acontece que mesmo entre nuvens ou em um dia nublado, em todas as estações do ano, qualquer iluminação que encontramos durante o dia procede dos raios UV e o seu excesso é prejudicial. "Não, esta é uma confusão comum. As pessoas acham que os óculos devem proteger apenas do sol. Qualquer iluminação que nós encontramos durante o dia, ela provém de raios solares, mesmo que o sol em questão esteja coberto por nuvens ou em um dia nublado", afirma o médico oftalmologista Tubertino Monteiro.

O uso dos óculos escuros para proteção é recomendado para todas as idades. As doenças dos olhos acontecem por exposição aos raios solares tanto de forma aguda, quando jovens, ou mesmo por exposição prolongada durante os anos de vida, então os idosos também desenvolvem doenças relacionadas a essa exposição. "O quanto antes evitar, com proteção, esses raios nocivos, melhor para nossos olhos", complementa.

É importante deixar claro que a lente mais escura não necessariamente oferece maior proteção contra os raios UV. O consumidor deve ficar atento ao nível de proteção contra a radiação UVA e UVB que as lentes oferecem. Normalmente este índice é informado no ato da compra, seja no adesivo fixado aos óculos ou em livretos que contêm as informações técnicas do produto. Sempre procure estas informações no ato da compra e jamais a execute em estabelecimentos não credenciados ou no comércio ambulante.

"As pessoas acabam confundindo e acham que os óculos, simplesmente por eles serem mais escuros, já oferecem proteção contra os raios solares e isso não é verdade. Mesmo os óculos que são transparentes e contém o grau, eles precisam ter proteção contra os raios solares. Então, o importante, antes de tudo, é saber se os raios nocivos estão sendo bloqueados e filtrados pela lente e isso não significa que ela tem que ser a mais escura", finaliza.

As doenças oculares com influência da alta exposição aos raios solares são:

Na conjuntiva: conjuntivite crônica
Córneas: ceratite, pterígio;
Cristalino: presbiopia precoce e catarata;
Retina: degeneração macular relacionada à idade.


Clique aqui e confira a matéria na íntegra sobre os perigos da exposição dos olhos aos raios solares, elaborada pela RPCTV, afiliada à Globo no Paraná, que contou com a participação do médico oftalmologista Tubertino Monteiro.


Ação social beneficiará 700 pacientes com deficiência visual



Terapeutas Visuais que vão colaborar no projeto de ação social no Recife

Os oftalmologistas já marcaram na sua agenda e reservaram os dias 3, 4, 5 e 6 de setembro para a participação no XXI Congresso de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual aliado ao II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, principal evento científico da Especialidade em 2014. Antes disso, será realizada, de 7 a 11 de abril, a ação social multidisciplinar integrada "A Visão do meu Olhar". O evento conta com o apoio do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, que será representado por Keila Monteiro de Carvalho, secretária-geral da entidade.

O objetivo desta ação é beneficiar 700 pacientes com deficiência visual de Recife, cadastrados no Instituto de Cegos Antônio Pessoa de Queiroz (IAPQ), Associação Pernambucana dos Cegos (APEC) e Associação Beneficente de Cegos do Recife (ASSOBECER), e facilitar o acesso ao atendimento oftalmológico e terapêutico multidisciplinar especializado, sem ônus ao paciente.

Os atendimentos serão realizados nas novas instalações do Centro Especializado em Reabilitação "Menina dos Olhos", da Fundação Altino Ventura e atende às necessidades do Projeto "Viver sem Limites", do Ministério da Saúde (MS).

Outra finalidade da ação é aumentar a consciência pública sobre a importância da promoção da atenção a saúde ocular e de agravos a visão de pacientes com deficiência visual. Haverá a parceria das Secretarias de Saúde e Educação do Estado de Pernambuco, Secretaria de Saúde e Educação de Recife, além de outros parceiros do governo e da sociedade. A participação dos oftalmologistas, terapeutas e voluntários será ativa.

A solenidade de abertura da ação "A Visão do meu Olhar" será realizada às 07h30min. do dia 7 de abril, no Centro Especializado em Reabilitação "Menina dos Olhos", localizado na Avenida Mauricio de Nassau, 2075 - Iputinga, Recife-PE.


Ação Social beneficiará 700 pacientes com deficiência visual no Recife



Equipe de 19 médicos e 16 terapeutas atendem pacientes com visão subnormal e cegueira inscritos no projeto


Está sendo realizado, nas novas instalações do Centro Especializado em Reabilitação "Menina dos Olhos", no Recife-PE, a ação social multidisciplinar integrada "A Visão do meu Olhar", com o apoio do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e que visa beneficiar 700 pacientes com deficiência visual na região, promovendo acesso a atendimento oftalmológico e terapêutico multidisciplinar especializado, sem ônus ao paciente.

As atividades são realizadas diariamente, das 7h30min às 17 horas, por uma equipe de 19 médicos e 16 terapeutas de diversas áreas de atuação. Haverá, ainda, a doação de equipamentos ópticos e não ópticos para os pacientes que apresentem necessidade. Os atendimentos são voltados para os pacientes previamente inscritos no projeto e com diagnóstico prévio de deficiência visual, o que significa pacientes com visão subnormal e cegueira.

"O objetivo desta ação pioneira é aumentar a consciência pública sobre a importância da promoção da atenção a saúde ocular e de agravos a visão de pacientes com deficiência visual. Há, também, a parceria das Secretarias de Saúde e Educação do Estado de Pernambuco, Secretaria de Saúde e Educação de Recife e outros parceiros do governo e da sociedade, além da ativa participação de oftalmologistas, terapeutas e voluntários", afirma Liana Ventura, uma das idealizadoras do evento e presidente do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, que será realizado de 3 a 6 de setembro, no Recife.

A ação social multidisciplinar integrada "A Visão do meu Olhar" atende às necessidades do Projeto Viver sem Limites, do Ministério da Saúde (MS) e será encerrada em 11 de abril.


Exame de Suficiência para obtenção do Título de Especialista ainda com inscrições abertas



* Entrevista da Semana

*IMPORTANTE: PRAZO PARA A INSCRIÇÃO DO EXAME DE SUFICIÊNCIA EM CATEGORIA ESPECIAL PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA CBO/AMB FOI PRORROGADO ATÉ 25 DE ABRIL DE 2014. NÃO PERCA ESTE NOVO PRAZO E REALIZE SUA INSCRIÇÃO AGORA MESMO! CLIQUE AQUI E ACESSE O EDITAL



O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) irá aplicar, em 03 setembro de 2014 -durante o primeiro dia do Congresso de Recife-PE -, o Exame de Suficiência em Categoria Especial para obtenção do Título de Especialista CBO/AMB para médicos formados em Medicina  até 31/12/2003, isto é,  mínimo de 10 anos de graduado. Os aprovados nesta prova especial terão direito de solicitar o Título de Especialista CBO/AMB, titulação deveras importante e pré-requisito solicitado pelas principais operadoras de saúde no ato da contratação do médico especializado.

A Secretária-Geral do CBO, Keila Monteiro de Carvalho, em entrevista abaixo, faz breve análise da importância desta prova para os médicos não titulados e reforça que as inscrições continuam abertas até o dia 15 de abril de 2014, data limite estipulado no edital.

CBO: O que é o Exame de Suficiência em Categoria Especial para obtenção do Título de Especialista?

KMC: O exame surgiu de uma iniciativa da Diretoria do Conselho Brasileiro de Oftalmologia com a finalidade de proporcionar, aos médicos formados há no mínimo 10 anos, a possibilidade de comprovar os seus conhecimentos teóricos e práticos, por meio de duas provas, com o objetivo de conquistar o direito ao Título de Especialista em Oftalmologia CBO/AMB.

CBO: Por que este Exame especial foi idealizado?

KMC: Historicamente a Prova Nacional de Oftalmologia (PNO) é realizada no início de cada ano. Em 2014, A PNO foi aplicada no final de janeiro e contou com a participação de 603 candidatos do País inteiro. Acontece que a única forma do médico estar apto para receber o Título de Especialista CBO/AMB é sendo aprovado neste exame e ele acontece apenas uma vez no ano. Por conta disso e para valorizar os colegas que exercem a especialidade e não conseguiram realizar a inscrição na PNO 2014 (ou não conquistaram a aprovação no exame), será aplicado, em 03 de setembro de 2014, no primeiro dia de realização do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, o Exame de Suficiência para a obtenção do Título de Especialista.

CBO: Quais os principais objetivos que o CBO pretende alcançar com a realização deste exame?

KMC: Pretende-se aumentar o número de Especialistas em Oftalmologia devidamente certificados e aptos a oferecer o melhor atendimento à população, sempre objetivando a excelência no atendimento. Pretende-se também facilitar aos oftalmologistas maiores opções no mercado de trabalho, lembrando que hoje já é pré-requisito ter o Título de especialista CBO/AMB para filiação aos planos de saúde.

CBO: Quais são os critérios estabelecidos para o médico realizar a inscrição do Exame de Suficiência?

KMC: O CBO conseguiu, junto à Associação Médica Brasileira (AMB), autorização para que o critério de inscrição, anteriormente fixado para médicos formados há até 15 anos fosse reduzido para 10 anos. Com isso, abriu-se a oportunidade para que mais colegas sem o Titulo de Especialista possam realizar a inscrição e prestar a prova, ou seja, os médicos com graduação em Medicina finalizada até 31/12/2003 (data do diploma) estão aptos a inscrição. Além disso, é necessário comprovar o mínimo de 08 anos (em relação à data de aplicação do Exame de Suficiência que será em 03 de setembro de 2014) de atuação como médico exercendo a Oftalmologia em instituição, serviço público ou privado.

CBO: Qual o prazo final para o envio da documentação necessária para a realização da inscrição?

KMC: O prazo para a inscrição termina em 15 de abril de 2014, como consta no Edital, publicado no site do CBO na internet. Para completar corretamente a sua inscrição é necessário que a documentação, composta pela ficha de inscrição preenchida e assinada mais uma foto 3x4, comprovante de pagamento da inscrição, cópia autenticada da identidade médica do CRM definitivo, cópia autenticada do Diploma de Médico que comprove graduação em Medicina até 31/12/203 e cópia autenticada de documento(s) da comprovação mínima de oito anos como médico na área de Oftalmologia em instituição/serviço público ou privado, seja encaminhada ao Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Rua Casa do Ator, 1117 ? conjunto 21 ? exclusivamente por Sedex, A/C Comissão de Ensino ? Ref: "Exame Categoria Especial" -. Qualquer dúvida, clique aqui e acesse o Edital.

CBO: Onde será aplicado o exame e como ele é será dividido?

KMC: O Exame será dividido em duas provas, sendo a primeira a Prova Teórica, que consiste de 40 questões de múltipla escolha sobre a oftalmologia clínico-cirúrgica, baseadas na bibliografia indicada. A segunda será a Prova Teórico-Prática, que também consiste em 40 questões de múltipla escolha a partir da análise de imagens referentes a estudo de caso, baseadas também na bibliografia indicada. O exame completo terá duração de três horas e será realizado em 03 de setembro, na Avenida Professor Andrade Bezerra, s/n - Salgadinho, Olinda-PE, no Centro de Convenções de Pernambuco.

CBO: Como acessar e quando serão disponibilizados os resultados deste exame? Qual a sua nota mínima para a aprovação?

KMC: De acordo com o Edital, o gabarito preliminar será divulgado exclusivamente no site do CBO, em 04 de setembro. O gabarito final e a consulta ao resultado serão divulgados também pelo portal do CBO, mas a partir de 20 de outubro de 2014. Será considerado aprovado no Exame o candidato que obtiver, nas provas Teórica e Teórico-Prática, média igual ou superior a 6,5 (seis e meio), desde que obtenha nota mínima de 6,0 (seis) em cada uma das provas. Não há arredondamento de notas.

CBO: Este exame será aplicado novamente no ano que vem ou existe alguma previsão de quando ele voltará a ser aplicado?

KMC: Há intenção desta Diretoria de prosseguir com esse tipo de Exame de Suficiência anualmente, sendo sempre realizados nos Congressos anuais da entidade. Acesse sempre o site CBO onde o colega poderá obter informações atualizadas.


Cuidados com a limpeza das lentes de contato


Com o alto valor investido em pesquisa anualmente, a tecnologia para a correção visual por meio de lentes de contato (LC) vem se aperfeiçoando com rapidez e o seu uso é cada vez mais praticado pela população, principalmente pelo conforto que as lentes oferecem e a possibilidade de intercala-las com os óculos convencionais.

É preciso reforçar aos usuários sobre a limpeza das LC, o respeito ao seu prazo de validade e de descarte das lentes gelatinosas. Os cuidados com a higiene do estojo também são fundamentais para manter a conservação das LC e a saúde dos olhos. Como a lente fica exposta diretamente ao ambiente, é bastante comum a concentração de muco e demais secreções, o acúmulo de cosméticos diversos (maquiagens) ou corpos estranhos, que podem causar lesão de córnea, infecções, a redução do conforto com as lentes e, com isso, influenciar na continuidade de seu uso. Em ocasiões extremas pode levar até a cegueira, portanto, sempre siga as dicas de limpeza abaixo:

1- É fundamental realizar a limpeza assim que as lentes são retiradas;

2- Procure criar uma rotina, como escovar os dentes, por exemplo, para realizar a limpeza todos os dias, sem exceção;

3- Produtos de limpeza para lentes gelatinosas podem ser utilizados em lentes rígidas, mas nunca o contrário;

4- Lave sempre bem as mãos. Secar bem e tomar cuidado com os possíveis fiapos que possam restar deste ato de limpeza;

5- Cuidado com as unhas, principalmente para não danificar as lentes;

6- Examine sempre as bordas das LC antes de coloca-las para verificar se não há rasgos nas bordas.



Limpeza das lentes de contato gelatinosas com solução multipropósito:

Com as mãos devidamente lavadas e secas, retire a lente de contato e a posicione na palma de sua mão. Após isso, aplique duas ou três gotas do produto de limpeza (existem diversos no mercado, com os preços entre R$ 43,00 a R$ 55,00, em São Paulo-SP) escolhido e friccionar levemente com o indicador por 20 segundos. Enxágue com o produto e coloque a lente no estojo com a solução por até seis horas. Não reutilizar o produto em nova limpeza.

Limpeza das lentes de contato rígidas com solução multipropósito:

Com as mãos lavadas e secas, retire a lente de contato dos olhos, posicione na palma da sua mão e aplique o produto de limpeza (existem diversos disponíveis no mercado, com preços entre R$ 25,00 a R$ 60,00, em São Paulo-SP) escolhido e friccionar levemente com o indicador por 20 segundos. Enxágue com o produto e coloque a lente no estojo com a solução.



Para os usuários alérgicos aos produtos multipropósitos, aconselha-se o enxágue com soro fisiológico antes de colocar as LC nos olhos. Importante: Adquirir flaconetes (veja imagem acima) de soro fisiológico e descartá-lo após o uso.

Limpeza do Estojo

Pelo menos uma vez por semana, utilizar uma escova de dente infantil e aproveitar o próprio produto de limpeza para realizar a escovação do dispositivo. Evite, nesta ação, a água da torneira e procure escovar até os pequenos cantinhos, as bordas e a rosca do estojo. Troque de estojo após seis meses de uso.

Dicas importantes:

1- Ao guardar suas lentes rígidas, não as coloque de boca para baixo para não formar vácuo na LC, que pode facilitar a sua quebra na hora de retirar do estojo;

2- Não é recomendável a compra dos "estojos bonitinhos" para o armazenamento da lente. Por mais "fofos" que eles possam ser, é obrigatório encerrar o seu uso em até seis meses e descartá-lo. Procure os convencionais, pois você não vai ter apego nenhum com ele na hora de substituí-lo;

3- Respeite o prazo de validade das suas lentes de contato e nunca a ultrapasse. Sempre procure um oftalmologista. Qualquer dúvida, a Sociedade Brasileira de lentes de contato, córnea e refratometria (SOBLEC) reúne os principais especialistas em lentes de contato do Brasil.



Aluno da USP conquista a maior média da PNO 2014



Víctor Oriente alcança 9,11 e ganha a oportunidade de viajar para conhecer a ARVO

A Prova Nacional de Oftalmologia oferece cenário fértil para muitas histórias. Relatos de superação, do êxito, dos estudos diários com o objetivo de conquistar o direito de emitir o Título de Especialista CBO/AMB em oftalmologia e fazer parte da nata da Especialidade que escolheu para exercer durante toda carreira. Histórias também daquele quase, quando que por apenas uma questão, um desvio de atenção ou simplesmente por uma marcação errada no gabarito, que faz com que o candidato não alcance sua nota mínima. Narrativas de decepção...

Exemplos de sucesso não faltaram na edição da PNO 2014. Foram 311 candidatos aprovados e que, neste momento, já devem estar realizando ou se preparando para realizar a Prova Prática, último obstáculo a ser vencido antes de solicitar o Título de Especialista.

Entre todos esses 311 candidatos, Víctor Oriente se destacou. O médico, formado em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP), em 2009, não só foi aprovado como conquistou a maior média entre todos os candidatos, com 9,11 e será premiado com uma visita à The Association for Research in Vision and Ophthalmology (ARVO), viagem patrocinada pela Allergan. Para conquistar esta alta nota, o jovem focou basicamente em estudos em grupo e na tentativa de transformar esta atividade em um desafio cada dia mais interessante.

"Estudar para qualquer prova é uma tarefa árdua e para minimizar estes efeitos procurei fazer dos estudos um desafio mais interessante. Para isso, procuro sempre estudar em grupo e resolver o maior número possível de questões. Então, quando precisava estudar em casa e sozinho, já tinha adquirido ótima base que contribuía para tornar o estudo menos desgastante. Além disso, o estudo em grupo facilita o estímulo mútuo, ou seja, quando alguém está cansado o outro estimula a continuar estudando", relata.

A PNO é considerada, por alguns candidatos, um exame bastante difícil. Na visão do jovem médico esta afirmação é verdadeira, pois algumas questões cobram temas pouco comuns no dia a dia da prática oftalmológica das residências, porém, com dedicação ao estudo esta barreira pode ser vencida e foi vencida por 51,58% dos candidatos que prestaram o exame. "Além disso, a prova tem longa duração, o que pode contribuir para desconcentrar os candidatos", complementa.

* O Conselho Brasileiro de Oftalmologia elaborou nova formatação para a Prova Nacional de Oftalmologia 2015. Agora, a prova será realizada em 07 de fevereiro (Sábado). Mantém-se as três provas, porém, com redução de 300 para 220 no número de questões. Mais informações estarão disponíveis no Edital que será publicado no site do CBO em julho.

Como relatado em entrevista com o professor Milton Ruiz Alves (veja aqui), os alunos do Curso Credenciado da USP trabalham intensamente no atendimento ambulatorial e nas atividades de residência. De acordo com Oriente, este fato foi determinante para iniciar os estudos para a PNO apenas em outubro com aumento da intensidade em dezembro, após XVI Congresso de Oftalmologia da USP.

"Até outubro de 2013 mantive o foco nas atividades da residência, como o atendimento ambulatorial, reuniões clínicas e centro cirúrgico. Em meados de outubro comecei, junto com meus colegas, a estudar para a PNO. Nesse início percebemos o quanto a prova era difícil e que o caminho seria bastante árduo. No entanto só nos dedicamos totalmente ao estudo em dezembro, após o Congresso da USP. Iniciamos estudando as especialidades oftalmológicas e mais perto da prova, as matérias da parte básica. Sempre utilizamos a coleção de livros do CBO nos estudos, pois o material é bem completo e abrange tudo que é cobrado nas questões da prova", diz.

O curso da USP conquistou a maior média, entre os cursos credenciados pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, da PNO, com 8,49. Para o médico, o serviço é bem completo e foi um dos diferenciais para a alta média, já que possui o seu corpo clínico dotado de especialistas renomados e reconhecidos nacionalmente, além do Hospital das Clínicas, referência em São Paulo e no Brasil.

"O volume cirúrgico permite que ao final da residência você tenha realizado até 350 Facos, número expressivo para uma residência médica. No entanto acredito que o maior diferencial da USP seja a qualidade dos residentes, que permite que você conviva com alguns dos melhores do País, o que acaba te estimulando a se dedicar mais a oftalmologia", complementa Oriente.

Milton Ruiz Alves é o coordenador do Curso Credenciado da USP. O professor, sempre preocupado com o aprendizado de seus alunos, é um espelho para o jovem médico. "Mesmo sendo uma referência na Especialidade e requisitado tanto no Brasil quanto no exterior, ele nunca deixou de comparecer nas reuniões de terça-feira do grupo de Córnea e frequentemente ministrava aulas ao residente. Sem dúvidas é um grande exemplo para todos no curso e na oftalmologia também".

Assim que finalizar sua especialização em Retina, que está em andamento na própria USP, Oriente pretende buscar um estágio em Retina no exterior. Na volta, pretende trabalhar junto com sua mãe, que é oftalmologista e sócia do Instituto Pan-Americano da Visão, a maior clínica oftalmológica de Goiânia. Para finalizar, o médico compartilha dicas para quem pretende ter o mesmo sucesso na PNO 2015 e também no Exame de Suficiência (clique aqui e saiba mais) que será aplicado pelo CBO em 03 de setembro, no Recife.

"Uma pessoa que pretende ir bem à prova do CBO deve tentar tornar o estudo algo menos chato e mais dinâmico. Existem várias formas de conseguir esse objetivo, como resolver exercícios, estudar em grupo e sempre tentar correlacionar o tema estudado com algum paciente seu ou de algum colega. Com essas dicas e determinação para estudar, com toda a certeza você pode chegar lá!".


Data limite para o envio de trabalhos científicos para o CBO 2014 esgota-se em 16/04



Ainda dá tempo de contribuir com a grade científica do Congresso

Em setembro, a nata da Oftalmologia brasileira estará presente no Recife-PE, para participar do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa.

Elaborado para ser o maior evento científico da Especialidade no País em 2014, o evento oferecerá excelente ambiente para que o colega aprofunde e atualize os seus conhecimentos com o que existe de mais atual na Oftalmologia mundial. Além disso, outro fator fundamental do CBO2014 é a possibilidade de construir e aperfeiçoar o "networking", afinal, as principais referências científicas brasileiras estarão presentes no Congresso.

Contribuir com a grade científica de um evento com ímpar relevância para a Especialidade é fundamental para o currículo acadêmico de qualquer médico. Para isso, o CBO2014 oferece três oportunidades, isso não contando com os palestrantes, é claro: envio de Trabalhos Científicos/Relato de Caso, Curso de Instrução e Vídeos.

Não basta apenas ter a vontade de participar, é preciso enviar os trabalhos científicos de acordo com suas normas estabelecidas. A Comissão Executiva do Congresso estipulou a data de 16 de abril de 2014 como limite para aceitar as inscrições. Este prazo não será, de maneira nenhuma, prorrogado e o colega que o perder, infelizmente, deixará de contribuir com a grade científica deste importante evento.

Mais do que isso, deixará de ter a oportunidade de ter o seu caso avaliado e discutir sobre o tema com os oftalmologistas que estarão no evento, ou de ter o seu vídeo visto no Festival de Vídeos que será apresentado no Congresso.

Não deixe para a última hora e envie agora mesmo o seu trabalho e contribua com a grade científica do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, que será realizado no início de setembro, no Recife.


Evite que a comunicação CBO caia em sua caixa de lixo eletrônico de e-mail



O médico oftalmologista Reinaldo Ramalho, integrante da Comissão de Saúde Suplementar do CBO, gravou vídeo reforçando aos colegas os três diferentes meios de comunicação que são utilizados pela entidade com o objetivo de compartilhar as principais notícias relacionadas à saúde suplementar


O primeiro meio de comunicação é o site do CBO, o www.cbo.com.br, que a cada mês bate seu recorde de visualizações únicas. As redes sociais facebook e twitter também são utilizadas para compartilhamento de informações, com a retransmitindo, em pequenas chamadas, o que é publicado no portal do CBO. O terceiro veículo, e que requer maior atenção, é a newsletter, com o e-mail saudesuplementar@cbo.com.br. É importante avaliar, nos provedores de e-mail de cada oftalmologista, o conteúdo enviado neste e-mail como não SPAM e com isso impedir que essas importantes mensagens acabem caindo na CAIXA DE LIXO ELETRÔNICO, dificultando o seu êxito. Também é por meio deste e-mail que os associados CBO poderão enviar críticas, sugestões ou até mesmo tirar pequenas dúvidas com os expertises da comissão.

Clique aqui e veja o vídeo na íntegra, ou, se preferir, abaixo está a sua transcrição. Não esqueça: a comunicação só se torna eficiente quando chega corretamente ao seu público-alvo e é visualizada!

Atualmente mais de um quarto da população brasileira possui algum tipo de plano privado de assistência à saúde. Neste sentido e com a finalidade de atender às expectativas dos interesses da classe médica oftalmológica, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) criou a chamada Comissão de Saúde Suplementar, formada por especialistas com relevante experiência na área.

É muito importante e fundamental que o profissional, que o associado CBO participe deste processo. Neste sentido a entidade criou um e-mail específico para esta finalidade, que é o saudesuplementar@cbo.com.br. O colega poderá utilizar este e-mail para enviar críticas, sugestões e até mesmo tirar dúvidas. Suponhamos que o colega se depare com um caso onde há dúvida se existe cobertura obrigatória ou se há algum dispositivo legal relacionado. O e-mail será a solução para este impasse.

Um dos canais principais para a comunicação é o portal do CBO, talvez sobrepujado em importância apenas pelo Jota Zero. O colega terá acesso a todo o conteúdo do site por meio do www.cbo.com.br. Neste site o colega encontrará, além das notícias relevantes do setor, o menu da Comissão de Saúde Suplementar. Outro canal de comunicação é as redes sociais, onde todo o conteúdo publicado no site é também disponibilizado através do facebook ou do twitter. Também entraremos em contato por meio de newsletter. A Comissão de Saúde Suplementar enviará os assuntos de importância, relacionados ao setor, sempre por meio do e-mail saudesuplementar@cbo.com.br.

Como mensagem final é importante que o colega leia todos os e-mails provenientes do Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Para se ter uma ideia, em estudos recentes, a entidade comprovou que a menor eficiência, o menor êxito dos canais de comunicação se dá justamente pelas newsletters que são enviadas aos seus associados. Para tanto, é importante que a classe oftalmológica avalie se estes e-mails não estão caindo em caixa de SPAM ou lixo eletrônico.


E-learning CBO é reformulado e recebe novas aulas



Aproveite o feriado prolongado para conhecer o novo E-learning CBO 2014 e atualizar os seus conhecimentos em Refração e Catarata

O Programa de Educação Continuada do Conselho Brasileiro de Oftalmologia foi completamente remodelado e renovado para 2014. Agora, passa a apresentar aulas proferidas durante o principal evento da Especialidade, o XXXVII Congresso Brasileiro de Oftalmologia, que foi realizado no ano passado no Rio de Janeiro-RJ.

A nova ferramenta tem como objetivo facilitar o acesso e visualização das aulas, atualizadas e chanceladas por Especialistas em cada subespecialidade, a qualquer hora do dia. Neste novo formato, foi adicionado um menu lateral com todo o conteúdo disponível, com cabeçalhos separando os módulos, tornando rápido e fácil a troca de aulas.

O presidente do CBO, Milton Ruiz Alves, afirma que este novo modelo só foi possível graças ao compromisso dos médicos Especialistas em multiplicar os conhecimentos nas matérias. "O CBO agradece aos colegas que ministraram suas aulas no XXXVII Congresso e autorizaram o uso de sua imagem e apresentação. Esta iniciativa permite que o conhecimento seja compartilhado entre número cada vez maior de oftalmologistas e residentes, que passam a ter nova possibilidade para atualizar os seus conhecimentos", diz.

Acesse o site www.cboelearning.com.br - também é possível o acesso por meio do www.cbo.com.br e escolher o menu educação continuada > E-learning -, e confira seu novo portal e acessibilidade. Seu conteúdo completo é está disponível apenas para os associados CBO. Se você ainda não é associado, clique aqui e acesse o portal da anuidade 2014 e confira as modalidades de pagamento.

Os módulos de "Catarata" e "Refração", ambos com 14 aulas cada, estão liberados para o acesso. Nas próximas semanas, os módulos de Retina, Uveítes e Glaucoma também estarão acessíveis. Veja abaixo as aulas já disponíveis:

Catarata:

A escolha da lio - Marcelo Mendes de Faria;
Ametropia pós-operatória inesperada - João Marcelo Almeida Gusmão Lira;
Arquitetura da incisão - Víctor Paes Simoceli;
Catarata subluxadas - Sérgio Kwitko;
Como tratar com o paciente infeliz com a lente multifocal - Emir Amin Ghanen
Doenças maculares e deslocamento de retina após cirurgia de catarata - Nélson A. Sabrosa
Endoftalmite infecciosa e tass - Marcelo Antônio G. Tanure
Fixação de lio sem suporte capsular adequado - Eduardo Vieri
Lentes descentradas - Carlos Gabriel de Figueiredo
Prevenção e manejo da catarata branca intumescente - Virgílio Centurion
Proteção endotelial nas diversas situações - Alexandre Príncipe
Quando temos que trocar a lente intraocular - Miguel Zylberglajt
Tipos de bombas e parâmetros - Carlos Eduardo Borges Souza
Vitrectomia Anterior - Pedro Carlos Carricondo


Refração

Ametropia com estrabismo - Harley E.A Bicas
Anel intracorneano - Hamilton Moreira
Como prescrever anisometropia - Otávio Siqueira Bisneto
Atualidades nas lentes de contato tóricas - Saly Maria Bugmann Moreira
Como lidar com os pacientes insatisfeitos com a prescrição dos óculos - Celso Cunha
Correção do astigmatismo com lentes de contato gelatinosas - Eduardo Cukierman
Lentes de contato gelatinosas em ceratocone - Paulo Ricardo de Oliveira
Lentes oftálmicas e ceratocone - Telemaco Boldrim
Novas técnicas de transplante para a ceratocone - Penny A. Asbell
O uso correto da ciclopegia - Harley E. A. Bicas
O que é novo na prescrição de óculos na presbiopia - Marcus Vinicius Abbud Safady
O que tem de novo no tratamento de lentes - Marcus Vinicius Abbud Safady
Particularidades do sistema piggyback - Paulo Ricardo de Oliveira
Quando e como prescrever em baixa ametropias - Otávio Siqueira Bisneto


Problema ocular identificado ao publicar foto no facebook



É difícil mensurar o poder de uma rede social e o seu impacto direto na sociedade, principalmente pela gigante quantidade de dados compartilhados a cada minuto. Em matéria publicada pelo O Globo, em 05 de maio de 2013, mostra que a cada dia 300 milhões de fotografias são postadas apenas no facebook. A rede social também já ultrapassou a expressiva marca de 1 bilhão de usuários cadastrados, ou seja, a rede criada por Mark Zuckerberg, parece não ter limites.

Uma das principais vertentes que qualquer indivíduo busca ao criar um perfil e "existir" nesta rede social é a oportunidade de fazer e manter antigos amigos, além de criar grupos em comum. Foi justamente com a ajuda dos amigos, de um perfil na página social facebook, que a visão da pequena Rylee, de três anos, foi salva.

Tudo começou com a publicação, por parte de sua mãe, de uma foto na rede social da menina com um novo corte de cabelo. A imagem, que passou despercebida pela mãe no ato da publicação, automaticamente despertou a atenção dos demais amigos, que alertaram Tara, mãe da garota, que algo estava errado e que a menina tinha em seu olho direito um reflexo amarelado e não o reflexo vermelho comum a todas as fotografias com o uso do flash.

Com as ressalvas dos amigos, Tara voltou a realizar as fotografias para ver se não era nenhum defeito de iluminação na hora do flash e constatou que todas tinham o mesmo resultado. Correu então para o oftalmologista que detectou a doença de Coats, uma doença rara que resulta na dilatação dos vasos sanguíneos da retina e acúmulo de líquido no olho. Em longo prazo, esta doença pode causar perda da visão ou cegueira, geralmente unilateral.

Como a doença em sua filha foi identificada precocemente, o que dificilmente ocorre tão cedo nestes casos, a pequena Rylee já iniciou os tratamentos com Laser e, na medida do possível, minimizou os prejuízos que teria em sua saúde ocular.

Este é apenas mais um exemplo de como as redes sociais podem ser utilizadas para o bem comum de seus usuários.

Veja a matéria completa sobre o caso, publicado pela Sciences et Avenir. (material em Francês).


O olho humano e suas funcionalidades: a anatomia ocular



Conheça as diferentes partes do olho para que você compreenda melhor as doenças

Ontem apresentamos os anexos, conjunto de "guardiões" posicionados estrategicamente para a proteção dos olhos, dificultando o aparecimento de infecções e doenças, e que eles fazem parte do sistema ocular. Agora, antes de falar da visão e de como enxergamos, vamos conhecer um pouco mais sobre a anatomia ocular e suas principais características.

O olho está localizado dentro de uma cavidade óssea, apoiado em uma camada protetora de gordura que amortece eventuais impactos. A movimentação ocular se dá por meio de seis músculos existentes em cada olho. O paralelismo dos olhos é mantido através da ação sincronizada desses 12 músculos.

A anatomia do olho


Esclera: Parte branca do olho, opaca, responsável pela proteção ocular.

Córnea: Estrutura transparente localizada antes da íris (parte colorida do olho). A córnea permite a entrada de luz no olho, direcionando seus raios luminosos, e também atua protegendo-o, como se fosse o vidro de um relógio.

Coróide: Camada vascular do olho, de cor castanha escura; atua na nutrição.

Humor Aquoso: Líquido transparente situado entre a córnea e a íris e entre a íris e o cristalino; responsável pela pressão ocular e pela nutrição de uma parte do olho.

Íris: Disco colorido com um furo no meio (pupila); controla a quantidade de luz que entra no olho (semelhante ao diafragma de uma máquina fotográfica).

Pupila: Orifício central na Íris, popularmente chamado de ?menina do olho?, que regula a entrada de luz no olho. A pupila é controlada pela Íris e se dilata quando há pouca luz e se contrai quando há muita luz, permitindo um bom funcionamento da retina.

Cristalino: Lente biconvexa, transparente, situada atrás da pupila; atua direcionando os raios luminosos para a retina e, para tanto, é capaz de modificar seu formato.

Humor vítreo: Estrutura gelatinosa transparente que preenche a área localizada entre o cristalino e a retina; sua função é manter a forma do olho.

Retina: Camada interna do olho onde se localizam as células cones (responsáveis pela visão central e das cores) e células bastonetes (responsáveis pela visão periférica e noturna). Transforma os estímulos luminosos em elétricos.

Mácula: Área central da retina, onde se localizam os cones; é responsável pela visão mais apurada.

Nervo óptico: Conjunto de fibras que, partindo da retina, leva os estímulos elétricos até a área de visão no cérebro.

Nossa! Como vimo, o nosso olho possui funcionalidades únicas e existe apenas um profissional capacitado e especializado para entender cada uma delas: o médico oftalmologista. Não existe limite de idade para a consulta oftalmológica, ou seja, desde o nosso nascimento até a melhor idade, todos precisam cuidar dos olhos regularmente.

Na semana que vem traremos curiosidades de "como conseguimos ver", o desenvolvimento de nossa visão e a importância dos cuidados oculares no primeiro ano de vida. Até lá e ótimo final de semana a todos!

*Fonte: Conhecer & Enfrentar, OLHOS. Newton Kara José e Regina Carvalho Oliveira.


O olho e suas funcionalidades: o que são os anexos?



Site do CBO inicia série de matérias relacionadas ao olho e suas funcionalidades com o objetivo de disseminar o conhecimento para os cuidados deste importante órgão do corpo humano

O olho humano é um órgão maravilhoso, dotado de rara beleza e com traços únicos para cada indivíduo. Ele, quando saudável, é considerado a principal extensão que possibilita ao homem enxergar completamente o mundo que o rodeia. A visão é responsável por até 80% do contato do indivíduo com o que existe no exterior.

Mantê-lo saudável é fundamental para uma vida plena, portanto, é importante conhecê-lo. Com este objetivo, apresentaremos de forma bem simples um pouco de sua anatomia e principais características e, também, eliminar as dúvidas com os principais mitos e verdades relacionados à saúde ocular, em uma série de matérias diárias.

Antes de aprofundar os conhecimentos do olho em si, é importante começar pelos seus "guardas de segurança", que não são muito divulgados e que estão posicionados estrategicamente para a sua proteção e com isso dificultar o aparecimento de infecções e doenças. Eles são considerados anexos do olho. Conheça abaixo!


Pálpebras: As pálpebras são dobras (superior e inferior) que abrem e fecham deixando ou não o olho exposto. Têm como função espalhar a lágrima e proteger os olhos de traumas, luz e exposição ao meio ambiente. O piscar involuntário ocorre numa frequência de 12 vezes por minuto. Quando estamos em estado de atenção, este ritmo diminui muito; quando falamos ou movimentamos a cabeça, o ritmo aumenta. O piscar tem como finalidade proteger o olho contra objetos que se aproximam, distribuir o filme lacrimal sobre a córnea e remover restos de células e sujeiras depositadas sobre ela.

Cílios: Pelos curtos e finos que protegem os olhos, retendo as partículas de pó, poeira, fuligem, entre outros dejetos que são suspensos no ar.

Sobrancelhas: Pelos curtos que se situam na parte superior do globo ocular, cuja função também é de proteção.

Conjuntiva: Membrana fibrovascular que recobre a esclera na porção visível do olho e a área interna das pálpebras; sua elasticidade permite que os olhos se movimentem para os lados.

Gordura: O tecido gorduroso serve de proteção e preenche a cavidade óssea onde o olho se localiza.

Aparelho lacrimal: Composto pelas glândulas lacrimais (responsáveis pela produção da lágrima) e pelo conduto de escoamento da lágrima até o nariz.

Lágrima: Líquido produzido pelas glândulas lacrimais que tem como função lubrificar, nutrir e proteger a córnea e a conjuntiva, evitando também o atrito e seu ressecamento. Uma parte da lágrima evapora e a outra parte desce para o nariz.

Agora que você já conhece o que são e a importância dos anexos, não perca o texto de amanhã que irá falar sobre o olho e suas funcionalidades!

*Fonte: Conhecer & Enfrentar, OLHOS. Newton Kara José e Regina Carvalho Oliveira.


A palavra do Presidente



No momento, em que a saúde ocular agoniza e parece não mais responder aos impulsos eleitoreiros, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) estará protocolando junto ao Ministério da Saúde (MS), no próximo dia 7 de maio, Dia Nacional da Saúde Ocular, um conjunto de treze propostas para a expansão do atendimento oftalmológico através do Sistema Único de Saúde (SUS). O CBO, também, acaba de constituir grupo de estudo para avaliar, em regime de urgência, o modus operandis das "Carretas da Cirurgia de Catarata", iniciativa do MS que está provocando desativação de serviços que realizavam cirurgia de catarata na rede e tem preocupado, no Distrito Federal e em outras regiões do País, por irregularidades constatadas, os Ministérios Públicos e os Conselhos Regionais de Medicina locais.

Tudo isto no País que está transferindo para Cuba mais de R$ 5 bilhões por conta do "Programa Mais Médicos", que nos últimos cinco anos fechou 286 hospitais ligados ao SUS e deixou de utilizar, em 2012, cerca de R$ 17 bilhões dos recursos a eles destinados. E ainda, segundo a ONU, onde dirigentes coniventes com a corrupção apoderaram-se, em 2012, de R$200 bilhões da riqueza dos brasileiros, valor suficiente para construir e equipar 18 mil unidades básicas de saúde e amenizar o caos diante das portas dos hospitais públicos. Portanto, descabe insistir na infantil ideia de que a agonia na saúde pública se dá por falta de médicos. Os problemas atuais resultam das gestões desastradas do MS e refletem, inclusive, a diminuição da média anual de implantação de equipes do PSF, que caiu de 2.046, no início do programa, para 1.018 no governo atual, não alcançando a meta de implantação de 45 mil equipes necessárias para amenizar este caos.

Da mesma forma, urge ao MS adotar soluções permanentes na saúde ocular pública brasileira: instituir o credenciamento universal ao SUS e contratar médicos oftalmologistas por concurso público e carreira federal vinculada ao MS e disponibilizada por convênios a estados, municípios, áreas de fronteiras ou qualquer área de difícil provimento desses profissionais. Enquanto a marquetagem oficial concentra-se em distrair os brasileiros acenando com fragmentos puídos de um SUS que deveria ser forte, o CBO e os médicos oftalmologistas trabalham arduamente para que a população brasileira tenha acesso à assistência oftalmológica da melhor qualidade.

Milton Ruiz Alves
Presidente
Gestão 2013-2015


Oftalmologista brasileiro eleito como um dos mais influentes do mundo em 2014


O Vice Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Renato Ambrósio Júnior, foi eleito entre os 100 mais influentes oftalmologistas do mundo, com a décima primeira colocação. A "power list 2014" foi elaborada pela tradicional revista The Ophthalmologist em sua última edição.

Ambrósio Júnior é um dos principais responsáveis para a introdução da tecnologia de imagem da córnea, com liderança em diversos compromissos acadêmicos. Seu trabalho tem ajudado a estabelecer a verdadeira natureza das patologias corneanas, ceratocone de pós-LASIK, olho seco e é um defensor do segmento anterior pré-cirúrgico OCT com o objetivo de conduzir melhores resultados.

Richard Gallagher, no editorial da publicação, define assim a necessidade de elaborar um top 100. "Por que criar um top 100? Das muitas razões, a principal delas é catalogar e celebrar o progresso. Eu acredito que a maioria dos oftalmologistas concorda que estes estão entre os melhores profissionais; uma era de sabedoria e não de loucura. Suas realizações incluem: o desenvolvimento de novas técnicas cirúrgicas, medicamentos e dispositivos oftálmicos; avanços na compreensão da biologia, patologia e epidemiologia; melhorias (discutivelmente) na administração da entrega nos cuidados de saúde e o crescimento da infraestrutura na indústria para atender às necessidades médicas complexas dos pacientes".

Clique aqui e confira a lista completa no site da publicação.


Campanha de conscientização é sucesso no facebook



Entidade lançou arte de capa, comemorativa ao Dia do Médico Oftalmologista, com o objetivo de reforçar à população sobre a importância de cuidar de sua saúde ocular com o médico oftalmologista

Agradecemos, mais uma vez, aos inúmeros colegas que adicionaram a nossa arte de capa em suas páginas sociais. Esta iniciativa correu todo o País, sendo curtida e retransmitida pelos colegas entre seus amigos e reforçaram à população sobre os perigos da consulta oftalmológica realizada por profissionais não-médicos.

Solicitamos, novamente, que os colegas oftalmologistas que ainda não adicionaram esta arte que o façam, mesmo que por apenas um dia. Cabe a vocês também a divulgação desta informação de que existe apenas uma pessoa capacitada para cuidar da saúde ocular da população e que essa pessoa é você, MÉDICO OFTALMOLOGISTA.

Aproveite também para curtir a página social da entidade, pois por aqui você sempre terá informação sobre a Especialidade, e matérias relacionadas à saúde ocular que poderão ser retransmitidas para os seus pacientes.

Contem sempre conosco!

Milton Ruiz
Presidente do CBO
Gestão 2013-2015


O paradisíaco Pernambuco na visão dos presidentes do XXI Congresso


A nata da Oftalmologia brasileira se encontrará no Recife, de 3 a 6 de setembro, para participar do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual/ II Congresso de Oftalmologia de Países de Língua Portuguesa. Sua grade científica está sendo elaborada para proporcionar três dias de intenso debate científico para a atualização dos conhecimentos com o que existe de mais rico na Especialidade. Além disso, o evento é uma ótima oportunidade para ampliar o "networking" dos colegas oftalmologistas.

Pernambuco é um estado de clima agradável e rico de fantásticos pontos turísticos. É impossível passar pela região e não agendar um roteiro para conhecer um pouco mais sobre sua cultura, gastronomia e aspectos artísticos. Favorecida por um litoral esplêndido, a parada em suas praias paradisíacas torna-se obrigatória.

Pensando nisso, os presidentes do XXI Congresso, Liana Ventura e Afonso Medeiros, elaboraram um roteiro turístico pessoal das principais atrações da cidade e convidam os oftalmologistas a "alongar" um pouco mais sua estada na capital. Aproveite o pré ou pós-congresso para conhecer tudo que os pernambucanos têm para oferecer, afinal, em Pernambuco é só chegar!!

Museus e Monumentos



Teatro Santa Isabel



Tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1949, representa o primeiro e mais expressivo exemplar de Arquitetura Neoclássica em Pernambuco e um dos mais notáveis do País. Idealizado pelo engenheiro francês Louis Léger Vauthier, é considerado o mais belo edifício teatral do império. Homenageando a Princesa Isabel, foi inaugurado em 1850 e já recebeu Dom Pedro II, Castro Alves, Tobias Barreto, Carlos Gomes, a Bailarina russa Ana Pavllowa, dentre outros. A arquitetura neoclássica do inicio do século XIX está agora aliada à modernidade, pois o teatro foi reformado preservando a arquitetura original, aliando recursos tecnológicos permitindo mais conforto para os espectadores.

Local: Praça da República s/n, Bairro de Santo Antônio. Recife.
Informações pelo telefone 81 3355.3323 / 81 3355.3324


Oficina Francisco Brennand



O ceramista Francisco Brennand transformou a olaria da família em ateliê e museu. A visita a Oficina de Cerâmica Francisco Brennand apresenta rico acervo cultural dispondo de esculturas, pinturas e paineis de azulejos. Os jardins da Oficina foram projetados por Burle Marx. No local pode-se visitar também o showroom de Francisco Brennand, fazer encomendas de peças ou até mesmo desfrutar de um espaço muito agradável com lanchonete.

Local: Propriedade Santos Cosme e Damião s/n, Várzea. Recife.
Horário de funcionamento: terça a domingo, das 13h às 17h
Informações:(81) 3271-2466


Instituto Ricardo Brennand



O Instituto Ricardo Brennand (IRB) é uma instituição cultural localizada no bairro da Várzea. Fundado em 2002, pelo colecionador e empresário pernambucano Ricardo Brennand, está sediado em um complexo arquitetônico de estilo medieval, composto por três prédios: Museu Castelo São João, Pinacoteca e Galeria, que são circundados por vasto parque. Possui uma coleção permanente de objetos histórico-artísticos de diversas procedências. O instituto abriga, ainda, um dos maiores acervos de armas brancas do mundo, com mais de 3.000 peças. Oferece ainda espaço com lanchonete aos interessados.

Local: Alameda Antônio Brennand, Várzea, Recife.
Horário de funcionamento: terça a domingo, das 13h às 17h
Informações:(81) 2121-0352


Fortes do Recife



Forte das Cinco Pontas



Construído em 1630 pelos holandeses quando foi inicialmente batizado de "Forte Frederico Henrique", foi renomeado, pelos portugueses para "Forte das Cacimbas". Após batalhas, destruições (1677) e reconstruções, ficou com apenas quatro pontas. Atualmente é chamado de Forte de São Tiago das Cinco Pontas, contendo em seu interior uma capela dedicada a São Tiago Maior.

Local: Bairro de São José s/n. Fone (81) 3355-3106
Horário de funcionamento: 3ª/6ª 9h/17h, sáb/dom 13h/17h


Forte São João Batista do Brum



O Forte do Bom Jesus, atualmente conhecido como Forte do Brum, foi construído como forte de guerra em uma posição estratégica pelos portugueses a partir de 1626 e concluído em 1630 pelos invasores holandeses. Posteriormente foi demolido e reconstruído, sendo edificada em seu interior a capela de São João Batista do Brum, que deu origem à nova denominação. Este forte abrigou os refugiados da Revolução Pernambucana de 1817. Atualmente, funciona como um museu militar, exibindo armas, canhões e fotos históricas da invasão holandesa.

Local: Praça. Comunidade Luso-Brasileira s/n, Recife..
Horário de funcionamento: terça a sexta-feira, das 9h às 16h30; e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 17h.


Passeios



Recife Antigo

Rua do Bom Jesus

Coberta por paralelepípedos, seu nome vem de um antigo "Arco do Bom Jesus", nos idos de 1850, que funcionava como uma das portas da cidade. O casario secular desta rua é um registro da arquitetura erguida durante o Período Holandês em Pernambuco. Durante vários anos foi conhecida como a "Rua dos Judeus", pois durante o governo do Conde Maurício de Nassau houve uma abertura a práticas religiosas diversas, incluindo a judaica. Nesta rua encontra-se a Sinagoga Kahal Zur Israel. Atualmente, aos domingos os interessados poderão visitar na Rua do Bom Jesus a feirinha de produtos e artesanato.

Local: Rua do Bom Jesus. Recife Antigo.

Sinagoga Kahal Zur Israel



Em hebraico: "Rocha de Israel" (Congregação Rochedo de Israel) foi a primeira das Américas. Funcionou em Pernambuco durante o período de dominação holandesa (1630 a 1657) quando emigraram para o Recife milhares de judeus sefarditas de origem portuguesa, refugiados nos Países Baixos. O material arqueológico datado do século XVII, foi, há alguns anos, identificado pelo Iphan e pela Universidade Federal de
Pernambuco (UFPE). A fachada do prédio data do século XIX. Atualmente, abriga o Centro Cultural Judaico de Pernambuco.

Local: Rua do Bom Jesus, 197/203, Recife Antigo.
Informações: (81) 3224-8351
Horário de funcionamento: 3ª/6ª 9h/16h30, dom 14h/17h30.


Paço do Frevo



Recém-instalado no Bairro do Recife, uma realização da Fundação Roberto Marinho, é um espaço dedicado à difusão, pesquisa, lazer e formação nas áreas da dança e música do frevo, visando propagar sua prática para as futuras gerações. Traz um vasto universo de personalidades, histórias e memórias, como forma de fazer experimentar o carnaval pernambucano durante todo o ano.

Local: Praça do Arsenal s/n, Bairro do Recife.
Horário de funcionamento: terças, quartas e sextas, das 9h às 18h; nas quintas, das 9h às 21h; e nos sábados e domingos, das 12h às 19h
Informações: (81) 3355-9524


Espaço cultural Dona Lindu

Projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer, dispõe de quadra poliesportiva, pistas de skate e Cooper, parque infantil, teatro e a galeria Luiz Mendonça. O moderno teatro Luiz Mendonça oferece diversas atrações culturais. A galeria homenageia a renomada arquiteta e designer pernambucana Janete Costa.

Local: Av. Boa Viagem s/n, Recife.
Informações: (81) 3355-9844.


Roteiro turístico 'Olha! Recife'

Uma nova opção de lazer que oferece passeios gratuitos de catamarã, bicicleta, ônibus ou a pé com acompanhamento de guias turísticos. Os interessados deverão fazer suas inscrições. Os passeios de ônibus são oferecidos nas tardes de sábado enquanto os de barco, com Catamarã Tour, na Avenida Sul, nas manhãs deste mesmo dia. O roteiro inclui vários pontos turísticos e históricos do Recife. Aos domingos, é a vez dos ciclistas e dos passeios a pé. O percurso das bicicletas tem início no Marco Zero, no Recife Antigo, com saída às 9h. As bikes passeiam pelos bairros do Recife Antigo. Aos interessados em caminhadas com visitas históricas a pé, incluindo visitação de igrejas antigas, a saída acontece às 15h, partindo da Praça do Arsenal.

Inscrições: (81) 3355.8605 ou no site Olha Recife

Artesanato



Casa da Cultura



A casa da cultura é uma visita muito rica a uma exposição continuamente renovada de artesanatos com grande variedade, provenientes de mais de 149 municípios pernambucanos, do litoral ao sertão. Antiga Casa de Detenção, hoje, é o maior Centro da Cultura e Arte Pernambucana. Dispõe de 150 lojas de artesanato, livrarias e lanchonetes. O pátio externo foi transformado em uma área para shows e manifestações populares e folclóricas e também possui uma praça de alimentação.

Local: R. Cais da Detenção, s/n, - Santo Antônio. Recife.
Horário de funcionamento: 2ª à 6ª feira das 9h às 19h. Sábados das 9h às 18h.


Mercado de Artesanato



Instalado no Armazém 11, ao lado do Marco Zero, no Recife Antigo, o Centro de Artesanato de Pernambuco (Cape) comercializa cerca de 20 mil peças de 500 artesãos de todas as regiões de Pernambuco, em uma área de 2511 m2. Dotada de área de exposições disposta à venda de rico artesanato local, oferece aos interessados a oportunidade de desfrutar na estrutura ao lado da gastronomia regional no Bistrô & Boteco em diversas áreas como cultura popular e técnicas de comercialização. Os consultores de venda dominam inglês, espanhol, francês e italiano.

Local: Av. Alfredo Lisboa, s/n, Bairro do Recife. Recife.
Horário de funcionamento: diariamente, das 10h às 20h.


Praias



As praias de Pernambuco estão em alta entre os turistas de todo o mundo. O site de viagens TripAdvisor, por exemplo, publicou uma pesquisa recente revelando que a Baía do Sancho, em Fernando de Noronha, é a praia mais bela do planeta. Outros destinos pernambucanos também aparecem no ranking: Praia dos Carneiros, em Tamandaré e Praia de Porto de Galinhas.

Baía do Sancho

Esta praia é um dos destinos paradisíacos do arquipélago de Fernando de Noronha. Foi apontada como "a mais bela do planeta" após avaliação de 322 praias feita pelos usuários do site de viagem TripAdvisor, durante os últimos 12 meses. Destaca-se pela trilha no penhasco, praias que dispõe de uma beleza natural ímpar com areias claras e finas, águas transparentes e de temperatura cálida.

Local: Fernando de Noronha. Distância a Recife 543 km. Duração do voo Recife- Fernando de Noronha: 1h20.

Praia dos Carneiros

Integrante da lista mundial de 25 destinos mais belos do mundo, a Praia dos Carneiros possui águas cujas tonalidades de azul e verde variam constantemente de acordo com a natureza riquissima e muito preservada. O turista pode desfrutar de banho com águas calmas e temperatura agradável, durante todo o ano. O acesso de carro é feito pelas estradinhas que levam aos bares mais famosos da região. O mar calmo favorece a prática de esportes náuticos. O local dispõe ainda de pousadas e hotéis, além de restaurantes com comidas regionais. As visitas aos locais tradicionais e piscinas naturais podem ser feitas pelos barcos de catamarã ou outras embarcações turísticas que são oferecidas localmente.

Local: Litoral Sul de Pernambuco. (Município de Tamandaré). Distância do Recife 113 km.

Porto de Galinhas

Eleita várias vezes como a melhor do Brasil, anualmente atrai mais de meio milhão de pessoas. Recifes de corais protegem grande parte das praias, formando piscinas naturais que proporcionam relaxantes mergulhos. Oferece ao turista um guia completo de hotéis, pousadas, restaurantes e lojas com produtos regionais. Diversos serviços e opções de lazer podem ser desfrutados tais como passeios de buggy, jangada, jet ski, mergulho nas piscinas naturais e bicicleta.

Local: Litoral Sul de Pernambuco (Município de Ipojuca). 70 quilômetros de Recife.


André Vieira Gomes assume a presidência da SBRV



* entrevista da semana

Durante o XXXIX Congresso da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo, realizado de 10 a 12 de abril, em Campinas (SP), o médico oftalmologista André Vieira Gomes assumiu a presidência da SBRV. A gestão é válida para o biênio 2014-2016.

Após um mês de posse no cargo, Vieira Gomes, em entrevista abaixo, fala um pouco de sua história como médico oftalmologista e as principais metas de sua gestão, visando o aperfeiçoamento científico do retinólogo, o novo site da entidade, a aproximação da SBRV junto às conceituadas entidades internacionais da Especialidade. Também aproveitou para elogiar as conquistas da gestão anterior, administrada por Walter Takahashi, que elevou ainda mais a SBRV mundialmente.

CBO: Apresente-se como novo presidente da SBRV

AVG: Meu nome é Andre Vieira Gomes. Há praticamente 25 anos dedico minha carreira ao estudo, compreensão e aprofundamento em relação às doenças da retina e vítreo. O tratamento dos pacientes com doenças da área é a grande satisfação do meu trabalho diário. Sou formado pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e fiz a especialização em retina e vítreo na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos.
No meu retorno ao Brasil, fui acolhido na Universidade de São Paulo (USP), que também se tornou minha casa e fiz meu doutorado. Nos últimos dez anos, boa parte do meu tempo foi dedicada à Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), nas diversas funções da diretoria. Este ano tive a honra de ser nomeado presidente para suceder o professor Walter Takahashi.

CBO: Além do senhor, quais são os demais integrantes da nova diretoria da entidade?

AVG: A nova diretoria representa uma troca de gerações dentro da SBRV e que chega com grande motivação, energia e uma grande responsabilidade pela frente. A diretoria é completada por Fausto Uno, na vice-presidência, Acácio Muralha, como primeiro secretário, Mauricio Maia, segundo secretário, e Arnaldo Bordon, como tesoureiro.

CBO: Quais as principais características deste novo grupo de trabalho?

AVG: Atualmente, existem nomes de grande qualidade dentro da nossa área de atuação em todos os Estados do Brasil. Por isso, a nova diretoria tem o dever de representar nossos especialistas em retina de uma maneira muito presente, digna e eficaz. A nova diretoria é formada por um grupo muito unido, focado e preparado, que coloca a SBRV acima de qualquer interesse pessoal. O dinamismo é nosso lema e vamos procurar atuar de maneira rápida e forte em busca dos interesses dos nossos pacientes, da saúde pública e dos nossos associados nas diferentes áreas pertinentes.

CBO: Na visão do senhor, como se encontra a SBRV hoje?

AVG: A SBRV é, hoje em dia, uma das entidades mais respeitadas na Especialidade em todo o mundo, junto com a Sociedade Americana de Especialistas em Retina (ASRS) e a Sociedade Europeia de Retina (Euretina). A entidade se destaca na qualidade de seus eventos e na sofisticação dos seus associados. Em relação aos membros ativos, ficamos atrás somente das duas entidades internacionais mencionadas acima. Essa importância e seu reconhecimento tem se alastrado com uma velocidade avassaladora nos últimos anos. O doutor Jorge Rocha vem realizando papel fundamental nessa conexão internacional e continuará sua empreitada como diretor de assuntos internacionais.

CBO: Qual a importância da gestão anterior, do professor Walter Takahashi, para o crescimento da SBRV?

AVG: A gestão do professor Walter Takahashi foi notória em vários aspectos, especialmente no tocante a essa internacionalização da entidade, a construção e aprovação de um novo e moderno estatuto, a modernização do nosso site, a luta pelos assuntos profissionais da classe, a criação de um departamento jurídico, o aperfeiçoamento da nossa revista de publicações... a SBRV se solidificou nos últimos anos como uma entidade de verdadeira representação da classe e extremo reconhecimento profissional.

CBO: Quais as principais metas de gestão que serão implantadas pelo senhor e, neste quesito, quais são os primeiros setores da sociedade que devem receber atenção especial?

AVG: A nova diretoria inicia com objetivo de aprofundar os recentes avanços realizados nos últimos anos. Vai dar atenção especial à valorização de seus associados como especialistas em retina, aprofundar a defesa da classe, sempre com ética e com foco no bem estar dos nossos pacientes. Vamos regulamentar o ingresso e o programa de ascensão dentro da sociedade, implementar novas ferramentas em nosso site, com diversas opções para fomentar e facilitar o conhecimento. A SBRV cresceu e amadureceu. Por isso sua parte contábil deverá ser toda auditada, contando para isso com o profissionalismo da nova assessoria jurídica. Está em andamento um projeto ambicioso de uma nova revista (em adição à atual que será mantida) indexada e de elevado nível. Nossas diretrizes para as diferentes patologias serão profundamente revisadas e finalizadas junto ao Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). Os doutores Pedro Carricondo e Silvana Vianello comandam a tarefa, contando com os preciosos aconselhamentos do professor Suel Abujamra. Cabe adicionar que o novo estatuto formalizou a existência do conselho consultivo, que é formado pelos ex-presidentes. O peso da opinião do mesmo ajuda a dar consistência às decisões e projetos da atual diretoria e das subsequentes.

CBO: Qual o número de associados da SBRV?

AVG: Atualmente são 241 sócios Titulares e 728 aspirantes.

CBO:O site da entidade foi recentemente reformulado. Quais suas principais características e o que está programado de novo para este canal de comunicação?

AVG: O novo site foi cuidadosamente planejado como poderosa ferramenta de comunicação e interação para com seus membros no Brasil e também com as sociedades internacionais amigas. Exploramos intensamente os recursos para educação continuada com a inserção de vídeo-aulas, assim como o Fórum de casos clínicos. Temos programado para este ano a adição de uma biblioteca com os principais jornais científicos e o nosso novo jornal digital.
Teremos, em breve, nova área destinada aos colegas e membros de sociedades internacionais, permitindo e incentivando uma maior interação entre os colegas de diversos países.
Estaremos sempre atuando e estimulando a interação entre os colegas do Brasil e do mundo.
Nosso site é um portal onde o retinólogo afiliado à SBRV terá informações precisas dos avanços técnicos - científicos e políticos da nossa especialidade.

CBO: Mensagem do presidente para os colegas retinólogos

AVG: Uma característica final dessa nova diretoria é o fato de a mesma se colocar a inteira disposição para ouvir os associados a qualquer momento e estar sempre predisposta a aceitar comentários e sugestões que possam engrandecer nossa entidade.
Portanto, conclamamos a todos os membros que permaneçam em contato frequente com a diretoria. A participação de todos é fundamental para o nosso crescimento e fortalecimento. Que o biênio 2014/2016 seja próspero e faça jus à importância da SBRV e ao carinho que temos por ela.



Educação continuada de qualidade ao alcance do associado



"Educação Continuada - Reestruturação com a multiplicação das ações de educação continuada, disponibilizando online as principais aulas proferidas nos congressos, Jornadas, Simpósios".


Milton Ruiz Alves, no ato de sua eleição como presidente do CBO, elencou dez princípios que regeriam sua gestão, tendo a educação médica continuada de seus associados como grande compromisso. A promessa foi cumprida mesmo antes da metade de sua gestão, com a reformulação completa do E-learning CBO, que passou a receber semanalmente a atualização de videoaulas, proferidas no último Congresso CBO, de grande interesse para os oftalmologistas.

A principal meta, idealizada pela Diretoria para o CBO E-Learning, é disponibilizar aos associados pelo menos um módulo, ou no mínimo blocos de cinco aulas por semana. Este objetivo passou a ser cumprido e desde o início do novo projeto de 2014, iniciado no final de abril, o portal www.cboelearning.com.br conta com três módulos (Catarata, Refração e Retina) e um total de 33 aulas.

E não para por aí:ainda nesta semana, os módulos de Uveítes (com cinco aulas) e Glaucoma (ainda sem número de aulas determinadas) também estarão disponíveis para atualização dos conhecimentos dos colegas oftalmologistas associados.

"Buscamos, com essa iniciativa, fazer com que a educação médica continuada de qualidade chegue a todos os cantos do País. É importante, e a internet é uma aliada muito grande para potencializar a disseminação do conteúdo, que os oftalmologistas dos centros mais distantes também tenham fácil acesso a atualização da oftalmologia, com o objetivo de continuar oferecendo o melhor atendimento à população. Os associados que irão prestar o Exame de Suficiência em Categoria Especial, que será realizado em setembro, poderão também estudar para a prova neste canal, que receberá até lá novos módulos e mais de uma centena de aulas", afirma Milton Ruiz Alves.

Exclusividade ao associado





O Programa de Educação Continuada CBO E-learning faz parte de uma gama de benefícios exclusivos que somente o associado do CBO tem. Para acessar todas as aulas na íntegra é preciso estar adimplente com a anuidade 2014.

Para fazer o pagamento da anuidade é muitos simples, basta acessar o portal da anuidade (www.anuidadecbo.com.br) e com o seu CPF acessar a área de cobrança. Você poderá escolher entre três formas de pagamento:

Boleto Bancário - Pagamento somente à vista
Transferência Bancária - valor somente à vista
Cartão de Crédito - Possibilidade de parcelar o valor em até 3x sem juros

* associados contemplados com o desconto de 50% do valor da anuidade, o pagamento somente poderá ser feito à vista.


07 de maio motiva campanha publicitária do CBO em defesa da saúde ocular


Entidade panfleta pontos de grande circulação de Brasília

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia elaborou diversas atividades publicitárias para festejar o Dia do Médico Oftalmologista, comemorado nacionalmente em 07 de maio. Duas destas ações sequer esperaram a chegada desta data e foram implantadas com antecedência. A primeira grande inciativa pode ser acessada nas páginas da Veja, principal periódico semanal do País, desta semana, com a publicação de um anúncio em página inteira (veja mais informações aqui). A ideia rapidamente surtiu o efeito desejado e conquistou a aprovação dos oftalmologistas do Brasil.

A segunda grande atividade também já pode ser vista nos arredores da Capital Federal, já que foram disponibilizados em diversos "front doors", localizados estrategicamente em pontos de grande circulação de Brasilia, a campanha: "Abra os Olhos. Só o Médico Oftalmologista pode fazer seu exame de vista". Este material ficara exposto por 30 dias!

Segundo Leonardo Mariano Reis, primeiro secretário da gestão 2013-2015 do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e principal coordenador desta iniciativa, o principal objetivo desta campanha é disponibilizar em pontos centrais a busca pelo aumento da abrangência, procurando atingir toda a população e autoridades com o uso de uma mensagem forte de que o profissional responsável pela saúde ocular é o Médico Oftalmologista.

"A ideia de fazer uma campanha publicitária em defesa da Oftalmologia brasileira surgiu de contatos com os colegas que militam nas redes sociais e da repercussão de matérias jornalísticas veiculadas em emissoras da Rede Globo e outros veículos de comunicação mostrando o combate ao exercício ilegal da Medicina na nossa especialidade. Ficou claro para todos que é extremamente importante que os médicos oftalmologistas ocupem os espaços na mídia para que a população seja informada do que está ocorrendo, centrando na mensagem de que o médico é o profissional habilitado para lidar com as questões da visão. Ficou claro também que não poderíamos restringir a discussão ao nosso meio. O médico oftalmologista associado ao CBO, que paga nossa anuidade e se inscreve nos nossos congressos, bem como o não associado, espera essa postura por parte da entidade", complementa Mariano dos Reis.

Clique nas imagens abaixo e veja como e onde as artes foram disponibilizadas























Além destas duas propostas publicitárias, o CBO informa que existem mais duas propostas aprovadas e que serão lançadas até amanha, sendo uma peça audiovisual e outra em formato de folder, com o objetivo de esclarecer a população de que o guardião da saúde ocular da população é o MÉDICO OFTALMOLOGISTA.

*A entrevista completa com Leonardo Mariano Reis, sobre a campanha de conscientização, será publicada na íntegra na edição 154 do Jornal Oftalmológico Jota Zero


Não se deixe enganar!



O Conselho Brasileiro de Oftalmologia já iniciou a campanha pelo Dia do Médico Oftalmologista, comemorado em todo o País na próxima quarta-feira (07/05), e publicou, na Revista Veja - na página 43 da edição 2.372 - ano 47 - nº19, anúncio em página inteira reforçando à população sobre a importância de cuidar da sua saúde ocular com o médico oftalmologista.

Veja abaixo o texto da página publicada:

Para cuidar de seus olhos, consulte um médico oftalmologista

Tem gente por aí que quer fazer você acreditar que um exame de vista é coisa muito simples e que pode ser realizado por alguém sem formação médica.

O que essas pessoas não estão dizendo a você é que mais do que um exame para determinar o grau dos óculos, a consulta oftalmológica é uma oportunidade muito importante para avaliar sua saúde ocular e identificar se alguma coisa não vai bem antes mesmo que os sintomas apareçam.


Para cuidar da saúde de sua visão, consulte um oftalmologista.


7 de maio

Dia do Médico Oftalmologista


Mesmo dentro dos limites, álcool prejudica a visão em até 30%



Em várias partes do mundo foi determinado um consumo-limite de álcool como forma de aumentar a segurança no trânsito. Pesquisadores do Canadá estudaram quanto, e de que forma, a visão é comprometida mesmo dentro desses parâmetros aceitáveis, chegando à conclusão de que a visão pode ser prejudicada em até 30% antes mesmo de o bafômetro acusar que a pessoa atingiu ou passou desse limite.

Publicado no Jornal Perception, de Ontário, o estudo mostrou que, além de o álcool afetar as habilidades motoras da pessoa e a tomada de decisão, também reduz o contraste visual, dificultando a noção de profundidade e a distinção de tudo o que for claro e escuro. "No começo da manhã e ao cair da tarde, especialmente quando a luz do sol está baixa e pode prejudicar a visão até mesmo de quem não bebe, a noção de contraste ajuda muito na hora de evitar um acidente", diz Brian Timney, coordenador do estudo.

Na opinião do cirurgião-oftalmologista Renato Neves, diretor do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo-SP, quem já percebeu como os olhos ficam vermelhos e como as reações se tornam mais lentas depois da ingestão moderada ou alta de bebidas alcoólicas deve desconfiar do impacto que isso causa no cérebro e, consequentemente, na visão a longo prazo.

"Entre os sintomas mais comuns estão a visão dupla e a visão embaçada. Com a repetição desses episódios, os músculos que controlam o foco da visão ficam comprometidos, prejudicando a noção de distância e profundidade. Também a visão periférica, que dá uma noção do que está acontecendo ao redor da pessoa, fica altamente prejudicada com o tempo - e isso é especialmente ruim para quem vai dirigir", diz o médico.

Neves chama atenção para outro estudo, desenvolvido pela Faculdade de Medicina da Hallym University, na Coréia do Sul, que revela que o consumo de álcool também está relacionado a distúrbios da superfície ocular, como o olho seco. "Quando o consumo de álcool é prolongado, é possível identificar uma mancha permanente nos olhos: vermelha ou amarela. Esse é, inclusive, um dos sinais físicos encontrados nos alcoólatras. Com o tempo, a pressão ocular elevada pode danificar o nervo óptico, resultando em glaucoma e perda permanente da visão".

Fonte: Universo Visual, abril - 2014


A nova gestão da Sociedade Brasileira de Glaucoma


*entrevista da semana

Há dez meses, Francisco Eduardo Lopes de Lima, médico oftalmologista de Goiânia-GO, assumiu como presidente da Sociedade Brasileira de Glaucoma. Sua eleição entrou para a história da entidade como a primeira que elegeu um candidato por meio de votação dos associados. Desde então focou seus esforços na reforma do estatuto e em oferecer opções exclusivas para o associado.

Em entrevista abaixo, Lopes de Lima fala sobre seus desafios até aqui e também as principais mudanças a frente da entidade, como a reformulação do Estatuto, novo site, os investimentos em conteúdo de educação continuada para associados. Fala também de seu grande projeto, que é o de comprar uma sede permanente para a SBG e sair do aluguel. Por fim, reforça à população sobre os preparativos da Semana Nacional de Combate ao Glaucoma.

CBO: Faça um pequeno balanço de sua trajetória na Oftalmologia?

Lopes Lima: Logo na minha volta dos Estados Unidos (fiz fellow em Boston) tive o privilégio de me tornar sócio do Professor Marcos Ávila. Na ocasião foi me dada oportunidade de gerenciar todo o Departamento de Glaucoma do Centro Brasileiro de Cirurgia de Olhos (CBCO), que nós fundamos em Goiânia-GO (1994). Com essa responsabilidade em mãos, procurei buscar atualizações científicas para o aperfeiçoamento cirúrgico e, neste contexto, em 1995, trouxe para a América Latina a cirurgia com endoscopia, técnica desconhecida, na época, por boa parte dos oftalmologistas. Hoje, graças a deus, o procedimento está para completar 20 anos e é utilizado em todo o mundo. Então, basicamente foi isso que marcou minha trajetória no ponto de vista de contribuição para a Oftalmologia. Desde o começo fui associado da Sociedade Brasileira de Glaucoma, conquistando amigos e respeito, sempre levantando a bandeira da ética, pois tinha na mão ótima ferramenta de marketing e procurei seguir todos os critérios éticos e acadêmicos para implantar a técnica. Acredito ser esse um grande exemplo que posso passar aos mais jovens, o de tentar fazer a coisa da maneira certa que com o tempo o trabalho acaba sendo reconhecido.

CBO: Em qual momento o senhor decidiu se candidatar à presidência da SBG?

Lopes Lima: O momento era de mudança na SBG. Veja: a SBG foi fundada em 1981 e até então os presidentes eram decididos em uma conversa entre três, quatro oftalmologistas que então decidiam pelo novo presidente. O último indicado neste critério foi o doutor Vital Paulino Costa. Identificamos que chegara, então, o momento de se decidir, em eleição direta, quem seria o seu vice e posteriormente o substituto como presidente. A necessidade das eleições diretas surgiu pelo fato de não ser mais aceito, pelos associados, o formato antigo de indicação. Era necessário identificar quem os associados queriam para liderar a subespecialidade. Foi aí que surgiu o meu nome. É claro que sempre quis contribuir com a SBG, então me candidatei e disputei a eleição com o doutor Roberto Freire Santiago Malta. Fui eleito em 2011 e assumi a vice-presidência da SBG, me tornando presidente em 2013.

CBO: O senhor foi o primeiro presidente eleito neste novo formato?

Lopes Lima: Sim. Foi um momento marcante e de amadurecimento da SBG que passou a seguir seu estatuto e dar fim ao antigo processo de eleição. Em 2013 já houve a segunda eleição para vice-presidente, quando o doutor Marcelo Palis foi eleito. Então acho que este é um processo sem volta, foi muito bem feito e independente das críticas a este modelo, acredito que na SBG não existem partidos políticos e a disputa entre dois candidatos só reforça a grandiosidade da entidade, com pessoas que querem o melhor para a SBG.

CBO: Quais são os principais benefícios deste novo processo de escolha da liderança da SBG?

Lopes Lima: Perceba como a coisa é interessante: quando você vai para a escolha sem eleição, existe aquela conversa: "agora você vai..." e muitas vezes o indicado assumia sem a devida cobrança necessária para o cargo. O benefício da nova política é que quem está lá como candidato quer trabalhar, quer dar a cara a tapa. Ele está com interesse e, inclusive, se expondo a possibilidade de derrota, mas quer ter a chance de ser o presidente e isso não existia antes. Então quando esse candidato assume, seu compromisso com a SBG é muito maior.

CBO: Quais as principais mudanças que foram realizadas pelo senhor nesses primeiros 10 meses de gestão?

Lopes Lima: Minha primeira prioridade foi atualizar e reformar o Estatuto da SBG, que estava totalmente fora da legislação. Por exemplo, no Estatuto mostrava que a SBG era uma sociedade que tinha "membros" e quando você fala em "membros" pela lei indica que a entidade possui fins lucrativos. Essa e outras diversas regras jurídicas foram reformadas e o novo Estatuto foi registrado em cartório e está no nosso site para consulta. Em seguida busquei oferecer vantagens exclusivas para o médico oftalmologista vir a se associar à SBG.

CBO: E como foi feito isso?

Lopes Lima: Por meio de investimento em educação continuada e a reformulação do site. Hoje, no nosso portal, o associado encontra o Journal of Glaucoma (custo individual de U$$ 600) e a nossa anuidade é R$ 210,00. Disponibilizamos também livro de glaucoma atualizado, todo digitalizado, sendo ótima oportunidade de consulta e atualização de conhecimentos sempre que necessário. O associado tem também à disposição o SBG Review, que consegui junto ao doutor Lisandro, de Curitiba-PR, que consiste em um grupo de editores que pesquisam sobre os artigos de glaucoma publicados recentemente, fazem um sumário, traduzem o artigo e adicionam no site. Então, eu pago R$ 210,00 de anuidade e tenho de volta o acesso a todas essas ferramentas de educação continuada. Sempre bato nessa tecla: se você quiser entender um pouquinho de glaucoma e quer fazer um bom negócio, associe-se à SBG. Outra iniciativa para valorizar o associado consistiu na elaboração do "certificado do associado", que foi impresso em papel diferenciado, similar ao que é realizado pela Academia Americana de Oftalmologia (AAO), e enviado para todos os associados adimplentes pelo País.

CBO: Além destas três inciativas já realizadas, o que está programado até o final do ano?

Lopes Lima: Nós concluímos, no mês passado, o primeiro Consenso Mundial de Glaucoma Secundário. Hoje já existem consensos de glaucoma primário, de ângulo fechado e agora o primeiro de glaucoma secundário. Para concluir este documento, 110 pessoas se reuniram por dois dias em São Paulo-SP e contribuíram com o Consenso, que será lançando no Congresso do CBO no Recife. Outra novidade, que também é importante de ressaltar, é que nosso congresso de 2015, que será realizado em maio, já está com seu programa científico pronto, impresso e que será distribuído amanhã no Simpósio de Glaucoma da Unicamp. Na proposta, nenhum dos ex-presidentes irá dar aulas no evento, mas sim, vão contribuir com comentários nas aulas proferidas pelos demais palestrantes. Aí você me pergunta: como isso? Está ficando louco? E eu respondo: isso é uma coisa inovadora, pois os ex-presidentes tinham privilégios de escolher os seus respectivos temas e isso acabava tirando a oportunidade de "gente nova" que está com aulas mais atualizadas para proferir a aula.

CBO: Nova sede para a SBG?

Lopes Lima: Pretendo para este ano, se possível na semana próxima semana, comprar a sede da SBG. Tenho uma sede alugada, em Higienópolis-SP, que está vencendo o aluguel e com proposta de compra. É uma iniciativa ousada, que vem recebendo críticas, mas trabalho com um argumento forte de comprar a sede e com a escritura na mão, dificultar, por exemplo, que um dia a SBG acabe. Então eu não quero dinheiro na conta, mas sim uma escritura, uma casa do Especialista em Glaucoma, sair do aluguel e concluir esta etapa ainda na minha gestão.

CBO: A Semana Nacional do Combate ao Glaucoma se aproxima e a SBG, pelo terceiro ano consecutivo, realizará importantes atividades de conscientização sobre os perigos da doença. Qual a sensação de ser o líder da entidade em uma semana tão importante?

Lopes Lima: Eu tenho que elogiar a atitude do doutor Vital que trabalhou essa ideia nos últimos dois anos e na qual estou dando continuidade. Isso é uma coisa maravilhosa! Nós - eu digo nós porque estava presente nas negociações, mas o mérito é do Vital -, conseguimos angariar fundos dos laboratórios para embalar esta campanha. Então existe um site (http://cuidadocomoglaucoma.com.br/) e sua página no facebook com mais de 60 mil seguidores. A iniciativa está andando e mesmo com a redução do dinheiro dos laboratórios, conseguimos elaborar três eventos interessantes para a semana que vem. Tenho por objetivo acelerar isso em direção à Drauzio Varella, no Fantástico, e chamar ainda mais a atenção de alguns artistas que consigam mobilizar os brasileiros.

CBO: A primeira dessas três ações acontecerá no vão-livre do Museu de Artes de São Paulo (MASP) e foi nomeada de "Chute ao Gol". O que seria isso?

Lopes Lima: É muito importante a gente fazer o link do ano da Copa no Brasil para chamar a atenção da mídia. Neste ano ninguém quer saber de nada que não seja futebol, então, como aproveitaríamos este gancho para falar de glaucoma, que é um assunto desinteressante? Bom, as pessoas que não enxergam também jogam futebol e esse foi o link com a Copa do Mundo. Com isso vamos posicionar uma trave de gol e chamar os presentes a tentar chutar um pênalti sem poder enxergar, no caso vendado!

CBO: Qual a importância de ligar, a iniciativas como esta, a imagem de personagens ilustres, como o goleiro Marcos, o capitão Cafú...

Lopes Lima: A pessoa quando vê o seu herói, e no nosso caso os heróis são, em muitos momentos, os jogadores de futebol vencedores com a Seleção Brasileira, falando sobre o assunto, todos prestam muito mais atenção. E com essa atenção elas se lembrarão de ir ao médico saber se têm glaucoma.

CBO: Já no dia 28 será realizado um "Almoço Sensorial". Fale mais a respeito...

Lopes Lima: O almoço sensorial foi elaborado para mostrar a todos que a visão e também na sua ausência, a vida continua. Nós temos não somente a responsabilidade de evitar a cegueira, mas também, mostrar aos cegos, mostrar que a vida continua. Então, este almoço foi elaborado para mostrar duas coisas, primeiro: valorize sua visão, olhe como ela faz falta na hora em que você se alimenta; e que apesar de você não ter a visão é possível apreciar o gosto das comidas, diferenciá-las e explorar seus demais sentidos.

CBO: No dia 30 será realizado o "Cine Descrição". Fale mais a respeito...

Lopes Lima: Consiste em vivenciar uma sessão de cinema, vendado. Conta também com dois objetivos bem claros, sendo o primeiro de integrar as pessoas que não tem visão à sociedade e também mostrar o quanto é importante valorizar a sua visão para aqueles que enxergam.

CBO: A ABRAG é parceira da SBG há muitos anos e realiza um importante trabalho social com os familiares e portadores do glaucoma. Quais os principais ganhos para a sociedade com esta parceria?

Lopes Lima: A ABRAG está clamando por ajuda, com problemas financeiros que se potencializaram com a redução de verbas (que falei acima) por parte da indústria. Estou dando total apoio para a continuidade das operações da ABRAG e o meu plano, que é bom deixar isso registrado, é posicionar a ABRAG dentro da SBG. Na minha cabeça não tem como uma coisa ser separada da outra. Nós temos dois CNPJ diferentes, e assim deve continuar, mas eu queria que as duas entidades estivessem no mesmo teto. O que acontece com a ABRAG, nos últimos anos, é que ela tem uma sala emprestada na Escola Paulista de Medicina (EPM) e isso descaracteriza e afasta a entidade de outras escolas que, por desconhecimento, acham que a ABRAG é da EPM e isso tem que mudar.

CBO: E o que falta para trazer a ABRAG para dentro da SBG?

Lopes Lima: Eu acho que no momento, inclusive esta pergunta é muito pertinente e venho conversando sobre isso nos últimos dias, é que a ABRAG está "meio que morta" e estou querendo deixar ela viva e automaticamente trazer para a SBG. O que está faltando é viabilizar. Quando você fala em viabilizar significa criar um plano gestor de negócios para a captação de recursos, com o objetivo de manter a entidade viva, pois a SBG não pode carregar a ABRAG com seus custos e impostos dentro do nosso orçamento. Então vou me reunir com uma empresa captadora de recursos, olhar o estatuto da ABRAG e identificar as formas de captação de recursos.


Glaucoma é coisa séria e leva a cegueira incurável. Consulte regularmente o médico oftalmologista



O diagnóstico precoce e o tratamento correto são dois fatores chaves para evitar a perca da visão pela doença. O único capaz de realizar o exame preventivo e oferecer o melhor tratamento para a doença é o médico oftalmologista

Segunda principal causa de cegueira no mundo (segundo a Organização Mundial da Saúde - OMS), o glaucoma é uma doença multifatorial complexa, com características específicas, em que ocorre um dano ao nervo óptico e perda progressiva e irreversível do campo visual. Este dano óptico geralmente é causado por um aumento da pressão dentro do olho (pressão intraocular ou PIO), mas pacientes com níveis normais de pressão intraocular também podem desenvolver glaucoma.

O fato é que não existe um nível específico de pressão ocular elevada que definitivamente cause o glaucoma. E também não há um nível menor de pressão intraocular que possa eliminar por completo o risco de uma pessoa de desenvolver o glaucoma. É por isso que o diagnóstico precoce e o tratamento do glaucoma são as chaves para prevenir a perda de visão.

Como é uma doença de caráter hereditário, os familiares de portadores de glaucoma precisam fazer sempre os exames preventivos. Além da hereditariedade, também são considerados pertencentes ao grupo de risco:

Indivíduos com mais de 40 anos de idade - o risco de ser portador de glaucoma aumenta com a idade;



Etnia negra - os indivíduos desta etnia tendem a desenvolver o glaucoma numa idade inferior à média da população e a probabilidade de ser afetada é quatro vezes maior em relação aos brancos;

Altos míopes - indivíduos míopes que usam lentes acima de seis graus também estão sujeitos a um risco maior de desenvolver a doença;

Diabéticos;

Pacientes que tiveram trauma ocular ou doenças intraoculares.

Todas as pessoas que façam parte de algum dos grupos acima devem se submeter a exames oftalmológicos com regularidade. O ideal é que pessoas que tenham histórico familiar ou pertençam a um dos grupos de risco façam exames uma vez por ano, a partir dos 35 anos, de acordo com orientação médica.

Causas do Glaucoma





O glaucoma é causado por diferentes enfermidades que, na maioria dos casos, levam a um aumento da pressão intraocular ou PIO. O aumento da pressão é causado por um bloqueio do escoamento do fluido que preenche o olho. Com o tempo, isto causa danos ao nervo óptico.

Para entender como o aumento da pressão afeta o olho pense em seu olho como se fosse um balão. Quando muito ar é soprado para dentro do balão, a pressão aumenta, causando seu estouro. Mas o olho é resistente demais para estourar. Esta pressão aumentada passa a atuar sobre a parte mais fraca do olho, o ponto na esclera (esclerótica ou branco do olho) onde o nervo óptico deixa o olho.

O nervo óptico é a parte do olho que carrega a informação visual até o cérebro e é formado por mais de um milhão de células nervosas. Quando se eleva a pressão no olho, as células nervosas comprimem-se, o que as danifica e, eventualmente, até causa a morte delas. A morte destas células resulta em perda visual permanente. O diagnóstico e o tratamento precoces do glaucoma podem prevenir esta situação.

Diagnóstico do Glaucoma



O glaucoma só é detectado após um exame oftalmológico cuidadoso, no qual é, inclusive, medida a pressão intraocular. O procedimento é simples e indolor.
A pressão do olho é medida em milímetros de mercúrio (mm Hg). São consideradas medidas normais de pressão intraocular a partir de 12-21 mm Hg. Pressões intraoculares maiores que 21 mm Hg são consideradas elevadas. Quando a pressão intraocular é maior que o normal, mas a pessoa não mostra sinais de lesão glaucomatosa no nervo óptico, o diagnóstico é de hipertensão ocular.

A pressão ocular elevada, sozinha, não causa glaucoma. No entanto, é um fator de risco significativo. Indivíduos com diagnóstico de pressão alta do olho devem fazer exames de vista global por um oftalmologista para verificar se há sinais do início do glaucoma.
Na maioria dos pacientes, o nervo óptico pode ser examinado de imediato, quando se observa o interior do olho com um instrumento chamado oftalmoscópio.

Apesar de serem muitas as doenças que afetam o nervo óptico, a lesão causada pelo glaucoma tem um aspecto característico que permite ao médico detectar a sua existência. No glaucoma, as fibras nervosas estão danificadas e desaparecem, deixando uma escavação maior do nervo óptico.
Entre os exames utilizados para a confirmação do diagnóstico do glaucoma estão o exame de campo visual, a tonometria e o exame do disco óptico.

Confira abaixo os exames diagnósticos do glaucoma.

Acuidade visual - Detecta alterações na visão, medida pela capacidade de ver letras projetadas numa parede.
Exame da pupila - Detecta lesão nas vias ópticas, incluindo o nervo óptico
Exame com lâmpada de fenda - Avalia o interior e o exterior do olho
Tonometria - Confere a pressão intraocular
Fotografia do nervo óptico - Documenta a aparência do nervo óptico
Gonioscopia - Avalia o ângulo da câmara anterior
Campo visual - Verifica perda de campo visual

Fonte: cuidadocomoglaucoma.com.br


Prazo para inscrição nos concursos culturais CBO2014 acaba em 15/07



A Comissão Executiva e a Comissão Auxiliar de Divulgação e Publicidade do Congresso CBO2014, lembram aos interessados em participar do Concurso Cultural de Fotografia e o de Casos e Prosas em Oftalmologia, que o prazo final para realizar a inscrição e enviar os trabalhos ACABA em 15 de julho e deve ser realizado impreterivelmente por meio do site www.cbo2014.com.br

O Concurso de fotografias tem como seu primeiro prêmio uma máquina fotográfica DLSR - utilizada por profissionais de fotografia - e, como seu segundo prêmio, a inscrição no XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia, que acontecerá em Florianópolis em 2015. Já o Concurso de Casos e Prosas tem como seu primeiro prêmio um iPad e também oferecerá a inscrição no mesmo congresso para o segundo lugar.

Clique aqui e confira o regulamento. Inscreva-se


Oportunidades do Congresso CBO 2014 ao jovem oftalmologista



O Congresso CBO 2014 contará com uma programação que visa atender às necessidades profissionais de um jovem o oftalmologista, afirma Gustavo Victor, coordenador do CBO-Jovem.

O Simpósio do CBO Jovem deste ano busca a integração com os oftalmologistas do YO group da Academia Americana de Oftalmologia (AAO) e Associação Pan-Americana de Oftalmologia (PAAO) e busca, em uma tarde especial, tentar abordar o que todo o oftalmologista jovem quer e precisa saber, refere Alexandre Ventura e Zélia Corrêa (membro da Comissão Científica - CBO-Jovem).

Palestrantes de grande experiência profissional, como o como o Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Prof. Milton Ruiz Alves, participarão do Simpósio do CBO Jovem deste ano que abordará o tema: O futuro do CBO e o seu relacionamento com o Governo e a sociedade civil. Temas como o cenário do mercado de trabalho no Brasil e na Europa serão amplamente debatidos.

Aqueles que têm dúvidas de onde começar a vida profissional não deverão perder a oportunidade, pois serão discutidos os prós e contras de cada aspecto deste início, tais como: a vida acadêmica ou não; consultório próprio ou staff em clínica já instalada; atendimento no SUS, convênios ou pacientes particulares; entre outros assuntos muito importantes para uma carreira de sucesso. Não foi esquecida, ainda, a defesa profissional e a constante luta contra a optometria, além de saber o que é possível fazer para proteger a saúde ocular do povo brasileiro.

A Comissão Auxiliar do Congresso, coordenada por Alexandre Ventura e Camila Ventura, perguntam ao jovem o oftalmologista se já tem programação para as noites de Recife. Eles afirmam que já pensaram até mesmo em como otimizar este tempo e aproveitar o máximo a estada nesta parte tão bela e dinâmica do Brasil. Chegar na cidade do Congresso e não saber o que fazer no tempo livre é algo muito comum. Pensando nisso, esta Comissão Auxiliar do Congresso estará dando dicas de lazer em Recife como tours, praias, compras, restaurantes, bares e clubes noturnos.

E isto não é tudo! A Comissão decidiu inovar e, além do coquetel de boas-vindas e festa de encerramento, irá sugerir uma programação social para as demais noites de congresso. A ideia é facilitar o encontro dos jovens oftalmologistas para que tenham ainda mais oportunidades de networking em ambientes descontraídos, experimentando da nossa cultura local.

Por isso, não deixem de visitar o estande do CBO no congresso e descubram o que preparamos para vocês!

Gustavo Victor
Coordenador do CBO Jovem

Alexandre Ventura e Camila Ventura
Coordenadores da Comissão Auxiliar do Congresso CBO 2014: CBO Jovem em Pernambuco



O novo Recife: lazer, serviço, cultura, diversão e alegria!!



Em 1999, quando Recife recebeu o XXX Congresso Brasileiro de Oftalmologia, médicos, congressistas e familiares encontraram uma bela e palpitante cidade. Seu paisagismo natural, monumentos e opções de lazer já ofereciam diversão e encanto aos turistas. Quinze anos depois, a capital pernambucana recebe o XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual e o II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa (Congresso CBO 2014), apresentando-se sob uma nova óptica ainda mais diversificada e atrativa. É o Novo Recife!

Um dos mais representativos locais da cidade, o Bairro do Recife, é um verdadeiro exemplo de revitalização, configurando-se em um amplo polo familiar de lazer. Todos os domingos e feriados, por exemplo, das 7h às 16h, a população pode usufruir da "Ciclofaixa", um espaço para tráfego exclusivo de ciclos como bicicletas, skates e patins. Organizado pelas secretarias de Turismo e Lazer e a de Mobilidade e Controle Urbano, o projeto foi implantado em março de 2013 e conta com a participação semanal de uma média de 17 mil pessoas. O percurso corta 28 bairros da Cidade, interligando as zonas Norte, Sul e Oeste, totalizando quase 35 quilômetros de faixa exclusiva e possibilitando o vislumbre de algumas paisagens tradicionais como Sítio Trindade, Parque da Jaqueira, Teatro Santa Isabel, Palácio do Campo das Princesas, Centro de Artesanato, Marco Zero, praia de Boa Viagem, Parque Dona Lindu, Forte das Cinco Pontas, Lagoa do Araçá, Praça Chora Menino, Ponte da Boa Vista, dentre outros.



Ainda neste bairro, o Projeto Recife Antigo de Coração é um convite para que recifenses e turistas ocuparem e desfrutarem da cidade. Desde março de 2013, o local tem se transformado em um grande parque que congrega pessoas de todas as idades, gostos e estilos. As atividades são divididas em infantil, cultural, samba e esportivo. São realizadas sempre no último domingo de cada mês, das 6h às 22h.



O polo Infantil reúne programação com brincadeiras variadas que estimulam o raciocínio lógico e promovem a prática de exercícios físicos, enquanto que o cultural conta com projetos como o Dançando na Rua, além de orquestras de frevo, marchinhas, bandas locais e até aulas de alongamento. No polo do Samba, a cada edição, a tradicional roda de samba encanta todos os presentes. No Esportivo, há pista de skate, espaço para prática de patins, bikes, basquete, handebol, vôlei, futebol americano e badminton.



Este Novo Recife também é caracterizado por abrigar um dos maiores polos gastronômico do País. Pernambuco ocupa, atualmente, este posicionamento privilegiado em relação ao universo da culinária que movimenta milhares de pessoas em torno da boa mesa a cada dia. Os que estiverem no Estado, por ocasião do Congresso CBO2014, poderão degustar as mais variadas culinárias com influência portuguesa, africana e brasileira, além de outros excelentes cardápios internacionais e contemporâneos. Cabe a você escolher do regional à churrascaria, do peruano ao francês, passando pelas mais diversas nacionalidades. É aproveitar e se deliciar!



Acompanhando todas estes atrativos culturais e de serviço, Recife também está mais acolhedora. Até o final do ano, por exemplo, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Pernambuco (ABIH-PE), a cidade terá 15.531 leitos, quase três mil a mais do que o ano passado. Serão 93 estabelecimentos na cidade, além de outros 57 nas cidades vizinhas (34 em Olinda, 23 em Jaboatão dos Guararapes). O Novo Recife: lazer, cultura, serviço e muita alegria para todos os Congressistas. Venham de onde vierem, pois em Pernambuco é só chegar!

*Créditos para o fotógrafo: Sol Pulquério


Inscrições para Cursos de Instrução do XXI Congresso abertas


Vagas são limitadas e ficam abertas até esgotarem a capacidade das salas. Não perca tempo e garanta logo sua participação

A comissão executiva do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual informa aos congressistas que está aberto o período de inscrição para os 26 Cursos de Instrução. Para realizar a inscrição é necessário acessar a área do congressista, no portal do evento.

Cada inscrição no congresso dá o direito de participar de dois cursos gratuitamente. A escolha prévia destes dois cursos pode ser realizada já no ato da inscrição, porém, vale ressaltar que a confirmação desta escolha só acontece após a confirmação do pagamento da inscrição do Congresso.

O colega poderá participar de quantos cursos quiser, porém, a partir da segunda escolha será cobrada uma taxa de R$ 50,00 para cada curso escolhido.

Importante:

Não será possível a escolha de dois cursos realizados no mesmo horário.

Clique aqui e acesse sua área do congressista. Garanta sua presença antes que seu curso desejado preencha todas as inscrições.

Confira abaixo a lista dos 26 cursos disponíveis:



Cirurgia - CONCEITOS EM QUALIDADE DE VISÃO APLICADOS AS CIRURGIAS DE CATARATA E REFRATIVA

Cirurgia Refrativa - ÍNDICES TOMOMOGRÁFICOS PARA O RECONHECIMENTO DE CERATOCONE INICIAL E CÓRNEAS COM FATORES DE RISCO DE ECTASIA

Catarata - OS CASOS DE CATARATA MAIS DIFÍCEIS DO ANO. VAI ENCARAR? (ANO 6)

Glaucoma - GLAUCOMA: UM DESAFIO PARA TODAS AS SUBESPECIALIDADES

Retina - CASOS DESAFIADORES EM DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA A IDADE (DMRI) NEOVASCULAR

Educação Médica - FOTODOCUMENTAÇÃO EM ALTA DEFINIÇÃO COM TRANSMISSÃO AO VIVOE E SEM FIO ATRAVÉS DE UM SMARTPHONE

Propedêutica - ULTRASSOM E UBM | UNIFESP 2014

Córnea - CERATOPRÓTESE: O QUE O OFTALMOLOGISTA GERAL PRECISA SABER SOBRE ESTA ALTERNATIVA?

Oftalmopediatria - CATARATA INFANTIL DE "A" A "Z"

Glaucoma - RECUPERANDO UMA TREC FALIDA: TUDO O QUE VOCÊ GOSTARIA DE SABER SOBRE O AGULHAMENTO

Cirurgia Refrativa - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA REFRATIVA: DA TOPOGRAFIA DE PLACIDO E PAQUIMETRIA ATÉ A TOMOGRAFIA E BIOMECÂNICA DA CÓRNEA

Genética - GENÉTICA OCULAR: AVANÇOS TERAPÊUTICOS

Oftalmopediatria - DISTÚRBIOS VISUAIS RELACIONADOS À APRENDIZAGEM - O PAPEL DO OFTALMOLOGISTA

Glaucoma - POLÊMICAS NO TRATAMENTO CIRURGICO DO GLAUCOMA

Catarata - MANEJO DE COMPLICAÇÕES EM FACOEMULSIFICAÇÃO COM VIDEOS REAIS E ANIMAÇÕES EM 3D

Córnea - TRANSPLANTES DE CÓRNEA: DA CERATOPLASTIA PENETRANTE À CERATOPRÓTESE

Patologia Externa - QUAL É O SEU DIAGNÓSTICO E CONDUTA? UMA SELEÇÃO DE CASOS DE PATOLOGIA EXTERNA, CÓRNEA E CIRURGIA REFRATIVA

Glaucoma - CAMPO VISUAL NO GLAUCOMA

Doenças Sistêmicas - DOENÇAS SISTÊMICAS E OLHO? O QUE O OFTALMOLOGISTA DEVE SABER?

Catarata - CURSO BÁSICO DE FACOEMULSIFICAÇÃO

Córnea - TRANSPLANTE LAMELAR ANTERIOR E A TÉCNICA PAQUI-BUBBLE

Oftalmopediatria - REPERCUSSÕES OCULARES AOS AGENTES AMBIENTAIS

Catarata - CONCEITOS DE PROCESSAMENTO VISUAL E NEUROADAPTAÇÃO EM CIRURGIAS FACORREFRATIVAS

Catarata - CASOS COMPLICADOS EM CIRURGIA DE CATARATA


Inscrições abertas para o Curso CBO-Lideranças



O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que estão abertas, até 30/06/2014, as inscrições para o curso CBO-Lideranças. A iniciativa foi elaborada para desenvolver o perfil de liderança entre os jovens médicos oftalmologistas com o objetivo de capacitá-los para, no futuro, liderarem as Sociedades Estaduais, Regionais ou de Subespecialidades. Além disso, esses jovens com características de lideranças poderão funcionar como multiplicadores dos conceitos políticos, éticos e profissionais preconizados pelo CBO para a Especialidade em cada uma das regiões do País.

O Curso nasceu do projeto do médico oftalmologista Alexandre Ventura, durante sua participação no Curso de Liderança da Pan-American Association of Ophthalmology (PAAO).

Objetivos do programa do Curso:

1- Identificar oftalmologistas com potencial de se tornarem futuros líderes da
Oftalmologia Brasileira.

2- Proporcionar orientação e desenvolver estas capacidades para facilitar a
exposição e amadurecimento destes líderes potenciais na Oftalmologia tanto
estadual quanto nacional.

3- Facilitar a promoção dos (as) alunos (as) do Curso de Desenvolvimento de
Lideranças em posições de liderança tanto nacional quanto internacional.

4-O Programa de Liderança é um compromisso e um investimento conjunto
entre o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, o (a) Candidato (a) e a
Sociedade Oftalmológica.


Critérios para a nomeação

O Curso CBO-Lideranças não aceitará o critério de "autonomeação". Só serão aceitos os candidatos sugeridos pelas Sociedades Estaduais filiadas, Sociedades de Subespecialidades e membros do Conselho de Diretrizes e Gestão do CBO. Tais entidades somente poderão indicar um candidato. O Comitê de Seleção do CBO-Lideranças revisará e selecionará os participantes com base na avaliação dos formulários de nomeação recebidos até 30 de junho de 2014.

Clique aqui e acesse o Edital completo do Curso CBO-Lideranças e aqui para acessar o formulário de nomeação


A palavra do Presidente


Após a apreciação e manutenção dos vetos à Lei do Ato Médico, no Senado e na Câmara Federal, ficou escancarado que todos os argumentos da Oftalmologia em favor de uma saúde ocular de qualidade para a população brasileira foram tratados de forma vil como mera parte de um jogo político-eleitoral. Desviava-se assim, novamente, o foco da falta de gestão e de investimentos do governo, também, na área da saúde ocular. Com a degradação da política de saúde houve piora no acesso da população aos cuidados de Saúde Ocular. Como resposta, o CBO, no dia 7 de maio protocolou junto ao Ministério da Saúde um documento contendo 15 propostas objetivas com a finalidade de ampliar o acesso da população carente aos serviços oftalmológicos.

O CBO, preocupado com a formação de lideranças que possam induzir rotatividade no poder político da instituição e ao mesmo tempo colaborar na coordenação e no processo de decisão da entidade, agora, fortalece o "CBO Jovem" (coordenado pelo Dr. Gustavo Victor) e implanta o Programa, o "CBO Lideranças", com o objetivo de preparar uma nova geração de líderes de nossa profissão. O Programa "CBO Lideranças" nasceu do Projeto do Dr. Alexandre Ventura (orientado pela Dra. Zélia Correia), decorrente de sua participação no Curso de Liderança da "Pan-American Association of Ophthalmology (PAAO)". Os candidatos para o Programa que se inicia em Recife, durante o Congresso Brasileiro de Oftalmologia, deverão ser sugeridos pelas Sociedades Estaduais filiadas, Sociedades de Subespecialidades e pelos membros do Conselho de Diretrizes e Gestão do CBO. Clique aqui e acesse o Edital completo, assim como o formulário de nomeação, do Curso "CBO Lideranças".

Enquanto a nossa luta continua, não há dúvidas de que o saldo social da Oftalmologia brasileira permanece altamente positivo. Sabemos, também, que a saúde ocular da população brasileira é um direito garantido pela constituição. E temos convicção de que os oftalmologistas brasileiros continuam sendo os únicos profissionais competentes para atender a saúde ocular da população no País e que em todos estes anos têm demonstrado grande civismo coordenando equipes compostas por vários profissionais da área de saúde, bem como líderes da comunidade, professores, e a população em geral.

Milton Ruiz Alves
Presidente do CBO


Curso Excelência em Atendimento em Oftalmologia


O Congresso CBO 2014 está oferecendo excelente oportunidade para os serviços de oftalmologia que desejem inscrever seus colaboradores (gestores, assistentes oftálmicos, enfermeiros e recepcionistas) no Curso de Excelência em Atendimento.

Este curso será ministrado pela especialista em gestão de serviços oftalmológicos, Dra. Roberta Fernandes (RJ), no Centro de Convenções de Pernambuco, no dia 3 de setembro, em dois turnos. Durante a manhã será coordenado pelos Drs. Ronald Cavalcanti; (PE) e Kátia Tiné (PE) e no período da tarde pelos Drs. Rodrigo Lira (PE) e João Pessoa (PE).

O objetivo é capacitar o profissional para identificar e planejar ações e procedimentos de atendimento que garantam a maior qualidade e satisfação dos pacientes. O curso visa otimizar as equipes cujas atuações são fundamentais para um atendimento de excelência. Para isso, é necessário conhecimento sobre qualidade no atendimento, táticas para comunicação eficaz, técnicas para atendimento telefônico, normas para apresentação pessoal, aspectos de convívio e condutas no ambiente de trabalho, práticas para lidar com os clientes e estratégias para ?delizá-lo.

As inscrições já estão abertas no site www.cbo2014.com.br ou inscricao@cbo2014.com.br (não é necessário estar inscrito no congresso).

As vagas são limitadas e o investimento será de R$ 75,00 (até o dia 31/07) ou R$ 100,00 (durante o congresso CBO2014).

Importante



Para participar do Curso Auxiliar do Oftalmologista (4 horas - manhã ou tarde) não é obrigatória a inscrição no congresso. ATENÇÃO: essa inscrição somente dará acesso às atividades desse curso, no dia 3/set. Envie a ficha de inscrição (clique aqui para baixar a ficha) e o comprovante de depósito bancário através do e-mail inscricao@cbo2014.com.br. Sua inscrição será confirmada após 72 horas do recebimento do comprovante de pagamento.


Curso de Atualização em Refração CBO será realizado em Campo Grande/MS



O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa aos oftalmologistas de Campo Grande/MS e região que nos dias 08 e 09 de agosto irá realizar o seu segundo curso do Programa "Atualização em Refração CBO" em 2014. O evento acontecerá no Grand Park Hotel e conta com o apoio científico da empresa Essilor.

Os interessados em participar devem enviar um e-mail para assessoria@cbo.com.br com o seu nome completo, CRM e CPF e manifestar o interesse de inscrição. O curso é gratuito, porém, suas vagas são limitadas ao número de lugares disponíveis na sala.

Não deixe para a última hora e realize agora mesmo a sua inscrição! Aproveite e confira a grade científica do evento abaixo:

Sexta-feira, 08 de agosto

19h30 às 19h50: Refração subjetiva.

19h50 às 20h10: Cicloplegia. Quando, como e porque aplica-la?

20h10 às 20h30: Critérios para a prescrição óptica. Tolerância acomodativa

20h30 às 20h45: Coffee Break

20h45 às 21h05: Espaço Essilor

21h05 às 21h25: Fatores de ajustamento das prescrições: Centralização, distanciamento e inclinação das lentes

21h25 às 21h45: Materiais e tratamentos das lentes oftálmicas

21h45 às 22h05: Perguntas e respostas

Sábado, 09 de agosto

08h00 às 08h40: Hipermetropia - discussão de casos

08h40 às 09h20: Miopia - discussão de casos

09h20 às 10h00: Astigmatismo - discussão de casos

10h00 às 10h15: Coffee Break

10h15 às 10h30: Espaço Essilor

10h30 às 11h10: Anisometropia - discussão de casos

11h40 às 12h00: Discussão

12h00 às 12h15: Coffee Break

12h15 às 14h00: Prática wet lab para os médicos

08h00 às 12h00: Prática wet lab para as secretárias

O curso do "Programa de Atualização em Refração CBO" que será realizado em Campo Grande é coordenado pelos doutores Gustavo Victor e Sidney Sousa.


Amanhã é o último dia para realizar sua pré-inscrição no CBO2014



Amanhã, quinta-feira (31/07), é o seu último dia para realizar a pré-inscrição e garantir participação no XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa. Quem perder esta data só conseguirá se inscrever direto no evento e pagará a inscrição com valor reajustado. Neste cenário, basta comparecer na secretaria local, a partir do dia 02 de setembro, no centro de Convenções de Pernambuco.

Acesse agora mesmo o site do Congresso (www.cbo2014.com.br) faça a sua inscrição e aproveite o último prazo com desconto.

IMPORTANTE:

Para habilitar o boleto de cobrança da inscrição do congresso e receber o desconto promocional de associado, é necessário estar adimplente com a tesouraria do CBO em 2014. São três formas de pagamento:

Impressão do boleto bancário*: pagamento à vista. Normalmente esta opção demora até dois dias úteis para ser confirmada pelo banco.

Transferência*: transferência do valor diretamente para a conta do CBO; pagamento à vista. Normalmente esta opção demora até dois dias úteis para ser confirmada pelo banco.

Cartão de crédito: possibilidade de pagamento em até 3x sem juros. Nesta opção a confirmação de pagamento é praticamente imediata.

*sugerimos aos associados que utilizarem estas opções de pagamento que enviem o comprovante da transação para o e-mail financeiro@cbo.com.br e solicitem a baixa manual do pagamento.

Acesse www.anuidadecbo.com.br e realize agora mesmo o seu pagamento.


Medicamentos com corticoides podem causar glaucoma



O Glaucoma é uma doença silenciosa e incurável, que provoca danos no nervo óptico causando o aumento da pressão ocular. A doença é considerada a maior causa de cegueira irreversível no mundo. É imprescindível que a população visite regularmente o oftalmologista, pois, quando identificado precocemente, o glaucoma é controlável e tratável com base em colírios.

Se você tem 40 anos ou mais, possui histórico de familiares que tenham glaucoma, diabéticos e/ou hipertensos e possui a pressão ocular alta é importante realizar periodicamente a consulta ao médico oftalmologista.

Existem alguns medicamentos, vendidos sem a necessidade de receita médica, que podem causar também o glaucoma. Clique aqui e confira a matéria completa publicada hoje pelo IG que trata sobre este assunto. Se preferir, veja a matéria abaixo:

Qualquer forma de cortisona pode causar glaucoma, alertam oftalmologistas


Quando o medicamento é necessário, acompanhamento com oftalmologista é única forma de impedir progressão da doença

Quem sofre de asma já é íntimo dela: medicamentos à base de cortisona são a solução no caso de uma crise. Os corticoides também são prescritos como anti-inflamatórios potentes em doenças como artrite reumatoide, problemas pulmonares e alergias.

Mas é preciso cuidado com os efeitos colaterais. Quem faz uso constante de corticoides tem risco de desenvolver glaucoma, doença que sem o devido tratamento pode deixar a pessoa completamente cega em um período de dez anos. "Não importa se o corticoide é usado no couro cabeludo, se é em forma de colírio, pomada, comprimido, injeção ou bastão: ele entra no sangue e pode causar glaucoma", alerta Ralph Cohen, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Glaucoma.

Por isso, o médico pleiteia uma mudança na legislação de venda dessa classe de medicamentos, para controlar o uso indiscriminado e sem necessidade. "As autoridades deveriam proibir a venda de cortisona sem receita, porque, todos eles, sejam mais fracos ou mais fortes, causam glaucoma", completa Cohen.

Sem perceber

O risco fica ainda maior porque o glaucoma é uma doença silenciosa: provoca uma lesão no nervo óptico, que vai sendo machucado lentamente - sem a pessoa se dar conta. "Há perda de visão periférica, ou seja, o paciente começa a tropeçar nos degraus por não enxergá-los, tropeça em mesas de centro. É de fora para dentro, lentamente", explica Cristiano Umbelino, oftalmologista da Sociedade Brasileira de Glaucoma.

Por isso, aqueles que dependem do uso contínuo da cortisona devem visitar o oftalmologista uma vez por ano para monitorar se houve o aparecimento do glaucoma. Mesmo que a visão pareça perfeita. "Estar enxergando bem não significa estar com a visão em dia. O paciente continua enxergando à sua frente perfeitamente, com a mesma nitidez de sempre, mas o glaucoma vai fechando sua visão. Trocar de óculos também não significa que a visão está em dia. É preciso fazer exames de fundo de olho, medir pressão ocular, e isso só o oftalmologista faz", alerta Umbelino.

A partir do momento que a doença for detectada, as visitas devem ser mais frequentes - a cada seis meses - e é preciso fazer tratamento com remédios.
Hoje, no mundo, há 60 milhões de pessoas com glaucoma. Embora não haja dados especificamente brasileiros, estima-se que o mundo abrigará 80 milhões de portadores em 2020. "Desses 80 milhões, mais de 12 milhões serão cegas dos dois olhos. A doença tem um cunho social e previdenciário muito grande para qualquer país. E o glaucoma não tem cura, mas tem controle", completa Umbelino.


Prazo para a inscrição nos Concursos Culturais CBO2014 termina amanhã. Participe!



Ainda dá tempo dos colegas oftalmologistas participarem e realizarem a inscrição nos Concursos Culturais do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso Brasileiro de Língua Portuguesa. Veja como realizar a inscrição corretamente abaixo.

Concurso de Fotografia "Um dia na vida do oftalmologista"
Primeiro prêmio: Uma câmera fotográfica DSLR (usada por profissionais)
Segundo prêmio: Inscrição no XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia-2015


Normas para o envio de fotografias (impressas):

1. Poderão participar do concurso apenas os oftalmologistas inscritos no congresso.

2. Cada participante poderá concorrer com no máximo com 3 (três) fotografias.

3. As fotografias deverão ser apresentadas em duplicata no formato 30 x 40 cm, coloridas, em papel fosco e um arquivo em CD para cada foto.

4. Não será permitido o uso de montagens, efeitos e tratamento de imagem por computador.

5. Os participantes deverão identificar cada fotografia inscrita com o pseudônimo, por meio de uma etiqueta adesiva colocada no verso, posicionada próxima à borda superior da fotografia e dessa forma indicando a orientação correta da imagem.

6. A ficha de inscrição (clique aqui para efetuar o download) deverá ser encaminhada em um envelope fechado junto com outro envelope contendo as fotos e o CD (este deverá estar lacrado com o pseudônimo do lado de fora). Observação: o pseudônimo não deve estar relacionado com o nome do autor.

7. A autoria das fotografias será conhecida somente após o processo de julgamento.

8. As fotografias inscritas não serão devolvidas e passarão a fazer parte do acervo do CBO, podendo ser utilizadas em exposições, divulgações, etc.

9. Os participantes deverão apresentar uma autorização de cessão de imagem da(s) pessoa(s) que puder(em) ser identificada(s) de alguma forma na foto. O participante isenta o CBO da responsabilidade das questões que envolvem o direito de imagem, e autorizam a publicação da foto pelo CBO, em mídias eletrônicas e impressas. A assinatura do termo de liberação de imagem implica na aceitação e concordância com todos os itens deste Regulamento.

10. O júri será composto por uma comissão de 3 (três) membros indicados pela Comissão Executiva do CBO 2014, incluindo expert em fotografia, profissional de comunicação e um oftalmologista.

11. A inscrição no concurso deverá ser realizada neste site, e o envio do material deverá ser feito pelos Correios para o seguinte endereço:
CBO 2014 - "Concurso de Fotografia".
Av. João de Barros, 434 sala 103 - Boa Vista - Recife/PE - CEP 50050-180

12. O prazo máximo para o envio das fotos será no dia 15 de julho de 2014 e deverá ser rigorosamente cumprido. A data do envio será conferida pelo carimbo dos Correios.

Concurso Cultural de Casos e Prosas na Oftalmologia
Primeiro prêmio: Um iPad
Segundo prêmio: Inscrição no XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia-2015



Normas para o envio:

1. Poderão participar do concurso os médicos oftalmologistas inscritos no Congresso.

2. Cada participante poderá inscrever apenas um trabalho.

3. O trabalho e a ficha de inscrição (clique aqui para efetuar o download) que se encontra neste regulamento, deverão ser enviados como anexos por e-mail até a data limite de 15 de julho 2014 às 18h00.

4. O endereço eletrônico para envio será: contato@cbo2014.com.br

5. O trabalho deve ser encaminhando como anexo em Word, em letra TIMES NEW ROMAN - 12, em páginas A4, contendo até 2.500 caracteres (incluindo espaço) e assinado com um pseudônimo.

6. A comissão julgadora não terá conhecimento da autoria do trabalho, que será conhecida somente após o processo de julgamento.

7. O trabalho inscrito não será devolvido.

8. O participante isenta o CBO da responsabilidade das questões que envolvem direitos autorais, e autorizam a publicação do trabalho pelo CBO, em mídias eletrônicas e impressas. A assinatura do termo de liberação implica na aceitação e concordância com todos os itens deste Regulamento.

9. O júri será composto por 3 (três) oftalmologistas, indicados pela Comissão Executiva do CBO 2014.

10. O prazo máximo para o envio do trabalho será no dia 15 de julho de 2014 e deverá ser rigorosamente cumprido.


Novartis licenciará novas lentes inteligentes do Google



A Novartis anunciou que a sua divisão de cuidados com os olhos, a Alcon, fez acordo com o Google [x], uma divisão do Google para licenciar sua tecnologia "lentes inteligentes", para o uso médico ocular. Pelo acordo, uma equipe da Google que se dedica a encontrar novas soluções para os grandes problemas globais, dá à Alcon a oportunidade de desenvolver e comercializar a tecnologia "lentes inteligentes" do Google, com o potencial de transformar o cuidado dos olhos. A transação está sujeita às aprovações das entidades de controle da concorrência.

Primeiramente idealizada para controlar o diabetes, a nova lente virá com um dispositivo que usa as lágrimas do usuário para monitorar a quantidade de glicose presentem em seu sangue. A lente ainda está em fase de protótipo e não tem data para chegar ao mercado.

"Estamos ansiosos para trabalhar com o Google para reunir sua tecnologia avançada e nosso amplo conhecimento da biologia para atender às necessidades médicas não atendidas", afirma Joseph Jimenez o CEO da Novartis Joseph Jimenez. "Este é um passo fundamental para que possamos ir além dos limites da gestão tradicional de doença, começando com o olho", complementa.

Já para Sergey Brin, co-fundador do Google, o sonho da empresa é usar a última tecnologia na miniaturização eletrônica para ajudar a melhorar a qualidade de vida para milhões de pessoas.

Clique aqui e confira abaixo o vídeo que explica um pouco melhor sobre as funções da futura "lente inteligente" do Google. O material está publicado na página do Olhar Digital, do grupo UOL.



A prática da leitura em smartphones, tablets e computador é prejudicial aos olhos?


Muito é dito sobre o uso inadequado da tecnologia, principalmente no que diz respeito à parte visual. Mas, será que de fato o uso contínuo do tablet, smartphones e afins podem causar danos à visão? A Professora Associada na Disciplina de Oftalmologia do Departamento de Oftalmo/Otorrinolaringologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e secretária-geral do CBO, Keila Monteiro de Carvalho, responde algumas perguntas que podem esclarecer as dúvidas de muitas pessoas.

O uso prolongado de aparelhos como tablets e smartphones podem causar problemas de visão? Por quê?

Nos últimos anos, tem havido uma crescente popularidade dos tablets, com destaque para os com tela de tinta e outro com tela comum. Os aparelhos com tinta possuem geralmente um sistema muito limitado, que não podem rodar software complexos e nem jogos, e se destinam quase que exclusivamente à leitura de livros. Deste grupo, o mais popular é o Kindle, da Amazon. Já os tablets com tela comum são utilizados para navegar na internet, jogos e utilizar programas complexos, como os usados para mostrar documentos de texto, planilhas eletrônicas etc. Deste grupo, os mais populares são o iPad e o Samsung Galaxy Tab.

A capacidade de adaptar o tamanho da fonte também pode abrir oportunidades de leitura para pessoas com deficiência ou baixa visão.

Embora tenha sido aceito que a leitura em telas eletrônicas é lenta e associada à fadiga visual, esta nova geração está explicitamente propensa a usar esses dispositivos para leitura. Pesquisas mostraram que, em comparação com as telas eletrônicas, a leitura em papel é mais rápida e exige menos fixações por linha. Neste caso, seria de esperar efeitos diferenciais quando se compara o comportamento de leitura em telas dos tipos e-link e LCD. Mas, os estudos mostraram que nos dois displays (tablets com tela de tinta e os LCDs) a leitura sobre estes tipos de exibição foi muito semelhante em termos de medidas subjetivas e objetivas.

Em relação aos problemas visuais, podemos considerar o cansaço visual resultante do uso contínuo e sem observação das necessidades ergonômicas.

Assim como ocorre com o computador, o uso prolongado destes equipamentos pode levar a problemas como síndrome do olho seco, fadiga e irritação nos olhos? Por que isso acontece?

Muitos trabalhos têm demonstrado que o uso de terminais de vídeo (computador e outros) está associado a sintomas de cansaço visual e diminuição da taxa de piscamento. O uso de telas antirreflexo no monitor previnem a propagação da luz a partir da superfície da tela e daí não ocorre essa redução do piscamento, dando menos sintomas. Quando se pisca menos, acontece a diminuição da lubrificação natural levando à chamada "síndrome do olho seco".

Existe algum exercício a ser realizado durante as pausas para lubrificar os olhos?

O piscar voluntário deve ser recomendado, assim os efeitos da diminuição do piscamento ficam minimizados e evita-se o olho seco.

Utilizar estes equipamentos no escuro pode prejudicar a visão?

Baixos níveis de fluxos de luz ambiental criam condições inadequadas de visualização e também podem causar fadiga ocular. Pode ser atribuído a variações no estado de adaptação à intensidade da luz, que ocorre quando o leitor desloca o olhar de forma intermitente entre o monitor mais brilhante e o escuro ambiental. Para melhorar esta situação, sugere-se que a pessoa aumente a iluminação ambiente para minimizar as diferenças da adaptação do olho, reduzindo, potencialmente, a fadiga visual. A sugestão é uma luz ambiente entre 75-150 lux no caso dos LCDs típicos. O uso de LCDs com baixa refletividade e com maiores índices de luminância inerentes pode proporcionar melhoria das condições de visualização, resultando em ergonomia nas leituras em vídeo.

Para não prejudicar a visão, que cuidados devem ser tomados na hora de usar estes aparelhos (distância para leitura, tempo de utilização e de pausa, posição em que o aparelho deve ficar em relação aos olhos)?

Em uma série de experimentos com pessoas de visão normal, o desempenho foi consistentemente melhor com polaridade positiva (texto escuro em fundo claro) do que com displays com polaridade negativa (texto claro sobre fundo escuro). Esta vantagem da polaridade positiva foi independente da iluminação ambiente (escuridão versus iluminação típica de escritório) e de cromaticidade (preto e branco versus azul e amarelo). Em pesquisa, foi avaliado o efeito da distância de visualização em relação ao desconforto e fadiga. Concluiu-se que os problemas na visão de longe foram um pouco menores que em distância próxima. Além disso, foi encontrada falta de correção refracional, podendo ocasionar mais desconforto ocular principalmente em pessoas que já tem algum distúrbio motilidade ocular, com pequenos desvios dos olhos.

A distância de visualização da tela ideal é relacionada à acuidade visual do usuário. No caso da pessoa usar óculos, sabemos que, como cada grau tem seu comprimento focal, o alcance de visualização do vídeo vai depender dessas condições ópticas. Para pessoas com visão normal, recomenda-se que mantenha um espaço confortável, entre 33 cm e 40 cm. Se a pessoa tiver baixa visão, este intervalo vai mudar de acordo com os óculos que utiliza. À posição dos olhos em relação à tela, considera-se ideal a pessoa olhar ligeiramente para baixo, com ângulo de cerca de 20 graus.

O uso destes aparelhos em um veículo em movimento como carro ou metrô pode levar a problemas de visão? E durante a prática de atividade física (na esteira, por exemplo) causa algum mal à visão?

O enjoo com leitura em veículos em movimento ocorre por características pessoais e não ligadas ao tipo de leitura. Pode ocorrer tanto quando se lê em papel como em tablets, com telas de tinta ou LCDs. Já durante a atividade física, não é recomendado de maneira alguma, principalmente porque ao ler a pessoa não consegue manter a postura adequada levando a possíveis problemas e dores daí decorrentes. Não há benefício algum em ler durante a atividade física, ao contrário, este é um momento especial para o descanso mental.

Sobre os displays em 3D...

O aumento recente do uso de displays estéreos (3D) tem sido acompanhado por preocupação pública sobre os potenciais efeitos adversos, associados com a visualização prolongada de imagens estéreis. Existem inúmeras fontes potenciais de efeitos adversos, mas uma das principais é o conflito da acomodação-convergência nos displays, que afetam o conforto visual gerando fadiga ocular. Acomodação e convergência binocular são fatores predominantes que ocasionam astenopia (cansaço visual), após a visualização de telas 3D.

Visualização em 3D estereoscópico proporciona maior imersão, mas também pode levar a sintomas de enjoo com o movimento. Jovens espectadores incorrem em maior imersão, mas, também maiores sintomas de náuseas com o movimento em visualização 3D, o que poderá ser reduzido se distância e ângulo de visões maiores forem adotados.

Clique aquie confira essas e outras matérias sobre a sua saúde ocular na Revista Veja Bem


CBO conquista a recertificação da norma ISO 9001:2008



Entidade passa por auditoria externa e comprova a eficácia de todos os seus procedimentos internos relacionados ao associado

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa aos seus associados que obteve sucesso no processo de recertificação de seu Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) na norma ISO 9001:2008 e receberá o certificado internacional, que ratifica a excelência nos procedimentos realizados em benefício do associado, em até 10 dias úteis com validade pelos próximos três anos.

A entidade iniciou o processo de recertificação no início de junho, quando recebeu os auditores da DQS do Brasil LTDA - Associação Alemã para Certificação de Sistemas de Gestão -, empresa que atua no País desde 1994 e já certificou mais de 43 mil empresas. Durante os dias 10 e 11, todos os procedimentos relacionados ao Escopo do SGQ foram cuidadosamente analisados.

Em 12 de julho a entidade recebeu a recomendação para a recertificação na norma ISO 9001:2008. O Escopo do SGQ permanece da seguinte maneira: "Aprimoramento do Ensino", "Estímulo à pesquisa em Oftalmologia" e "Defesa Profissional do Oftalmologista".

A diretoria do CBO, gestão 2013-2015, teve influente papel para o êxito desta auditoria externa. "Esta recertificação comprova que o CBO está buscando a padronização de todas as suas atividades com o objetivo de oferecer, com excelência, o melhor suporte e atendimento ao nosso associado. Desde 2011, quando conquistamos a certificação, temos trabalhado em melhorias em todos os nossos setores administrativos e o resultado desta auditoria em 2014 mostra que estamos no caminho certo", afirma Mauro Nishi, tesoureiro do CBO.


A palavra do Presidente



Em novembro do ano passado iniciamos o processo de melhorias em nossa comunicação na internet. Com essa nova mentalidade, o www.cbo.com.br passou a receber atualizações diárias, com conteúdo de interesse público em sua aba de notícias e, pouco a pouco, avançamos em materiais exclusivos ao associado, principalmente o canal de educação continuada, com a adição de mais de 60 aulas.

Por outro lado, a página no facebook passou a ter milhares de seguidores que recebem também atualização diária pela mídia social. A aceitação e interatividade dos colegas para com esta plataforma é tão significativa que diversas publicações alcançaram a marca centenária de compartilhamentos, quando o conteúdo publicado é compartilhado pelo seguidor entre seus amigos. Passou a ser praticamente impossível sair alguma informação relevante à Especialidade sem que os médicos oftalmologistas, que seguem a entidade, recebam o conteúdo na palma da sua mão, caso assim prefiram.

Os resultados conquistados após a aplicação destas ações não poderiam ter sido melhores: nosso portal bate recorde de acessos a cada mês e nos próximos dias alcançará, pela primeira vez na história, a marca de 1 milhão de acessos apenas em 2014. Estes dados nos mostram que estamos no caminho certo e que conseguimos, de certo modo, oferecer conteúdo relevante e exclusivo para o nosso principal parceiro: o médico oftalmologista!

Outra vertente muito importante foi transmitir informação à população sobre os cuidados com a sua saúde ocular. Foram inúmeras matérias, chanceladas por influentes especialistas, publicadas em nosso portal e que renderam milhares de cliques. Desta forma, reforçamos a nossa preocupação de levar conhecimento aos nossos pacientes e lembrá-los de que apenas o médico oftalmologista é o capacitado para cuidar da saúde ocular.

Temos a certeza de que o caminho está sendo bem pavimentado, mas melhorias são sempre bem-vindas. É com satisfação que informo que em 01 de agosto lançaremos um novo portal do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, completamente reformulado e adequado às novas tendências digitais. Este novo portal foi idealizado exclusivamente pensando em você, caro colega, que confiou em nossa credibilidade, retransmitiu nossas publicações por toda a internet e é parte fundamental neste 1 milhão de acessos.

Visite nossa página na próxima sexta-feira. Envie-nos suas críticas, sugestões, aponte os erros. A sua participação em mais esta etapa é fundamental para a melhoria contínua desta ferramenta tão importante

Milton Ruiz Alves
Presidente do CBO
Gestão 2013-2015


Má higienização das lentes de contato é fator determinante para cegueira de estudante tailandesa



Uma matéria publicada pelo periódico inglês Daily Mail, em 10 de julho, contou a história da jovem Lian Kao, de 23 anos, usuária de lentes de contato descartáveis e que acabou tendo parte dos seus globos oculares devorados por uma ameba. A nota informa, também, que a jovem não realizava a periódica limpeza de suas lentes e com isso permitiu que um protozoário se desenvolvesse no espaço entre elas e os olhos da moça.

De acordo com o periódico, Lian Kao ficou por pelo menos seis meses utilizando a lente de contato sem a devida limpeza, inclusive para a prática da natação. Foi este o cenário perfeito para que a ameba Acanthamoeba Keratitis encontrasse um ambiente com pouca oxigenação e temperatura ambiente, propício para o seu desenvolvimento. Pior, encontrando alimento em parte dos olhos da tailandesa.

O diretor de oftalmologia do Wan Fang Hospital, em Taipei, Wu Jian-Liang, que atendeu a jovem, reforça que os usuários de lentes de contato fazem parte de um grupo de alto risco, que pode ser facilmente exposto a doenças oculares. "A falta de oxigênio pode destruir a superfície do tecido epitelial, criando pequenas feridas, as quais as bactérias podem facilmente infectar e se estender para o resto do olho. Essa menina deveria ter jogado as lentes de contato fora após um mês de uso, mas, em vez disso, ela as usou demasiadamente e agora está com suas córneas permanentemente danificadas", afirma Jiang-Liang.

O oftalmologista afirma ainda que expos o caso para alertar os demais usuários de lentes de contato sobre o risco do uso irregular dos assessórios que precisam ser higienizados regularmente e descartados seguindo sua data de validade.

Clique aqui e confira matéria na íntegra.

Atenção: a higienização das lentes de contato é fundamental para a sua saúde ocular!





Com o alto valor investido em pesquisa anualmente, a tecnologia para a correção visual por meio de lentes de contato (LC) vem se aperfeiçoando com rapidez e o seu uso caiu rapidamente nas graças da população, principalmente pelo conforto que as lentes oferecem e a possibilidade de intercalá-las com os óculos convencionais.

É preciso reforçar aos usuários sobre a limpeza das LC, o respeito ao seu prazo de validade e de descarte das lentes gelatinosas. Os cuidados com a higiene do estojo também são fundamentais para manter a conservação das LC e a saúde dos olhos. Como a lente fica exposta diretamente ao ambiente, é bastante comum a concentração de muco e demais secreções, o acúmulo de cosméticos diversos (maquiagens) ou corpos estranhos, que podem causar lesão de córnea, infecções, a redução do conforto com as lentes e, com isso, influenciar na continuidade de seu uso. Em ocasiões extremas pode levar até a cegueira, portanto, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia preconiza para que os usuários sigam religiosamente as dicas de limpeza abaixo:

1- É fundamental realizar a limpeza assim que as lentes são retiradas;

2- Procure criar uma rotina, como escovar os dentes, por exemplo, para realizar a limpeza todos os dias, sem exceção;

3- Produtos de limpeza para lentes gelatinosas podem ser utilizados em lentes rígidas, mas nunca o contrário;

4- Lave sempre bem as mãos. Secar bem e tomar cuidado com os possíveis fiapos que possam restar deste ato de limpeza;

5- Cuidado com as unhas, principalmente para não danificar as lentes;

6- Examine sempre as bordas das LC antes de coloca-las para verificar se não há rasgos nas bordas.

Limpeza das lentes de contato gelatinosas com solução multipropósito:

Com as mãos devidamente lavadas e secas, retire a lente de contato e a posicione na palma de sua mão. Após isso, aplique duas ou três gotas do produto de limpeza (existem diversos no mercado, com os preços entre R$ 43,00 a R$ 55,00, em São Paulo-SP) escolhido e friccionar levemente com o indicador por 20 segundos. Enxágue com o produto e coloque a lente no estojo com a solução por até seis horas. Não reutilizar o produto em nova limpeza.

Limpeza das lentes de contato rígidas com solução multipropósito:

Com as mãos lavadas e secas, retire a lente de contato dos olhos, posicione na palma da sua mão e aplique o produto de limpeza (existem diversos disponíveis no mercado, com preços entre R$ 25,00 a R$ 60,00, em São Paulo-SP) escolhido e friccionar levemente com o indicador por 20 segundos. Enxágue com o produto e coloque a lente no estojo com a solução.



Para os usuários alérgicos aos produtos multipropósitos, aconselha-se o enxágue com soro fisiológico antes de colocar as LC nos olhos. Importante: Adquirir flaconetes (veja imagem acima) de soro fisiológico e descartá-lo após o uso.

Limpeza do Estojo

Pelo menos uma vez por semana, utilizar uma escova de dente infantil e aproveitar o próprio produto de limpeza para realizar a escovação do dispositivo. Evite, nesta ação, a água da torneira e procure escovar até os pequenos cantinhos, as bordas e a rosca do estojo. Troque de estojo após seis meses de uso.

Dicas importantes:

1- Ao guardar suas lentes rígidas, não as coloque de boca para baixo para não formar vácuo na LC, que pode facilitar a sua quebra na hora de retirar do estojo;

2- Não é recomendável a compra dos "estojos bonitinhos" para o armazenamento da lente. Por mais "fofos" que eles possam ser, é obrigatório encerrar o seu uso em até seis meses e descartá-lo. Procure os convencionais, pois você não vai ter apego nenhum com ele na hora de substituí-lo;

3- Respeite o prazo de validade das suas lentes de contato e nunca a ultrapasse. Sempre procure um oftalmologista. Qualquer dúvida, a Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (SOBLEC) reúne os principais especialistas em lentes de contato do Brasil.


CBO realizará primeira aula para plataforma webinar em 28/07. Participe!



Distúrbios de Aprendizagem e Dislexia: Abordagem Interdisciplinar, ministrado pela professora doutora Liana Ventura, foi o tema escolhido pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia para promover a atualização dos conhecimentos à distância no formato webinar. A aula será apresentada ao vivo, com início às 19 horas de 28 de julho de 2014.

Esta iniciativa será realizada em conjunto com a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO) e conta com o apoio do International Council of Ophthalmology (ICO). Sua transmissão aproveitará toda a infraestrututra da plataforma webinar, que permite não só a apresentação da aula ao vivo como também a participação em tempo real dos inscritos, hospedada no portal da Associação Pan-Americana de Oftalmologia (PAAO).

Veja, em depoimento abaixo, a importância do tema e o convite da professora Liana Ventura:

Neste webinar vamos conhecer os diferentes contextos dos distúrbios de aprendizagem, e como a intervenção através de uma equipe multidisciplinar pode amenizar as dificuldades e aumentar consideravelmente as oportunidades do indivíduo.

Mostraremos que além da capacidade fonológica, a avaliação oftalmológica completa, incluindo o estudo sensório motor, e do padrão de atenção visual, pode revelar alguns achados comumente evidenciados em pacientes com distúrbios de aprendizagem, dentre eles a dislexia. Discutiremos as estratégias de conduta mais adotadas.

Espero a participação de todos vocês no dia 28 de julho, às 19h, para juntos fazermos uma rica troca de experiências e aproveitar toda a estrutura que a plataforma nos oferece!

Para conseguir assistir á aula é necessário ter um cadastro no site da PAAO e realizar a inscrição na referida aula.

Veja abaixo o passo a passo de como proceder:

1. Acesse ao Campus PAAO através do link http://www.campuspaao.org/;

2. Clique em "Webinars" ---> "Webinars Futuros";

3. Clique no título do Webinar "Distúrbios de Aprendizagem e Dislexia: Abordagem Interdisciplinar".

4. Clique em "Continuar";

5. Realize o seu login no site da PAAO. Caso você não tenha um registro, por favor, siga as instruções que aparecem à sua direita e realize o cadastro. Observação: Não é necessário ser associado à PAAO para participar do webinar.

6. Uma vez registado na PAAO, repita os processos 1,2 e 3;

7. Com o login efetuado na página, clique em "opões de registro" e em seguida "inscreva-se", junto à parte inferior da página;

8. No dia do Webinar acesse http://www.campuspaao.org/. Clique em "Webinars" --- "Próximos webinars", usando a sua identificação e palavra-passe.

9. É importante verificar a sua zona horária para não perder um minuto do curso. Clique aqui e consulte.


Participe do Simpósio de Ética Médica e do Julgamento Simulado no CBO2014



Durante o Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado de 03 a 06 de setembro de 2014, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife, será realizado o Simpósio Ética Médica CBO-CFM-CRM. O evento acontecerá em 05 de setembro, das 08h às 10h, na sala Gravatá e é coordenado pelo professor doutor Adamo Lui Netto.

"Nós queremos mostrar alguns aspectos do exercício ético da medicina, principalmente na valorização, dignidade profissional do médico, das questões éticas, bioéticas e também relacionadas à publicidade médica respeitando sempre a saúde da população?, afirma Lui Netto.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) e Conselhos Regionais de Medicina foram regulamentados em 1957, pelo então presidente da República Juscelino Kubitschek, para proteger a sociedade de possíveis arbitrariedades que pudessem estar acontecendo na área da medicina. "Então, o que acontece: são conselheiros eleitos pelos próprios médicos para que possam fazer a defesa da sociedade. Eles julgam os seus pares para identificar se de alguma forma existiu a infração ética do exercício da medicina ou se houve erros técnicos", complementa o professor.

O Simpósio é muito importante para criar mecanismos de conscientização aos colegas sobre as condutas que devem ser adotadas com o objetivo de evitar que o médico possa infringir a ética e, também, reforçar a importância do devido conhecimento do Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina, editado em sua última versão em 2010.

Entre as principais infrações éticas cometidas está o processo relacionado à má relação entre médico e paciente, quando o paciente não entende ou não é informado pelo médico sobre os procedimentos que serão feitos, ou seja, quando a prática médica não é totalmente ilustrada. Neste caso, os Termos de Consentimento Livre Esclarecidos possuem importância fundamental para evitar este cenário descrito acima.

"O Termo faz parte do Código de Ética Médica, porém, é necessário tomar alguns cuidados, afinal, o paciente precisa entender o que está escrito no documento e assiná-lo. Menores de 18 anos de idade e pessoas que possuam dificuldade na interpretação deste texto devem ter um responsável para o ato da assinatura", diz o coordenador.

O Simpósio já está com sua grade de palestras finalizadas e haverá espaço para a discussão. Clique aqui e confira toda a grade e seu respectivo horário.

Julgamento simulado é destaque no Congresso



No dia 04 de setembro, na Sala Caruaru, das 14h às 16h, o professor Adamo Lui Netto coordenará também o Julgamento Simulado. "O Julgamento Simulado contemplará a discussão de um caso real já julgado pelo Cremesp. Discutirá uma situação de conflito entre o médico, óptica e outros profissionais não médicos. Esta atividade contará com a participação dos Conselheiros dos Estados para tornar esta simulação uma verdadeira câmara de julgamento real e terá a duração de uma hora e meia", afirma professor.

Como vimos, o Simpósio e o Julgamento Simulado são temas importantes para a prática médica diária. A participação dos médicos oftalmologistas é fundamental para entender cada vez mais este processo. Para finalizar, o professor faz um convite aos colegas:

"Convido a todos os oftalmologistas a participar do Simpósio de Ética Médica e do Julgamento Simulado para conhecer um pouco mais sobre o exercício da medicina voltada às orientações éticas, bioéticas, de saúde da sociedade. Espero que todos compareçam para potencializar nossas discussões", convida o Lui Netto.


Ação Social “A Visão do meu Olhar” tem sua cerimônia de encerramento realizada em Recife



A solenidade de encerramento da Ação Social Interdisciplinar do Congresso CBO 2014 "A Visão do meu Olhar", ocorreu em 11 de agosto às 9 horas, no Centro Especializado em Reabilitação Menina dos Olhos, da Fundação Altino Ventura.

Os pacientes da Ação Social receberam doação, pela Secretaria de Saúde de Pernambuco, de um total de 379 auxílios ópticos e não ópticos, sendo 136 óculos, 63 auxílios ópticos para distância (telessistemas), 62 auxílios ópticos para perto (lupas), 10 óculos com lentes esfero-prismáticas e filtros, 106 Bengalas e 2 próteses oculares.

A Comissão Organizadora do Congresso CBO 2014, prestou homenagem aos parceiros desta Ação Social, a Secretaria de Saúde de Pernambuco, Secretaria de Educação de Recife e Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco. Agradeceu o apoio da Sociedade de Oftalmologia de Pernambuco, instituições de apoio a pacientes com deficiências, pacientes e familiares, tais como o Instituto de Cegos Antônio Pessoa de Queiroz, a Associação Pernambucana dos Cegos e a Associação Beneficente de Cegos do Recife e aos serviços com Cursos de Especialização credenciados pelo CBO que participaram da Ação.

Os números da Ação

Na solenidade de encerramento, a professora doutora Liana Ventura apresentou os resultados da Ação Social, que foi planejada para atender às necessidades do Projeto Viver sem Limites, do Ministério da Saúde. Dos 700 pacientes que foram convidados a participar e que tinham seus cadastros ligados às instituições de apoio a pacientes com deficiências visuais de Recife, 331 pacientes atenderam aos critérios de inclusão dentro de um protocolo científico considerando as normas da Organização Mundial de Saúde. Dentre os pacientes, 191 (58%) eram do sexo masculino e 140 (42%) feminino. Os cegos responderam pela maioria dos pacientes (54%), baixa visão foi vista em 20% e outros graus de deficiência visuais foram verificados nos demais casos. O local anatômico da causa da deficiência visual foi predominantemente a retina e o globo ocular (33 e 18% respectivamente). Dentre as causas evitáveis da deficiência visual, os erros refrativos não corrigidos foram os mais frequentes (22%), seguido do glaucoma e da catarata (21 e 18%, respectivamente).

Representando as autoridades locais, as doutoras Ana Lúcia Ávila (Secretaria de Saúde de Pernambuco) e Prof. Lauriceia Tomaz (Secretaria de Educação de Recife), parabenizaram a iniciativa do CBO e da Comissão organizadora do Congresso CBO 2014, manifestando a intenção de apoiar ações futuras em prol do combate a cegueira e reabilitação visual da população em Pernambuco.

As atividades diagnósticas e assistenciais aos pacientes foram supervisionadas por oftalmologistas da Fundação Altino Ventura e contaram com a participação de médicos, especializandos de cinco serviços com Cursos de Especialização credenciados pelo CBO: Instituto de Olhos de Recife, Universidade Federal de Pernambuco, Hospital Santa Luzia, SEOPE e Fundação Altino Ventura.

A coordenação científica desta ação social foi feita pelos professores Milton Ruiz Alves (presidente do CBO), Keila Monteiro de Carvalho (secretária-geral do CBO), Liana Ventura (presidente do Congresso CBO 2014), Daena Leal (Coordenadora Médica do Centro Especializado em Reabilitação Visual da Fundação Altino Ventura) e Tiago Arantes (coordenador do Departamento de Investigação Científica da Fundação Altino Ventura).

Durante o Congresso CBO 2014, no período de 3 a 7 de setembro, serão apresentados os principais achados oftalmológicos, causas de baixa visão e cegueira, condutas clínicas, cirúrgicas e intervenção multidisciplinar, achados psicopedagógicos e psicosociais, e qualidade de vida, destes pacientes. Estes dados serão encaminhados ao Ministério da Saúde, Secretarias de Saúde e Educação de Pernambuco e Recife.

Para os presidentes do Congresso CBO 2014, Afonso Medeiros e Liana Ventura, a concretização da Ação Social foi pioneira e inovadora, alavancando esforços em prol do combate a cegueira e reabilitação visual e teve importante impacto social.


Jovem oftalmologista: participe do Simpósio preparado cuidadosamente para você no CBO2014



São diversos os desafios para o jovem oftalmologista em início de carreira. Para superá-los com sucesso é necessário CONHECIMENTO! A Comissão CBO-Jovem preparou o Simpósio "O que todo o Oftalmologista Jovem quer e precisa saber", coordenado pelos doutores Gustavo Victor e Alexandre Ventura. Sua grade científica foi elaborada para preparar o colega para esta importante etapa profissional.

Serão quatro horas e meia de discussão sobre os assuntos mais importantes para o médico em início de carreira, como a Defesa Profissional; como trabalhar com a Saúde Suplementar; cenário do mercado de trabalho no Brasil, Europa e Estados Unidos; como publicar artigos científicos nos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia; trabalhando com o SUS e com a iniciativa privada. O Simpósio terá uma abertura esclarecedora, preparada pelo professor Milton Ruiz Alves, presidente do CBO, sobre o relacionamento da entidade com o Governo, com a Sociedade e com a classe oftalmológica.

O simpósio contará com a participação de 14 palestrantes: Keila Monteiro de Carvalho, Walbert de Paula e Souza, Eduardo Melani Rocha, Paulo Augusto de Arruda Mello Filho, Eduardo Dib, Reinaldo Flávio Ramalho, Karolinne Maia Rocha, Alexandre Ventura, Isabel Prieto, Pedro Carricondo, Renato Ambrósio Júnior, Eduardo Melani Rocha, João Pessoa de Souza Filho e Bernardo Menelau Cavalcanti.

Não perca o evento! Compareça no Auditório Paraíso, no Centro de Convenções Pernambuco, em 05/08, das 08h às 12h30 e atualize seus conhecimentos!

Clique aqui e aqui e veja a grade completa do curso!


Prolongue sua estada em Pernambuco e conheça a arte da cerâmica por Francisco Brennand!



O congressista que irá ao XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado de 03 a 06 de setembro, no Recife-PE, já possui um excelente motivo para prolongar sua estada em Pernambuco: A Oficina Francisco Brennand, parada quase que obrigatória para os colegas que apreciam esculturas em cerâmica e pinturas. O acervo da Oficina conta com mais de 2.000 peças, entre esculturas e pinturas, espalhadas pelos 15 mil metros quadrados de área construída.

O artista plástico Francisco Brennand nasceu em 11 de junho de 1927. Sua obra tem como mote a geração da vida, sendo o sofrimento um elemento indissociável da criação. As representações da dor permeiam seus trabalhos, que misturam misticismo, sexualidade e temáticas da fauna e da flora para criar um universo próprio.

Tome nota: Veja como chegar
Endereço: Propriedade Santo Cosme e Damião, s/n, Várzea, Recife
Telefone: (81) 3271-2466
Site: www.brennand.com.br

Horário de Funcionamento:
De segunda a quinta-feira, das 8h às 17h. Na sexta-feira, das 8h às 16h.
Fecha sábado, domingo e feriado.

Ingressos
R$ 10, inteira.
R$ 5, meia (estudantes, professores e pessoas acima de 60 anos).


Espaço Multisensorial no CBO2014



O Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado em Recife, de 03 a 06 de setembro de 2014, foi elaborado cuidadosamente para proporcionar ao congressista a oportunidade de atualizar os seus conhecimentos com o que existe de mais atual na Especialidade. O evento também contará com a presença de oftalmologistas conceituados no Brasil e no exterior, o que reforça a chance dos congressistas aperfeiçoarem o "networking" de contatos.

Além deste aspecto científico, o evento contará com diversas ações sociais. Com o objetivo de proporcionar ao visitante a experiência de conviver com limitações visuais de vários tipos e para conscientizar a população sobre a importância de se pensar a acessibilidade e a inclusão, a comissão executiva do Congresso idealizou o Espaço Multisensorial, que será montado no mezanino do Centro de Convenções Pernambuco.

Ocupando área de 64m², o espaço, que permanecerá aberto à população durante todo o evento, será constituído pela "Trilha Sensorial", caminho a ser percorrido pelos visitantes com simulação de obstáculos. Também foi elaborado, pelos alunos da Escola Municipal Casarão do Barbalho, o "Quadro sensorial"e, por fim, o Painel sobre a Ação Social Interdisciplinar do Congresso CBO 2014 - A Visão do Meu Olhar. No espaço também será disponibilizado outro painel, este especial sobre a painel sobre a montagem do "Quadro Sensorial" pelos alunos da escola (veja fotos abaixo)

O Espaço Multisensorial tornou-se possível graças à parceria estabelecida entre o congresso e o Hospital de Olhos de Pernambuco (HOPE). Será inaugurado em 02 de setembro, com a presença de autoridades e da mídia e será um dos hilights do congresso.










* Crédito das Fotos: João Carlos Lacerda


Pipas: a brincadeira milenar que só deve ser realizada com a devida proteção ocular!


A "Pipa", também conhecida como "papagaio", "peixinho" ou "quadrado", é definitivamente uma excelente e barata forma de diversão familiar. Inventada pelos chineses há mais de dois mil anos, é considerada o primeiro objeto a se manter no ar explorando as forças do vento. Presente no Brasil desde a época de seu descobrimento, ainda conquista nos dias de hoje as crianças, adolescentes e adultos.

Com a proximidade da chegada dos finais de semana, e principalmente durante todo o período das férias escolares, as brincadeiras com as "pipas" ficam mais intensas. Quem solta "pipa" segue basicamente a rotina de levantá-la ao céu e fazer com que se movimente de um lado para o outro, subindo e descendo durante horas a fio. Muitas vezes sem a devida proteção ocular. É exatamente aí que um perigo desconhecido começa a aparecer e a diversão passa a ganhar contornos mais sérios com a possibilidade de causar danos oculares devido à exposição diária e contínua aos raios ultravioletas.

De acordo com Pedro Carlos Carricondo, diretor do Pronto Socorro de Oftalmologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC FMUSP), é possível classificar tais danos em agudo e crônico. A exposição crônica vai causar dano em longo prazo, não sabendo quais os níveis seguros de exposição. Existem fatores como cor da pele, predisposição familiar, entre outras, que influenciam nestes níveis. "Pode contribuir de maneira importante para o desenvolvimento de doenças como o pterígio, catarata e degeneração macular relacionada à idade, entre outras. A exposição prolongada à luz solar pode ainda estar relacionada ao aparecimento de câncer de pele nas pálpebras", complementa Carricondo.

A exposição aguda causa problemas de maneira menos comum, como a ceratite por radiação ultravioleta (semelhante à ceratite fotoelétrica) e de uma maneira muito mais rara, a queimadura macular (denominada retinopatia solar) que pode levar à importante perda da visão. "Neste último caso, é necessário olhar diretamente para o sol de maneira contínua por alguns minutos. Existem relatos de dano permanente com exposição contínua ao redor de um minuto. Este dano é decorrente da lesão fotoquímica direta na retina e não tem recuperação", afirma.

O doutor reforça que a única opção para continuar se divertindo com as pipas é realizando a proteção ocular com óculos escuros de boa qualidade e com filtro de proteção ultravioleta. É fundamental evitar o contato direto para o sol, por conta do risco de retinopatia solar. "O ideal é a proteção da pele das pálpebras com protetores solares específicos, que não causem danos aos olhos. A proteção ocular com óculos escuros é fundamental e sempre com proteção UV. Boa parte das lentes corretivas, mas nem todas, têm esta proteção. Neste caso é necessário solicitar, no momento da aquisição da lente, a inclusão do filtro UV. Seguindo estas dicas a diversão, com a devida segurança para a sua saúde ocular, estará garantida", finaliza Carricondo.

*O Conselho Brasileiro de Oftalmologia preconiza também que as "pipas" devem ser soltas apenas em parques e locais sem proximidade a fios e cabos elétricos ou lajes e telhados domésticos. Cuide de sua saúde ocular e boa diversão!


HOB inaugura Centro de Estudos Oftalmológicos



O Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB) irá inaugurar, em 29 de agosto, às 16h, o Centro de Estudos Oftalmológicos Renato Ambrósio (CEORA). A iniciativa, inédita no Distrito Federal, tem como objetivo fomentar educação e a pesquisa da instituição, que já se tornou referência para a especialidade na cidade.

O nome do centro de estudos é uma homenagem ao médico Renato Ambrósio, que entrou para a história da Oftalmologia brasileira pela sua habilidade como cirurgião, espírito empreendedor, capacidade de ensino e disposição para dividir seus conhecimentos", explica Canrobert Oliveira, fundador do HOB.

A presidência do Ceora fica a cargo de Marco Antônio Paschoal. "O Centro de Estudos visa unir experiências e informações. Ele serve como irradiador de conhecimento e também incentivador para que esse conhecimento se amplie cada vez mais. Pode estimular as pessoas a prepararem trabalhos, publicarem artigos, defenderem pontos de vistas diferentes. É um fator de crescimento do hospital em termos culturais e científicos", reforça Antônio Paschoal.

                    Dr. Renato Ambrósio


Curso de Atualização em Refração é realizado em Campo Grande


Nos dias 08 e 09 de agosto de 2014 o CBO realizou, em Campo Grande (MS), a segunda edição de seu curso de Atualização em Refração, que faz parte do Programa de Atualização em Refração CBO/Essilor. O curso contou com a participação de 20 oftalmologistas que aproveitaram para atualizar os seus conhecimentos na matéria e promoveram a troca de experiência entre os presentes. Também participaram, desta edição, 12 secretárias que atualizaram seus conhecimentos na prática "Wet Lab".

O curso foi coordenado pelos oftalmologistas Gustavo Victor e Sidney Sousa. "O curso teve ótima adesão e,com toda a certeza, todos os presentes ficaram satisfeitos com o conteúdo científico apresentado e tiveram a oportunidade de sanar todas as dúvidas em relação à refração. Um ponto interessante é que tivemos a participação de um oftalmologista que veio de São Paulo e outro de Cuiabá, que solicitou que este curso seja também ministrado para os oftalmologistas desta importante região", comemora Gustavo Victor.

A cidade de Florianópolis, em Santa Catarina, receberá o curso em 03 e 04 de outubro. Em seguida, a cidade de Aracajú, em Sergipe, nos dias 24 e 25 de outubro, São Paulo (USP), em 27 de novembro e Franca, em São Paulo nos dias 05 e 06 de dezembro também receberão o curso.


Edição número 155 do Jota Zero já disponível para acesso. Confira!


Já está sendo distribuída, para todos os oftalmologistas do País, a edição número 155 do Jornal Oftalmológico Jota Zero. Aproveite, enquanto a publicação ainda não foi entregue em seu endereço, para consultar a versão em PDF e que acaba de ficar disponível no portal do CBO. Confira abaixo suas principais notícias.

Sua primeira matéria ressalta o encontro presencial entre o presidente do CBO, Milton Ruiz Alves e o Ministro da Saúde, Arthur Chioro, em reunião intermediada pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam). Na oportunidade, Ruiz Alves reafirmou ao ministro que a oftalmologia deve e precisa continuar a ser parte integrante da atenção básica de saúde.

O oftalmologista encontrará todas as principais informações sobre o XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, que será realizado de 03 a 06 de setembro, no Recife. São 10 páginas sobre o evento!

A sanção presidencial da Lei nº 13.003/14, que trata da obrigatoriedade da contratualização entre operadoras e prestadores de serviço, também é discutida e o artigo desta matéria é assinado pelo integrante da Comissão de Saúde Suplementar do CBO, Nelson Louzada.

Na editoria "Oftalmologia em Notícias", o leitor encontrará informações sobre o que foi notícia na Especialidade. Entre as principais estão a prisão do casal acusado de roubar clínicas oftalmológicas, em São Paulo-SP, o Congresso da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV) e da Sociedade Brasileira de Administração em Oftalmologia (SBAO), os eventos oftalmológicos XXII CIOP e 10º Simpósio Internacional de Glaucoma da Universidade de Campinas (Unicamp), as campanhas de conscientização sobre a cegueira pelo glaucoma, da Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG), a união entre as sociedades de catarata e refrativa e a entrevista com o seu primeiro presidente, Carlos Gabriel de Figueiredo, entre muitos outros assuntos.

Clique aqui e confira na íntegra a edição número 155 do Jornal Oftalmológico Jota Zero!


Inscrições para o Exame de Suficiência reabertas até 06/06/2014



O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa aos interessados que reabriu as inscrições para o Exame de Suficiência em Categoria Especial para a Obtenção do Título de Especialista CBO/AMB, que será realizado em 03 de setembro de 2014, durante o primeiro dia do XIX Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, no Recife-PE.

Agora, os oftalmologistas que perderam o prazo de inscrições, tem até o dia 06/06/2014 (próxima sexta-feira) para realizar tal procedimento e enviar os documentos comprovatórios solicitados no Edital, assim como pagar o boleto de cobrança da Prova.

Todas as informações necessárias podem ser encontradas no Edital. Clique aqui e confira o documento oficial, assim como o link para imprimir o boleto do Exame.

Só serão aceitas as novas inscrições que forem enviadas ao CBO até às 23h59min do dia 06/06 (vide comprovante de envio).

"Foram muitos os oftalmologistas que perderam o prazo de inscrição no exame. Com isso, o CBO entrou em contato com a AMB com o objetivo de reabrir as inscrições e dar nova chance aos colegas que pretendem prestar a prova e conquistar o direito de emitir o Título de Especialista CBO/AMB. Ficou estabelecido o prazo final de 06 de junho de 2014, portanto, não percam", afirma Keila Monteiro de Carvalho, Secretária-Geral do CBO.

Não perca esta última oportunidade: faça agora a sua inscrição no Exame de Suficiência clicando aqui


Novartis e Alcon oferecem 50 mil euros em prêmio para projetos que melhoram a visão do mundo


30 de julho é a data limite para realizar a inscrição para concorrer ao Prêmio de Excelência em Oftalmologia XOVA (eXcellence in Ophthalmology Vision Award), promovido pela divisão farmacêutica da Novartis e pela Alcon - divisão do grupo Novartis focada em produtos oftalmológicos.

O XOVA premia instituições que oferecem educação sem fins lucrativos ou iniciativas inovadoras que tenham impacto duradouro e significante nos cuidados da visão. A premiação possibilita investimento em iniciativas mundiais que possam ajudar nos cuidados da visão de forma sustentável e sem fins lucrativos. Todos os especialistas da área da oftalmologia podem participar, como médicos, residentes e enfermeiros. Os vencedores receberão até 50 mil euros para investimento no projeto.

O prêmio já possibilitou a melhoria da visão de crianças, comunidades de zona rural, treinamento e capacitação de profissionais, construção e ampliação de centros oftalmológicos e instalações tecnológicas. Para inscrever um projeto é necessário estar vinculado a um instituto acadêmico ou universidade, organização não governamental, hospital ou clínica, pois o prêmio é concedido para a instituição.

As propostas devem indicar como a iniciativa pode ser executada, usando recursos locais depois do recebimento do prêmio e devem demonstrar, em planos claros, exemplos de viabilidade, impacto e benefícios da área local ao longo prazo.

O formulário para a inscrição, as perguntas e respostas mais frequentes e outras informações sobre o prêmio estão disponíveis, em inglês, no site www.xovaprogram.org.

Após preencher o formulário, os participantes devem enviá-lo até 30 de julho de 2014 para o e-mail xova@fishawack.com


Professora Keila Monteiro esclarece dúvidas sobre a saúde ocular


"Sabe aquela expressão popular que diz: "está embaçado"? Literalmente pode ser mais sério do que imaginamos. Camila não enxerga bem de perto. Ela tem hipermetropia. Já a miopia não deixa a pessoa enxergar direito de longe. O astigmatismo é outro problema comum: os objetos são vistos distorcidos e embaçados. Ainda tem a visão preguiçosa, quando um dos olhos é menos desenvolvido e sobrecarrega o outro olho saudável. Quase a metade das crianças que foram atendidas pela Universidade de São Paulo tinha alguns desses problemas...".

Esta foi a abertura do Programa Você Mulher, da TV Universal, que foi transmitido ao vivo em 05/06/2014. O programa teve a participação especial da Professora Doutora Keila Monteiro de Carvalho, secretária-geral do CBO.

Durante aproximadamente 30 minutos, a professora respondeu diversos questionamentos da população sobre a saúde ocular. O programa conquistou o êxito esperando e o tempo disponível não foi o suficiente para todas as perguntas, o que rendeu convite para futura nova participação.

Veja abaixo algumas das principais dúvidas respondidas:

Existe mesmo vista cansada?

A pessoa diagnosticada com miopia pode usar lentes de contato?

Qual o efeito que a água da piscina causa nos olhos?

E a pessoa que enxerga ?turvo?? Como seria isso?

O "tira e põe" contínuo dos óculos, pelas crianças, é prejudicial?

A partir de qual ano é indicado o uso das lentes de contato?

A má higienização das lentes de contato pode resultar em problemas oculares?

Como proceder com o uso da maquiagem para evitar alergias oculares?

Coçar os olhos traz algum risco?

Clique aqui e confira a entrevista na íntegra. A participação da professora Keila Monteiro vai até o minuto 29:52 do vídeo.


A palavra do Presidente especial para o Dia do Médico Oftalmologista



O presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Milton Ruiz Alves, felicita aos colegas pelo Dia do Médico Oftalmologista e gravou um vídeo, antes de sua viagem à Brasília para protocolar, no Ministério da Saúde (MS), documento com uma série de propostas para valorizar o atendimento oftalmológico no Sistema Único de Saúde (SUS).

Clique aqui para ver o vídeo

Se preferir, abaixo segue a transcrição da peça audiovisual

"Hoje comemora-se o Dia Nacional da Saúde Ocular e o Dia do Médico Oftalmologista. Muito mais do que uma simples data como tantas outras, nossa intenção é transformar o 07 de maio numa oportunidade para reflexão sobre os rumos que a saúde ocular e a Oftalmologia vem tomando em nosso País.

Com uma bagagem técnico-científica invejável que, sem qualquer ufanismo, se equipara às melhores do mundo, os médicos oftalmologistas do Brasil ressentem-se com políticas que dificultam o acesso da maioria da população aos cuidados que merece e tem direito e com relações cada vez mais conflituosas com as autoridades e com as seguradoras e planos de saúde.

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia conclama aos colegas de todo o Brasil a aproveitarem o 07 de maio para realizarem atividades de esclarecimento à população sobre os cuidados necessários para a manutenção da saúde ocular e sobre a situação vivida pela especialidade. Ao mesmo tempo reafirma à população brasileira que o Médico Oftalmologista do Brasil em momento algum renunciou ao seu mais alto dever de tentar, por todos os meios a seu alcance, garantir a melhor saúde ocular a todos os cidadãos deste país".


O uso correto do computador



Pesquisa realizada pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), apontou que o número de computadores pessoais ativos no País alcançou a marca de 118 milhões de unidades. O estudo, divulgado em maio de 2013, indica que são três computadores para cada cinco habitantes. Os responsáveis acreditam que o número será maior ainda em 2016, quando haverá no Brasil um computador ativo para cada brasileiro.

Os dados mostram que o uso de computadores, seja no trabalho ou no lar, cresce a cada dia. O brasileiro gasta grande quantidade de horas dedicadas especialmente com o computador. É preciso estar atento para não forçar demais os olhos com esta ferramenta. Veja abaixo algumas dicas importantes elaboradas por Keila Miriam Monteiro de Carvalho, Professora Associada em Oftalmologia da Universidade de Campinas (Unicamp).

Postura ideal:

A primeira preocupação em relação aos olhos deve ser com a postura da pessoa em frente ao computador. Isso porque a postura influi na eficiência de leitura e do trabalho da pessoa. A postura ótima para trabalho de perto é centralizada, com 20º inclinação material ou cabeça. A explicação para essa posição é que a convergência dos olhos é facilitada no olhar para baixo. O ideal é manter o monitor sempre mais baixo do que os olhos. Se a tela estiver muito alta, o usuário de computador deve elevar o queixo para conseguir olhar para o monitor, o que acaba resultando em dores cabeça, pescoço e ombros.

Distância adequada:

A distância depende da correção óptica que a pessoa usa. Ergonomicamente o melhor é a tela estar de 40 a 45 cm de distância. Nesse caso, a pessoa estará usando o grau para distância intermediária e não o de perto (que geralmente é adequado para 33 cm de distância).

E para os deficientes visuais?

No caso de deficientes visuais é importante aumentar o tamanho da fonte e usar os recursos de acessibilidade. Em um experimento, foi avaliado o efeito da distância de visualização em relação ao desconforto e fadiga. Foi identificado que os problemas na visão para longe foram um pouco menores que em distância próxima.

Quando o uso dos óculos é necessário?

Caso a pessoa não tenha seu grau de óculos bem corrigido (no caso, por exemplo, da pessoa que necessita óculos e não usa) pode ocorrer cansaço visual, que é chamado de "astenopia". Vários trabalhos científicos mostraram que a falta de correção refracional pode ocasionar mais desconforto ocular principalmente em pessoas que já possuam algum distúrbio de motilidade ocular, como pequenos desvios dos olhos.

O que seria a síndrome dos olhos secos?

Outra situação que ocorre é a pessoa sentir os olhos "secos". Isso ocorre porque diminui automaticamente o ritmo do "piscamento", quando estamos muito interessados no monitor do computador. Com isso diminui a lubrificação dos olhos. O piscar voluntário deve ser recomendado, assim os efeitos da diminuição do piscamento ficam minimizados e evita-se o olho seco. O uso de telas antirreflexo no monitor previne a reflexão da luz a partir da superfície da tela e daí não ocorre essa redução do piscamento. Em relação à proteção dos raios UV recomenda-se que seja colocado nas lentes dos óculos, pois essa é uma prevenção de longo prazo.

É importante realizar pausas?

Sim. Os olhos também necessitam de descanso, pois a leitura é uma situação dinâmica, em que os olhos além de focarem as letras e palavras, mecanismo chamado de acomodação, devem convergir e esse mecanismo é ativo, sendo chamado de convergência. Recomenda-se olhar pela janela, para o infinito, por alguns instantes, assim consegue-se o máximo de relaxamento da acomodação e convergência, aliviando a tensão e cansaço ocular.

Qual a iluminação adequada?

Sempre é preferível a luz natural, vinda de trás ou do lado, pra evitar reflexos. Mas pode e deve ser utilizada iluminação artificial, no caso da luz natural não ser suficiente. Prefere-se a luz incandescente, focal, mas também pode ser usada a fluorescente, dependendo do conforto que a pessoa sente com cada tipo. É recomendável evitar as lâmpadas dicroicas, já que sua iluminação é muito intensa e, às vezes, até mesmo causa ofuscamento e cansaço.


Conselho Brasileiro de Oftalmologia presente no Congresso da AAO

 


A Professora Associada do Departamento de Oftalmo/Otorrinolaringologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Secretária-Geral do CBO, Keila Miriam Monteiro de Carvalho, vai representar a entidade no Annual Meeting 2013 da American Academy of Ophthalmology. O evento será realizado de 16 a 19 de novembro em New Orleans. 

Além da participação no Annual Meeting, Keila representará o CBO em dois importantes eventos da Associação Pan-Americana de Oftalmologia(PAAO). O primeiro será a Reunião do Conselho de Administração da PAAO, que será realizado no início da manhã de 18 de novembro, no Hotel Sheraton. Já o segundo será um café da manhã especial para as Sociedades Filiadas à Pan-Americana, também no Hotel Sheraton. 

Por fim, a Secretária-Geral estará presente no encontro Building Teams To Meet Community Needs: From Katrina to Diabetic Eye Care, promovido pelo International Council of Ophthalmology (ICO). O evento, que será realizado em 16 de novembro, faz parte do programa ICO World Ophthalmology Roundtable on Leadership Development.

Clique aqui e confira a programação científica do Congresso da AAO
Clique aqui e confira a pauta do encontro do ICO


Teste do Olhinho é exame fundamental para todos os recém-nascidos


A realização do exame do Teste do Reflexo Vermelho, popularmente conhecido como Teste do Olhinho, é essencial para o diagnóstico precoce de doenças como a catarata congênita, opacidade congênita da córnea, glaucoma congênito, entre outros, em recém-nascidos. O bebê deve ser examinado logo na sua primeira semana de vida, ou até sua alta médica.

"O exame é essencial, afinal, o tratamento dessas doenças, quando identificadas antes do período crítico (primeiros três meses), possuem resultados expressivos, se comparados com o diagnóstico realizado este período. O teste do olhinho é fundamental para a saúde ocular do recém-nascido", afirma Rosa Maria Graziano, Doutora em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (Fmusp).



A realização do Teste do Olhinho é muito simples. A triagem pode ser feita pelo pediatra, que precisará apenas de uma lanterna e de um oftalmoscópio direto. "O oftalmoscópio deve ser usado para a pesquisa do Reflexo Vermelho simultâneo dos dois olhos e a lanterna para examinar os reflexos fotomotores, observando assimetria nas hemifaces. Quando o Reflexo Vermelho estiver ausente ou suspeito, a criança deverá ser avaliada pelo oftalmologista com urgência, que realizará além do Reflexo Vermelho, o exame de mapeamento de retina", complementa Rosa Maria.

O exame também consiste na inspeção dos supercílios, margens orbitárias, pálpebras, fenda palpebral, cílios, conjuntiva, pontos lacrimais, saco e glândula lacrimal. A perda da transparência da córnea pode significar a presença de trauma de parto ou glaucoma congênito.

"A participação conjunta de pediatras e oftalmologistas nesta luta para a prevenção da cegueira infantil é fundamental, pois todo o processo de desenvolvimento da visão está na dependência do estímulo visual. A criança necessita "ver" para desenvolver a sua visão. Até que a acuidade visual esteja totalmente estabelecida, qualquer obstáculo à formação de imagens nítidas em cada olho pode levar a um mau desenvolvimento visual que se tornará irreversível se não tratado em tempo hábil. Uma boa acuidade visual é importante no desenvolvimento físico e cognitivo normal da criança. Uma criança com visão subnormal tem seu desenvolvimento motor e a capacidade de comunicação prejudicada, porque gestos e condutas sociais são aprendidos através da visão", finaliza.

Dúvidas? Entre em contato com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica (SBOP) pelo site www.sbop.com.br.


AMB abre processo contra ministro da Saúde

A Associação Médica Brasileira (AMB) abriu um processo contra o ministro da Saúde Alexandre Padilha, por não aplicar R$ 17 bilhões disponíveis entre 2011 e 2012.


De acordo com uma pesquisa realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), o índice de satisfação com os serviços de saúde no Brasil é de 44%, contra uma média mundial de 61% e latino-americana de 44%. O único país da região a obter nota menor que a brasileira foi o Haiti, com 35%.


Veja matéria completa no portal do CFM


AMB se expressa contra a contratação de médicos cubanos

A Associação Médica Brasileira (AMB) também expressou desaprovação à recente contratação de médicos cubanos para trabalhar no interior do Brasil. ?Permitir que médicos formados fora do nosso País venham trabalhar no Brasil sem que sejam testados seus conhecimentos, habilidades e atitudes é colocar a população em risco?, afirma Associação.


Veja nota no portal da AMB.


Comissão do Senado criminaliza médico que lucra com indicação de farmácia ou laboratório

A Comissão de Defesa do Consumidor tornou crime, na última quarta-feira, dia 13 de março, a obtenção de lucro por médicos que indiquem farmácia ou laboratório específico. A pena será detenção de três meses a um ano e multa, conforme estabelecido no Projeto de Lei 3650/12, de autoria da deputada Manuela d?Ávila (PCdoB-RS).


?A questão reside em avaliar em que medida o encaminhamento realizado pelo médico ou odontólogo baseia-se em sua experiência sobre a qualidade dos serviços prestados ou decorre do interesse em retorno financeiro por ter feito a indicação?, declarou o deputado Chico Lopes (PCdoB-CE), que avaliou positivamente o projeto.


Veja matéria completa no portal www2.camara.leg.br


Entidades darão coletiva sobre importação de médicos e propõe greve geral

A Federação Nacional dos Médicos (Fenam), a Associação Médica Brasileira (AMB) e o Conselho Federal de Medicina (CFM) darão uma coletiva de imprensa na quarta-feira, 26 de junho, às 10h, quando revelarão seu calendário de atividades relacionadas à importação de médicos. As organizações, que se opuseram à medida desde o início, tornaram-se ainda mais apreensivos após o anúncio da presidente Dilma Rousseff, na sexta-feira, 21 de junho, anunciando que traria ?de imediato milhares de médicos? ao país. O presidente da Fenam, Geraldo Ferreira, propôs uma greve geral da classe. A Federação representa 53 sindicatos por todo o país.


Veja matéria completa no portal da Fenam.


Reunião debaterá entrada de médicos estrangeiros

A contratação de médicos estrangeiros para suprir a demanda por serviços de saúde em regiões interioranas será debatida, hoje, pelas comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional e de Seguridade Social e Família, às 14h30min.


Participarão da reunião Felipe Proenço de Oliveira, diretor do Departamento de Gestão da Educação na Saúde do Ministério da Saúde; Maria do Socorro de Souza, presidente do Conselho Nacional de Saúde; Carlos Vital Corrêa Lima, presidente do Conselho Federal de Medicina; Florentino Cardoso, presidente da Associação Médica Brasileira; e um representante do Ministério das Relações Exteriores.


Veja matéria completa no portal da Câmara.


ABO adota ferramenta de avaliação reconhecida internacionalmente

A revista Arquivos Brasileiros de Oftalmologia (ABO), principal veículo científico oftalmológico brasileiro, adotará, a partir de 1º de julho, o sistema ScholarOne de avaliação por pares. A ABO foi convidada a integrar esse sistema de administração de manuscritos pela Scientific Electronic Library Online (SciELO), com quem vem trabalhando há dois anos na avaliação eletrônica de artigos.


Criado nos anos 90 pela Thomson Reuters, o ScholarOne foi uma das primeiras ferramentas de avaliação por pares online e é a única a dispor de tecnologia patenteada e a oferecer suporte técnico aos autores e revisores. Segundo Wallace Chamon, editor-chefe da revista, o sistema ?é um dos melhores do mundo? e é utilizado por importantes publicações oftalmológicas, como o IOVS e o British Journal of Ophthalmology.


Corrida de Prevenção à Cegueira em Aracaju

Acontecerá, no domingo, 26 de maio, a Primeira Corrida de Prevenção à Cegueira, promovida pela Sociedade Sergipana de Oftalmologia. A Corrida será na Orla de Atalaia, em Aracaju (SE) com o patrocínio da Fotóptica. Haverá as provas de 5 km, 10 km e ainda uma categoria para caminhantes.
Veja matéria completa no portal do Globo Esporte.


A posição do Ministério da Saúde na polêmica

Alexandre Padilha, ministro da saúde, se pronunciou no dia 7 de maio, defendendo a contratação de médicos estrangeiros para suprir a demanda por serviços de saúde no interior. ?O Brasil precisa de mais médicos com mais qualidade e mais perto da população?, diz. Um por cento dos médicos em exercício no Brasil são formados no exterior no Brasil, enquanto esse número atinge os 40% na Inglaterra, 25% nos Estados Unidos, 22% no Canadá e 17% Austrália.


O Ministério assegura que só admitirá médicos com formação de qualidade e que a revalidação automática de diplomas está descartada. Além disso, afirma que está trabalhando junto ao Ministério da Educação para ampliar vagas em cursos de medicina em cidades pequenas.


Veja matéria completa no Blog da Saúde.


Exposição inclusiva inaugura novo Centro de Memória Dorina Nowill

Após dez anos de história, o Centro de Memória Dorina Nowill para Cegos foi reformado. E, inaugurando a nova fase, está sendo exibida uma exposição sobre a história dos deficientes visuais no Brasil e sua progressiva inclusão social. Com estímulos visuais, sonoros, táteis e até olfativos, além de recursos como audioguia, maquete tátil e painéis a uma altura compatível com cadeirantes, o evento é acessível a pessoas portadoras de diferentes deficiências.


O novo Centro conta, ainda, com o Espaço Memória, uma nova área de exposição com recursos de acessibilidade para deficientes visuais, além de instalações para reserva de guarda do acervo e uma área de exposição e visitação ampliada.


A Fundação Dorina Nowill foi pioneira, no Brasil, em iniciativas como a ampla produção de livros em braile e a capacitação de cegos para o trabalho.


Veja mais no portal da Fundação.


Cuidado com a publicidade médica!

Com as novas mídias e a constante evolução tecnológica do áudio, da imagem e do vídeo, a publicidade de bens e serviços ganhou ainda mais destaque e importância para o consumidor. Não é difícil de acreditar que basta uma excelente peça publicitária para alavancar a venda de qualquer produto, independente de sua real qualidade.

Este parâmetro não é levado em conta quando o assunto é a publicidade médica. Para evitar o sensacionalismo, a autopromoção médica e garantir que o foco seja sempre o paciente acima de tudo, o Conselho Federal de Medicina (CFM) elaborou a Resolução CFM nº 1.974/11, que dispõe de uma série de regras para a publicidade médica.

Para evitar qualquer problema com a Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos (Codame) e com o CFM, nunca é demais relembrar esta resolução. Por isso, atente-se abaixo ao que é vedado ao médico:



1- Anunciar, quando não especialista, que trata de sistemas orgânicos, órgãos ou doenças específicas por induzir a confusão com divulgação de especialidade;
2- Participar de anúncios de empresas ou produtos ligados à Medicina, dispositivo este que alcança, inclusive, as entidades sindicais ou associativas médicas;
3- Anunciar aparelhagem de forma a lhe atribuir capacidade privilegiada;
4- Permitir que seu nome seja incluído em propaganda enganosa de qualquer natureza;
5- Permitir que seu nome circule em qualquer mídia, inclusive na internet, em matéria desprovidas de rigor científico;
6- Fazer propaganda de método ou técnica não aceito pela comunidade científica;
7- Expor a figura de seu paciente como forma de divulgar técnica, método ou resultado de tratamento, ainda que com autorização expressa do mesmo, ressaltando o disposto no art.10 desta resolução;
8- Anunciar a utilização de técnicas exclusivas;
9- Oferecer seus serviços por meio de consórcio e similares;
10- Oferecer consultoria a pacientes e familiares como substituição de consulta médica presencial;
11- Fica vedada a participação do médico em eventos "o destaque do ano", "o médico do ano";
12- Garantir, prometer ou insinuar bons resultados do tratamento;
13- Fica expressamente vetado o anúncio de pós-graduação realizada para a capacitação pedagógica em especialidades médicas e suas áreas de atuação, mesmo que em instituições oficiais ou por estas credenciadas, exceto quando estiver relacionadas à especialidade e área de atuação registrada no Conselho de Medicina.

Além disso, o parecer determina que o médico deve adicionar apenas seu nome, número do CRM, até duas especialidades (se elas estiverem registradas no Conselho), títulos científico e os dados de localização (endereço, telefone, e-mail) nos meios de comunicação. Em relação à pessoa jurídica, é permitido adicionar o logo da empresa, o nome e CRM do diretor técnico e os dados de endereço.



O CFM elaborou uma cartilha com todas essas regras. Neste mesmo material você encontrará exemplos práticos da maneira correta de elaborar suas peças publicitárias. Faça o download da planilha no link abaixo:


cartilhapublicidademedica


Taxa de insucesso do Provab é alta em todas as regiões do país

Das 1091 cidades nordestinas que solicitaram médicos pelo Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab), 457 não conseguiram atrair nenhum profissional. O Provab pretendia levar atendimento médico às periferias, regiões interioranas e áreas de difícil acesso do país. Os dados foram apresentados pelo diretor de programas da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Felipe Proenço, em 3 de junho, em Salvador.


Apesar disso, o Nordeste foi a região que mais conseguiu atrair médicos. No Norte a taxa de municípios que não conseguiram chamar profissionais chegou a 66%, no Centro-Oeste, a 64%, no Sudeste, 54% e no Sul, 74%. A taxa geral de insucesso no Brasil foi de 55%.


O Provab oferece uma bolsa de R$ 8 mil aos médicos estabelecidos no interior e exige o cumprimento de 32 horas semanais de atividades nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e oito horas por semana em curso de pós-graduação em Saúde da Família por 12 meses.


?Mesmo com o crescimento do Provab - aumentamos em 10 vezes o número de médicos na comparação com 2012 -, a gente ainda precisa responder à necessidade apresentadas pelos municípios?, diz Proenço.


Veja matéria completa no Portal da Saúde.


Diminuição da carga horária de residentes pode comprometer seu desempenho

Estudo da Johns Hopkins University School of Medicine, nos EUA, revela que diminuir a carga horária de residentes pode prejudicar sua formação. A pesquisa teve início após a decisão do Conselho de Credenciamento de Graduação Médica (ACGME, na sigla em inglês) por reduzir o número de horas consecutivas trabalhadas durante programas de residência de 30 para 16. A decisão foi tomada pelo em 1 de Julho de 2011 e atingiu os alunos do primeiro ano de residência. A ideia era aumentar as horas de sono dos alunos menos experientes, reduzindo as chances de erro médico.


Porém, o estudo indica que a medida não conseguiu fazer com que os estudantes dormissem mais, o que, aliado à diminuição do tempo de treinamento, pode prejudicar sua formação e desempenho.


Veja matéria completa no portal SIS Saúde.


Já é possível tirar seu Certificado de Renovação

Médicos cadastrados na Comissão Nacional de Acreditação (CNA) e com mais de 100 pontos já podem retirar seu Certificado de Renovação do Título de Especialista / Certificado de Área de Atuação. É possível baixar o certificado no portal do CNA. Basta clicar na guia ?Médicos?, depois em ?Confira seus pontos? e digitar o CPF e a senha.


CFM condena a entrada de médicos cubanos sem revalidação de diplomas

O Conselho Federal de Medicina (CFM) condenou a entrada de 6 mil médicos cubanos em território nacional, promovida pelo Governo Federal em 6 de maio. A medida está de acordo com a atual política de atração de profissionais estrangeiros sem revalidação do diploma para suprir a demanda nacional, especialmente em regiões remotas e pouco providas de serviços médicos. O CFM opõe-se à prática, reivindicando, em vez disso, maiores investimentos públicos no Sistema Único de Saúde (SUS) e o estabelecimento de planos de carreira pública.


Veja matéria completa no portal do CFM.


CFM divulga nota sobre declarações da presidente e se declara cauteloso

O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou, nesta segunda-feira, uma nota, comentando a reunião de Dilma Rousseff com prefeitos e governadores. A entidade vê com cautela a intenção anunciada pela presidente de priorizar o médico brasileiro no fornecimento de assistência a regiões remotas e mal servidas. A parcimônia se deve a ?vários compromissos assumidos pelo Governo para implementar melhorias em saúde e que nunca foram cumpridos?.


Veja a matéria completa e a íntegra do documento no portal do CFM.


CFM apresenta proposta de curto prazo para interiorização de médicos

O Conselho Federal de Medicina (CFM) entregou, na sexta-feira, 24 de maio, ao Palácio do Planalto e aos ministérios da Saúde, Educação e das Relações Exteriores, a proposta de uma medida provisória para suprir a demanda por serviços de saúde no interior. O ?Programa de Interiorização do Médico Brasileiro? teria validade máxima de 36 meses e estabeleceria médicos em cidades de até 50 mil habitantes.


O projeto pretende, ainda, instalar Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e laboratórios de análises clínicas, a fim de criar uma infraestrutura adequada, que permita ao médico realizar seu trabalho de forma adequada e o fixe nas regiões interioranas.


O CFM mantém sua posição de defesa do Revalida como forma de avaliação dos médicos formados no exterior que desejem se instalar no país. Além disso, a entidade propôs o estabelecimento de outros critérios, como atestado de bons antecedentes éticos e criminais emitido pelo país de origem e o bom domínio da língua portuguesa.


A carreira federal permanece como solução de médio prazo preferida e seria implementada após a adoção das medidas anteriores.


Veja matéria completa no portal do CFM.


CFM facilita obtenção de registro profissional

O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou, em 7 de maio, a Resolução CFM nº 2014/2013. A medida permite que médicos recém-formados se inscrevam nos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) antes da emissão de seus diplomas, usando apenas certidões de colação de grau. A medida facilita a entrada em programas de residência e novos postos de trabalho pelo profissional.


Veja matéria completa no portal do CFM.


CFM intervém em processo contra Ebserh

O Conselho Federal de Medicina (CFM) tornou-se amicus curiae na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), aberta pelo procurador Geral da República, Roberto Gurgel. Amicus curiae é o nome dado a alguém que intervém em um processo ao qual não está diretamente relacionado, apresentando mais um ponto de vista a ser levado em conta.


Em defesa de sua ação, Gurgel afirma que a saúde pública "é serviço a ser executado pelo Poder Público, mediante Sistema único de Saúde, com funções distribuídas entre União, estados, municípios e Distrito Federal".
Veja matéria completa no portal do CFM.


IESS aponta crescimento em número de beneficiários de planos de saúde

O Instituto Estudos de Saúde Suplementar (IESS) publicou, em 13 de maio, a ?Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar?, com a atualização das informações nacionais sobre planos de saúde. Os dados referem-se a dezembro de 2012.


Os novos dados indicam crescimento de 2,1% nos números de brasileiros que dispõem de seguro saúde, chegando a 47,9 milhões. O avanço foi particularmente sensível entre os planos coletivos (3,1%).


Mas o setor que mais cresceu foi o dos planos exclusivamente odontológicos, com 10% de aumento.


Veja a pesquisa completa aqui.


Informando a população sobre os perigos da medicina ilegal

O exercício ilegal da Optometria deveria ter sido erradicado em 1934, com a lei que determina a avaliação visual e a prescrição de óculos como exclusividades dos oftalmologistas. Se essa prática permanece viva, a desinformação geral a respeito é, sem dúvida, uma das principais culpadas.


Pensando nisso, o CBO iniciou uma campanha de conscientização por meio de folhetos, alertando para o perigo da medicina ilegal. Os informativos falam sobre a história da Oftalmologia e sobre como confiar a um não médico o cuidado da saúde ocular pode ser perigoso, deixando o paciente vulnerável a outras doenças, não necessariamente relacionadas ao uso de óculos.


Duzentos mil exemplares do material foram impressas, tendo sido 20 enviados a cada um dos cerca de 14.500 médicos cadastrados no CBO. Os que desejarem imprimir mais cópias podem acessar o arquivo na área restrita do portal eletrônico do CBO. Também é possível encomendar os exemplares, entrando em contato com a assessoria de marketing do CBO (telefone (21) 3553-1318 ou pelo endereço eletrônico eduardo@shcom.com.br).


Comissão discutirá o financiamento do SUS

O financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) será discutido hoje, às 14:30 no Plenário 7, pela Comissão Especial de Financiamento da Saúde Pública. Estarão presentes no debate Lígia Bahia, professora adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro; Gilson Carvalho, médico pediatra e de Saúde Pública; Áquilas Mendes, professor de Economia da Saúde da FSP/USP e do Departamento de Economia da PUC-SP.


Veja matéria no portal da Câmara.


Novo GT avaliará propostas do CFM para interiorização

O ministro Alexandre Padilha anunciou a criação de um Grupo de Trabalho (GT) a fim de avaliar as propostas do Conselho Federal de Medicina (CFM) para a solução da carência de assistência médica no interior e em regiões remotas do país. A declaração foi feita durante reunião com os presidentes do CFM, da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Federação Nacional dos Médicos (Fenam).


Porém, segundo Roberto Luiz d?Avila, presidente do CFM, permanece a apreensão quanto ao atual projeto do governo para contratação de médicos cubanos. ?Só podem exercer medicina no país os candidatos aprovados no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) em seus moldes atuais?, declara.


A primeira proposta a ser avaliada pelo GT será o Programa de Interiorização do Médico Brasileiro, medida transitória que visa a atrair médicos nacionais para regiões afastadas e com pouco acesso à assistência. A segunda será a criação de uma carreira de Estado para os profissionais.


O funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) também foi alvo de críticas durante a reunião. ?Conheço colegas que estão em locais onde o posto de saúde não tem água há três meses e o reboco cai das paredes?, afirmou Florentino Cardoso, presidente da AMB.


Veja a matéria completa no portal do CFM.


Ato médico é aprovado

O plenário do Senado aprovou, em 18 de junho, a chamada Lei do Ato Médico na forma como foi defendida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). A legislação determina como exclusivos dos médicos ações como o diagnóstico de doenças, a prescrição de remédios e a prática cirúrgica. Determina também como atividade privativa do profissional médico a prescrição de órteses e próteses oftalmológicas.
O presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Marco Antônio Rey de Faria, emitiu o seguinte comunicado:
?Ontem foi um dia histórico para a Medicina e consequentemente a Oftalmologia Brasileira.
O Projeto que regulamenta o Ato Médico foi aprovado no Senado e segue agora para a sanção Presidencial. Se não houver veto, finalmente, depois de onze anos de muita luta, teremos a regulamentação atualizada de nossa profissão. Nesta regulamentação está inserido a direito exclusivo do médico à prescrição e dentro disso a prescrição da refação.


Durante todo dia de ontem estivemos (eu e os Drs Nilo e Milton Ruiz) no Senado e tivemos oportunidade de conversar demoradamente com os Senadores Paulo Davim (um dos baluartes em nossa defesa) e José Agripino, líder do DEM, do qual ouvimos o seu apoio total à nossa causa.


É a vitória do bom senso e da razão para o bem da saúde de nosso povo.
Um forte abraço a todos.?


O projeto será encaminhado para a sanção da presidente Dilma Rousseff.


Veja matéria no portal da Folha.


Importação de médicos é criticada em Portugal

O presidente da Ordem dos Médicos de Portugal, José Manuel Silva, criticou a proposta de importação de médicos pelo Governo Federal durante uma entrevista concedia ao Conselho Federal de Medicina (CFM). "Dificilmente algum médico português aceitará as condições oferecidas pelo Brasil. Até porque a situação de trabalho nesses locais mais distantes certamente é mais dura?, afirma. Ele também defendeu a revalidação do diploma tirado no exterior.


Veja entrevista completa no portal do CFM.


CFM avalia excluir consultas do pacote de serviços de planos de saúde

O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM) Roberto Luiz d?Avila propôs a criação de um grupo de trabalho para analisar a retirada das consultas dos contratos entre médicos e operadoras de planos de saúde. O grupo será composto por representantes do CFM, da Associação Médica Brasileira (AMB), da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), da Agência Nacional de Saúde (ANS), do Ministério Público, do Ministério da Saúde e das operadoras. O relatório da proposta deve sair em 180 dias.


Segundo a proposta, as consultas deixariam de integrar os serviços adquiridos pelos pacientes quando da aquisição do plano de saúde. Elas passariam a ser pagas à parte e reembolsadas posteriormente.


Veja matéria completa no portal do CFM.


IV Fórum Nacional fala sobre “formação humanística” do médicos

O primeiro dia do IV Fórum Nacional de Ensino Médico do Conselho Federal de Medicina focou-se no contato médico-paciente. Roberto D?Avila, presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), ressaltou a importância de se "respeitar os valores culturais, as vontades e os desejos do paciente?.


A falta de profissionais e infraestrutura de saúde em cidades do interior também foi debatida.


Veja matéria completa no portal do CFM.


Instaurada comissão sobre o financiamento da saúde

O senado instaurou, nesta quinta-feira, 14 de março, uma comissão especialmente voltada à análise do financiamento da saúde. A proposta é do senador e médico Humberto Costa (PT-PE), nomeado relator do colegiado. A comissão pretende propor mudanças e aperfeiçoamentos ao financiamento do sistema de saúde nacional. ?O ente da federação que precisa ampliar sua participação nos gastos com a saúde é a União?, afirma Costa.


Uma das principais questões a ser tratadas é a relação entre os sistemas de saúde público e privado, caracterizada pelo senador como ?predatória e parasitária?. Segundo Costa, isso se deve ao fato de as empresas privadas recebem benefícios fiscais e, além disso, ?como não oferece cobertura ampla a todos os seus associados, o SUS acaba se responsabilizando pelos procedimentos mais caros e complexos?.


O presidente da comissão, Vital Rêgo (PMDB-PB) anunciou que haverá cinco reuniões da comissão, incluindo especialistas da área e autoridades governamentais. A próxima será no dia 4 de abril.


Os demais integrantes serão os senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), Ciro Nogueira (PP-PI), Jayme Campos (DEM-MT), Lúcia Vânia (PSDB-GO), Luiz Henrique (PMDB-SC), Paulo Davim (PV-RN), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Wellington Dias (PT-PI).


Veja matéria completa no portal do CFM.


Projeto de lei institui o serviço público para médicos

O senador Jayme Campos (DEM-MT) apresentou, neste dia 13 de março, um projeto de lei tornando obrigatório o serviço público a médicos, psicólogos, farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas e dentistas formados em universidades públicas. A proposta pretende atender à intensa demanda por esses profissionais nas regiões interioranas do país.
Outras categorias profissionais podem ser inclusas no projeto.


Veja matéria completa no portal do Senado.


Mozarido Cavalcanti homenageia oftalmologistas

O senador e médico Mozarido Cavalcanti (PTB-RR) homenageou os oftalmologistas na quarta-feira, 7 de maio, Dia do Oftalmologista. Em discurso no Plenário, o senador reiterou a importância de uma boa visão para a qualidade de vida e instou os pais a levar seus filhos ao oftalmologista, a fim de prevenir patologias oculares. A exposição incluiu também a explicação do funcionamento do olho.


Veja matéria completa no portal do Senado.


CRMs lançam campanha em favor de carreira pública

Os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) iniciaram, na terceira semana de março, uma campanha de anúncios junto aos meios de comunicação sob o mote ?Carreira de Estado para o médico do SUS. É bom para a saúde, é bom para o Brasil?.


O modelo proposto se assemelha ao adotado quanto aos promotores, juízes e militares. Segundo Aloísio Tibiriçá, coordenador da Comissão Nacional Pró-SUS do Conselho Federal de Medicina (CFM), os pontos essenciais seriam a seleção por concurso público, a possibilidade de ascensão profissional e transferência de local, condições de atualização profissional e teleconferência para discussão de casos clínicos, referência de internação e encaminhamento de emergências e a presença de uma equipe de saúde proporcionando boas condições de trabalho.


Ver matéria completa no portal do CFM.


Ministros discutem reconhecimento automático de diplomas emitidos em Portugal

Os governos brasileiro e português estudam implantar o reconhecimento automático mútuo dos diplomas médicos emitidos nos dois países. A medida seria uma extensão do Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta de 2000 e se destina a resolver o problema do déficit de serviços de saúde no interior brasileiro. A proposta foi discutida em 10 de junho durante o encontro entre o ministro da Saúde brasileiro, Alexandre Padilha, e seu colega português, Paulo Macedo, em Lisboa.


Além disso, o Ministério também abriu uma linha de financiamento de R$ 1,6 bilhão para reformar e ampliar as Unidades Básicas de Saúde (UBS) existentes e construir novas.
Acordos semelhantes existem entre outros países linguística ou politicamente ligados, como os EUA e o Canadá ou entre as nações integrantes da União Europeia. O índice de médicos formados no estrangeiro trabalhando no Brasil é de 1%, bem menor que o de outros países, como Inglaterra (40%), EUA (25%), Austrália (22%) e Canadá (17%).


Veja a matéria completa no Portal da Saúde.


Ideias estimulantes (Traduzido do portal Economist.com)

Os últimos anos têm visto diversas tentativas de proporcionar visão aos cegos por meio de retinas artificiais. Esses dispositivos implantados transformam a luz que entra em sinais elétricos e os transmitem a nervos que controlam o córtex óptico cerebral. O resultado é uma imagem que, apesar de ter baixa resolução e ser monocromática, é melhor que simplesmente nenhuma imagem.


Isso basta para aqueles cuja cegueira é causada por um problema nos olhos, como degeneração macular ou retinite pigmentosa. Mas alguns cegos, especialmente os de nascença, são incapazes de ver não porque os seus olhos não funcionam, mas porque seus córtices ópticos estão danificados. Para essas pessoas, uma retina artificial é inútil.


Zeev Zalevsky, um pesquisador na Universidade Bar Ilan, em Irsael, espera poder mudar isso. O Dr. Zalevsky, observando a plasticidade do cérebro, imagina se não seria possível recrutar uma parte diferente do córtex para tomar o lugar do tecido danificado. Ele e seus colegas estão agora tentando construir uma lente de contato que faça exatamente isso.


Ao contrário de uma retina artificial, que tem de ser implantada, uma lente de contato repousa sobre a córnea ? a janela convexa pela qual a luz entra no olho. A córnea não tem conexões nervosas com o córtex visual. Porém, como qualquer usuário de lentes de contato pode perceber, ela é incrivelmente sensível. E é essa sensibilidade que o Dr. Zalevsky planeja explorar.


As suas lentes conterão uma rede de 10 mil pequenos eletrodos, cada um dos quais estimulará ? e, assim, irritará ? uma pequena área da córnea sob eles. Os próprios eletrodos responderão a sinais transmitidos sem fio de duas pequenas câmeras instaladas em um dispositivo que é, na verdade, um par de óculos.


Ele espera que o usuário possa aprender a interpretar o padrão de estímulos como uma imagem. Se isso é possível ou não, o tempo dirá. Mas há motivos para otimismo.


Primeiramente, é um fato bem estabelecido que, apesar de diferentes áreas do cérebro cumprirem papéis diferentes, os limites entre essas funções podem ser bem flexíveis. O córtex visual dos cegos pode, por exemplo, ser usado para processar a linguagem.


Em segundo lugar, muitos cegos aprendem a fazer pelo toque uma coisa que os que dispõem de visão normal fazem pela visão ? no caso, ler. O sistema de caligrafia por pontos em relevo criado por Louis Braille pode ser lido pelo toque das pontas dos dedos na mesma velocidade em que se lê uma página convencional por meio do olhar.


Em terceiro lugar, o Dr. Zalevsky conduziu alguns experimentos preliminares encorajadores. Ele ainda não tem permissão para testes clínicos em olhos humanos, mas, inspirado pelo sistema de Braille, ele está fornecendo imagens eletrônicas às pontas dos dedos de voluntários. Depois de um período de treinamento adequado, esses voluntários são capazes de reconhecer formas simples, como letras do alfabeto.


Isso não prova que as lentes de contato do Dr. Zalevsky funcionarão. Os voluntários não eram cegos e, portanto, conheciam as imagens. Alguém cego de nascença não conheceria. E aprender a reconhecer uma coleção de caracteres é diferente de lidar com a complexidade interminável do mundo real. Se a tecnologia funcionar, porém, ela trará pelo menos um simulacro de visão a muitos que, por enquanto, não enxergam nada- e sem precisar de cirurgia.


(traduzido da revista The Economist - veja a matéria original aqui)


Entidades criticam obrigatoriedade do ?exercício social? da medicina

Representantes de entidades médicas criticaram o Projeto de Lei do Senado (PLS) 168/2012 durante audiência pública na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), em 7 de maio. Proposto pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF), o PLS pretende obrigar médicos recém-formados a trabalhar por, pelo menos, dois anos em cidades com menos de 30 mil habitantes ou em áreas carentes dentro de regiões metropolitanas, o chamado ?exercício social da profissão?. Médicos queixam-se novamente da ausência de um plano de carreira pública voltado para regiões carentes e da ausência de boas condições de trabalho nessas localidades.


Fernado Antônio Menezes, representante do Ministério da Saúde afirma que a obrigatoriedade não será instituída sem a criação de condições para a fixação dos profissionais. Beatriz Rodrigues, presidente da Associação Nacional dos Médicos Residentes, aponta a necessidade de outros profissionais, como enfermeiros e fisioterapeutas, para o funcionamento do serviço de saúde, sendo insuficiente a existência apenas de médicos.


O senador Paulo Paim (PT-RS), relator do PLS na Comissão de Educação, declarou-se disposto a realizar ajustes no projeto.


Entidades defendem reforma em sistema de avaliação de diplomas estrangeiros

Representantes de várias entidades médicas, científicas e diplomáticas, reunidos na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) discutiram o Projeto de Lei do Senado (PLS) 399/2011 que estabelece o reconhecimento automático de diplomas médicos estrangeiros. Embora não concordem com a aceitação automática, os participantes defendem uma reforma no sistema de avaliação de diplomas estrangeiros.


Vicente Celestino de França, presidente da Associação Nacional de Pós-Graduados em Instituições Estrangeiras de Ensino Superior, estima em 20 mil o número atual de pedidos em análise nas universidades.


Carlos Estephanio, presidente da Associação Brasileira de Pós-Graduando no Mercosul afirma que 80% dos médicos oriundos de países do bloco têm o pedido de reconhecimento de seus diplomas negado. "Parece que as universidades não querem concorrência para seus mestres e doutores formados no Brasil"


Pensando nisso, Luana Bonone, presidente da Associação Nacional de Pós-Graduandos, defende a transferência da responsabilidade de avalição ao próprio Ministério da Educação, em vez de relegá-la a universidades nacionais.


Para Helena Bonciani Nader, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), critérios como a produção científica, o número de doutores formados e as condições de trabalho prático da universidade em questão devem ser levados em conta.


Veja matéria completa no portal da AMB


Governo estuda alívio tributário a planos de saúde

Técnicos do Governo estão estudando a possibilidade de reduzir tributos das operadoras de planos de saúde, visando à diminuição do preço final para o consumidor. A proposta será discutida no dia 10 em audiência da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara.


A deputada Jandira Feghali (PCdoB ? RJ) criticou a proposta. ?Nós não podemos admitir que o Poder Público retire recursos de programas básicos de vacina, de medicamentos da população, para incentivar planos privados, que cobram da população para fazer atendimento?, diz. Ivan Valente (PSOL-SP) também se opôs à ideia, declarando-se chocado com a possibilidade. ?Eu acho que transferir recursos de qualquer tipo - incentivo, desoneração, criação de planos paralelos - é enfraquecer o SUS?, afirmou o parlamentar.


O ministro da saúde, Alexandre Padilha, afirmou ser possível financiar o setor sem ?pegar dinheiro do SUS? e defendeu a criação de mais ?hospitais privados ou filantrópicos que possam servir tanto ao SUS quanto à saúde suplementar?.


Veja matéria completa no portal da Câmara.


Secretaria de Direitos Humanos cria Grupo de Trabalho para discutir Saúde no País

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República criará grupo de trabalho para debater os principais problemas de saúde no País. O pedido foi feito por representantes das entidades médicas nacionais ? Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam) ? em reunião realizada em 07 de março, em Brasília.


A ministra Maria do Rosário admitiu à importância de se levar a discussão da saúde para a pauta dos Direitos Humanos. ?Reconhecemos que a saúde é questão urgente. Precisamos juntos formar um rol de propostas e trabalhar junto ao Ministério da Saúde?.


Representando o CFM no encontro, a presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (CREMERJ), Márcia Rosa de Araújo, destacou a situação insustentável das emergências e do financiamento do setor.


"Preocupa-nos a degradação que vem sofrendo o Sistema Único de Saúde inclusive com gestões feitas por meio de OSs, Oscips e pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) nos hospitais e universidades federais. Estamos em uma encruzilhada e o desfinanciamento do setor deve ser tratado com prioridade pelo governo. Foi um equívoco a presidenta da República se reunir com representantes das operadoras solicitando planos mais baratos para as classes C e D. Deveria sim, fortalecer o financiamento do SUS. Planos mais baratos não dão aos usuários acesso aos serviços e ainda pagam valores irrisórios aos médicos", declarou.


O grupo de trabalho será criado no âmbito do Conselho Nacional de Direitos Humanos, que já tem encontro previsto para o dia 24 de abril. O novo grupo reunirá representante das entidades médicas e do Ministério da Saúde, além de representantes de sociedades civis e outras profissões da saúde.


(Com informações retiradas do site do CFM, http://portal.cfm.org.br/)


Manifesto de Belém repudia medidas anunciadas pelo governo

?Não podemos admitir que interesses políticos subalternos, financeiros e de mercado decidam sozinhos os rumos e o futuro de um modelo enraizado na nossa Constituição e que pertence a 190 milhões de brasileiros?. Dessa forma termina o Manifesto de Belém, aprovado na plenária de encerramento do I Encontro Nacional de Conselhos de Medicina, encerrado nesta sexta-feira (8), na capital paraense. O documento, aprovado por aclamação, sai em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) ?público, integral, gratuito, de qualidade e acessível a toda a população?.


Na mensagem dos médicos direcionada à Nação, os representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM) e dos 27 Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) apontam ações anunciadas pelo Governo Federal que, em sua avaliação, se implementadas podem comprometer o futuro do sistema de saúde brasileiro.


Entre as preocupações dos Conselhos de Medicina estão a possibilidade de entrada de médicos estrangeiros e de brasileiros com diplomas obtidos no exterios sem sua respectiva revalidação para atender em território nacional. As entidades consideram que essa medida fere normativas legais e põe a qualidade da assistência em situação de risco, por não permitir a aferição da competência e da capacidade desses profissionais.

Veja a íntegra do Manifesto

UMA MENSAGEM DOS MÉDICOS À NAÇÃO BRASILEIRA

O Conselho Federal de Medicina (CFM) e os 27 Conselhos Regionais de Medicina (CRMs), reunidos em Belém (PA), manifestam seu repúdio às ações anunciadas, recentemente, pelo Governo Federal que ferem conquistas e diretrizes constitucionais da saúde pública. As entidades alertam a sociedade brasileira para as medidas, com as quais não concordamos, que se implementadas podem comprometer o futuro do sistema de saúde brasileiro:

1)    A entrada irresponsável de médicos estrangeiros e de brasileiros com diplomas de medicina obtidos no exterior sem sua respectiva revalidação fere a norma legal, coloca a qualidade da assistência à população em situação de risco e não garante a ampliação definitiva de acesso à assistência nas áreas de difícil provimento. Trata-se de proposta improvisada, imediatista e midiática, que ignora as questões estruturais do trabalho médico no Sistema Único de Saúde (SUS) e também o Revalida, exame criado pelo Governo que tem avaliado com justiça a competência e a capacidade desses médicos interessados em atuar no país;

2)    A ausência de uma carreira de Estado para o médico do SUS, com a previsão de infraestrutura e de condições de trabalho adequadas para os profissionais, impede a presença efetiva de médicos e a melhoria do atendimento em pequenos municípios e nas periferias dos grandes centros. Somente a implementação dessa carreira trará solução eficaz para o preenchimento definitivo dos vazios assistenciais;

3)    A intenção de reduzir impostos, dar subsídios e destinar recursos públicos para as operadoras de planos de saúde, conforme anunciado após encontros de representantes do Governo com empresários do setor, demonstra, de forma contraditória, o favorecimento da esfera privada em detrimento da pública na prestação da assistência à saúde, cuja prática tem sido feita sob o signo do subfinanciamento público federal, principal responsável pelas dificuldades do SUS;

4)    Os Conselhos de Medicina defendem o SUS público, integral, gratuito, de qualidade e acessível a toda a população. Para tanto, exigimos o cumprimento de uma agenda mínima, a qual inclui a destinação de 10% da receita da União para a saúde e o aperfeiçoamento dos serviços públicos, dotando-os de infraestrutura e recursos humanos valorizados para atender de forma eficaz a população;

Conclamamos o Poder Legislativo; o Poder Judiciário; o Ministério Público; as entidades médicas e da área da saúde; os parlamentares; as universidades; a imprensa; e todos os movimentos da sociedade civil organizada a se irmanarem nesta cruzada em defesa de um sistema público de saúde de qualidade, como um dos maiores patrimônios sociais da Nação. Não podemos admitir que interesses políticos subalternos, financeiros e de mercado decidam sozinhos os rumos e o futuro de um modelo enraizado na nossa Constituição e que pertence a 190 milhões de brasileiros.

 

Belém (PA), 8 de março de 2013.

 

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM)


CONSELHOS REGIONAIS DE MEDICINA (CRMs)


Trabalhos premiados no XX Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual

Prêmio Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Título: EFEITOS DA EXPOSIÇÃO LUMINOSA, PH, OSMOLARIDADE E SOLVENTE A TOXICIDADE RETINIANA DE CORANTES PARA CROMOVITRECTOMIA
Autores: Elaine de Paula Fiod Costa, Acacio A. S. Lima Filho, Adriana K. Carmona, Eduardo B. Rodrigues, Fernando M. Penha, Larissa Pereira Coppini, Mauricio Maia, Michel Eid Farah, Nilana M. T. Barros, Raquel Leão Neves.
Instituição Principal: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) - São Paulo - SP



Prêmio Oftalmologia Cirúrgica
Título: EFICÁCIA E SEGURANÇA DA INJEÇÃO INTRA-VÍTREA DE BEVACIZUMAB COM VÁLVULA DE AHMED EM OLHOS COM GLAUCOMA NEOVASCULAR.
Autores: Enyr Saran Arcieri, Danilo J. Secches, Jayter Silva Paula, Kleyton A. Barella, Rafael Saran Arcieri, Rodrigo Jorge, Vital Paulino Costa.
Instituição Principal: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) - Campinas - SP
Instituição Secundária: Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) - Araguari - MG


Prêmio Oftalmologia Clínica
Título: AVALIAÇÃO DA ESPESSURA DA RETINA INTERNA NA MACULA DE PACIENTES COM ESCLEROSE MULTIPLA OU NEUROMIELITE OPTICA
Autores: Danilo Botelho Fernandes, Ali S. Raza, Rafael G. F. Nogueira, Diane Wang, Dagoberto G. Callegaro, Donald C. Hood, Mario Luiz R. Monteiro.
Instituição Principal: Universidade de São Paulo (USP) - São Paulo - SP



Prêmio Pesquisa Básica
Título: IMUNOREGULAÇÃO NA RETINOCOROIDITE TOXOPLÁSMICA ATIVA
Autores: Cynthia Azeredo Cordeiro, Antônio L. Teixeira, Erica L. M. Vieira, Fernando Oréfice, Juliana L. Oréfice, Lucy H. Young, Rogerio A. Costa, Vinicius Castro, Walderez O. Dutra, Wesley R. Campos.
Instituição Principal: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - Belo Horizonte - MG



Prêmio Educação em Saúde Ocular
Título: TECNOLOGIA ASSISTIVA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL
Autores: Maria Inês Rubo de Souza Nobre, Ana Flavia Izumi Cruz, Giuliana Jorge Crepaldi, Maria Elisabete Rodrigues F. Gasparetto, Sonia M. Chadi Paula Arruda, Zélia Z. Lourenço Camargo Bittencourt, Rita de Cassia I. Montilha.
Instituição Principal: Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação Prof. Dr. Gabriel Porto da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - CEPRE ? FCM - UNICAMP - Campinas - SP



Prêmio Região Centro-Oeste
Título: ESPESSURA CORNEANA DURANTE E APÓS CROSS-LINKING COM ULTRAVIOLETA-A E SOLUÇÃO HIPOOSMOLAR DE RIBOFLAVINA EM CÓRNEAS FINAS
Autores: Belquiz Rodrigues do Amaral Nassaralla, Diogo Mafia Vieira, Márcia Leite Machado, Marisa Novaes Falleiro Chaves de Figueiredo, João Jorge Nassaralla Junior.
Instituição Principal: Instituto de OIhos de Goiânia / Goiás


Prêmio Região Nordeste
Título: EFICÁCIA DA CORREÇÃO ÓPTICA DA ACUIDADE VISUAL NO COMPORTAMENTO ESCOLAR
Autores: Eduardo Nery Rossi Camilo, Alessandra de Freitas Carneiro Lira.
Instituição Principal:
Fundação Altino Ventura (FAV) - Recife - PE



Prêmio Região Norte
Título: RECORRÊNCIA DE PTERÍGIO APÓS EXÉRESE CIRÚRGICA EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO NO PERÍODO DE NOVEMBRO-2008 À OUTUBRO-2009
Autores: Hellen Cristina Paraguassu Macedo, Caroline Galvão Leite, Érika Nunes Polaro, Gabriel Ângelo Ribeiro da Silva, Paula Renata Caluff Tozzatti, Raquel Furtado Castro, Raquel Tabosa Damasceno Pontes, Renato Sérgio de Andrade Lima, Roberto Freitas de Castro Leão, Rosacélia Coêlho Brito.
Instituição Principal: Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza - Belém/Pará



Prêmio Região Sudeste
Título: OLHOS COM PRESSÃO NORMAL E ESCAVAÇÕES GRANDES: QUAL A UTILIDADE DO SD-OCT EM DIFERENCIAR OS NORMAIS DOS GLAUCOMATOSOS?
Autores: Tiago dos Santos Prata, Fabio N. Kanadani, Luis G. Biteli, Luisa Trancoso, Mauro T Leite, Rafael Furlanetto.
Instituição Principal: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) - São Paulo - SP
Instituição Secundária: Hospital Medicina dos Olhos - Osasco - SP



Prêmio Região Sul
Título: AUMENTO DA EXPRESSÃO DA MOLÉCULA DE ADESÃO INTERCELULAR-1 NA CORÓIDE E ESCLERA DE COELHOS HIPERCOLESTEROLÊMICOS.
Autores: Caroline Luzia de Almeida Torres, Andréa Luchini, Antonio Marcelo Barbante Casella, Dalton Bertolim Précoma, Emilio de Almeida Torres, Lucia de Noronha, Rafael Zotz, Regiane do Rocio de Almeida Torres, Robson de Almeida Torres, Rogil José de Almeida Torres.
Instituição Principal: Pontificia Universidade Católica do Paraná



Prêmio Trabalho Internacional
Título: TRATAMENTO DO RETINOBLASTOMA GRUPO D COM QUIMIOTERAPIA INTRAVENOSA VERSUS QUIMIOTERAPIA INTRA-ARTERIAL.
Autores: Enzo Augusto Medeiros Fulco, Carlos Bianciotto, Carol L. Shields, Carolina Alarcon, Shripaad Shukla.
Instituição Principal: Wills Eye Institute - Thomas Jefferson University


Projeto Diretrizes

A Associação Médica Brasileira (AMB) e o Conselho Federal de Medicina acabam de publicar o décimo volume do Projeto Diretrizes, conjunto de protocolos desenvolvidos pelas entidades médicas nacionais para auxiliar os médicos na tomada de decisões com relação ao diagnóstico e tratamento de doenças baseadas nas evidências científicas disponíveis.


O processo teve início em 1999 e atualmente já existem mais de 400 protocolos publicados dentro do Projeto Diretrizes, abrangendo todas as especialidades da Medicina Brasileira.


Neste décimo volume, existem duas diretrizes relacionadas com a Oftalmologia: 1) Degeneração Macular Relacionada à Idade (http://www.projetodiretrizes.org.br/diretrizes11/degeneracao_macular_relacionada_a_idade.pdf); 2) Retinopatia da Prematuridade (http://www.projetodiretrizes.org.br/diretrizes11/retinopatia_da_prematuridade.pdf).


Entidades médicas lamentam aprovação do relatório em Comissão Mista

As entidades médicas nacionais lamentaram o relatório aprovado pela Comissão Mista do Congresso Nacional. Em comunicado enviado aos médicos e à população brasileira, a Associação Médica Brasileira (AMB), a Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Federação Brasileira das Academias de Medicina (FBAM) ressaltaram que continuarão a defender o debate em torno do tema, a fim de fiscalizar a execução das medidas e colaborar eticamente e tecnicamente com a correção dos rumos tomados até o momento.


Segundo as entidades médicas, o documento apresentado pelo deputado Rogério Carvalho (PT/SE) manteve uma série de inconsistências relacionadas ao programa ?Mais Médicos? e desconsiderou propostas que tocavam em aspectos essenciais ao exercício da Medicina e à qualificação do atendimento em saúde para a população. Entre elas, constam mudanças que aperfeiçoavam as regras para o funcionamento dos cursos de medicina, o processo de formação médica e de residência médica, bem como os fluxos relacionados ao registro, à atuação e à fiscalização dos médicos intercambistas do referido Programa.

Confira abaixo o comunicado na íntegra:

COMUNICADO AOS MÉDICOS E À POPULAÇÃO

Entidades médicas lamentam aprovação do Relatório da MP 621/2013 em Comissão Mista do Congresso

As entidades médicas nacionais - Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Federação Brasileira das Academias de Medicina (FBAM) - lamentam que a Comissão Mista do Congresso Nacional que analisa a MP 621/2013 tenha aprovado, nesta terça-feira (1º), o relatório apresentado pelo deputado Rogério Carvalho (PT/SE), o qual mantém uma série de inconsistências relacionadas ao Programa Mais Médicos.

Com o apoio de alguns parlamentares e com a contribuição da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), assim como de diversos pesquisadores e universidades do país, as entidades nacionais de representação médica apresentaram propostas que tocavam em aspectos considerados essenciais ao bom exercício da Medicina e à qualificação do atendimento em saúde para a população (clique aqui para ler a íntegra do documento).

Entre estas propostas, constam mudanças que aperfeiçoavam as regras para o funcionamento dos cursos de medicina, do processo de formação médica e de residência médica, bem como os fluxos relacionados ao registro, à atuação e à fiscalização dos médicos intercambistas do referido Programa.

O posicionamento das entidades médicas nacionais junto à Comissão Mista da MP 621/2013, por meio desta proposta, foi mais uma tentativa de estabelecer um canal de diálogo com o governo. Este esforço resulta do compromisso histórico dos médicos brasileiros com a sociedade e com a saúde da população, lutando para que os cidadãos tenham acesso a serviços pautados pelos princípios e diretrizes constitucionais.

Independentemente da decisão tomada pela Comissão Mista, as entidades (com o apoio dos médicos e de importantes segmentos sociais) continuarão a defender o debate em torno de tema tão complexo e polêmico. Para tanto, ressaltam a importância de defender seus argumentos, fiscalizar a execução das medidas e colaborar ética e tecnicamente com a correção dos rumos tomados até o momento.

 

Associação Médica Brasileira (AMB)


Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR)


Conselho Federal de Medicina (CFM)


Federação Brasileira das Academias de Medicina (FBAM)


 


CBO apoia movimentação médica

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia apoia a iniciativa das entidades médicas em oferecer cartão amarelo de advertência aos Planos de Saúde. A movimentação acontecerá no próximo 25 de abril (quarta-feira) em todo o território nacional. Confira abaixo a carta escrita pelo presidente da entidade, Marco Antônio Rey de Faria


São Paulo, 18 de abril de 2012.


Ref.:  Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde
           25 de abril de 2012 ? em território nacional


Colega,

Motivado pela necessidade de lutarmos pela saúde ocular do nosso povo, pelos interesses da Oftalmologia e de nos mantermos unidos aos movimentos da Medicina brasileira, convido os Colegas oftalmologistas a se engajarem à manifestação organizada pelo CFM, pela AMB e pela FENAM, programada para o próximo dia 25 de abril em todo território nacional, com objetivo de promover negociação e fixação de parâmetros justos e adequados de contratualização.

Veja também as propostas elaboradas pela COMSU ? Comissão de Saúde Suplementar, constituída por representantes do CFM, da AMB e da FENAM, a serem encaminhadas à ANS?Agência Nacional de Saúde e o folder divulgando nosso movimento.

Cordialmente,


Dr. Marco Antonio Rey de Faria,
Presidente do
Conselho Brasileiro de Oftalmologia



 
Para acessar ao Folder de divulgação da paralisação clique aqui


O velho problema sobre pagamento em dobro das cirurgias oftalmológicas

(*) Nelson Louzada e Gabriel Carvalho


O primeiro documento que destaca este assunto, datado de 1989, é conhecido como Resolução Associação Médica Brasileira (AMB) - Comissão Nacional de Honorários Médicos (CNHM) nº 017. Nele encontramos respaldo para a cobrança em dobro de Honorários Médicos nos procedimentos que não sejam realizados em ambulatório. Diante desta posição, a Oftalmologia baseou-se para cobrar os respectivos honorários, que lhe é de direito, apenas para procedimentos considerados de médio e alto grau de complexidade, ou seja, aqueles que tinham seus portes anestésicos iguais ou superiores a 4.

Estas medidas foram consideradas Normas de Reprodução Obrigatória em todas as Edições de Tabelas de Honorários Médicos, emitidas pelo órgão competente para tal - AMB. Para isso, em todos os Tópicos "Instruções Gerais" de suas respectivas edições (AMB 90/92/96...) havia, de forma expressa, a obrigatoriedade do pagamento dos honorários em dobro, nas hipóteses já elencadas. Até a atual Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) edição 2010, diz textualmente em seu artigo 1.5, Das Instruções Gerais, página 17: Esta classificação constitui referência para acomodações hospitalares coletivas (enfermaria ou quartos com dois ou mais leitos).

Ao longo do tempo, algumas Operadoras de Plano de Saúde optaram, de forma deliberada, por não pagar mais em dobro. No receio de perderem seus convênios muitos médicos acabaram se submetendo a esta lamentável e unilateral decisão, o que viria a enfraquecer todo o direito já adquirido com tanta luta e esforço.

Ao surgirem a Cooperativa Estadual de Serviços Administrativos em Oftalmologia do Rio de Janeiro (COOESO-RJ), em 2001 e a Federação das Cooperativas Estaduais de Serviços Administrativos em Oftalmologia (FeCOOESO), em 2006, deparamo-nos com tal cenário, porém de forma ainda mais crônica. A primeira decisão tomada foi tentar reaver, nos moldes de uma aproximação amigável, a negociação destes pagamentos. No início, entre 2002 e 2004, muitos Planos de Saúde dificultaram as diversas tentativas, porém, após algumas reuniões, estes acabavam acatando e entendendo que se tratava de uma reivindicação plausível, diante de normas legais que não haviam sido revogadas.

Entretanto, outras insistiam em não pagar, o que acabou gerando, em 2008, a abertura de Procedimento Administrativo junto ao Ministério Público Federal (MPF). Este entendeu que o "ato de comunicar a todos os oftalmologistas e serviços oftalmológicos, que as cirurgias oftalmológicas não devem ser realizadas em consultório ou ambulatório é medida capaz de orientar a atuação destes profissionais, alertando sobre o risco de as cirurgias não serem realizadas em centro cirúrgico, ainda que de curta permanência".

Traduzindo a partir de uma nova ótica, qualquer problema que surja em um processo cirúrgico realizado fora do ambiente adequado, será de responsabilidade exclusiva do médico profissional, o qual tem o dever de saber, ser este ambiente incompatível, com a prática de determinados procedimentos cirúrgicos. Cumpre salientar que, o entendimento trazido pelo ilustríssimo membro do Ministério Público Federal, Procurador da República José Soares, tem validade e eficácia  em toda território nacional.

Instada pelo MPF a se pronunciar sobre o tema, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) foi clara em afirmar que fica a cargo do Ministério da Saúde, dos Conselhos Profissionais e das sociedades de classe ditar as diretrizes da política de assistência à saúde.

Não obstante, a FeCOOESO enviou em 2010, carta nº 007 à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), requerendo reunião que tratasse da falha de iniciativa de algumas operadoras em emitirem pareceres e entendimentos, diante de assuntos que são de exclusividade de órgãos de representação da Especialidade Médica. Após recebida a carta, e posterior reunião com representantes do CBO, FeCOOESO e SBO, a ANS se pronunciou, mediante o Ofício nº 3030/2010, trazendo a conclusão de que "a expressão cirurgia ambulatorial é inadequada, porque ambulatorial é o paciente. O porte de um procedimento cirúrgico será o mesmo, independente se realizado em um paciente interno ou em um paciente ambulatorial?..."A indicação do procedimento e o local para realização do mesmo e para a permanência do paciente, são de competência do médico assistente".

Em 2011, algumas operadoras ainda insistiam em autorizar para as cirurgias oftalmológicas, guias em SADT (Serviços Auxiliares de Diagnóstico e Tratamento), como se as cirurgias oftalmológicas fossem exames complementares, não admitindo que estas fossem emitidas em Day Clinic (Hospital Dia) / Curta Permanência. Tentam, desta forma, descaracterizar o procedimento para não pagar em dobro para os pacientes com direito a quarto particular.

A situação gerou uma nova insatisfação nas entidades oftalmológicas, que por sua vez, protocolaram mais uma carta na sede da ANS - Carta CBO/FeCOOESO/SBO nº 001/2011, pautando novamente este assunto. Prontamente, a ANS, por meio de seu Ofício 80/2011, respondeu que, "o fato deste procedimento ter cobertura pelos planos ambulatoriais, não significa que a Agência de Saúde Suplementar - ANS endossa sua realização fora de centro cirúrgico". De forma implícita, resta claro que as citadas cirurgias de porte superior ou igual a 4 não podem ser realizadas fora de centro cirúrgico, seja ele Day Clinic ou Hospital Geral, e que por sua vez, de acordo com o entendimento da AMB, terão seus honorários em dobro, quando o paciente tiver o direito de ser acomodado em quarto particular ou apartamento.

A Resolução CFM Nº 1.886/2008 que dispõe sobre as "Normas Mínimas para o Funcionamento de consultórios médicos e dos complexos cirúrgicos para procedimentos com internação de curta permanência" esclarece perfeitamente a questão. A Exposição de Motivos, emitida pelo Conselheiro Relator do CFM Rafael Dias Marques Nogueira, que faz parte desta Resolução, deixa clara a posição do CBO/FeCOOESO/SBO, endossada pelo CFM.

A Resolução CFM 1.642/2002 resolve no Art. 1º - As empresas de seguro-saúde, de medicina de grupo, cooperativas de trabalho médico, empresas de autogestão ou outras que atuem sob a forma de prestação direta ou intermediação dos serviços médico-hospitalares devem seguir os seguintes princípios em seu relacionamento com os médicos e usuários: a) respeitar a autonomia do médico e do paciente em relação à escolha de métodos diagnósticos e terapêuticos; b) admitir a adoção de diretrizes ou protocolos médicos somente quando estes forem elaborados pelas sociedades brasileiras de especialidades, em conjunto com a Associação Médica Brasileira;

Fundamentada na supracitada resolução o CBO, a FeCOOESO e a SBO emitiram o Parecer sobre Cirurgias Oftalmológicas definindo suas normas. Por óbvio que este ofício deve ser realizado pela Sociedade Médica de Especialidade, não pela operadora de plano de saúde.

Os argumentos utilizados pelas operadoras que ainda insistem em descaracterizar as cirurgias oftalmológicas são débeis e se baseiam em afirmativas pueris como a não necessidade de pernoite e que são de curta duração. Devemos esta compreensão errônea ao grande avanço tecnológico experimentado pela Oftalmologia. Insólito seria hierarquizar as cirurgias baseando-se no número de dias de internação, perda de sangue, necessidade de anestesia geral ou quantidade de pontos dados. Não existe espaço para o retrocesso!

Diante disto, não compete a nenhuma operadora de plano de saúde, dispor do ato de "querer ou não" se adequar a estas normas. Devem apenas se inserir e adequar-se às diretrizes existentes que amparam não só os pacientes, como os médicos oftalmologistas e toda a classe médica.

Nelson Louzada - coordenador da  Comissão de Honorários Médicos do CBO e presidente da FeCOOESO


Gabriel Carvalho  -  auxiliar administrativo jurídico da FeCOOESO


Comunicado Nacional PRÓ-SUS

Brasília, 29 de janeiro de 2014.


Às Entidades Médicas,

Em reunião realizada pela Comissão Nacional Pró-SUS no último dia 16 de janeiro, foi aprovado o indicativo de protesto dos médicos, tendo a semana do dia 7 de abril (Dia Mundial da Saúde) como referência para o início das mobilizações. Na avaliação geral do movimento, permanece o descontentamento com as condições de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS), com o subfinanciamento do setor e com o desrespeito do Governo Federal para com a classe.

Entendeu-se que, no momento, a realidade nacional não comporta uma paralisação prolongada. No entanto, faz-se necessária uma ação coordenada de mobilização dos médicos que, a partir de abril, deve ser fortalecida e ampliada. Diante das discussões do grupo, foram indicados os seguintes eixos norteadores, os quais serão aprofundados na reunião ampliada da Pró-SUS, prevista para 26 de fevereiro:

1- As reivindicações dos médicos na mobilização de abril são:


a) Melhora do financiamento do SUS com a aprovação do projeto de lei de iniciativa popular que vincula 10% da receita bruta da União para a saúde (Saúde+10);
b) Reajuste imediato da Tabela SUS - Código 7;
c) Criação da Carreira de Estado para o médico e outros profissionais do SUS;
d) Trabalho médico no SUS (precarização, PCCV, concurso público).

2- As entidades médicas locais devem promover encontros para que sejam delineadas as possíveis formas de protesto e de mobilização, as quais serão compartilhadas durante a reunião ampliada;


3- Os Conselhos de Medicina iniciarão um amplo trabalho de fiscalização no SUS, dentro de suas prerrogativas e atribuições;

4- Após a reunião ampliada da Pró-SUS, será dado início ao processo nacional de divulgação da mobilização para os médicos e população, em todos os veículos disponíveis (jornais, revistas, portais, newsletter, redes sociais e outros), conforme cronograma de atividades a ser proposto pelas entidades médicas nacionais;

5- O Conselho Federal de Medicina realizará pesquisa nacional para instrumentalizar o posicionamento e a mobilização dos médicos. Dentre os temas de abordagem está a percepção sobre carreira de Estado, trabalho no SUS e políticas governamentais;

6- As equipes de comunicação das entidades irão propor uma estratégia de divulgação do movimento junto à imprensa e à sociedade, inclusive com a apresentação de identidade visual que uni?que as demandas, com o objetivo de evitar eventuais prejuízos à imagem do protesto dos médicos.

Durante a reunião houve a participação de representante da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB), que expos a situação da Santas Casas e defendeu a aliança entre as instituições e os médicos na busca de objetivos comuns.

Lembramos a todos que a mobilização dos médicos está em debate no âmbito das entidades nacionais - Associação Médica Brasileira (AMB), Conselho Federal de Medicina (CFM), Federação Nacional dos Médicos (Fenam) -, assim como em suas filiadas e federadas. Portanto, toda a classe é corresponsável pelo sucesso das ações programadas, fator que exige o envolvimento e colaboração de todos nesta luta.

Atenciosamente,

COMISSÃO NACIONAL PRÓ-SUS



Contatos com parlamentares realizados nos vários Estados

Acre

 

O oftalmologista Eduardo Velloso conseguiu entrar em contato com os senadores Jorge Viana (PT) Aníbal Diniz (PT) e Sérgio Petecão (PSD) e com os deputados Antônia Lúcia (PSC), Gladson Cameli (PP), Taumaturgo Lima (PT), Sibá Machado( PT) e Flaviano Melo (PMDB)

 

Ceará

 

O deputado João Ananias (PC do B) foi contatado pelo presidente da Sociedade cearense de Oftalmologia, Dácio Costa. Já os deputados Artur Bruno (PT) André Figueiredo (PDT), Danilo Forte (PMDB) e José Linhades (PP) foram contatados por Leiria de Andrade Neto.

 

Mato Grosso do Sul

 

Álvaro Hilgert contatou o senador Delcidio do Amaral (PT)

 

 

Paraíba

 

Daniel Montenegro informa que após um final de semana de contatos com os parlamentares do Estado, os senadores (Paraíba) Cássio Cunha Lima (PSDB), Cícero Lucena (PSDB) e Vital do Rego (PMBD).

O mesmo ocorreu com os deputados Efraim Filho (DEM), Hugo Mota (PMDB), Benjamin Maranhão (PMDB), Damião Feliciano (PDT), Leonardo Gadelha (PSC), Manoel Júnior (PMDB), Nilda Gondim (PMDB) e Ruy Carneiro (PSDB).

 

Paraná

 

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL) recebeu abaixo assinado com  45 mil nomes entregue pelo Sindicato dos Médicos do Paraná, pelo CRM-PR e pela Associação Médica do Paraná.

 

Pernambuco

João Pessoa de Souza Filho, da diretoria da Sociedade de Oftalmologia de Pernambuco, conversou pessoalmente com os deputados  Raul Henry (PMDB) e Roberto Freire (PPS/SP). Ao mesmo tempo, Francisco de Assis Cordeiro Barbosa informou que a bancada de parlamentares de Pernambuco ( 25 deputados e 03 senadores ) reuniram-se em 14 de agosto quando foi informada sobre a importância de derrubar os vetos presidenciais.

 

São Paulo

 

Comissões de médicos oftalmologistas conseguiram contatar o senador Eduardo Suplicy (PT) e os deputados Abelardo Camarinha (PSB), Aline Corrêa (PP), Antônio Bulhões (PRB), Beto Mansur (PP), Cândido Vaccarezza (PT), Carlos Zarattini (PT), Devanir Ribeiro (PT), Francisco Chagas (PT), Gabriel Chalita (PMDB), Iara Bernardi (PT), Ivan Valente (PSOL), Janete Rocha Pietá (PT), João Dado (PDT), João Paulo Cunha (PT), José Genoíno (PT), José Mentor (PT), Keiko Ota (PSB), Luiza Erundina (PSB), Márcio França (PSB), Milton Monti (PT), Missionário José Olímpio (PP), Nelson Marquezelli (PTB), Newton Lima (PT), Otoniel Lima (PRB), Pastor Marco Feliciano (PSC), Paulo Freire (PR), Paulo Maluf (PP), Paulo Teixeira (PT), Penna (PV), Ricardo Berzoini (PT), Roberto de Lucena (PV), Roberto Freire (PPS), Salvador Zimbaldi (PDT), Tiririca (PR), Valdemar Costa Neto (PR), Vanderlei Siraque (PT), Vicente Cândido (PT) e Vicentinho (PT).

 

Sergipe

 

A Comissão de oftalmologistas do Estado conseguiu contatar o senador Eduardo Amorim (PSC) e os deputados Laércio Oliveira (PR), Mendonça Prado (SEM), Valadares Filho (PSB) e Rogério Carvalho (PT).


Grupo Retina Brasil e ADJ Diabetes Brasil promovem Jornada da Retina em São Paulo
















A ADJ Diabetes Brasil em parceria com o Grupo Retina, o Grupo de Estudos de Doenças Raras (GEDR_BRASIL), a Associação de Familiares Amigos e Portadores de Doenças Graves (AFAG), e apoio da Novartis e do vereador Marco Aurélio Cunha (PSD) promovem a Jornada da Retina, que acontecerá em 29 de setembro, no Parque Trianon, em São Paulo (SP).

O objetivo da ação é divulgar o diabetes e suas complicações relacionadas à retina, além do trabalho desempenhado por cada instituição envolvida nessa ação. O evento terá formato de uma feira e inclui a realização de exames de Glicemia e Fundo de Olho, Avaliações de Retinopatia Diabética, Degeneração Macular e Olho Seco gratuitos para as pessoas que relatarem algum problema de visão.

A expectativa é que três mil pessoas sejam atendidas durante a Jornada no Parque Trianon. Para isso, o evento contará com a presença de 100 pessoas voluntárias que se dividirão nas atividades para atender o público que passará no local.

Além disso, para marcar o Dia Internacional da Retina, no dia anterior à Jornada, 28 de setembro, haverá o Seminário da Retina, com palestras e atividades voltadas ao público em geral, nas dependências do Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo, das 9h às 15h.

Fundado em outubro de 1999, O Grupo Retina é uma organização civil sem fins lucrativos, formada para dar apoio e informações para pessoas afetadas pelas doenças degenerativas da retina como a Retinose pigmentar, Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), Stargardt, Síndrome de Usher entre outras. Também é responsável por fornecer suporte aos familiares e amigos destas pessoas.

Já a ADJ Diabetes Brasil, fundada em 10 de março de 1980, é uma entidade não governamental, sem fins lucrativos, que tem o objetivo de promover educação nesse campo para portadores, familiares, profissionais de saúde e comunidade. A ADJ atende as pessoas portadoras de todos os tipos de diabetes, de qualquer faixa etária e classe sócio-econômica. Oferece um trabalho integrado realizado por uma equipe multidisciplinar formada por psicóloga, nutricionista, enfermeira e voluntários (portadores de diabetes ou familiares).


Para CFM, importação de médicos cubanos é medida eleitoreira e irresponsável







O Conselho Federal de Medicina (CFM) considerou eleitoreiro, irresponsável e desrespeitoso o anúncio de importação de médicos cubanos feito pelo Ministério da Saúde. Em nota, a entidade condenou veementemente a entrada dessas pessoas sem antes terem tido seus diplomas médicos revalidados e comprovarem conhecimento da língua portuguesa.  Para o CFM, essa medida agride direitos individuais, humanos, do trabalhador e ainda expõe a saúde da população a situações de risco.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA:

NOTA DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONTRA A IMPORTAÇÃO DE MÉDICOS CUBANOS


O Conselho Federal de Medicina (CFM) condena de forma veemente a decisão irresponsável do Ministério da Saúde que, ao promover a vinda de médicos cubanos sem a devida revalidação de seus diplomas e sem comprovar domínio do idioma português, desrespeita a legislação, fere os direitos humanos e coloca em risco a saúde dos brasileiros, especialmente os moradores das áreas mais pobres e distantes.

Trata-se de uma medida que nada tem de improvisada, mas que foi planejada nos bastidores da cortina de fumaça do malfadado Programa ?Mais Médicos?. O anúncio de nesta quarta-feira  (21) coloca em evidência a real intenção do Governo de abrir as portas do país para profissionais formados em Cuba, sem qualquer avaliação de competência e capacidade. Estratégia semelhante já ocorreu na Venezuela e na Bolívia, com consequências graves para estes países e suas populações.

Conforme já denunciado pelas entidades médicas, a gestão temerária do Ministério da Saúde nunca priorizou o profissional formado no país ou os estrangeiros com competência atestada pelo Revalida. O Programa ?Mais Médicos?, com seus prazos inexequíveis e falhas de sistemas, desde sua concepção já apontava para o desfecho anunciado.

Alertamos à sociedade que o Brasil entra perigosamente no território da pseudo-assistência calcada em evidentes interesses pessoais e políticos-eleitorais. Todos os brasileiros devem ter acesso ao atendimento universal, integral, gratuito e com equidade, conforme previsto pela Constituição ao criar o Sistema Único de Saúde (SUS).  Não há cidadãos de primeira e segunda categoria, e é isso que essa medida cria.

Além disso, o anúncio dessa importação mostra também o desrespeito do Governo Federal com os direitos humanos, individuais e do trabalhador. De forma autoritária e demagógica, em nome de soluções simplificadas para problemas complexos, o Governo ? preocupado com marcas de gestão de olhos numa possível candidatura ? rasgou a lei e assume a responsabilidade por todos os problemas decorrentes de seu ato demagógico e midiático.

Contra tudo isso e para garantir os direitos dos cidadãos brasileiros, serão envidados esforços, inclusive as medidas jurídicas cabíveis, para assegurar o Estado Democrático de Direito no país, com base na dignidade humana.

A sociedade não deve aceitar passivamente essa proposta e, portanto, os Conselhos de Medicina conclamam o Poder Legislativo; o Poder Judiciário; o Ministério Público; as universidades; a imprensa; e todos os movimentos da sociedade civil organizada a se posicionarem contra esta agressão à Nação e em benefício de um sistema público de saúde de qualificado.

 


ANS amplia canais de comunicação on-line

A ANS acaba de inaugurar suas contas no Youtube (link) e no Slideshare (link), abrindo mais dois espaços para comunicação com o público. As páginas divulgarão entrevistas, campanhas, seminários e outros eventos. A Agência pretende agora ingressar no Facebook.


ANS amplia canais de comunicação on-line

A ANS acaba de inaugurar suas contas no Youtube (link) e no Slideshare (link), abrindo mais dois espaços para comunicação com o público. As páginas divulgarão entrevistas, campanhas, seminários e outros eventos. A Agência pretende agora ingressar no Facebook.


ANS divulga segundo acompanhamento das garantias de atendimento

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou em 03/07, em seu portal, o segundo resultado do acompanhamento da garantia dos prazos máximos de atendimento para consultas, exames e cirurgias estabelecidos pela Resolução Normativa nº 259, que entrou em vigor em dezembro de 2011.

Segundo o texto, entre 19/03/12 e 18/06/12, foram feitas 4.682 reclamações por beneficiários de planos de saúde referentes ao não cumprimento dos prazos máximos estabelecidos e entre 1.016 operadoras existentes, 162 receberam pelo menos uma queixa.

O relatório aponta também que 105 operadoras médico-hospitalares apresentaram reclamações nos dois períodos de avaliação e 40 destas se encaixam no critério para a suspenção da comercialização dos produtos. Segundo a ANS esta situação já está sendo analisada e assim que efetivadas as medidas administrativas serão divulgadas primeiro para as operadoras e, em seguida, para a sociedade. As operadoras que não cumprem os prazos definidos pela Agência estão sujeitas a multas de R$ 80.000,00 ou de R$ 100.000,00 para situações de urgência e emergência.

Confira matéria completa no site da ANS.


ANS estabelece 7,93% como índice máximo para reajuste dos planos de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou em 28 de junho, em seu site na internet, o reajuste para os planos de saúde médico-hospitalares individuais e familiares contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98. De acordo com a nota foi fixado o valor de 7,93% como índice máximo para os reajustes. Este valor é válido para o período entre maio de 2012 e abril de 2013.

Em caso de dúvidas, entre em contato com a ANS por meio do Disque ANS (0800 701 9656); pela Central de atendimento ao Consumidor, localizada no site da entidade (www.ans.gov.br) ou pessoalmente, em um dos 12 núcleos da ANS distribuídos pelo País.

Para mais informações, clique aqui e confira matéria na íntegra no site da entidade. Não deixe de ler também a entrevista com Rosana Neves, gerente-geral econômico financeiro de produtos da ANS.


Diretrizes da Saúde Suplementar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e a Associação Médica Brasileira (AMB) mantém o Projeto Diretrizes Clínicas na Saúde Suplementar com o objetivo de estabelecer protocolos de conduta e garantir um atendimento médico de qualidade. O Projeto inclui orientações sobre gestão de recursos, atendimentos, exames e tomada de decisões clínicas em diversas áreas da medicina. Uma das diretrizes publicadas no mais recente volume destas diretrizes refere-se  à Tomografia de Coerência Óptica no Diagnóstico do Glaucoma.

Confira este volume aqui. A diretriz sobre o procedimento oftalmológico está na página 301.


Você Saudável

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) lançaram, na quarta-feira, 10 de abril, o Espaço Você Saudável. O portal traz vídeos, links e aplicativos com dicas de alimentação, exercícios e outros hábitos para uma vida mais saudável.
?É um espaço voltado ao público em geral para estimular atitudes simples que resultem em uma vida permanentemente mais saudável?, afirma André Longo, Diretor-Presidente da ANS.
Veja matéria completa no portal da ANS.


ANS facilita comunicação entre planos de saúde e a população com Resolução 285

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) editou no final de 2011 a Resolução Normativa nº 285, que obriga as operadoras de planos de saúde a disponibilizar, em suas páginas na Internet, as informações sobre suas redes de credenciados (hospitais, clínicas, laboratórios e profissionais de saúde) à população. Essa decisão, que passa a vigorar a partir do mês de junho, visa ampliar e facilitar o acesso dos conveniados às informações sobre seus planos.

Essas medidas têm como objetivo evitar transtornos, como ocorreu com Octávio Favero, beneficiário da Associação Auxiliadora das Classes Laboriosas, que ao procurar o Hospital Nove de Julho, em São Paulo, onde tinha sido atendido anteriormente, descobriu que a instituição não era mais credenciada pela operadora. Com problemas cardíacos, Favero e sua família tiveram que arcar com os custos da internação.

Confira nota no site da ANS

http://www.ans.gov.br/index.php/a-ans/sala-de-noticias-ans/a-ans/1507-noticias-comentadas-

Confira também a cobertura do fato em dois jornais paulistas

Folha de S. Paulo

Jornal da Tarde


ANS inicia consulta pública que visa estimular as boas práticas entre operadoras e prestadores de serviço

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) iniciou em 06 de janeiro de 2014 a Consulta Pública nº 54 para a elaboração de normativo que estimula as boas práticas entre as operadoras de planos de saúde e prestadores de serviço.

De acordo com a entidade a proposta para a nova Resolução Normativa estabelece indicadores que permitirão à ANS acompanhar a relação entre operadoras e prestadores com o objetivo de incentivar uma relação mais equilibrada entre as operadoras e os profissionais de saúde, hospitais, clínicas e laboratórios, assegurando que suas práticas propiciem cada vez mais um atendimento de qualidade aos consumidores.

Os interessados em enviar contribuições, sugestões ou comentários terão até o dia 04 de fevereiro para participar. Basta utilizar o formulário eletrônico disponível no portal da ANS. Clique aqui e participe!


Consulta pública da Agência Nacional de Saúde Suplementar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) irá disponibilizar em seu site, no período de 21 de dezembro até 29 de janeiro de 2013, a proposta da Agenda Regulatória 2013/2014 para consulta pública. O instrumento trata-se do planejamento dos temas prioritários para a entidade no próximo biênio e terá sete eixos temáticos com 36 projetos voltados para a regulação do setor. São eles: Sustentabilidade do Setor; Garantia de Acesso e Qualidade Assistencial; Relacionamento entre Operadoras e Prestadores; Incentivo à Concorrência; Garantia de Acesso à Informação; Integração da Saúde Suplementar com o Sistema Único de Saúde e Governança Regulatória.

Acesse o site daANSe participe.


ANS lança guia para reforçar conhecimento dos usuários dos planos de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) lançou na última segunda-feira (12/03), o Guia Prático e o Guia de Bolso, dois importantes materiais com informações que visam esclarecer as principais dúvidas dos beneficiários e, também, daqueles que desejam contratar um plano de saúde pela primeira vez.

Os folhetos ilustrados estão disponíveis no site da ANS na internet (www.ans.gov.br) e também serão distribuídos em diversos eventos pelo País, organizados pelos Procons e Núcleos da Agência.

O Guia Prático oferece breve explicação sobre o papel da ANS como agência reguladora do setor e apresenta um passo a passo com orientações para a contratação de um plano, exemplificando sobre os vários tipos de produtos oferecidos pelas operadoras, assim como os reajustes de preços para cada tipo de plano e um glossário com os termos mais usados pelo setor.

Já o Guia de Bolso, idealizado com o mesmo tamanho da carteira do plano para facilitar seu manuseio, traz respostas para eventuais dúvidas no momento do uso dos serviços.

Para fazer o download dos dois folhetos clique aqui.


ANS, AMB discutem novo rol de procedimentos

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) reuniu representantes das Sociedades de Especialidade e a Associação Médica Brasileira (AMB) para discutir a revisão e ampliação do Rol da ANS, processo iniciado em fevereiro deste ano. A reunião ocorreu no dia 9 de abril.

Em 21 de fevereiro, outro encontro fora realizado entre o Conselho de Defesa Profissional da AMB, Martha Oliveira, gerente geral de Regulação Assistencial da ANS, e Karla Coelho, gerente de Assistência à Saúde também da ANS. Na ocasião, também foi discutida a rehierarquização da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM).

Veja matéria completa no portal da AMB.


ANS define medidas para acelerar processos de consumidores

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai mudar a metodologia de análise de processos de consumidores contra os planos de saúde para acelerar o trâmite das ações. Os processos passarão a ser apreciados coletivamente, a partir de temas e por operadora. Além disso, será feito um mutirão para análise dos processos que estão em andamento. A equipe da Agência trabalhará com reforço de 200 servidores temporários.

As medidas foram anunciadas em 21 de março, pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e pelo diretor-presidente da ANS, André Longo, durante a 74ª Reunião da Câmara de Saúde Suplementar, no Rio de Janeiro. ?Com o julgamento dos processos em bloco, esperamos que a resposta administrativa e judicial sobre a operadora seja mais rápida. Todos os beneficiários de planos de saúde ganham com essa medida, pois as operadoras se obrigam a atender melhor a população e, com isso, prestar um serviço de mais qualidade?, afirmou o ministro.

Atualmente, 8.791 processos de reclamações de consumidores sobre o atendimento dos planos de saúde estão em tramitação na ANS. Entre os motivos que levaram às queixas estão negativa de cobertura, reajustes de mensalidades e mudança de operadora. A equipe do mutirão atenderá dos mais antigos aos mais recentes.

No Brasil, mais de 48,6 milhões de pessoas têm planos de saúde com cobertura de assistência médica e outros 18,4 milhões, exclusivamente odontológicos.

MEDIAÇÃO DE CONFLITO ?As novas ações somam-se a outras adotadas pela ANS para tornar mais rápido o retorno ao consumidor sobre suas queixas. Em 2012, 78% (44,5 mil) das reclamações referentes ao tema negativa de cobertura foram resolvidas por mediação de conflito, sem a necessidade de abertura de processos. Esse é o principal motivo de reclamações. Das 75.916 reclamações de consumidores de planos de saúde recebidas pela ANS em 2012, 75,7% (57.509) são referentes a negativas de cobertura.

Em novembro de 2011, foi criada uma nova forma de análise de processos em segunda instância que possibilitou o julgamento daqueles que possuíam mesmas características em bloco. Com isso, mais que triplicou o número de processos de consumidores finalizados no período de um ano. Em 2012, foram concluídos 2.032 processos sendo que em 2011 foram 572.

SUSPENSÃO ? O Ministério da Saúde, por meio da ANS, tem adotado uma série de medidas inéditas para tornar mais rígido o monitoramento das operadoras de planos de saúde com objetivo de melhorar o atendimento do cidadão aos serviços contratados. Ao longo de 2012, por exemplo, foi suspensa temporariamente a venda de 396 planos de 56 operadoras que não atenderam os seus clientes dentro dos prazos máximos previstos para marcação de exames, consultas e cirurgias.

É um resultado da avaliação sobre o acesso e a qualidade dos serviços prestados pelas operadoras que não se adequaram aos critérios estabelecidos na Resolução Normativa 259 da ANS. A resolução determinou prazos máximos para consultas, exames e cirurgias. O monitoramento começou em dezembro de 2011.

As operadoras que não cumprem os prazos estão sujeitas a multas de R$ 80 mil a R$ 100 mil. Em casos de reincidência, podem sofrer medidas administrativas, como suspensão da comercialização de parte ou da totalidade dos seus planos de saúde e decretação do regime especial de direção técnica, inclusive com afastamento dos dirigentes.

Outra medida importante é que, agora, as operadoras de planos de saúde são obrigadas a justificar, por escrito, em até 48h, o motivo de ter negado autorização para algum procedimento médico, sempre que o usuário solicitar. Cada vez que deixarem de informar a cláusula do contrato ou dispositivo legal que explique a negativa serão penalizados em R$ 30 mil. A medida começa a ser aplicada em 7 de maio.

(matéria elaborada a partir de informações da assessoria de imprensa do Ministério da Saúde)


ANVISA determina que medicamentos livres de prescrição podem ficar ao alcance de usuários nas farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) publicou, em 27 de julho, no Diário Oficial da União (DOU), a Resolução RDC Nº 41, na qual determina que os medicamentos isentos de prescrição médica poderão permanecer ao alcance dos usuários nas gôndolas de farmácias e drogarias de todo o País.

Agora, de acordo com a nova norma, os medicamentos de venda livre devem ficar em área segregada à área destinada aos produtos correlatos, como cosméticos e produtos dietéticos, por exemplo, e devem ser organizados por princípio ativo para permitir a fácil identificação pelos usuários.

A mesma resolução também exige que, na área destinada aos medicamentos, cartazes sejam posicionados com a seguinte orientação "Medicamentos podem causar efeitos indesejados. Evite a automedicação: informe-se com o farmacêutico".

Confirma matéria na íntegra no site da ANVISA.


Entidades entrarão na Justiça contra resolução nº 41 da ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) publicou, em 27 de julho, no Diário Oficial da União (DOU), a Resolução RDC Nº 41, na qual determina que os medicamentos isentos de prescrição médica poderão permanecer ao alcance dos usuários nas gôndolas de farmácias e drogarias de todo o País.

O Conselho Federal de Medicina (CFM), o Conselho Federal de Farmácia (CFF) e a Federação Nacional dos Farmacêuticos (FENAFAR) mostraram-se contrários à resolução e prometem entrar na Justiça contra a decisão.

Em nota, publicada no mesmo dia 27 de julho, as entidades afirmam que a decisão da ANVISA induz à automedicação e ao uso irracional de medicamentos, contribui para o aumento no total de casos de intoxicação por medicamentos e estimula a falsa percepção de que remédios isentos de prescrição são inofensivos ou não fazem mal, entre outros pontos.


Acesse o site do CFM e confira na íntegra a nota das entidades médicas.


Duas grandes vitórias no Maranhão ante o exercício ilegal da medicina

A Associação Maranhense de Oftalmologia (AMO), por meio de seu Departamento Jurídico, conquistou duas grandes vitórias ante o exercício ilegal da medicina. A primeira delas ocorreu por meio de denúncia à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) sobre um autodenominado consultório optométrico que funcionava no bairro da Cohab, um dos mais populosos de São Luís. A polícia foi averiguar a denúncia, junto com a Delegacia do Consumidor e foi configurado o flagrante, com fechamento da clínica em 3 de maio. Clique aqui e confira a matéria da TV Globo na íntegra.

A segunda vitória veio em 15 de maio, com o parecer do Ministério Público Estadual do Maranhão, em prol da Oftalmologia. O referido dono do estabelecimento optométrico, havia formulado pedido, junto à Vigilância Sanitária do Município, para a abertura de sua clínica, o que foi negado pelo Ministério Público.

Clique no link abaixo e confira na íntegra o documento do MP sobre esta solicitação.

Consultoria Ministerial - Clinica Optometrista

 

 

 

 


Acidentes domésticos no Ibirapuera

A Associação Médica Brasileira (AMB) apresenta, no Parque do Ibirapuera em São Paulo, a carreta Casa Mais Segura. Com simulações de diversos acidentes domésticos, a exposição contém tudo o que se deve evitar fazer em casa, incluindo tapetes sem antiderrapante, camas localizadas sob janelas e facas guardadas com o fio para cima. Logo após as demonstrações, os observadores recebem cartilhas sugerindo maneiras de dispor os objetos em casa a fim de prevenir acidentes.
O primeiro dia da carreta, 14 de fevereiro, é destinado principalmente à imprensa, sendo os demais voltados ao público em geral. A exposição seguirá até o dia 28 de fevereiro e pode ser levada a outras cidades se bem-sucedida.
A colega Elisabeth Maria Resaffa Nogueira Martins participou da Comissão de Prevenção de Acidentes Domésticos da AMB, responsável pela exposição, como representante do CBO. Elisabeth chama atenção à necessidade de se procurar um médico imediatamente após acidentes domésticos. ?Em muitos casos, inicialmente a visão permanece pouco ou nada afetada?, explica. ?Porém graves alterações podem estar presentes?.


O futuro promete. Chegue bem lá!

A Associação Médica Brasileira (AMB) criou o site Salve Saúde com uma série de dicas para prevenção de doenças, melhoria da qualidade de vida e manutenção da saúde. No site também existe uma cartilha que qualquer pessoa pode fazer o download ou imprimir. O lema do site é "O futuro promete. Chegue bem lá!"

Entre os assuntos que estão sendo abordados atualmente no site estão câncer no pulmão, tabagismo, exame pré-natal, disfunção erétil (impotência) e saúde masculina, cuidados necessários para a exposição do corpo ao sol e os benefícios e perigos da pesquisa de assuntos médicos no Google. Também existe espaço para que o visitante escreva sua história.

Visite o site http://www.salvesaude.com.br/


AMB divulga nota contrária a MP 568/12

A Associação Médica Brasileira (AMB) divulgou nesta segunda (28/05) em seu portal na internet, nota oficial contrária a MP 568/12 que visa alterar planos de carreira, tabelas salariais e gratificações para dezenas de categorias em diversos órgãos públicos.

Com a intenção do Governo Federal em ajustar os salários dos servidores federais, os médicos sofrerão os maiores danos, pois os decréscimos em seus vencimentos podem chegar a até 50%, de acordo com o estabelecido nos artigos de 42 a 47.

Estima-se que tais medidas afetem 42 mil médicos ativos e inativos do Ministério da Saúde e outros cerca de sete mil do Ministério da Educação, além de se estenderem ainda aos atuais aposentados e pensionistas.

Acesse o link abaixo e confira na íntegra a nota oficial da AMB

http://www.amb.org.br/teste/index.php?acao=mostra_noticia&id=7794


AMB repudia importação de médicos em carta aberta

A Associação Médica Brasileira (AMB) divulgou uma carta aberta, repudiando a intenção declarada por Dilma Rousseff de ?trazer de imediato milhares de médicos do exterior?. Segundo a Associação, a medida ?tem valor inócuo, paliativo, populista e esconde os reais problemas que afetam o Sistema Único de Saúde (SUS)?.

Veja a íntegra da carta no portal da AMB.


AMB divulga comunicado oficial sobre atualização do Título de Especialista

A Associação Médica Brasileira (AMB) divulgou, em 23 de março em seu site, um comunicado oficial na qual confirma ser responsável pela atualização do Título de Especialista.

Ainda, segundo a entidade, a política CNA/AMB não será alterada. Para atualizar o título de especialista é necessário atingir a marca de 100 pontos em cinco anos.

Acesse o site da AMB e confira o comunicado oficial na íntegra


Entidades médicas reúnem-se com ministros para discutir políticas de regulação do trabalho e do ensino médico no País

A Associação Médica Brasileira (AMB) em conjunto com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) encaminharam na última quarta-feira (04 de abril) requerimentos de audiência aos ministros Alexandre Padilha (Saúde) e Aloizio Mercadante (Educação), com o objetivo de discutir abertamente as políticas de regulação do trabalho e do ensino médico no País.

Entre os principais assuntos em pauta estão: as condições pedagógicas e estruturais para o funcionamento de escolas médicas e para a abertura de novas vagas em cursos de medicina; as políticas de estímulo à fixação de médicos em zonas de difícil provimento; os critérios para revalidação de diplomas de medicina obtidos em universidades estrangeiras.

Confira matéria na íntegra no site da AMB


Convocação para reforma do estatuto da AMB

A Associação Médica Brasileira (AMB) realizará no dia 15 de junho, na sede da Associação Paulista de Medicina, sua Assembleia Geral Extraordinária para a discussão da reforma do seu estatuto social. Terão direito a voto todos os sócios que estiverem em dia com suas obrigações estatutárias à data da presente convocação.

Para acessar o edital de convocação clique aqui

Para acessar o estatuto em vigência hoje clique aqui


APM divulga pesquisa sobre os atendimentos dos planos de saúde em São Paulo

A Associação Paulista de Medicina (APM) apresentou ontem os dados da pesquisa Datafolha, encomendada pela entidade com o objetivo de desenhar um panorama de como anda os atendimentos dos planos de saúde aos pacientes no Estado de São Paulo.

O Estudo divulgado revelou as principais queixas dos consumidores, que foram: problemas para a marcação de consultas, faltas importantes no atendimento em pronto-socorro, dificuldades para a realização de exames e procedimentos de maior custo, consequências do descredenciamento de médicos, hospitais e laboratórios, entre muitos outros.

A amostragem para a pesquisa teve como base 804 entrevistas, distribuídas por todo o estado, com a faixa etária de 18 ou mais anos e requisito obrigatório ter um plano de saúde e ter utilizado o serviço nos últimos 24 meses. A margem de erro estabelecida é de três pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95% e a coleta de dados ocorreu entre 14 e 22 de maio de 2012.

Novo 0800 para reclamações

Além de divulgar a pesquisa, a APM e a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (ProTeste) lançaram um serviço nacional de apoio exclusivo aos pacientes. O telefone 0800 200 4200 atenderá reclamações de todo o Brasil, oferecendo esclarecimento e apontando encaminhamentos para a garantia dos direitos dos usuários dos planos de saúde.

Clique aqui e faça o download do PDF com a pesquisa, ou, se preferir, acesse o site da APM

 


Participe do Simpósio CBO-Mulher no Congresso

A Comissão CBO-Mulher do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, criada para facilitar a troca de experiências entre as mulheres médicas e estimular o seu desenvolvimento profissional, social e pessoal, preparou o Simpósio Vida profissional e pessoal: como equilibrar os papeis femininos nos dias atuais. O evento será realizado em 05 de setembro, das 14h às 16h, na sala Garanhus e faz parte da programação científica do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado de 03 a 06 de setembro em Pernambuco.

O evento é coordenado pelas professoras doutoras Denise de Freitas, Keila Monteiro de Carvalho e Maria Cristina Nishiwaki-Dantas. Sua grade já está finalizada e pode ser consultada abaixo:



Para reforçar o convite para este grande evento, a professora doutora Tania Schaefer preparou um vídeo-convite contado um pouco de trajetória em cargos de lideranças na Especialidade e deixando sua experiência de vida com o objetivo de estimular as colegas oftalmologistas.

"Não existe só querer, você precisa querer e se preparar! Existem líderes que estão adormecidos em cada uma de nós e se nós nos conhecermos um pouquinho poderemos nos desenvolver".

Assista o conteúdo completo do vídeo clicando na foto abaixo!


1º Simpósio da Comissão Mulher será realizado em 05/09. Participe!

A Comissão Mulher, do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, está preparando um grande encontro para o XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual: o Simpósio "Vida profissional e pessoal: como equilibrar os papeis femininos nos dias atuais!".

Coordenado pelas professoras doutoras Keila Monteiro de Carvalho e Denise de Freitas, o evento será realizado em 05 de setembro, na sala Garanhuns, das 14h às 16h. Sua grade de palestras já está fechada e pode ser conferida abaixo:



Clique aqui e conheça um pouco mais sobre o CBO-Mulheres. Aproveite para assistir o primeiro vídeo "Mulher Oftalmologista", com a participação da professora doutora Maria Cristina Nishiwaki-Dantas.

Abaixo, veja o segundo vídeo da sessão "Mulher Oftalmologista", gravado com a professora doutora Ana Luisa Hofling de Lima.


642 médicos irão prestar a Prova Nacional de Oftalmologia 2014

A Comissão de Ensino do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) informa que 642 inscritos estão aptos para realizar a Prova Nacional de Oftalmologia 2014. A aprovação neste tradicional exame da especialidade garante ao oftalmologista o Título de Especialista, emitido pelo CBO e pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Confira a origem dos aptos para realizar a Prova Nacional abaixo:

295 alunos de cursos CBO que irão realizar a prova pela primeira vez;
20 alunos de cursos CBO, que foram reprovados na Prova Nacional de 2013 (ex-aluno);
51 alunos de cursos CBO no período de 2003-2012 (CBO10);
152 do Programa de Residência Médica do Ministério da Educação (MEC);
124 Independentes (mais de 06 anos graduado em Medicina).

O exame consiste na realização de três provas: Prova Teórica I, Prova Teórico-Pratica e Prova Teórica II. Confira abaixo o dia e o horário em que elas serão aplicadas.



O exame será aplicado no Centro de Convenções Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569
Consolação - Centro São Paulo - SP

Importante:

O candidato que irá prestar a prova deverá apresentar-se no local:

Com até 30 minutos de antecedência do horário inicial;

Portando o original da carteira de identidade profissional do Conselho Regional de Medicina (CRM) ou outro documento com foto e informação do CPF;

Ter em mãos lápis, borracha, caneta preta ou azul.

Não será permitido o uso de qualquer tipo de equipamento eletrônico (celular, calculadora, palmtop, laptop e demais do gênero).

Como consta no edital, a relação dos aptos para a Prova Prática estará disponível no site da entidade a partir de 10 de março de 2014.

Em caso de dúvida, entre em contato com a Comissão de Ensino pelo e-mail ensino@cbo.com.br


Lista de Aptos para a Prova Nacional disponível no site

A Comissão de Ensino do Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que foi publicada, em 13 de dezembro no site do CBO, a lista de aptos para a realização da Prova Nacional de Oftalmologia de 2014.

Para consultar on-line a relação de aptos, basta clicar aqui e adicionar o seu CPF. Não é necessário adicionar pontos ou traços, apenas o número completo.

Datas das Provas



Local: Centro de Convenções Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569
Consolação - Centro São Paulo - SP

Importante:

O candidato deverá apresentar-se no local das Provas:

Com até 30 minutos de antecedência do horário inicial;

Portando o original da carteira de identidade profissional do Conselho Regional de Medicina (CRM) ou outro documento com foto e informação do CPF;

Ter em mãos lápis, borracha, caneta preta ou azul.

Não será permitido o uso de qualquer tipo de equipamento eletrônico (celular, calculadora, palmtop, laptop e demais do gênero).

Como consta no edital, a relação dos aptos para a Prova Prática estará disponível no site da entidade a partir de 10 de março de 2014.

Em caso de dúvida, entre em contato com a Comissão de Ensino pelo e-mail ensino@cbo.com.br


Projeto proíbe venda de óculos sem certificado de garantia do fabricante

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 5800/13, do deputado Major Fábio (Pros-PB), que proíbe a comercialização de óculos e lentes de contato, de grau ou não, sem certificado de garantia do fabricante que descreva em pormenor as características do produto.

"Infelizmente, cidadãos desavisados adquirem, com frequência, óculos e lentes de qualidade duvidosa, sem garantia do fabricante, seduzidos por preços mais em conta ou pela mera conveniência de dispor do artigo no comércio ambulante, sem saber que ao usá-lo estarão pondo em risco a integridade de sua visão", afirma o autor. Ele lembra que frequentemente são vendidos óculos escuros que não filtram os raios ultravioleta.

O descumprimento da medida consiste em infração sanitária, nos termos da Lei 6.437/77, que prevê desde advertência e multa à apreensão de produto e fechamento da empresa. Se aprovada, a lei entrará em vigor 90 dias após sua publicação.
De caráter conclusivo*, o projeto será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Defesa do Consumidor; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

*Rito de tramitação pelo qual o projeto é votado apenas pelas comissões designadas para analisá-lo, dispensada a deliberação do plenário. O projeto perde o caráter conclusivo se houver decisão divergente entre as comissões ou se, independentemente de ser aprovado ou rejeitado, houver recurso assinado por 51 deputados para a apreciação da matéria no Plenário.


Fonte: Câmara dos Deputados


Nova comissão tratará do financiamento da saúde pública

A Câmara dos Deputados discutirá, nesta quarta-feira, 10 de abril, a instauração de uma comissão especial destinada a discutir o financiamento da saúde pública. A Comissão será formada por 21 deputados e seus respectivos suplentes. Os membros serão indicados pelos partidos.
Um dos temas debatidos pela futura comissão será o Projeto de Lei Complementar 123/12, que estabelece o investimento de 10% das receitas brutas do orçamento federal na Saúde.
Veja matéria completa no portal da Câmara.


Projeto de Lei prevê ampliação de penas para médicos

A Câmara dos Deputados está analisando o projeto de lei 4583/12, de autoria do deputado Jorginho Mello (PR-SC) que tem o objetivo de diversificar as penalidades aplicáveis a médicos por mau exercício da função. Seriam fixadas a suspensão do exercício profissional (de um ano ou permanente) e a multa no valor de dez salários base. Além disso, serão mantidas as penas de advertência confidencial, censura confidencial e censura pública em publicação oficial.

Até o momento, as penas se restringem a suspensão de até 30 dias e, em casos extremos, cassação.

Leia a matéria divulgada pela Agência Câmara Notícias no portal da Câmara. A página inclui uma enquete em que é possível se declarar a favor ou contra o projeto.


Vagas para Oftalmologistas e Fellow em Uveítes

A Disciplina de Oftalmologia da Faculdade de Medicina de Botucatu torna pública a abertura do processo seletivo para preenchimento de vagas para Estágios em Oftalmologia no ano de 2013 nas seguintes áreas:

Glaucoma: 1 (uma) vaga
Córnea e Superfície ocular: 1 (uma) vaga
Plástica Ocular: 1 (uma) vaga
Retina: 1 (uma) vaga: 2 anos (um ano renovável por mais um ano)
Catarata: 3 (três) vagas

 

O Processo Seletivo constará de entrevista e análise do currículo, a ser realizada no dia 4 de dezembro de 2012 (terça-feira), às 14h30, no Departamento de OFT/ORL e CCP. Os candidatos interessados na área de RETINA realizarão uma prova escrita no dia 4 de dezembro de 2012 às 9h, no Departamento de OFT/ORL e CCP.

As inscrições serão efetuadas no período de 12 a 30 de novembro de 2012. Os interessados deverão enviar currículo com cópia do certificado do Título de Especialista informando a área de interesse para o seguinte Faculdade de Medicina de Botucatu - Disciplina de Oftalmologia.

Anote o endereço:
A/C Prof. Dr. Antonio Carlos Lottelli Rodrigues
Distrito de Rubião Júnior s/n - Botucatu - SP
CEP: 18618-970

Para mais informações: entrar em contato com no Departamento de OFT/ORL e CCP, pelos fones (14) 3880-1505/3811-6256 ou pelo email cinthias@fmb.unesp.br
 

Edital do Programa de Fellow em Uveítes do Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Clique no link abaixo e faça o download do edital.

Programa Institucional de Cursos de Capacitação para profissionais


Projeto de Iniciativa Popular por mais recursos para a saúde

A Emenda Constitucional 29, que padroniza o valor a ser destinado exclusivamente para a saúde de acordo com o Produto Interno Bruto (PIB), foi regulamentada em 15 de janeiro de 2012, pela presidenta Dilma Rousseff, após mais de dez anos de espera.

Porém, a pauta foi assinada com a exclusão de 15 dispositivos do texto aprovado pelo Congresso Nacional, o que implicou diretamente na não obrigatoriedade do Governo Federal de disponibilizar 10% da receita bruta corrente da União na Saúde Pública.

Com o objetivo derrubar esse veto, foi apresentado, em 3 de fevereiro, na sede da Associação Médica Brasileira (AMB), em São Paulo, o Projeto de Lei de Iniciativa Popular que propõe o investimento de 10% da receita bruta da União na saúde pública. Na mesma ocasião foi lançada a Frente Nacional Por Mais Recursos para a Saúde.

Por se tratar de um projeto de iniciativa popular, é necessário que seja coletado cerca de 1,5 milhão de assinaturas, número correspondente a 1% do eleitorado nacional distribuídos em pelo menos cinco estados. Após as assinaturas o material será apresentado na Câmara dos Deputados e por sequência seguirá para tramitação normal no Congresso.

Para que a sua assinatura seja válida é necessário que ela acompanhe os seguintes requisitos preenchidos no formulário: nome completo e legível, endereço e dados identificadores do título eleitoral.

Para conferir a matéria completa e fazer o download do formulário para a assinatura acesse o site da AMB.


Vitória da oftalmologia em Parecer do CFM

A Federação das Cooperativas Estaduais de Serviços em Oftalmologia (Fecooeso) solicitou consulta ao Conselho Federal de Medicina (CFM) referente ao tema "Autorização em guias Sadt (Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia) para procedimentos cirúrgico-oftalmológicos de porte anestésico igual ou acima de 4". O relator do processo, número 27/13, foi o Conselheiro José Fernando Maia Vinagre.

Ementa: Os procedimentos cirúrgico-oftalmológicos de porte anestésico ASA-I programados para realização rotineira devem ser executados em estabelecimentos de saúde classificados, no mínimo, como unidade tipo II. Os procedimentos cirúrgico-oftalmológico de porte anestésico ASA-II programados para realização rotineira devem ser executados em estabelecimentos de saúde classificados, no mínimo, como unidade tipo III. Fica o médico impedido de executar tais procedimentos em estabelecimentos de saúde do tipo Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia (Sadt).

Conclusão: Assim, fica o médico impedido de realizar cirurgias oftalmológicas de porte 4 ou superior em estabelecimentos de saúde do tipo Sadt.

Essa decisão da Câmara Técnica de Oftalmologia do CFM impede que os planos de saúde incentivem a realização dessas cirurgias em estabelecimentos Sadt.

Clique no link abaixo e confira o resumo do Parecer 27/2013

Parecer


Reatech é realizada em São Paulo

A Feira Internacional de Tecnologias de Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade (Reatech) será realizada em São Paulo de 12 a 15 de abril. O evento, com início previsto para as 15 horas de hoje, apresentará as últimas tecnologias nacionais e internacionais para pessoas com deficiência.

Os organizadores do evento disponibilizaram translado gratuito até a região da feira. As vans sairão da Rua Nelson Fernandes 400 (próximo ao Metrô Jabaquara na zona sul de São Paulo-SP) das 08h00 às 21h30.

A Reatech 2012 será realizada na Rodovia dos Imigrantes, KM 1,5 São Paulo-SP, para mais informações acesse o site oficial do evento.


Brasil ganha novo laboratório para pesquisa de ponta

A Fundação Champalimaud, de Portugal, abriu, no fim de 2012, um laboratório C-Tracer no Brasil. As instalações estão localizadas em São Paulo (SP) e contam com o apoio da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). C-Tracer é a sigla de Champalimaud Translational Centre for Eye Research ou Centro Translacional Champalimaud de Pesquisa Ocular. A iniciativa surgiu de um acordo entre a fundação portuguesa e o Instituto Ocular LV Prasad, indiano. O termo ?pesquisa translacional? designa estudos praticados apenas em laboratório, mas passíveis de aplicação clínica no futuro. Os dois outros laboratórios da rede localizados nos países fundadores da iniciativa devem trabalhar em conjunto com a unidade sul-americana.
O novo laboratório foi inaugurado em 14 de dezembro de 2012, durante o Primeiro Simpósio anual Champalimaud de São Paulo. Compareceram o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, integrante do Conselho Geral da Fundação Champalimaud, além de outros nomes como Jacó Palis, presidente da Academia Brasileira de Ciência, e Marcos Morais, presidenteda Academia Nacional de Medicina. A programação do simpósio incluiu palestrantes dos três C-Tracers.
Os países onde há instalações C-Tracers realizam simpósios anuais. O último ocorreu na Índia, em 30 de janeiro.

Veja matéria completa em inglês aqui.

Foto da inauguração(da direita à esquerda) Leonor Beleza, Rubens Belfort Jr., Fernando Henrique Cardoso, Helena Nader

 

 

 


Conselhos de Medicina unidos contra a redução do salário dos médicos federais

A Medida Provisória 568/2012, editada em 11 de maio, pode reduzir pela metade os vencimentos de médicos servidores federais. Os Conselhos Federal e Regional de Medicina estão atentos a esta ameaça e propõem aos parlamentares e gestores do SUS mudanças no texto para preservarem os direitos dos médicos.

É importante que toda a classe médica una-se a este movimento. Para isso, envie e-mails para os parlamentares e incentive-os na luta contra esse ato.

Bloco Parlamentar da Maioria (PMDB/PP/PV)

Eduardo Braga (PMDB/AM)
eduardo.braga@senador.gov.br

Jader Barbalho (PMDB/PA)
jader.barbalho@senador.gov.br

Ana Amélia (PP/RS)
ana.amelia@senadora.gov.br

Ricardo Ferraço (PMDB/ES)
ricardoferraco@senador.gov.br

Paulo Davim (PV/RN)
paulodavim@senador.gov.br

Ivo Cassol (PP/RO)
ivo.cassol@senador.gov.br

Bloco de Apoio ao Governo (PT/PDT/PSB/PCdoB/PRB)

José Pimentel (PT/CE)
gab.josepimentel@senado.gov.br

Walter Pinheiro (PT/BA)
pinheiro@senador.gov.br

Wellington Dias (PT/PI)
wellington.dias@senador.gov.br

Lídice da Mata (PSB/BA)
lidice.mata@senadora.gov.br

Aníbal Diniz (PT/AC)
anibal.diniz@senador.gov.br

Inácio Arruda (PCdoB/CE)
inacioarruda@senador.gov.br

Ana Rita (PT/ES)
ana.rita@senadora.gov.br

Acir Gurgacz (PDT/RO)
acir@senador.gov.br

Bloco Parlamentar Minoria (PSDB/DEM)

Cícero Lucena (PSDB/PB)
cicero.lucena@senador.gov.br

José Agripino (DEM/RN)
jose.agripino@senador.gov.br

Cyro Miranda (PSDB/GO)
cyro.miranda@senador.gov.br

Jayme Campos (DEM/MT)
jayme.campos@senador.gov.br

Bloco Parlamentar União e Força (PTB/PR/PSC)

Blairo Maggi (PR/MT)
blairomaggi@senador.gov.br

Gim Argello (PTB/DF)
gim.argello@senador.gov.br

Alfredo Nascimento (PR/AM)
alfredo.nascimento@senador.gov.br

João Vicente Claudino(PTB/PI)
j.v.claudino@senador.gov.br

Kátia Abreu (PSD/TO)
katia.abreu@senadora.gov.br

Sérgio Petecão (PSD/AC)
sergiopetecao@senador.gov.br

João Paulo Lima (PT/PE)
dep.joaopaulolima@camara.gov.br

Cláudio Puty (PT/PA)
dep.claudioputy@camara.gov.br

Edson Santos (PT/RJ)
dep.edsonsantos@camara.gov.br

Policarpo (PT/DF)
dep.policarpo@camara.gov.br

Osmar Serraglio (PMDB/PR)
dep.osmarserraglio@camara.gov.br

Sandro Mabel (PMDB/GO)
dep.sandromabel@camara.gov.br

Darcísio Perondi (PMDB/RS)
dep.darcisioperondi@camara.gov.br

Fátima Pelaes (PMDB/AP)
dep.fatimapelaes@camara.gov.br

Andreia Zito (PSDB/RJ)
dep.andreiazito@camara.gov.br

Alberto Mourão (PSDB/SP)
dep.albertomourao@camara.gov.br

Arthur Lira (PP/AL)
dep.arthurlira@camara.gov.br

Jerônimo Goergen (PP/RS)
dep.jeronimogoergen@camara.gov.br

Rodrigo Maia (DEM/RJ)
dep.rodrigomaia@camara.gov.br

Augusto Coutinho(DEM/PE)
dep.augustocoutinho@camara.gov.br

Paulo Freire (PR/SP)
dep.paulofreire@camara.gov.br

Jandira Feghali (PR/RJ)
dep.jandirafeghali@camara.gov.br

Domingos Neto (PSB/CE) 
dep.domingosneto@camara.gov.br

Glauber Braga (PSB/RS)
dep.glauberbraga@camara.gov.br

André Figueiredo (PDT/CE)
dep.andrefigueiredo@camara.gov.br

Ângelo Agnolin (PDT/TO)
dep.angeloagnolin@camara.gov.br

Augusto Carvalho(PPS/DF)
dep.augustocarvalho@camara.gov.br

Jovair Arantes (PTB/GO)
dep.jovairarantes@camara.gov.br

Arnon Bezerra (PTB/CE)
dep.arnonbezerra@camara.gov.br

Dr. Grilo (PSL/MG)
dep.dr.grilo@camara.gov.br


Prefeitura aceita pedido das classes médicas e não cobrará o TRSS

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Finanças, suspendeu a cobrança da Taxa de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde (TRSS) aos médicos paulistanos. A cobrança estava sendo realizada por meio de envio de boleto com o vencimento em 10 de abril sem aviso prévio

Esta decisão, do governo paulistano, aconteceu devido à mobilização do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) em conjunto com a Associação Paulista de Medicina (APM), que se reuniram em 26 de março com o prefeito Gilberto Kassab, com o intuito de protestar contra essa atividade.

Agora, a prefeitura disponibilizou, no site da Secretaria Municipal de Finanças, um aplicativo para que os médicos declarem sua condição de não gerador de resíduos sólidos de saúde. Este processo implicará no cancelamento da cobrança referente ao primeiro trimestre de 2012 com o vencimento em 10 de abril.

Confira a matéria completa no site do Cremesp

Para acessar ao aplicativo da prefeitura clique aqui


Prevenindo a catarata

A Professora Associada em Oftalmologia da Universidade de Campinas (Unicamp) e Secretária-Geral da gestão 2013-2015 do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), Keila Miriam Monteiro de Carvalho, foi a entrevistada do Programa Bom Dia Campo, apresentado pelo Canal Rural.

Na entrevista, realizada na manhã de hoje (14/01), a Professora falou sobre Catarata, seus principais sintomas e as formas de prevenção para evitar o aparecimento da doença que afeta principalmente os mais velhos.

"Estudos mostram que nas zonas rurais as pessoas ficam mais expostas ao sol e aos raios UV sem nenhuma proteção, então os casos de catarata são mais expressivos nestes locais...". Confira o vídeo na íntegra no link abaixo:

Catarata


Promotoria de Justiça no encalço dos Optometristas no Pará

A Promotoria de Justiça de Altamira (PA) encaminhou aos proprietários e responsáveis técnicos de estabelecimentos ópticos da cidade documento recomendando  que se abstenham da prática de atos privativos de médicos oftalmologistas. Na mesma comunicação, o órgão exige que seja feita a divulgação adequada e conveniente da recomendação junto aos respectivos clientes, alertando que serão tomadas todas as medidas jurídicas que forem necessárias.

A atuação de optometristas em vários estabelecimentos ópticos da cidade de Altamira, uma das mais importantes do Estado do Pará, provocou a reação da Promotoria de Justiça. O documento foi assinado pela Promotora de Justiça Titular Silvana Nascimento Vaz e Souza, que também solicitou à Superintendência da Polícia Civil que promova investigações sobre a prática de exercício ilegal da Medicina e que o serviço de Vigilância Sanitária promova fiscalização dos serviços prestados nos estabelecimentos ópticos.


Dicas para potencializar o estudo antes da Prova Nacional de Oftalmologia

A Prova Nacional de Oftalmologia 2014 será realizada no final de janeiro, mais precisamente nos dias 23 e 24. Irão prestar o exame 642 médicos de diversas partes do País, todos eles com o mesmo objetivo: conquistar a merecida aprovação e com ela emitir o Título de Especialista em Oftalmologia AMB/CBO.

O exame é longo e formado por três provas, sendo duas teóricas e uma teórico-prática, com 300 questões ao todo. Dois dias que exigirão o máximo de concentração do candidato para os principais aspectos científicos da especialidade.

Estudar... estudar mais, ler e absorver o máximo da bibliografia exigida para se prestar o exame e, tão importante, combinar esse estudo com suas experiências conquistadas até aqui na universidade e residência. Estas são duas imprescindíveis chaves para o sucesso.

É possível potencializar os estudos para prestar o exame. Fernando Carbonieri, criador e presidente do portal Academia Médica, lista 10 dicas importantes para melhorar a técnica do seu estudo.

Metáfora - Através delas você pode rapidamente organizar as informações, comparando uma ideia complexa a uma muito mais simples. Quando você personifica uma relação entre as informações, com analogias para melhorar sua compreensão, seu entendimento pode ficar mais simples. Por exemplo: Compare neurônios com ondas em uma corda. Faça metáforas comparando a insuficiência venosa de membros inferiores com uma represa?

Use todos os seus sentidos - Ideias abstratas são difíceis de memorizar porque elas fogem dos nossos sentidos. Tente aproximá-las daquilo que é sinestésico linkando essas ideias a sentimentos e imagens que ajudem colocá-las em um contexto.

Ensine o assunto - Ache alguém que não entenda o tópico e ensine para ele. Esse exercício o força a organizar todo seu conhecimento. Gastar 5 minutos explicando um conceito pode poupar uma hora de estudos combinados com o mesmo efeito.

Não deixe ilhas - Quando você estuda através de um livro, todo pedaço de informação deve estar conectado a outro que você já tem o conhecimento (progressão do conhecimento). Pessoas que aprendem rapidamente fazem isso automaticamente, porém, se você deixar ilhas de informação, você não será apto para acessá-las durante uma prova. Exercite a conexão entre os assuntos.

Teste sua Mobilidade - Uma boa maneira de saber se você ligou suficientemente as informações é testar se você pode mover-se pelos conceitos. Abra um documento do word e comece a explicar o assunto que você está trabalhando. Se você não conseguir "pular" entre as sessões, referenciando uma ideia para explicar outra, você não estará apto para "pensar adequadamente" entre esses assuntos durante uma prova.

Ache padrões - Procure padrões nas informações. A informação ficará mais simples de ser organizada se você puder identificar padrões mais amplos que são similares entre os diferentes tópicos. Na bioquímica, a maioria das reações obedece ao padrão de oxidação e redução. Entendendo este conceito, você pode prever a maioria dos processos bioquímicos que ocorrem em nosso corpo. Da mesma forma, esse conceito é amplamente aplicado na farmacologia.

Crie uma boa fundação - Ler muito e ter um conhecimento geral de muitos assuntos dá a você maior flexibilidade em achar padrões e metaforizar novos objetos de estudo. Quanto mais você já conhece, mais fácil de aprender.

Não force - Não é necessário estudar muito antes das provas. Forçar o aprendizado durante os poucos dias que precedem uma prova é incrivelmente ineficiente. Ao invés disso tente linkar as ideias que lhe ocorrem [sobre o assunto], assim a recapitulação é muito melhor que a primeira tentativa de aprendizado. Estudar sempre é o conselho.

Construa modelos - Modelos são conceitos simples que não são verdades por eles mesmos, mas são úteis para descrever ideias abstratas. Uma experiência ou imagem consolidada pode criar um modelo que você conseguirá referenciar quando estiver tentando entender um novo conceito.

O aprendizado está em sua cabeça
- Ter um caderno organizado ou livros perfeitamente sublinhados não importa para o entendimento da informação. Seu único objetivo deve ser compreender o novo conhecimento para isso "grudar" na sua memória. Não tenha medo em se atrapalhar quando está escrevendo suas ideias em um papel e conectando-as em sua cabeça. O uso de cadernos é apenas um meio para o aprendizado, e não um fim para o resultado.

A matéria completa pode ser acessada clicando aqui

No dia da prova

É muito normal, nas horas que antecedem ao exame e até mesmo durante ele, o nervosismo, a falha da memória para assuntos considerados fáceis, a incerteza e o atraso. Para evitar esses problemas veja abaixo algumas dicas fundamentais para prestar a Prova Nacional de Oftalmologia:

Durma bem - Uma ótima noite de sono descansará todo o seu corpo e impedirá que você chegue exausto no ato do exame. Contribuirá também na sua concentração para cada pergunta.

Alimentação leve - Como a prova será realizada pela manhã, aproveite para tomar um café da manhã leve e evite, no dia 23 em que serão aplicadas duas provas, almoçar alimentos pesados e gordurosos que podem acabar facilitando para a chegada do sono.

Confie no seu potencial - Seja sempre positivo antes e durante o exame. Confie em tudo que você estudou e que é capaz de realizar um bom exame.

Tenha calma - O exame é longo e exigirá muito de você. Em caso de dúvidas concentre-se, leia e releia se for preciso para só então se posicionar para a resposta certa.

Não se atrase - São Paulo é uma cidade complicada e com um trânsito caótico. A Comissão de Ensino preconiza para a chegada do candidato com até 30 minutos de antecedência para encontrar seu lugar na sala e aguardar a entrega da prova. Um atraso no trânsito, por exemplo, pode acarretar em aflição e angústia e prejudicar seu desempenho no exame. Pior que isso, pode impossibilitá-lo de prestar o exame.

Aproveite todas essas dicas e realize uma excelente Prova Nacional de Oftalmologia.


CBOTV: sua saúde ocular no audiovisual presente no site do CBO

A Saúde Ocular é coisa séria e deve ser tratada como prioridade máxima pelos órgãos competentes, com o objetivo de oferecer à população o melhor atendimento possível. Uma das principais formas de identificar e tratar as doenças que afetam o olho é conscientizar a população sobre suas principais características e sintomas, para então procurar o médico oftalmologista.

Com este objetivo, o site do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) disponibiliza para a população importante ferramenta audiovisual sobre as principais doenças presentes no olho, assim como materiais informativos de como cuidar de sua saúde ocular e evitar perda de visão. Outra vertente importante deste setor é a divulgação de matérias, referente à saúde ocular, veiculadas nos principais canais de comunicação, o que contribui para sanar as principais dúvidas referentes ao olho, um dos principais órgãos do corpo humano.

O Site do CBO foi selecionado como um dos dez melhores sites sobre saúde do Brasil. Aproveite esta grande ferramenta e acesse a sua área exclusiva dentro do portal. Caso prefira, clique nos links abaixo assista aos vídeos e divulgue entre seus familiares.

O CBO aconselha a visita regular ao médico oftalmologista, guardião da saúde ocular da população!

Glaucoma Crônico

Glaucoma Congênito

Espiando o Funcionamento do Olho

Espiando o Funcionamento do Olho

Cuidados Gerais com a Visão

Estrabismo

Nistagmo e Fotofobia

Retinopatia da Prematuridade

Saúde ocular na terceira idade


Inscrições para o Festival de Filmes em oftalmologia terminam em fevereiro

A Secretaria Executiva do XIII Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa informa aos interessados em participar do tradicional Festival de Filmes do Congresso tem até o dia 10 de fevereiro para realizar a sua inscrição. A solenidade de divulgação dos vencedores ocorrerá em 03 de abril durante o Congresso.

Os curtas-metragens em português, inglês ou espanhol devem ter no máximo oito minutos de duração e podem concorrer em cada uma das cinco categorias: Catarata, Refrativa, Especial, Complicações em Catarata e Refrativa e Educacional, cada uma com sua respectiva premiação, além do Prêmio Revelação e o Grande Prêmio SBCR.

O objetivo da SBCR e da SBCII é promover a divulgação das inovações e do desenvolvimento cientifico da oftalmologia. Para mais informações consulte a página oficial do concurso: www.cataratarefrativa2014.com.br/festival-de-filmes.


Convite da Sociedade Brasileira de Glaucoma

A Sociedade Brasileira de Glaucoma tem a grata satisfação de convidá-lo(a) para fazer parte da Campanha Nacional de Combate à Cegueira pelo Glaucoma de 2012, lembrando que o dia 26 de maio é o Dia Nacional de Combate à Cegueira pelo Glaucoma (Lei Federal 10456 de 13/05/2002)

Para fazer parte do nosso time, sugerimos que promova uma pequena reunião com seus pacientes, podendo, neste momento, esclarecer dúvidas nem sempre possíveis durante o horário das consultas, promover interação e troca de experiências entre os participantes e estimulando a adesão ao tratamento.

Divulgue informações sobre o glaucoma através da mídia em sua cidade - ou pelo rádio, ou pela internet e jornais.

Solicitamos que você, nosso(a) parceiro(a) nesta luta contra o glaucoma, nos informe seus resultados e nos envie suas fotos para que possamos divulgar seu esforço em nosso site www.sbglaucoma.com.br e nas redes sociais -www.facebook.com.br/SBGlaucoma.

 Um grande abraço,



 


Visão subnormal não é sinônimo de deficiência intelectual ou cegueira

A Visão Subnormal, ou baixa visão é caracterizada em pessoas que, mesmo após procedimento cirúrgico ou uso de óculos e lentes de contato, permanece com acuidade visual inferior a 30% ou menos da visão considerada normal no melhor olho.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Visão Subnormal, em seu portal na internet, o www.visaosubnormal.org.br, a perda da visão pode ocorrer por diversas causas e, por isso, pode afetar diferentes regiões da visão - a periférica ou a central. Os que perderam a visão central ou tiveram a visão central comprometida têm a percepção dos detalhes reduzida e, por isso, apresentam maior dificuldade de leitura. Já aqueles que tiveram a visão periférica afetada, enfrentam dificuldades de mobilidade. Não tão frequente, a visão subnormal pode ser caracterizada pela perda da percepção do contraste e das cores.

Diferente do que se pode pensar, o indivíduo que tem visão subnormal não é considerado cego, afinal, existe uma visão útil, quando associada a acessórios. A cegueira é considerada para aquelas pessoas que, mesmo com o uso de acessórios, não possuem visão útil. Cerca de 70 a 80% das crianças diagnosticadas como cegas possuem alguma visão útil.

O portador de visão subnormal precisa aprender a lidar com a sua deficiência. É um processo difícil e angustiante, porém, com a determinação pessoal e o apoio de amigos e familiares, é possível realizar todos os seus sonhos.

Não acredita nisso? Pois veja o depoimento deTais Souza Bononi, 20 anos, estudante de Publicidade e Propaganda e que possui visão subnormal no vídeo do link abaixo.

Vídeo Visão Subnormal

No trecho final do vídeo, a estudante fala firmemente: "Ao invés de falar eu não consigo e não vou tentar, corra atrás e descubra outra maneira para realizar aquilo que gosta e quer fazer. Se você acreditar que é capaz, conseguirá!".

Lembre-se: a visão subnormal não é sinônimo de deficiência intelectual ou cegueira!


Relatório do Senado considera improcedentes os vetos à Lei do Ato Médico

A assessoria do Senado produziu nota técnica que contesta a maior parte dos 10 vetos à Lei do Ato Médico (Lei 12.842/2013) emitidos pela presidente Dilma Rousseff. O documento, que já circula entre os parlamentares, resultou de uma análise solicitada pela senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), que integra a Comissão Mista encarregada de fazer um relatório com base na decisão do Palácio do Planalto.

O parecer reforça os argumentos da classe médica que, nesta quinta-feira (8), vai ao Congresso Nacional com mais de 200 lideranças para esclarecer e sensibilizar os parlamentares sobre os pontos que serão abordados na votação que pode derrubar os vetos, prevista para o dia 20 de agosto. Os médicos se reunirão às 14 horas no auditório Nereu Ramos do Senado Federal.

De acordo com os analistas do Senado, os argumentos apresentados pela Presidência da República não têm sustentação.  O Governo diz que barrou os pontos do projeto, aprovado após 12 anos de tramitação, por considerar que a norma contrariava o interesse público. No entanto, os técnicos parlamentares afirmam que não há embasamento adequado que justifique os cortes. O principal ponto destacado no relatório se refere ao veto ao inciso I do caput e ao § 2º do art. 4º, que estabelece como atividade privativa dos médicos a formulação do diagnóstico nosológico (de doenças) e respectiva prescrição terapêutica.

A nota técnica ressalta que o veto ao inciso I do art. 4º é improcedente, uma vez que não considerou a existência de outros dispositivos que preservam as atividades das demais categorias profissionais de saúde. ?Para resguardar o sentido do projeto de regulamentação do exercício da Medicina, haveria que derrubar esse veto?, afirma.

Além de destacar os acordos e os consensos formulados ao longo período de tramitação, que resultaram no texto aprovado pelo Congresso, afirma-se que essa Lei não afeta a autonomia, a competência ou as atribuições das outras 13 categorias profissionais da área da saúde. O alegado impacto desse item nas políticas e programas de saúde pública também foi descartado.

?Com relação à possível descontinuidade de programas de prevenção e controle de doenças que a efetivação do inciso I do caput do art. 4º possa resultar, especificamente em relação a malária, tuberculose, hanseníase e doenças sexualmente transmissíveis, conforme as alegadas razões do veto, esse risco fica afastado quando se considera que há previsão legal que garante aos enfermeiros a capacidade de prescrição de medicamentos no âmbito desses programas?, ressalta o texto.

O documento salienta ainda que o veto de Dilma Rousseff é contraditório, ao reconhecer que ?o diagnóstico nosológico e a respectiva prescrição terapêutica são próprios do campo da Medicina?. A análise destaca ainda: ?a aplicação do art. 4º, que trata do campo privativo dos médicos, deve ocorrer resguardando-se as competências próprias das demais profissões de saúde, do que se depreende que as práticas e atividades de saúde realizadas legalmente pelos profissionais não médicos não poderão ser afetadas pela efetivação da lei do exercício da Medicina?.

Os assessores recomendara a derrubada do veto aos incisos VIII e IX do caput do art. 4º, que incluem como atividade privativa de médico a indicação do uso de órteses e próteses:. ?Entendemos que não procedem as alegações (da Presidência) de que a indicação e confecção de muletas axilares, andadores e cadeiras de rodas estariam comprometidas. Esses são meios auxiliares de locomoção e a sua indicação ou confecção não constituem objeto de atuação privativa de médicos?, afirma o relatório.

No parecer, o uso de próteses mamárias também foi citado. ?De acordo com sociedade Brasileira de Mastologia, essas próteses ? também chamadas de implantes mamários ou inclusões ? são utilizadas em mamoplastia com finalidade estética ou para a recomposição do volume mamário pós-mastectomia. Portanto, essas próteses devem ser empregadas a partir de indicação e execução médicas?.

Sobre o inciso IX, que determina a prescrição de órteses e próteses oftalmológicas como atividade privativa de médicos, o relatório salienta que a lei diz respeito à atividade prescritora. ?É necessário observar que, entre as profissões de saúde atualmente regulamentadas, nenhuma outra categoria profissional além dos médicos exerce esse tipo de atividade. Dessa forma, o dispositivo não interfere no exercício profissional das demais profissões de saúde regulamentadas?.

?A manutenção do dispositivo não acarretaria qualquer impacto para o Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que as ações de saúde visual desenvolvidas por outros profissionais que atuam no Sistema estão preservadas e o SUS não tem em seus quadros o cargo de optometrista, já que se trata de profissão não regulamentada?, acrescentou.

Com respeito aos vetos aos incisos I e II do § 4º do art. 4º, que abordam os procedimentos invasivos como atividade privativa dos médicos, os técnicos também fizeram críticas. ?Ao vetar os incisos I e II, a lei passa a considerar como procedimento invasivo apenas as situações em que há invasão dos orifícios naturais do corpo, atingindo órgãos internos (inciso III). Tecnicamente isso não faz sentido?, alega o documento, que afirma que o corte ?promoveu distorções técnicas de ordem conceitual e legislativa?.

Nas razões do veto, a Presidência da República alegou que os procedimentos invasivos foram caracterizados de maneira ampla e imprecisa, o que levaria a se atribuir como atividade privativa de médicos um rol extenso de procedimentos, inclusive alguns já consagrados no SUS como atividades multiprofissionais. Sobre isso, os técnicos afirmam que ?quanto às alegações feitas, há que observar que esses dispositivos não devem ser considerados de forma isolada, mas sim de forma combinada com outros que especificam situações e procedimentos que não se inserem no campo privativo de médicos, como a aplicação de injeções, por exemplo. Com isso, buscou-se delimitar esse campo de atuação privativa dos médicos relativa aos procedimentos invasivos, evitando-se justamente uma caracterização ampla e imprecisa que pudesse dar margem ao cerceamento da atividade de outras categorias profissionais?.

Com relação à acupuntura, o relatório técnico do Senado informa que deve ser ressaltado que o texto do projeto aprovado pelo Congresso Nacional foi redigido de forma a não tratar dessa atividade, seja para torná-la atividade privativa de médicos ou o contrário. ?O inciso II do art. 4º, estabelece como privativo de médicos a invasão da pele atingindo o tecido subcutâneo para injeção, sucção, punção, insuflação, drenagem, instilação ou enxertia, com ou sem o uso de agentes químicos ou físicos. Essa redação foi adotada considerando-se que nenhum dos termos utilizados ? injeção, sucção, punção, insuflação, drenagem, instilação ou enxertia ? conflitava com a atividade da acupuntura, uma vez que o ?agulhamento? realizado na acupuntura tem por objetivo a estimulação de pontos corporais, e não quaisquer das funções enunciadas no dispositivo?.

Os técnicos também consideraram improcedente o veto ao inciso I do art. 5º, que determinou como privativo de médicos a direção e chefia de serviços médicos. Para justificar o veto, a Presidente Dilma alegou a imprecisão da definição de ?serviços médicos?, o que causaria insegurança quanto à amplitude de sua aplicação. Segundo eles, ?a combinação do inciso I, que trata da direção de serviços médicos, com o parágrafo único do art. 5º ? que determina não ser privativa de médico a direção administrativa de serviços de saúde ? elimina as dúvidas a respeito da abrangência do dispositivo. Como as funções meramente administrativas dos serviços de saúde não se inserem como atividades privativas de médico, apenas as funções diretivas de caráter técnico que envolvem atividades médicas são privativas de médicos?.


Conselho Brasileiro de Oftalmologia lança VI edição do Manual de Ajuste de Condutas

A atualização das ciências médicas é constante em todos os setores. Com o expressivo investimento em pesquisa científica ao redor do mundo, inúmeros procedimentos médicos sofrem alterações rotineiramente, o que influencia diretamente em novos processos cirúrgicos e clínicos para tratar antigas doenças como catarata ou recentes descobertas para enfrentar novas enfermidades como a Degeneração Macular Relacionada à idade (DMRI).

Por outro lado, na esfera judicial e parlamentar, novas leis, resoluções, pareceres e protocolos, que interferem diretamente com a oftalmologia, sofrem alterações ou são criados pelos órgãos responsáveis.

Com essas constantes mudanças no cenário de atuação do médico oftalmologista, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), por meio de sua diretoria e o apoio dos Patronos 2012, lançou a VI edição do Manual de Ajuste de Condutas 2012.

A publicação busca elucidar dúvidas e ressaltar o que há de mais recente nos procedimentos da atualidade, assim como os desdobramentos das atividades relacionadas à oftalmologia tramitando em todas as esferas legais no Brasil.

O Manual de Ajustes de Condutas 2012 aborda os seguintes temas: Consultas Oftalmológicas, Cirurgias Oftalmológicas, Planilha de Cirurgias, Exames e Resoluções, Portarias e Pareceres.

Para fazer o download do Manual de Ajuste de Condutas 2012 clique no link abaixo.

Manual de Ajuste de Condutas 2012


Continua a discussão sobre relatório que aprova MP do Mais Médicos

A comissão mista do Congresso Nacional que analisa a medida provisória que criou o Programa Mais Médicos (MP 621/13) deve votar na tarde de hoje (25/09) o relatório final elaborado pelo deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Antes, integrantes da comissão pretendem fazer uma reunião informal para tentar chegar a um texto de consenso que possa ir a voto, na sala da presidência da Comissão de Seguridade Social da Câmara.
Ontem, deputados e senadores apresentaram sugestões de mudanças ao parecer. O relator revisor da comissão mista, senador Mozarildo Cavalvanti (PTB-RR), sugeriu que, depois dos três primeiros anos de participação no Mais Médicos, os profissionais estrangeiros e os brasileiros formados no exterior que quiserem continuar no programa se submetam ao Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida).
Mozarildo Cavalcanti também apresentou maiores exigências para a autorização e reconhecimento de graduação em medicina e propôs um prazo de cinco anos para que os governos reformem ou construam novas unidades básicas de saúde.
O deputado Rogério Carvalho deve acatar as sugestões do relator revisor. ?A questão dos cinco anos (para melhorar unidades de saúde) é pacífica e algumas exigências para abertura de novos cursos apresentadas também são. [Também] há consenso de que o médico estrangeiro que vier nessa condição, depois de três anos trabalhando, deve fazer o Revalida?, disse.
Veja a íntegra da proposta no site http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=584020

Fonte: 'Agência Câmara Notícias'


De olho na Conjuntivite

A conjuntivite caracteriza-se por qualquer tipo de afecção da conjuntiva, popularmente conhecida pelo "branco dos olhos".

Existem diferentes tipos de conjuntivite: bacterianas (com secreção amarelada intensa), virais (secreção mucosa e clara) e a do tipo alérgica.

Os principais sintomas são os olhos vermelhos, lacrimejamento e fotofobia. De acordo com a professora associada da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas (FCM/Unicamp), Keila Miriam Monteiro de Carvalho, existem variações dos sintomas de acordo com o tipo de conjuntivite.

Conjuntivite bacteriana:
"Haverá secreção amarelada (ou branco amarelado), além dos olhos vermelhos e lacrimejantes. Este tipo é contagioso enquanto tiver secreção".

Conjuntivite alérgica:
"Haverá inchaço acentuado da conjuntiva, coceira, sensação de cisco e fotofobia. Se não houver infecção secundária com secreção, as conjuntivites alérgicas não são contagiosas".

Conjuntivite viral:

"Inicialmente os sintomas são leves e depois de alguns dias piora. As conjuntivites virais seguem o curso natural da doença e os colírios ajudam a eliminar as consequências das infecções secundárias e aliviar os sintomas. Por isso que muitas vezes o paciente acha que o colírio que piorou ou que o médico não soube prescrever! Este tipo de conjuntivite é sazonal ocorre em surtos na população e são muito contagiosas".

A professora enfatiza que a melhor forma de prevenir o surgimento da doença é com hábitos saudáveis de higiene:

Lave sempre bem as mãos;
Sempre que possível use o álcool gel;
Evite coçar os olhos para não facilitar o surgimento de traumas.

Outra dica importante é realizar o exame de refração. "Outra recomendação é ter a refração sempre em dia, pois as pessoas que precisam de óculos e não usam ou estão fracos (principalmente astigmatismos e hipermetropias) ficam com os olhos congestos e isso facilita infecções como as conjuntivites", afirma Keila Miriam.

 


Nota oficial da Associação Médica Brasileira sobre a CNA

A despeito da publicação, no dia 9 de fevereiro de 2012, da Resolução CFM nº 1.984/2012, revogando a Resolução CFM nº 1.772 que institui o Certificado de Atualização Profissional (CAP) para os portadores dos títulos de especialista e certificados de áreas de atuação e cria a Comissão Nacional de Acreditação (CNA), a Associação Médica Brasileira informa que o processo será mantido, sem prejuízo aos envolvidos.

Com o auxílio de todas as sociedades de especialidade filiadas, a AMB será agora a única responsável por administrar a pontuação dos eventos científicos necessários para que o Certificado de Atualização Profissional (CAP) seja emitido, garantindo assim que o médico especialista possui conhecimentos atuais sobre a prática médica.

A AMB informa ainda que as regras para a atualização continuam as mesmas: o médico portador de título de especialista ou certificado de área de atuação que acumular 100 pontos no período de 5 anos sequenciais receberá a atualização de seu documento por meio do CAP.

Em relação ao cadastramento de eventos e a comprovação de participação dos médicos, os organizadores de eventos deverão continuar inscrevendo os mesmos no site www.cna-cap.org.br e enviando as listas de participação dentro do tempo previsto.

Entretanto, devido ao processo de reestruturação interna da CNA, a AMB prorrogou a emissão dos primeiros CAPs, programados para dezembro de 2011, para dezembro de 2012.

É importante salientar ainda que, o título de especialista ou certificado de área de atuação não perde seu valor. O médico inscrito no processo precisa apenas comprovar que se manteve atualizado após ser aprovado nas provas de obtenção do documento.

A AMB entende que desta forma está garantindo o permanente aprendizado médico e a sua atualização científica, visando não só a valorização do profissional, mas o melhor atendimento à população.

COMISSÃO NACIONAL DE ACREDITAÇÃO - AMB

Mais informações, visite o site da CNA 


Os problemas oculares mais comuns do Brasileiro

A equipe de reportagem do Bom dia Cidade, apresentado pela TV Globo para a região de Sorocaba e Jundiaí, em São Paulo (SP), elaborou matéria reforçando alguns dos principais problemas oculares que afetam a população a população Brasileira.

De acordo com a médica oftalmologista Luciene Alves da Silva Santos, os principais problemas identificados são: Miopia (dificuldade de enxergar de longe), Hipermetropia (dificuldade de enxergar mais próximo), Astigmatismo (distorção da imagem, tanto para perto como para longe) e a Presbiopia (dificuldade para enxergar de perto após os 40 anos).

Para todos esses casos citados existe tratamento que varia desde os tradicionais óculos, lentes de contato e até cirurgias.

Clique aqui e confira matéria completa.


Equipe médica faz transplante raro das duas córneas em bebê de 5 meses

A equipe médica do Hospital Oftalmológico de Anápolis (HOA) realizou com sucesso um transplante de córnea em um bebê de apenas cinco meses. O pequeno paciente havia sido diagnosticado com leucoma corneano aos quatro meses. Com apenas um mês do diagnóstico, a equipe chefiada pelo Oftalmologista André Pena Corrêa Bittencourt decidiu pela realização de uma cirurgia. O procedimento foi considerado extremamente raro devido a idade do paciente e por ter acometido o transplante nos dois olhos ao mesmo tempo.

Segundo Bittencourt, a opção de fazer a operação nos dois olhos durante a mesma cirurgia teve a finalidade de reduzir riscos para o paciente. Normalmente, o procedimento é feito primeiro em um olho e depois de um tempo de recuperação, no outro.

O bebê, filho de uma mulher que usou crack durante a gestação, está agora com oito meses e começa a apresentar os primeiros sinais de recuperação. "Antes, o bebê ficava sempre com os olhos fechados, não piscava. Agora ele já abre o olho e pisca, mas ainda não é possível quantificar o quanto de visão ele tem. O que estamos fazendo agora é tentar evitar que ele perca a visão", afirma Bittencourt.

Confira a matéria na íntegra no site do G1


Atenção com sua saúde ocular mamãe

A gestação é um período especial para as mulheres, entretanto, uma fase em que as mamães são mais suscetíveis a enfermidades, inclusive oculares. Doenças como a conjuntivite e a síndrome do olho seco podem se manifestar. O acompanhamento pré-natal é sempre a melhor alternativa de se prevenir e descobrir precocemente alterações na visão.

Durante a gravidez, as mulheres passam por mudanças hormonais que envolvem múltiplos órgãos do corpo e os olhos também podem ser diretamente atingidos. "A maioria das alterações oculares têm natureza hormonal, metabólica, hematológica, cardiovascular e imunológica", afirma a oftalmologista Denise Fornazari.

Mudanças no grau dos óculos e intolerância ao uso de lentes de contato são alguns dos indícios. A síndrome do olho seco, isto é, a alteração na quantidade ou qualidade da produção lacrimal que está relacionada ao aumento da produção de estrogênio, também pode se manifestar.

Os efeitos da gravidez sobre os olhos podem ser divididos em três categorias. A primeira é representada pelas alterações fisiológicas, que são totalmente reversíveis e todos os sintomas desaparecem após o parto e o período de amamentação. Há as mudanças em doenças oculares pré-existentes, que também podem ser modificadas e se agravam durante a gestação se o diabetes não se mantiver controlado. Além disso, as alterações patológicas, como o descontrole da pressão arterial, também pode se manifestar.

Uma forma de proteger as mamães é o acompanhamento pré-natal, essencial para detectar precocemente alterações na visão. A oftalmologista salienta que "higienizar os olhos e usar os óculos corretamente ajudam na prevenção de doenças e prejuízos oculares".

Doenças adquiridas durante a gravidez

Algumas patologias infecciosas contraídas pela mãe durante a gestação podem afetar a criança. "Principalmente no primeiro trimestre. A grávida pode ter a doença na forma ocular ou ainda sistêmica e pode transmitir para o bebê causando graves problemas de visão", ressalta a Dra. Denise Fornazari.  A toxoplasmose é um exemplo, a doença pode ser adquirida ainda dentro da barriga da gestante ou após o nascimento do bebê pelo consumo de vegetais ou água contaminada.

A oftalmologista alerta ainda para os casos das gestantes que já utilizam óculos. "É recomendável que espere para refazer os óculos depois do parto, pois algumas alterações no grau podem se modificar". Ela acrescenta que nos casos de lentes de contato existe um tratamento diferenciado, "as lentes transitions podem ajudar em uma vista mais confortável e protege contra os raios ultravioleta".

Fonte: Saúde em Pauta On-line


Dados do CBO e OMS apresentam a prevalência de doenças oculares de acordo com idade

A hipermetropia atinge 65 milhões de brasileiros, enquanto a catarata cega 350 milhões. Os dados são do CBO. A hipermetropia atinge a maioria das crianças em algum grau e tende a melhorar com o tempo.

Além disso, a Agência Internacional de Prevenção à Cegueira, ligada à OMS, calcula em 33 mil o número de crianças que ficam cegas por doenças oculares tratadas tardiamente.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-01-15/hipermetropia-afeta-visao-de-65-milhoes-de-brasileiros-aponta-conselho

 


ANS edita Instrução Normativa regulamentando critérios de reajustes em contratos entre Prestadores de Serviços e Planos de Saúde

A instrução Normativa número 49, de 17 de maio de 2012, regulamenta o critério de reajuste, conforme disposto na alínea "c" do inciso VII do parágrafo único do artigo 2º das Resoluções Normativas - RN´S nº 42, de 4 de julho de 2003, nº 54, de 28 de novembro de 2003 e nº 71, de 17 de março de 2004.

acesse o site da ANS e confira na íntegra


Jornal da Medicina aborda interiorização de médicos

A nova edição do Jornal Medicina já está disponível e trata principalmente da carência de serviços de saúde no interior e as propostas do governo e da classe médica para resolver o problema.

Leia o jornal aqui.


O novo Rol da ANS e a Oftalmologia

A partir de janeiro de 2014, os beneficiários de planos de saúde individuais e coletivos terão direito a mais 87 procedimentos, incluindo 37 medicamentos orais para o tratamento domiciliar de diferentes tipos de câncer e 50 novos exames, consultas e cirurgias (lista completa). A medida é resultado de consulta pública realizada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e beneficia 42,5 milhões de consumidores com planos de saúde de assistência médica e outros 18,7 milhões consumidores com planos exclusivamente odontológicos.

Para a Oftalmologia, a principal mudança foi a ampliação da possibilidade de prescrição da Tomografia de Coerência Óptica (OCT). A utilização desse meio diagnóstico só era possível aos beneficiários de planos de saúde portadores de DMRI na forma exsudativa que estavam se submetendo a tratamento com medicação anti-VEGF. A partir de janeiro próximo também será possível prescrever para:

1.   acompanhamento de pacientes em tratamento ocular quimiotera?pico (pacientes que apresentem a forma exsudativa, tambe?m conhecida com u?mida ou neovascular, da Degenerac?a?o macular relacionada a? idade ? DMRI), incluindo o exame inicial realizado antes do ini?cio do tratamento antiangioge?nico;

2.   acompanhamento e confirmac?a?o diagno?stica das seguintes patologias retinianas:

- Edema macular cisto?ide (relacionado ou na?o a? obstruc?a?o venosa);

- Edema macular diabe?tico;

-  Buraco macular;

- Membrana neovascular sub-retiniana (que pode estar presente em DMRI, estrias angio?ides, alta miopia tumores oculares e coroidopatia serosa central);

- Membrana epirretiniana;

- Distrofias retinianas.

O novo Rol dos Procedimentos e Eventos em Saúde também liberou a utilização da Ciclofosfamida para tratamento do Retinoblastoma, independente de especificação da fase em que se encontra a doença.


Oftalmologista traz para Ribeirão Preto o primeiro equipamento para realização de cirurgia de catarata a laser

A população de Ribeirão Preto, em São Paulo-SP, e região, agora podem escolher entre realizar a sua cirurgia de catarata com o meio convencional (bisturi) ou fazer a mesma cirurgia com um dos equipamentos mais tecnológicos do mercado (cirurgia a laser). Esta escolha se tornou possível graças ao médico oftalmologista Roberto Pinto Coelho, que acaba de trazer para a cidade o primeiro equipamento capaz de realizar a cirurgia de catarata a laser.

Pinto Coelho, que é associado do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, em entrevista abaixo, afirma que existem apenas 30 aparelhos destes no Brasil. O Sistema Único de Saúde (SUS) ainda não disponibiliza a cirurgia para com este aparelho, portanto, o procedimento é feito apenas para consultas particulares.

A equipe do Jornal "A Cidade", de Ribeirão Preto, publicou ontem entrevista com o médico. Nela, Pinto Coelho fala um pouco sobre a doença, doação de córnea e características desta nova tecnologia disponibilizada.

Clique aqui e confira a entrevista na íntegra. Se preferir, veja a transcrição abaixo:

Boa visão

O oftalmologista Roberto Pinto Coelho, 49 anos, fundou em 1995 o Instituto da Visão de Ribeirão Preto. Membro associado do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Catarata e Implantes Intraoculares, ele trouxe para a cidade o primeiro equipamento da região a realizar cirurgia de catarata a laser. Roberto fala a seguir sobre a doença, doação de córneas e novas tecnologias:

Qual a doença que mais atinge a visão?
Roberto Pinto Coelho - É a catarata. Todo mundo vai ter um dia. A partir dos 50 anos, 20% das pessoas têm. Já aos 60, 40%, e aos 70 anos, 70%. Acima dos 80 anos, 100% das pessoas desenvolvem a doença. Mas tem cura. É possível tirá-la em qualquer idade. É a maior causa de cegueira reversível.

Podemos prevenir a catarata? Como?
Podemos retardar o desenvolvimento dela evitando muita exposição dos olhos ao sol, uma má-alimentação e estresse.

O senhor tem o primeiro aparelho a laser da região para cirurgia de catarata. O que muda da cirurgia convencional feita com bisturi?
O tempo de recuperação, que é de dois dias a uma semana. A precisão dos cortes da cirurgia também. É um risco muito menor de complicação. Hoje são apenas 30 equipamentos desses no Brasil. O Sistema Único de Saúde (SUS) ainda não disponibiliza esse aparelho, apenas particular.

Quantas cirurgias de visão o senhor faz por mês?
Cerca de 100 por mês em Ribeirão Preto - 80% é por conta da catarata e esse número de cirurgias vem crescendo porque as pessoas estão procurando antes o procedimento, operando precocemente antes de deixar a catarata amadurecer.

Obesidade, alimentação inadequada e falta de atividades físicas comprometem a capacidade de enxergar?
Sim. Principalmente a catarata, que se desenvolve com a bebida alcoólica, cigarro, estresse e má-alimentação. O uso de muito tempo do computador também afeta a visão, trazendo cansaço e dor, o que obriga a pessoa a usar óculos para descanso.

Como é hoje o cenário da doação de córneas? Ainda é baixo?
Tem muito o que aumentar ainda. Hoje temos no Hospital das Clínicas de Ribeirão uma fila com cerca de 300 pessoas aguardando a doação e fazemos apenas 50 transplantes por mês. E muito fácil a doação, qualquer pessoa pode fazer. Ainda tem aquele preconceito da família, que vai ficar corte no olho do ente querido que morreu, mas a retirada da retina é imperceptível, não altera em nada.

Os procedimentos feitos hoje estão mais modernos?
Sim. Antes implantávamos a córnea no paciente. Agora apenas a célula da córnea, o que leva duas semanas para a recuperação. Antes era mais de 6 meses para se recuperar. Outra novidade é o implante da lente multifocal já na cirurgia da catarata, o que descarta o uso de óculos após a cirurgia.


Ademar Arthur Chioro dos Reis é o novo Ministro da Saúde

A presidente Dilma Rousseff deu posse, na manhã de hoje (03/02), à Ademar Arthur Chioro dos Reis, como novo Ministro da Saúde de seu Governo, substituindo Alexandre Padilha, agora candidato ao Governo Paulista . Arthur Chioro deixa a Secretaria Municipal de Saúde de São Bernardo do Campo, em São Paulo-SP, para assumir a pasta em Brasília.

Veja abaixo o resumo de seu currículo na plataforma Lattes:

"É graduado em Medicina pela Fundação Educacional Serra dos Órgãos (1986), com Residência Médica em Medicina Preventiva e Social pela UNESP (1988). Mestre em Saúde Coletiva pela Unicamp (2001). Doutor em Ciências pelo Programa de Saúde Coletiva da UNIFESP (2011). Diretor da Consaúde - Consultoria, Auditoria e Planejamento desde 1997, prestando consultoria na área de planejamento e gestão de sistemas e serviços de saúde. Foi Diretor do Departamento de Atenção Especializada do Ministério da Saúde (2003-2005). É professor de Saúde Coletiva da Faculdade de Fisioterapia (Unisanta) e da Faculdade de Medicina (UNIMES), ambas de Santos-SP. É pesquisador da Linha de Política, Planejamento e Gestão em Saúde do Departamento de Saúde Coletiva da UNIFESP. Desde janeiro de 2009 exerce o cargo de secretário municipal de saúde de São Bernardo do Campo-SP e, em 2011, tornou-se presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo - Cosems-SP".

Confira no link abaixo o currículo completo:

Ademar Arthur Chioro dos Reis

 


A medicina exercida por não médicos é crime. Não arrisque sua visão!

A primeira edição do JÁ, da TV Anhanguera - filiada à Rede Globo - de Goiás, apresentou em link ao vivo matéria em que ficou provado a prática da medicina exercida por não médico. Na reportagem foi identificada uma ótica que oferecia ao cidadão a possibilidade de realizar o exame de vista (R$ 40,00) com profissional não habilitado para exercer a medicina, o que contabiliza crime federal.

Além da questão de saúde pública, a delegacia de defesa do consumidor irá investigar a possibilidade de ter havido também a venda casada, considerada quando o fornecedor de bens ou serviços condiciona a venda de um produto à aquisição de outro qualquer, o que também é crime.

O médico é o único habilitado cientificamente e legalmente para cuidar da saúde ocular da população. O médico se torna especialista, no caso dos olhos o Oftalmologista, após passar por diversos anos de estudos intensivos, em instituições de ensino chanceladas pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e pelo Ministério da Educação (MEC), que buscam oferecer o que existe de mais atual na ciência oftálmica para garantir à população o atendimento especializado e de qualidade.

Arriscar ser examinado por um optometrista pode esconder problemas oculares muito sérios, afinal, este é um profissional habilitado apenas para a confecção de óculos e lentes de contato. O exemplo citado na matéria, em que ressalta o erro refracional do optometrista ao afirmar que a personagem precisava de óculos e, na verdade, após o exame da oftalmologista ficou claro que sua visão era excelente, prova a armadilha deste tipo de atendimento.

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia preconiza à população atentar-se ao tema. Existem diversas doenças que somente um médico formado e que passou por anos de especialização podem identificar. Doenças que levam à cegueira, como o Glaucoma e a Degeneração Macular relacionada à idade, por exemplo. Procure regularmente o médico especialista para realizar todo o atendimento referente à sua saúde ocular.

Em caso de dúvidas sobre se o "médico" é realmente formado e habilitado para cuidar dos seus olhos, basta acessar o site do Conselho Federal de Medicina (CFM). Com alguns dados do profissional em questão você consegue descobrir se o mesmo é formado e consta na lista do CFM (clique aqui e confira). Outra opção é entrar em contato com o CBO (www.cbo.com.br) e questionar se o médico é associado ao Conselho ou não.

Não brinque com seus olhos, a sua visão é um dos bens mais preciosos que você tem na vida!

Veja abaixo a matéria na íntegra

http://g1.globo.com/videos/goias/jatv-1edicao/t/edicoes/v/otica-faz-exames-de-vista-e-receita-oculos-em-goiania/3129231/


Aos médicos oftalmologistas

A propósito de algumas poucas, embora insistentes, correspondências eletrônicas encaminhadas à classe demandando maior ação para garantir os interesses dos oftalmologistas venho, na qualidade de gerente da FECOOESO e da COOESO-RJ, prestar alguns esclarecimentos que se fazem necessários, e se destinam especialmente àqueles que por falta de tempo ou de interesse, não têm se mantido atualizados quanto aos progressos alcançados nas constantes negociações desenvolvidas entre os oftalmologistas e as agências governamentais, o Poder Legislativo e os planos de saúde.

A ação conjunta do Conselho Brasileiro de Oftalmologia - CBO, da Sociedade Brasileira de Oftalmologia - SBO, e da FECOOESO tem alcançado grandes vitórias que repercutem e alcançam toda a classe.

O CBO tem empenhado grande esforço no apoio das lideranças médicas dedicadas à discussão da Lei do Ato Médico, e graças à sua expressiva colaboração tem possibilitado à FECOOESO a manutenção de representação assídua nas mesas de negociação em Brasília.

O difícil trabalho de convencimento dos parlamentares que ainda acreditam na possibilidade de se autorizar a optometria como profissão autônoma e separada da oftalmologia não seria possível sem o suporte financeiro providenciado pelo CBO.

E justamente pelo reconhecimento do CBO da relevância dessas ações e negociações preliminares é que a FECOOESO tem conseguido divulgar as ideias do interesse da classe entre os parlamentares.

Importante salientar, também, que em todos os congressos patrocinados pelo CBO, o Conselho destina espaço importante para a difusão do trabalho Cooperativo tanto a nível estadual, como é o caso das COOESOs, como na esfera mais ampla, federal, alcançada pela FECOOESO.

A parceria entre essas instituições, CBO, SBO, e FECOOESO tem sido a razão da ampliação das vitórias obtidas perante o Poder Legislativo, tanto no encaminhamento da Lei do Ato Médico, como nos projetos que visam regularizar a profissão de optometrista, valendo ressaltar, nesse último caso, que já foram rechaçados mais de oito projetos de cunho favorável à optometria, mas prejudiciais à população brasileira.

Ao longo dos últimos anos foram realizadas mais de 100 viagens a Brasília com a colaboração de expressiva liderança médica, valendo ressaltar a relevante contribuição dos Drs. Marcos Ávila, Elisabeto Ribeiro Gonçalves, Marco Rey, Hamilton Moreira, Nelson Louzada, Paulo César Fontes, Harley Bicas, Paulo Augusto, Nilo Holzchuh , Tânia Schaefer, Fabíola Mansur, entre outros tantos, capazes de deixar suas práticas privadas para militar em favor de toda a classe.

O custo de toda essa movimentação é expressivo, e tem sido arcado, integralmente, pelo CBO que jamais negou qualquer viagem solicitada, nem as despesas delas decorrentes.

Não se pode negar que foi graças à FECOOESO que o movimento cooperativo se difundiu entre os oftalmologistas, mas é de justiça reconhecer que tanto o CBO como a SBO aderiram ao mesmo e têm garantido valoroso suporte moral e, no caso do CBO, também financeiro.

Como gerente administrativo da FECOOESO tenho viajado por todo o país, divulgando as conquistas e conclamando os médicos a uma participação mais efetiva.

Lamentavelmente, muitos dos críticos da internet não encontram tempo para participar, de fato, de nosso movimento, nem de se atualizar quanto às dificuldades enfrentadas e aos sucessos obtidos.

A crítica, para ser construtiva, deve estar lastreada em informações corretas e fidedignas, daí a necessidade desses esclarecimentos quanto à relevância e apoio do CBO e da SBO na luta cooperativa.

Unidade tem sido a palavra de ordem não apenas para a FECOOESO como para o CBO e para a SBO.

Esperando ter dirimido dúvidas e esclarecido questões, despeço-me,

Fraternalmente,

João Fernandes


Médicos e parlamentares discutem o futuro da saúde

Aconteceu, no dia 2 de abril, o encontro de parlamentares e médicos de todo o país, para discutir políticas públicas de saúde. Aloísio Tibiriça, coordenador da Comissão Nacional Pró-SUS e 2º vice-presidente do Conselho Federal de medicina (CFM), atribuiu os problemas de distribuição e qualidade dos serviços médicos no Brasil a uma ?falta de financiamento do setor e ausência de uma política de estado na assistência em saúde, capaz de distribuir e valorizar os profissionais da área?.

Entre as reclamações apresentadas pelos médicos, figurava o repúdio à aceitação de médicos estrangeiros no país sem a revalidação de seus diplomas. Os profissionais expressaram desaprovação à aplicação de recursos públicos em operadoras privadas de planos de saúde e à ausência de planos de carreira no setor público.

As medidas propostas para contornar os problemas incluem uma Emenda à Constituição (PEC) 454/09, criando a carreira de médico no sistema público, inspirado no modelo das profissões de juiz e promotor.

Veja matéria completa no Portal do CFM.


Aprovado projeto que concede isenção de tributos a produtos destinados a pessoas com deficiência

Agora é lei. O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (25/04) o PL 7/2012 que prevê a desoneração dos impostos PIS/Pasep e Cofins para os produtos, destinados a pessoas com deficiência, importados e vendidos no mercado brasileiro. O texto segue agora para a sanção presidencial.

Entre os produtos, que sofrerão alteração de impostos no seu preço final, estão impressoras em braile, mouse com acionamento por pressão, peças e acessórios para cadeiras de rodas, teclados adaptados e próteses. A lista completa possui 22 itens que visam facilitar o dia a dia de pessoas com deficiência.

"A nosso ver, a matéria é relevante por dar concretude aos termos da Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, que determina que as nações deverão tomar medidas efetivas para facilitar às pessoas com deficiência o acesso a tecnologias assistivas, dispositivos e ajudas técnicas de qualidade, inclusive tornando-os disponíveis a custo acessível", afirmou o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e relator da pauta.

Confira matéria completa no site do Senado

 


Polícia prende dupla acusada de roubar clínicas oftalmológicas

Alguns dos principais veículos de comunicação do País elaboraram matéria sobre o tema. Clique aqui e confira a matéria publicada no portal da Folha de S. Paulo.

Clique aqui e confira na íntegra a matéria veiculada ontem no Jornal da Record, para todo o País. Se preferir, leia a transcrição da matéria abaixo.

Em São Paulo, a polícia conseguiu prender parte de uma quadrilha responsável por uma série de roubos a clínicas de oftalmologia. Os criminosos entravam para pegar os equipamentos usados pelos médicos para fazer exames.

Estas imagens mostram como eles agiam. Primeiro chega a mulher; ela marcou uma consulta; entra e deixa o portão aberto, caminho livre para o outro integrante da quadrilha. Ela anuncia o assalto e pega o celular da secretária. O homem coloca a mão na cintura, como se estivesse pronto para sacar uma arma. A mulher também pega uma pistola da bolsa. Um terceiro criminoso, ainda não identificado, entra e ajuda a roubar os equipamentos do consultório. Eles desmontam tudo e colocam em caixas. Na rua, um outo integrante espera no carro para a fuga.

Os policiais já rastreavam os passos do casal. Eles foram presos no momento em que iam assaltar mais um consultório médico na zona sul de São Paulo. Seria o décimo quinto roubo em um ano. Fábio Bezerra da Silva, de 39 anos, e a mulher dele, Monique Machado Duo, de 23, foram presos em flagrante, com as armas e até com as fitas que usavam para amarrar as vítimas.

O Delegado (Eduardo Camargo Lima) quer identificar quem vende e quem compra o material roubado. "Passa esses equipamentos para esse outro indivíduo que se encarrega de fazer a venda dos equipamentos. A gente sabe que muitas pessoas acabam comprando esses equipamentos mesmo sem a nota fiscal".


Médicos estrangeiros sem validação? Não!

Além da ameaça de ter sua regulamentação totalmente mutilada pelos vetos presidenciais, a saúde do Brasil ainda enfrenta a iminência de ver uma invasão de médicos estrangeiros sem a devida validação. Assista a peça publicitária elaborada pelo Sindicato dos Médicos do Estado de Goiás (SIMEGO) sobre o assunto aqui

SINDICATO DOS MEDICOS 30 SEGUNDOS


7 frutas que ajudam no combate do nervosismo

Amanhã 642 médicos irão prestar a Prova Nacional de Oftalmologia. Serão três provas aplicadas em dois dias. A aprovação neste tradicional exame da especialidade garante ao oftalmologista o Título de Especialista, emitido pelo CBO e pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Devido a complexidade da prova e a grande oportunidade para conquistar o tão sonhado Título de Especialista, é muito comum que boa parte dos candidatos fique nervoso e mantenha esse nervosismo até durante o exame.

Existem algumas frutas que ajudam no combate ao nervosismo. A nutricionista Mariana Nunes, em matéria publicada no Correio de Uberlândia, fez uma lista com 7 dessas frutas. Lembre-se, é recomendado o consumo de 3 a 5 porções por dia e que o ideal é a ingestão ?in natura?.

Laranja: fonte de vitamina C que reduz o cortisol, hormônio que fica elevado nas condições de estresse e que tem a capacidade de suprimir as funções imunológicas. Quando ingerimos a fruta, reduzimos o cortisol e melhoramos o funcionamento do sistema nervoso. Também funciona como um ótimo relaxante muscular.

Acabate: oferece gorduras saudáveis (Omega 3 e Omega 6 benéficas ao sistema nervoso central) e ao corpo. É rico em triptofano precursor de serotonina (hormônio da felicidade). Age estimulando a felicidade e o bom humor. Melhora o sono e mantém o bom humor.

Banana: é rica em carboidratos, potássio e magnésio que também agem como precursor do triptofano. Ajuda a diminuir a ansiedade, além de garantir um sono tranquilo. Repleta de propriedades que ajudam a induzir o sono.

Jabuticaba: graças às vitaminas do complexo B, a fruta age como um antidepressivo natural e seus carboidratos fornecem bastante energia para enfrentar os problemas do dia a dia.

Melancia: a fruta tem uma dose bastante grande da vitamina B, considerada energizante. Ajuda a manter o corpo no ritmo certo e refresca imediatamente após o consumo.

Uva: é uma fruta com altas doses de vitaminas do complexo B, que ajudam no funcionamento do sistema nervoso, além de retardar o envelhecimento da pele.

Pêssego: rico em aminoácido triptofano. Essa substância é convertida em serotonina pelo organismo. Também melhora o sono e o humor.

O exame será aplicado no Centro de Convenções Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569
Consolação - Centro São Paulo - SP

Confira matéria completa aqui


Miopia pode ser prevenida com brincadeiras ao ar livre

Apesar de apresentar um componente genético importante, a miopia está, também, sujeita a fatores externos e seu risco é potencializado pelo excesso de tempo em frente a telas ou lendo. É o que diz o cientista Justin Sherwin, da Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Por esse motivo, Sherwin encoraja os pais a incentivar as crianças a brincar mais ao ar liver. ?A cada hora a mais por semana passada em ambiente externo, como parques e playgrounds, o risco de miopia é reduzido em 2%?.

http://drvisao.com.br/noticias/3570-Brincar-ao-ar-livre-reduz-miopia-em-criancas


Abaixo-assinado propõe 10% de orçamento na saúde pública

Aproximadamente 700 mil pessoas ratificaram o abaixo-assinado que visa a forçar o governo a aplicar 10% de seu orçamento no SUS. Embora esse número seja pouco menor que a metade do necessário para o envio da proposta ao Legislativo, ela foi encaminhada ao Fórum Social Mundial Temático, em Porto Alegre.
Atualmente, o montante investido pelo Governo Federal é 6,2%, sendo que os estados estão obrigados a repassar 12% e os municípios, 15%. Dos dois últimos, ambos excedem sua quota, injetando, respectivamente, 12,9% e 20,5%. Não há mínimo fixo para a União. O movimento espera conseguir 1,5 milhão de assinaturas até 10 de abril, quando pretende encaminhar a proposta à Câmara dos Deputados.

http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=23542:proposta-popular-para-aplicacao-de-10-das-receitas-federais-no-sus-chega-no-fst-com-700-mil-assinaturas&catid=3


Inscrições abertas para a 60ª Jornada do Centro Brasileiro de Estrabismo

Após a realização do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado de 03 a 06 de setembro, no Recife-PE, os estrabólogos e demais interessados já podem garantir presença no tradicional evento para a atualização científica em Estrabismo: a 60ª Jornada do Centro Brasileiro de Estrabismo, que será realizada em 11 de outubro, em São Paulo-SP.

De acordo com Marcelo Francisco Gaal Vadas, presidente do Centro Brasileiro de Estrabismo (CBE), temas em evidência na subespecialidade, como as técnicas cirúrgicas minimamente invasiva, serão amplamente debatidos. "Neste ano vamos abordar temas muito recentes na estrabismologia, como as técnicas cirúrgicas minimamente invasivas e também as técnicas avançadas de cirurgia ajustável, feitas para torção e desvios verticais. Também abordaremos as novas transposições musculares e serão apresentados os trabalhos mais recentes sobre as principais causas da isquemia do segmento anterior decorrentes da manipulação cirúrgica dos músculos extraoculares", afirma.

O evento foi pensado para ser realizado em um único dia, um sábado, com o objetivo de evitar comprometer a semana de trabalho e o compromisso particular de cada colega presente. Para abrilhantar o conteúdo científico, Federico Velez, Professor de Estrabismo e Oftalmologia Pediátrica da Universidade da Califórnia, em Los Angeles - Jules Stein Eye Institute -, já confirmou a participação no evento.

"O Dr. Federico consegue conciliar o atendimento ao paciente e a pesquisa científica, estando assim no centro do cenário acadêmico internacional, tendo participado de recentes publicações da maior relevância em Estrabismo", complementa Gaal Vadas.

Os participantes encontrarão no Hotel Radisson Faria Lima o conforto e comodidade para fazer da 60ª Jornada um evento completo e de alto nível de atualização científica.

"Faremos um evento de alto nível científico! Convido os especialistas e demais interessados a acessar agora mesmo o nosso site www.cbe.org.br e realizar a inscrição com antecedência, pois preparemos condições especiais para os colegas", convida o presidente.

Anote na sua agenda:


60ª Jornada do Centro Brasileiro de Estrabismo
Dia: 11 de outubro de 2014
Local: Radisson Faria Lima, Avenida Cidade Jardim, 625, Bairro: Itaim.
Inscrições: www.cbe.org.br


Olho biônico é aprovado nos EUA

Argus II. Este é o nome do primeiro olho biônico aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos. Após testes em voluntários, a agência liberou o uso da prótese, espécie de retina artificial, em pacientes com retinose pigmentar avançada.
A prótese completa inclui um chip flexível, que ficará na retina do paciente, e uma câmera instalada em um par de óculos. O Argus devolve ao paciente parte da capacidade visual perdida, permitindo-lhe distinguir objetos e movimentos.

Veja matéria completa no portal do Diário da Saúde.


Medicina de segunda classe

Artigo de autoria do presidente da Sociedade Capixaba de Oftalmologia, César Ronaldo Filho, publicado no jornal A Gazeta, o mais importante do Espirito Santo

Medicina de Segunda Classe


 A lei do Ato Médico (Lei 12.842), que tramitou durante 11 anos e foi aprovada pelo congresso, sofreu um grande revés quando a Presidente Dilma vetou parcialmente a Lei. Vários pontos considerados fundamentais para a segurança do exercício da medicina, foram jogados na lata do lixo com o posicionamento da presidente. Como oftalmologista me preocupa em especial o veto ao Artigo 4 Inciso IX, que regula a prescrição de órteses e próteses oftalmológicas, incluindo óculos e lentes de contato. À primeira vista, o que pode parecer uma preocupação corporativista, se apresenta como um risco à saúde ocular da população. Liberando a prescrição de óculos e lentes a pessoas não médicas estaremos apresentando à população uma medicina de segunda classe, limitada e pouco comprometida com o futuro da saúde ocular da população.

A oftalmologia é uma especialidade que acompanha a população desde o nascimento com a realização do teste do olhinho, até as idades mais avançadas, sem discriminar homens ou mulheres. Lidamos com uma miríade de doenças que interagem com o organismo como um todo e é no olho muitas vezes que o primeiro sinal de uma doença sistêmica se apresenta para depois atingir outros órgãos. Muitos tratamentos prescritos pelos oftalmologistas influenciam não só o globo ocular, mais todo o organismo, podendo gerar efeitos colaterais importantes. Daí a obrigatoriedade de o oftalmologista ser antes de tudo um médico para que se possa compreender o paciente como um todo e saber lidar com as dificuldades e complicações.

Permitir que óculos e lentes de contato sejam prescritas por pessoa não médicas, é expor a população ao risco de se olhar o paciente apenas como um olho que precisa de um óculos. Miopia, hipermetropia e astigmatismo, que são os tipos de ametropias corrigidos com os óculos, são apenas uma parte dos problemas oftalmológicos. Muitas doenças oculares, como o glaucoma primário de a retinopatia diabética, não apresentam sintomas nas fases iniciais (em que o tratamento é mais eficaz) e só serão descobertas se o paciente for atendido por um médico em um exames de rotina, agendado muitas vezes para prescrição de óculos. A presidente Dilma e o seu partido estão levando a um nível inimaginável a política de perpetuação no poder à partir do clientelismo, afinal óculos e dentadura sempre foram artigos fartamente distribuídos por políticos em campanha eleitoral, sem se preocupar seriamente com a verdadeira saúde da população.

Cesar Ronaldo Filho
Médico Oftalmologista
Presidente da Sociedade Capixaba de Oftalmologia
Membro Titular do Conselho de Ética da Santa Casa de Misericórdia de Vitória


Segurança em Unidades de Saúde

Artigo do Dr. Rubens Belfort Jr. Publicado na Folha de São Paulo em 20/07/2012

(Folha de S. Paulo-SP - 20/7/2012 - Impresso)

Folha de S. Paulo - Tendências e Debates
RUBENS BELFORT JR.
TENDÊNCIAS/DEBATES


Falhas recentes deixaram uma criança cega, uma morta. É fácil culpar plantonistas, mas não há no SUS hábitos como checklists. Estudantes já aprendem errado
Recentemente, em São Paulo, um recém-nascido foi mais uma vítima da falta de segurança hospitalar.
A instilação ocular de nitrato de prata a 1%, para evitar infecção causada pela gonorreia, foi trocada por solução muito mais forte, causando cegueira irreversível.
Meses atrás, uma criança morreu porque injetaram leite na cânula de infusão endovenosa. Na última semana, um paciente de 88 anos recebeu um pino na perna errada.
Com absurda frequência, pacientes morrem, sofrem lesões sérias e são violentados em unidades de saúde pela falta de segurança. A responsabilidade vai muito além de quem prepara ou aplica o medicamento e do gestor imediato.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, todo ano milhões de pacientes sofrem danos incapacitantes ou morrem pela falta de segurança ao paciente, que também acarreta grandes gastos. No Brasil, a situação vai seguir piorando se não tomarmos medidas efetivas.
As mortes assim são quase sempre silenciosas e muitas nem reconhecidas, mas milhares de vezes mais frequentes que as causadas pelos ruidosos acidentes aéreos.
Existem protocolos e sistemas de segurança que minimizam os riscos. Ao contrário do grande número de hospitais privados que até por marketing procuram essas certificações de segurança e eficiência, raríssimos são os hospitais públicos que as tem.
Por que não se tornam obrigatórias? Não seria ótimo um prefeito ou governador em fim de mandato apresentar o número de hospitais acreditados por organismos independentes em segurança e eficiência?
A ONA (Organização Nacional de Acreditação) é uma das entidades nacionais que desenvolvem um sistema de certificação de segurança. Há também certificações internacionais, como a americana, através da Joint Comission, e a canadense, oferecida pelo Canadian Council for Health Services Accreditation.
Hospitais administrados pela SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina) em Taboão da Serra (Hospital Geral de Pirajussara) e Diadema (Hospital Estadual de Diadema) têm o selo de certificação de excelência no atendimento ONA 3 (nível máximo) e foram os primeiros hospitais do SUS a terem também a certificação canadense. O Hospital de Transplantes de São Paulo vai no mesmo caminho. Mas eles são exceções bastante raras, pouquíssimos hospitais públicos seguem o seu exemplo.
Os governantes sabem disso e fogem do SUS, indo aos bunkers da saúde privada. Por que nenhum deles se interna em hospitais públicos?
Continuamos a viver esse caos também nos hospitais de ensino. Neles, cada vez mais sucateados, estudantes de medicina e enfermagem se formam e terminam aprendendo errado, em ambientes onde a segurança dos pacientes não é devidamente priorizada.
As manchetes e mortes são só consequência. Punir o plantonista é o mais fácil, perverso e inócuo.
Procedimentos de diferentes níveis de complexidade podem tornar hospitais mais seguros. Existem muitas práticas de segurança validadas internacionalmente sem custo financeiro algum.
Podemos citar a identificação eficaz de todos dentro do hospital, o controle rigoroso da calibração e manutenção dos equipamentos médicos, a dupla checagem de medicações perigosas, a garantia de normas sanitárias e o controle de infecções.
O checklist é uma prática simples, praticamente sem custo, que segundo a OMS chega a diminuir em um terço os erros cirúrgicos.
A implantação obrigatória da acreditação e de um bom programa de segurança do paciente diminuiria a negligência do sistema.
Aquela criança, agora cega por toda a vida, poderia ter enxergado normalmente. Muitos pacientes poderiam estar vivos, sem sofrimento e também com grande economia. É importante enxergar -e enxergar o que precisa ser feito.

RUBENS BELFORT JR., 65, é Professor Titular de Oftalmologia na Escola Paulista de Medicina (Unifesp) e presidente da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina


Ética Médica é nova temática do CBO para 2013

Assim como o CBO promoveu a Teleconferência CBO, em 27 de outubro de 2012, em São Paulo, e "copiando coisas boas", nós, do Departamento de Oftalmologia da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) como representantes do CBO em nosso estado, iremos realizar conferências sobre o tema, na tentativa de atingir não só os jovens oftalmologistas, mas também os colegas que já atuam na área da Oftalmologia em Minas Gerais, contando com o inestimável apoio do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRMMG) e da AMMG.

Por favor, não percam. É um assunto crucial nos dias de hoje. Aguardamos sua presença.

Grade:

Conceitos (Ética, Moral, Deontologia, Diceologia, Bioética, etc.) e princípios fundamentais.

Código de Ética Médica (CEM): Publicidade Médica.

Relação entre Médicos: Diretores, Residentes, Preceptores.

Prontuário e Documentação Médica (atestado, receituário, consentimento, etc.).

Relação com a indústria farmacêutica.

DATA: DIA 17 DE DEZEMBRO
HORA: 19h30 HORAS
LOCAL: AMMG - AV. JOÃO PINHEIRO, 161 - BH


LUIZ CARLOS MOLINARI
Presidente do Departamento de Oftalmologia da AMMG


Dia Mundial da Saúde é marcado por manifestações

Até 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, entidades médicas de São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro promoverão manifestações em favor do projeto de lei que pretende destinar 10% das receitas brutas da União para a Saúde Pública. A proposta faz parte do Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública (Saúde+10).
Em São Paulo, o mutirão de coleta de assinaturas acontece hoje, na Praça da Sé, das 10h às 18. Em Curitiba, a mobilização será amanhã, dia 6, das 9h às 12h, na Boca Maldita. O dia 7 será a vez do Rio de Janeiro, com uma manifestação na Praça de Copacabana às 10h. As reivindicações incluem piso salarial de R$ 10.412,00, o combate à terceirização da saúde pública e o aumento dos salários do setor público.
Veja matéria completa no portal do CFM.


Sociedade Paraense de Oftalmologia realizará Campanha Pará contra o Glaucoma

A  Sociedade Paraense de Oftalmologia (SPO) realizará uma importante atividade, em 26 de maio, no Hospital Universitário Betina Ferro, do Pará, das 8h às 14h. Neste dia, médicos voluntários realizarão exames gratuitos de tonometria e mapeamento da retina, para verificar se existe alguma alteração no nervo ótico. As pessoas com a doença identificada serão encaminhadas para tratamento gratuito (Via SUS).

A SPO espera atender cerca de mil pessoas. Podem participar paraenses que possuam 40 anos ou mais. O evento faz parte das comemorações do Dia Nacional do combate à cegueira pelo Glaucoma.

CAMPANHA PARÁ CONTRA O GLAUCOMA
Quando: 26 de maio de 2012
Horário: das 8h às 14h (todos os indivíduos que receberem senha serão atendidos)
Local: Hospital Universitário Betina Ferro - Avenida Perimetral s/n - Bairro: Guamá
Mais informações: (91) 3222-8414 ou (91) 3201-8576 e (91) 3201-8571 (com Roseliz)


Cegueira de personagem de novela pode acontecer na vida real

Boa parte da população brasileira acompanha os desdobramentos da novela Amor à Vida, da rede Globo. Um dos focos mais discutidos da trama é o plano arquitetado por Aline, interpretada pela atriz Vanessa Giácomo, que ao "dopar" a bebida de César, médico vivido por Antônio Fagundes, o deixa completamente cego.

A situação retratada pelo casal na novela é definitivamente possível de acontecer. É o que afirma o professor de oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Michel Eid Farah. "Existem várias substâncias tóxicas que podem causar doenças na retina e no nervo óptico, sendo que algumas são reversíveis e outras não".

Ainda de acordo com o oftalmologista existem também alguns medicamentos que têm compostos que podem causar prejuízos à visão, mas estes são devidamente acompanhados pelos médicos especialistas para evitar qualquer problema aos pacientes. "Sabemos que a partir de certa dose e depois de certo tempo de uso, o paciente precisa ser monitorado e passar por uma série de exames periódicos", afirma o professor.

A matéria completa sobre o assunto, publicada ontem no Portal Terra, pode ser acessada aqui


Terapia genética em teste freia doença ocular degenerativa

Cientistas, liderados pelo pesquisador Robert MacLaren, estão utilizando terapia genética para tentar reverter danos à retina e outras regiões cruciais dos olhos. Os estudos visam aplicação de um vírus com gene "corretor" do mal hereditário e com isso melhorar a visão dos pacientes com doenças degenerativas. A matéria foi publicada Jornal Folha de São Paulo de ontem (clique aqui e acesse na íntegra a matéria).

A doença ocular degenerativa, escolhida pelos pesquisadores para o estudo, foi a coroideramia. De acordo com a matéria, ela afeta uma pessoa a cada 50 mil e foi selecionada por se tratar de uma doença genética e desencadeada por um único defeito no gene. A ideia dos cientistas é substituir o trecho de DNA defeituoso pelo equivalente "em bom estado".

"Esta é a primeira vez que a terapia genética é usada para tratar pacientes com acuidade visual ainda normal. Nossos resultados mostram que a terapia é uma grande promessa para tratar outros problemas, como a degeneração macular relacionada à idade", afirma na matéria Robert MacLaren.

Para entender um pouco mais sobre o que significa estes estudos veja entrevista abaixo com o Doutor em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp/EPM) Paulo Augusto de Arruda Mello Filho.

Quando uma doença é considerada hereditária?

A doença é considerada hereditária quando transmitida dos pais para os filhos, através dos genes. Exemplos são a obesidade, diabetes e hipertensão arterial sistêmica.
Muitas vezes é confundida com a doença congênita - que na verdade significa uma doença já presente ao nascimento ? porém, não necessariamente transmitida pelos pais.


O que é a Coroideremia?

É uma doença hereditária degenerativa da coriocapilar, epitélio pigmentado e fotorreceptores da retina. Ocorre um defeito no gene responsável pela produção da proteína de membrana celular REP-1, essencial para o metabolismo desses tecidos.
Os sintomas iniciam com a piora da visão noturna e vão evoluindo com a perda progressiva da acuidade visual e do campo visual periférico.


Existe tratamento?

No momento não existe tratamento para essa doença, que é muito rara. O que existe são estudos de novos tratamentos com terapia genética. Como mostra a matéria citada, esta doença foi utilizada para estudar terapia genética por apresentar um defeito relativamente simples em um único gene, embora com manifestação clínica muito grave.

O que o senhor pensa em relação dos benefícios desta pesquisa? Acredita em resultados mais satisfatórios para um futuro próximo? Por quê?

Sim, acredito que em futuro próximo teremos uma boa opção para oferecer a esses pacientes com distrofias hereditárias. O uso da Terapia genética, associada a novos medicamentos e que atuem em vias metabólicas específicas e cirurgias, podem ser benéficas, principalmente pela rápida evolução da farmacologia ocular e da ciência aplicada nestas áreas.
Importante enfatizar que ainda estamos em fases iniciais de estudos e a aplicação clínica ainda não é realidade. Os colegas oftalmologistas devem esclarecer isso a seus pacientes.

Seria possível aplicar o mesmo contexto da pesquisa para outra doença hereditária ou que leve a cegueira? Se sim, qual?

Sim. Esse modelo de terapia genética pode ser aplicado em outras doenças oculares incapacitantes, como a retinose pigmentar ou degeneração macular relacionada à idade. Entretanto, essas doenças apresentam relação com mais de um gene, dificultando a terapia genética. Atualmente podemos identificar indivíduos com mais chances de desenvolver a doença a partir de seu código genético.
Outra doença genética hereditária que leva à retinopatia e cegueira, que também já existe um estudo para o tratamento com a terapia genética é a amaurose congenital de Leber.


Edital de Convocação

Com base no contido no parágrafo único do artigo 12 e no artigo 25 do Estatuto do Conselho Brasileiro de Oftalmologia - CBO, o Presidente da entidade, abaixo assinado, no uso de suas atribuições legais, convoca os associados para a Assembleia Geral dos Associados e a Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo, a se realizar no dia 05 de setembro próximo vindouro, às 18h10 em primeira convocação e às 18h40 em segunda, na sala Tabocas, do Centro de Convenções de Pernambuco, na cidade de Recife, durante o XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual e II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, de 3 a 6 de setembro de 2014.

Segue abaixo a pauta da reunião cujo quorum, conforme preconizam os artigos 10 e 30 do Estatuto deste Conselho, é maioria absoluta dos presentes em primeira convocação e qualquer número em segunda, sendo consideradas aprovadas as decisões que contarem com o voto da maioria simples presentes.

P a u t a:

1- Abertura dos trabalhos;
2- Leitura, apreciação e aprovação da ata da última reunião;
3- Apresentação do balanço contábil de 2013/2014;
4- Escolha do Tema Oficial para o XXIII Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual de 2018;
5- Escolha da cidade sede para o XXIII Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual de 2018;
6- Divulgação do XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia / 2015 - Florianópolis - Santa Catarina;
7- Informes da Comissão de Ensino;
8- Assuntos diversos.

São Paulo, 16 de julho de 2014,
Dr. Milton Ruiz Alves,
Presidente



Edital de Convocação para Assembleia Geral dos Associados e Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo

Com base no contido no parágrafo único do artigo 12 e no artigo 25 do Estatuto do Conselho Brasileiro de Oftalmologia - CBO, o Presidente da entidade, abaixo assinado, no uso de suas atribuições legais, convoca os associados para a Assembleia Geral dos Associados e a Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo, a se realizar no dia 05 de setembro próximo vindouro, às 18h10 em primeira convocação e às 18h40 em segunda, na sala Tabocas, do Centro de Convenções de Pernambuco, na cidade de Recife, durante o XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual e II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, de 3 a 6 de setembro de 2014.

Segue abaixo a pauta da reunião cujo quorum, conforme preconizam os artigos 10 e 30 do Estatuto deste Conselho, é maioria absoluta dos presentes em primeira convocação e qualquer número em segunda, sendo consideradas aprovadas as decisões que contarem com o voto da maioria simples presentes.

P a u t a:

1- Abertura dos trabalhos;
2- Leitura, apreciação e aprovação da ata da última reunião;
3- Apresentação do balanço contábil de 2013/2014;
4- Escolha do Tema Oficial para o XXIII Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual de 2018;
5- Escolha da cidade sede para o XXIII Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual de 2018;
6- Divulgação do XXXVIII Congresso Brasileiro de Oftalmologia / 2015 - Florianópolis - Santa Catarina;
7- Informes da Comissão de Ensino;
8- Assuntos diversos.

São Paulo, 16 de julho de 2014,
Dr. Milton Ruiz Alves,
Presidente



Pesquisa avalia satisfação dos beneficiários de planos de saúde no Brasil

Com o objetivo de conhecer a satisfação dos beneficiários de planos de saúde a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) iniciou pesquisa de satisfação dos beneficiários. O levantamento é fundamental para que a ANS possa acompanhar de perto a qualidade do setor de saúde suplementar no País com o monitoramento contínuo de vários indicadores do setor, entre eles o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) e o Índice de Reclamações recebidas de beneficiários.

Segundo a agência, as operadoras que aderiram a participação na pesquisa já iniciaram a coleta de dados com os beneficiários, seguindo os critérios definidos pela ANS. Participam do levantamento dos dados as operadoras com mais de 20 mil beneficiários, que representam cerca de 90% dos planos de saúde do País. Podem participar da pesquisa apenas os beneficiários maiores de 18 anos com sua devida autorização.

Confira matéria completa no site da ANS


Detecção e Intervenção Precoce para a Prevenção de Deficiências Visuais

Com o objetivo de oferecer orientações às equipes multiprofissionais para o cuidado à saúde ocular da criança abrangendo o pré-natal, neonatal e até o final da infância, o Ministério da Saúde (MS) está divulgando a diretriz "Detecção e Intervenção Precoce para a Prevenção de Deficiências Visuais".

A elaboração da diretriz foi coordenada por Andréa Zin, Célia Nakanami, Enia Maluf Amui, Ione Maria Fonseca de Melo, Liana Oliveira Ventura e Nicole Gianini

Faça download da diretriz no link abaixo

Diretriz


ANS divulga novo índice de reclamações dos usuários de planos de saúde

Com o objetivo de permitir aos usuários de planos de saúde comparar a atuação de seus respectivos planos, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou em seu site (www.ans.gov.br) o Índice de Reclamações dos usuários de planos de saúde.

Com uma nova metodologia de cálculo, o índice passou a considerar a média de recla-mações dos beneficiários dos planos privados de saúde contra uma operadora com regis-tro ativo na ANS nos últimos seis meses e a média do número de beneficiários desta operadora no mesmo período. As reclamações são computadas pela agência por meio do Disque ANS (0800 701 9656), do formulário eletrônico em seu site, por carta ou pre-sencialmente em um dos 12 núcleos da entidade espalhados pelo País.

Para saber mais detalhes sobre o cálculo do índice, clique aqui.

Confira o Índice de Reclamações clicando aqui.

Além do Índice de Reclamações, a ANS passa a disponibilizar uma consulta relativa ao total de reclamações de beneficiários no ANS Tabnet, um sistema desenvolvido pelo Datasus/MS que permite a tabulação de dados disponíveis nos sistemas de informações da ANS.

Essa plataforma permite consultar o total de reclamações  por operadora, modalidade e porte das operadoras ou ainda por local de residência do beneficiário ou tipo de contra-tação do plano de saúde.


Saúde destina R$ 650 milhões para o SUS em 2012

Com o objetivo de reduzir as filas do Sistema Único de Saúde (SUS) e manter em crescimento o número de cirurgias eletivas realizadas no País, o Ministério da Saúde ampliou o valor destinado aos estados e municípios em 2012, para R$ 650 milhões, o que representa crescimento de 100% se comparado com o valor destinado em 2011. De acordo com dados do Ministério, foram 345.834 mil cirurgias eletivas realizadas pelo SUS em 2011.

"O aumento no repasse de recursos visa estimular a realização de cirurgias. No ano passado, instituímos a política para garantir a antecipação dos recursos aos estados e municípios para que eles pudessem contratar um número maior de serviços para a realização de mutirões", destaca o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Ainda segundo o Ministério, os estados brasileiros e o Distrito Federal receberão os recursos, em parcela única, para o período de um ano, e serão aplicados nas especialidades de maior demanda e naquelas escolhidas pelos gestores locais; Além disso, do total disponibilizado, R$ 50 milhões serão destinados aos municípios com 10% ou mais de sua população em situação de extrema pobreza.

"Estamos dando um importante passo para reduzir o tempo de espera do paciente. Além disso, estamos inovando ao priorizar os municípios com populações de extrema pobreza, que necessitam de maior atenção por parte do governo", avalia Padillha.
 

CIRURGIAS PRIORITÁRIAS

Do total de investimento previsto, R$ 600 milhões estão destinados às cirurgias eletivas selecionadas como prioritárias, de acordo com as demandas apresentadas pelos estados. São R$ 180 milhões para realização de cirurgia de catarata e R$ 210 milhões para tratamento de varizes, cirurgias ortopédicas e nas áreas de urologia, oftalmologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas. Outros R$ 210 milhões atenderão as demandas apresentadas pelos gestores estaduais, conforme a realidade de suas regiões.

Confira os recursos destinados aos estados e municípios



CFM alerta à população: nada mudou com os vetos à lei do Ato Médico

Com os vetos da presidente Dilma Rousseff ao projeto de lei do Ato Médico, dúvidas começaram a surgir sobre as prerrogativas e competências dos profissionais de medicina. O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nesta sexta-feira (12) um Alerta à População no qual esclarece que os vetos presidenciais não implicam em ampliação das competências e atribuições das outras 13 categorias da área da saúde.

Os médicos continuam a ser responsáveis pelo diagnóstico de doenças e prescrição de tratamentos, sendo que os outros profissionais atuarão unicamente dentro do escopo de suas respectivas legislações e conforme jurisprudência dos Tribunais Superiores, esclarece a nota.

O Alerta à População explica, ainda, que as únicas exceções possíveis estão dentro dos protocolos definidos pelo Ministério da Saúde que regulam programas de combate e prevenção a doenças, como tuberculose, dengue, malária, hanseníase, entre outras. Quem realizar atos de diagnóstico e prescrição fora destas situações específicas, deve ser denunciado e, se condenado, pode receber pena de seis meses a dois anos de prisão, conforme estabelece o Código Penal.

Além de tranquilizar a população, que continuará a ter os médicos como únicos habilitados a fazer diagnósticos e prescrições de tratamentos, o CFM informa que continuará insistindo, no Congresso Nacional, pela derrubada dos vetos à lei do Ato Médico.

A íntegra do documento é a seguinte:

ALERTA À POPULAÇÃO

Brasília, 12 de julho de 2013.

Diante de equívocos divulgados pela imprensa e nas redes sociais, o Conselho Federal de Medicina (CFM) esclarece que:

1) Os vetos ao projeto de Lei do Ato Médico não implicam em ampliação das competências e atribuições das outras 13 categorias da área da saúde;

2) Os médicos continuam a ser responsáveis pelo diagnóstico de doenças e prescrição de tratamentos, sendo que os outros profissionais atuarão unicamente dentro do escopo de suas respectivas legislações, conforme jurisprudência dos Tribunais Superiores;

3) As únicas exceções possíveis estão dentro dos protocolos definidos pelo Ministério da Saúde que regulam programas de combate e prevenção a doenças como tuberculose, dengue, malária, hanseníase, entre outras;

4) Pessoas que realizem estes atos de diagnóstico e prescrição fora destes contextos específicos devem ser denunciadas às autoridades por exercício ilegal da Medicina, crime previsto no Código Penal com penas que vão de seis meses a dois anos de prisão;

5) Os pacientes devem ficar tranquilos, confiar sua saúde aos médicos, que têm assumido papel chave na assistência, e cobrar dos gestores o investimento necessário para qualificar os serviços públicos de saúde.

Os Conselhos de Medicina ressaltam que estão atentos às possíveis irregularidades e informam à população e aos médicos que se desdobrarão para a derrubada de todos os 10 vetos presidenciais no Congresso, ainda em agosto, como parte de seu esforço pela proteção e segurança dos pacientes.

Conselho Federal de Medicina (CFM)


TV franco-alemã inova e dedica papel principal a portadora de deficiência visual

Com uma pauta diferenciada, o canal de TV franco-alemão Arte dedicou parte de sua programação para um programa de reportagens realizadas por uma jornalista cega. A atração, nomeada "Dans Tes Yeux" (Nos Teus Olhos, em tradução literal), consiste na volta ao mundo da jornalista Sophie Massieu em companhia de seu Cão Guia Pongo.

Em seu percurso de 10 meses, ela visitou 40 cidades de 23 países, entre eles o Brasil. Durante as viagens, Sophie utilizou diferentes meios de transportes convencionais, como o avião, trens, barcos, motocicletas, e, também, meios exóticos como o balão e até um camelo.

"Nunca pensei que fosse montar na garupa de uma Vespa segurando um cachorro", diz ela, que circulou pelas ruas de Nápoles, na Itália, com o dálmata Pongo em seu colo na moto.

A série de reportagens será exibida diariamente até o final de abril. Os programas sobre o Brasil serão apresentados nos dias 16 e 23 de abril

Confira matéria na íntegra acessando o site da BBC Brasil.


AMB entrevista movimento “Revalida, SIM!”

Confira a entrevista do movimento "Revalida, SIM!" à Associação Médica Brasileira (AMB). A iniciativa surgiu em protesto contra a importação de médicos e deve realizar protesto nas ruas de Brasília no próximo sábado, 25 de maio.

Veja a entrevista aqui.


Comunicado CBO

Confira abaixo o posicionamento oficial do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, enviado ao Deputado Estadual pelo Partido Solidariedade (SDD/SE), Laércio Oliveira, referente ao projeto de lei 7177/14.

Exmo. Sr. LAÉRCIO OLIVEIRA
Deputado Federal - SDD/SE


Ref.: Posicionamento ao PL 7177/14, que "Altera a Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989 - Enquadra a pessoa portadora de visão monocular como deficiente para fins de preenchimento da cota de portadores de deficiência em empresas".

Prezado Deputado,

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia vem mui respeitosamente posicionar-se oficialmente em relação ao PL 7177/14, de vossa autoria, que trata do enquadramento da pessoa portadora de visão monocular como deficiente para fins de preenchimento da cota de portadores de deficiência em empresas, conforme abaixo segue:

Pelo Decreto Lei nº 5.296 publicado no Diário Oficial da União de 04/12/2004, a deficiência visual compreende a cegueira, na qual a acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor olho com a melhor correção óptica; a baixa visão, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho e com correção óptica, a situação na qual a somatória da medida do campo visual ou em ambos os olhos for igual ou menor que 60º, ou a ocorrência simultânea de qualquer das condições anteriores.

Segundo o CID 10 (tabela em anexo), a pessoa com visão monocular não é considerada deficiente visual.

Portanto, a pessoa com visão monocular não pode ser considerada Deficiente Visual.

Cumpre notar que a pessoa com visão monocular não deve ser contemplada pela Lei de Cotas ou outros benefícios legais (transporte, tributários, previdência social), por apresentarem desempenho visual normal não necessitando utilizar recursos especiais, quer sejam ópticos ou tecnológicos, para sua adaptação ao trabalho e/ou para suas atividades cotidianas. Além disso, dificultaria ainda mais a inclusão de pessoas cegas e com baixa visão no mercado de trabalho, deixando-as em desvantagens e a margem da sociedade, além das vivenciadas atualmente.

Manifestando respeito e consideração, estamos a disposição,

Cordialmente,

Dr. Milton Ruiz Alves
Presidente


Carta Aberta à ANS, aos médicos e à sociedade

Confira na íntegra o material publicado pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Os médicos, por meio de suas entidades representativas nacionais, tornam pública sua posição contrária ao conteúdo da Resolução Normativa expressa na Consulta Pública 54/2013, proposta pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

A formatação final desta Consulta Pública não contemplou ou reproduziu as discussões e demandas sobre contratualização, levadas à ANS pelos médicos desde abril de 2012, quando se iniciaram as discussões.

A temática proposta não atende ao previsto na Agenda Regulatória da própria ANS para 2013/2014, no que diz respeito aos médicos, e não resolve os conflitos entre operadoras e prestadores médicos na Saúde Suplementar. Pelo contrário, nomeada de "boas práticas", cria uma maior interface de problemas.

A ANS foge de seu dever legal de mediar a relação entre os agentes do setor, não produzindo a necessária segurança jurídica que se daria através de uma real contratualização.

A ANS propõe soluções chamadas de "boas práticas", que beneficiarão os planos de saúde, e tenta, nesta proposta de Resolução, impedir o recurso dos médicos à Justiça, direito fundamental na democracia.

Assim, face ao item três da Agenda Regulatória da ANS - "relacionamento entre operadoras e prestadores" -, constatamos a exclusão dos itens dos prestadores médicos na solução proposta. Portanto, sem sua incorporação na discussão, veremos editada pela Agência uma norma que, de forma unilateral, não atende aos médicos e não oferece a necessária segurança ao atendimento final dos nossos pacientes.

São Paulo, 14 de fevereiro de 2014.


Dê uma olhada nisso: cuidado com o Glaucoma

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) o glaucoma é a segunda principal causa de cegueira irreversível no mundo. A doença se torna ainda mais perigosa por não apresentar sintomas como dor ou vermelhidão na maior parte dos casos, o que contribui para que demorem a ser identificados, aumentando as chances de cegueira.

Com o objetivo de esclarecer à população sobre os perigos do Glaucoma e oferecer um canal digital que prioriza informar os principais indícios, as causas da doença, a importância do diagnóstico precoce e seu tratamento, a Sociedade Brasileira de Glaucoma elaborou um importante portal na internet e um blog voltados exclusivamente para esta doença.

Acessando o site http://www.cuidadocomoglaucoma.com.br/, o cidadão pode navegar por diferentes páginas e descobrir, em dicas úteis e simples, o que precisa ser feito para identificar a possível doença. O portal é constantemente atualizado, portanto, divulgue a iniciativa para todos e não esqueça: O glaucoma é irreversível, mas, com a identificação precoce e o tratamento adequado é positivamente tratável e controlável.

A Sociedade Brasileira de Glaucoma é filiada ao Conselho Brasileiro de Oftalmologia.


Audiência pública debaterá os rumos da Medicina

Deputados e senadores convocaram, para o dia 2 de abril, uma audiência pública para discutir o futuro da medicina no país. A decisão veio a o pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), após uma reunião no Ministério da Educação (MEC), durante a qual se propôs o aumento do número de vagas em cursos de Medicina.

O CFM afirma pretender ?mobilizar o maior número de entidades médicas e profissionais da classe? para o debate.

Veja matéria completa no portal do CFM


Relator publica parecer pela rejeição da PL 7063/2002

Desde 2002 encontra-se na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 7063/2002 que dispõe sobre o exercício profissional de Técnico em Óptica e dá outras providências. O PL tem autoria de Arnaldo Faria de Sá, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB-SP).

O PL tramita na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) e ontem, 27/02, o relator Roberto Policarpo Fagundes, Deputado pelo Partido dos Trabalhadores (PT-DF), publicou parecer pela rejeição do projeto de lei.

Clique aqui e confira o veto do relator na íntegra.

Clique aqui e confira todas as publicações referente ao PL desde 2002

A pauta ainda será julgada pela comissão do CTASP em futuro próximo.


Operadoras têm 48 horas para justificar negativas de procedimentos

Desde o dia 7 de maio, todos os planos de saúde que se negarem a cobrir procedimentos médicos terão de apresentar justificativa por escrito, caso o paciente o solicite. Após o pedido do paciente, a operadora terá 48 horas para apresentar o motivo. A justificativa deve indicar claramente qual cláusula contratual justifica a recusa.

A multa para a operadora que não apresentar justificativa no tempo limite pode chegar a 30 mil reais, enquanto a punição máxima por negação indevida de procedimento é de 80 mil reais. Em casos de emergência, a multa pode atingir os 100 mil reais.

Veja matéria completa no Portal da Saúde.


Senadores propõem atrair médicos estrangeiros ao interior do país

Diante da ?insustentável? escassez de médicos em várias partes do país, os senadores Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Roberto Requião (PMDB-PR) propõem a atração de profissionais estrangeiros e apresentam, ambos, projetos regulamentando a aceitação de diplomas expedidos no exterior após avaliação do curriculum. No estado da senadora, apenas 12 dos 61 municípios contam com médicos especialistas.
Vanessa afirma lamentar que tantas associações de medicina no país se posicionem contrariamente à medida e lhes cobra outra solução. Requião conclama o Senado a ignorar o que classifica com ?lamentos corporativos?, o que ?não é útil para o país?.

Veja matéria completa aqui.


Inscrição a preços promocionais para o XX Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual

Durante o Simpósio Internacional Moacyr Álvaro, que será realizado de 08 a 10 de março, no Maksoud Plaza Hotel (São Paulo ? SP), o Conselho Brasileiro de Oftalmologia manterá um estande na área de exposição comercial.

Neste espaço exclusivo, os associados do CBO poderão inscrever-se para o XX Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual pelo preço promocional de R$ 300,00.

O XX Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, o mais importante evento oftalmológico do ano, ocorrerá no Parque Anhembi, em São Paulo (SP), de 12 a 15 de setembro.

Mais informações acesse o site oficial do evento


Censo Médico. Participe!

Durante os meses de julho e agosto, a Associação Médica Brasileira (AMB) estará realizando o Censo AMB 2013, pesquisa com assessoria da consultoria Ernst & Young, que buscará conhecer o perfil dos médicos brasileiros com o objetivo de contribuir para desenvolver novas políticas de saúde.
Para responder a pesquisa o médico deve acessar o site www.amb.org.br/censoamb2013/


Saúde ocular na volta às aulas

E na volta às aulas é hora de prestar atenção em um detalhe importante: os problemas de visão das crianças. Os casos que não recebem o tratamento adequado podem vir a atrapalhar o rendimento no aprendizado dos pequenos.

Clique aqui e veja matéria publicada hoje no Jornal do SBT Manhã, que conta com a participação do Presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Milton Ruiz Alves.


Resposta do CBO ao artigo publicado na Folha de S. Paulo em 10/06

Em 10 de junho, o jornal Folha de S. Paulo publicou artigo de Hélio Schwartsman no qual, citando a publicação "The Economist", defende a prescrição de lentes de grau por optometristas, a realização de partos por enfermeiras e o diagnóstico de algumas doenças por fonoaudiólogos. (veja o artigo aqui)

O atual presidente do CBO, Marco Antônio Rey de Faria e o presidente da gestão 2003/05, Elisabeto Ribeiro Gonçalves, responderam ao artigo em correspondência enviada ao jornal, mostrando, com elegância,  a falácia dos argumentos utilizados pelo articulista e os danos que resultariam, na parte relacionada com a saúde ocular, caso as providências sugeridas fossem adotadas.

Para acessar a resposta do CBO, clique no link abaixo

Posição do CBO

 


Parlamentares do Rio se comprometem com Ato Médico

Em 12 de agosto, o Conselho Regional de Medicina do Rio de janeiro promoveu uma reunião com o deputado federal Rodrigo Maia (DEM) para discutir a posição do parlamentar sobre os vetos presidenciais à Lei do Ato Médico. O deputado comprometeu-se a votar para derrubar os vetos.

Neste mesmo dia, houve outra reunião promovida pelo CREMERJ onde estiveram presentes os deputados Jandira Feghali (PC do B)  e Miro Teixeira (PDT).

Os senadores Francisco Dornelles (PP), Lindberg Farias (PT) e Eduardo Lopes (PRB) também se comprometeram a derrubar o veto presidencial.


Criada comissão mista para analisar veto presidencial à Lei do Ato Médico

Em 17 de julho, o senador Sérgio Souza (PMDB-PR) leu os nomes dos parlamentares que integram a comissão mista destinada a relatar o veto parcial da presidente Dilma Rousseff ao projeto de lei do Ato Médico, aprovado pelo Senado no mês passado.

A proposição, que tramitou por quase doze anos no Congresso regulamenta a atividade médica. Foi tema de 27 audiências públicas e as entidades médicas consideram que os vetos presidenciais distorceram todo o projeto. Entre os vetos presidenciais está o do artigo que preconizava a prescrição de órteses e próteses oftalmológicas como atividade exclusiva do profissional médico.

Para compor a comissão foram designados os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Lúcia Vânia (PSDB-GO), e Gim (PTB-DF). Os deputados escolhidos para o colegiado foram: André Vargas (PT-PR), Darcísio Perondi (PMDB-RS), Eduardo Barbosa (PSDB-MG), Eleuses Paiva (PSD-SP) e Arnon Bezerra (PTB-CE).

Embora a comissão mista tenha a tarefa de analisar as manifestações do Poder Executivo, a decisão caberá ao Congresso Nacional que, em agosto, deve realizar reunião conjunta de senadores e deputados para votar se mantém, ou não, os vetos presidenciais. Os vetos só serão derrubados com o voto de, no mínimo, 257 deputados e 42 senadores.


Movimento médico terá Dia de Alerta em 25 de abril

Em 1º de março, na sede da Associação Paulista de Medicina, em São Paulo, foi realizada a primeira reunião do ano da Comissão Nacional de Saúde Suplementar (COMSU).



Participaram desta reunião ampliada ? coordenada pela Associação Médica Brasileira, Conselho Federal de Medicina e Federação Nacional dos Médicos -  lideranças médicas representando associações médicas, sindicatos, sociedades de especialidade de todos os Estados com o objetivo de debater estratégias e definir o cronograma de atividades do movimento médico  no setor da saúde suplementar em 2013.

Os principais eixos de ação do movimento serão reajustes de consultas e procedimentos; contratualização; Hierarquização da CBHPM;projetos de lei em tramitação envolvendo os pontos de ação.

Segundo o cronograma definido, o movimento terá início no mês de abril, com a realização de assembleias estaduais para definição da pauta de reivindicações. No mesmo mês, foi definido o dia 25 para o início da mobilização com a realização do Dia Nacional de Alerta. Ficará a critério das Comissões Estaduais de Honorários a definição do tipo de ação a ser realizada neste dia: coletivas à imprensa, assembleias, manifestações de rua, entre outros, porém todas com foco único - apresentar à população  a insatisfação dos médicos em relação às operadoras de saúde. Os meses de maio, junho e julho estão reservados para as negociações com empresas. Em agosto deverão ser realizadas as assembleias estaduais para avaliação dos resultados das negociações e, em setembro, nova reunião ampliada da Comsu para decisões.

(Informação recolhida no site da Associação Médica Brasileira)


Cartas de avaliação do SUS

Em 2012, o Ministério da saúde enviou mais de dez milhões de cartas encorajando os usuários a avaliarem o atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). As cartas são enviadas com porte pago e os usuários, em suas respectivas respostas, também podem denunciar eventuais irregularidades, elogiar ou fazer sugestões. As cartas podem ser respondidas gratuitamente por correio, internet ou telefone. Além disso, o Ministério também disponibiliza seu serviço de ouvidoria (www.saude.gov.br/ouvidoria) através do qual o usuário pode comunicar-se diretamente com as autoridades responsáveis pela saúde no País. Mais informações podem ser obtidas no site
http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/noticia/8806/162/ministerio-da-saude-envia-mais-de-10-milhoes-de-carta-sus.html


4 de Janeiro é Dia Mundial do Braille

Em 4 de janeiro comemora-se o Dia Mundial do Braille, sistema de leitura e escrita para cegos mais usado no mundo. A data é homenagem a Louis Braille, que nasceu em 4 de janeiro de 1809, na França. Filho de um artífice de couros, o pequeno Louis passava seu tempo brincando na oficina do pai e, aos três anos, furou o olho com uma das ferramentas e desenvolveu uma infecção que terminaria por cegá-lo. Em 1824, com apenas 15 anos, desenvolveu um sistema de escrita e leitura baseado em técnicas usadas pelo exército de Napoleão para se comunicar à noite sem usar sons ou luz.

O Braille consiste numa série de seis pontos em relevo que se combinam de várias formas para representar letras do alfabeto, números e notas musicais além de símbolos científicos, matemáticos e da informática.

O Braille chegou ao Brasil em 1850 com o cego José Álvares de Azevedo e do médico José Francisco Xavier Sigaud (que tinha uma filha cega) que convenceram o então Imperador Pedro II a criar o Instituto dos Meninos Cegos do Brasil, embrião do atual Instituto Benjamin Constant. (para mais informações, visite o site http://www.ibc.gov.br/)


Participe do SIDUO 2012

Em dezembro deste ano de 2012, nós seremos anfitriões do encontro mais importante do ultrassom e imagem em Oftalmologia, o Congresso SIDUO, que será realizado em São Paulo, Brasil.

Sem dúvidas, para aqueles que têm participado nos Congressos SIDUO, esta será uma oportunidade de atualizar seus conhecimentos em ecografia oftálmica, biometria, tomografia de coerência óptica e outros métodos de imagem em oftalmologia, além de visitar nosso País que tem muitas atrações interessantes.

Para os nossos colegas do Brasil, da América do Sul e América Latina, principalmente para aqueles que nunca participaram de reuniões SIDUO, esta será uma oportunidade única de conhecer um grande número dos mais notáveis especialistas em ultrassonografia oftálmica, biometria e métodos de imagem em oftalmologia de todo o mundo.

Em referência ao programa científico, é importante ressaltar o fato de que a alta qualidade das palestras geralmente apresentadas nos congressos SIDUO, além da discussão interativa das palestras promovidas pelos participantes, tornam a reunião extremamente atraente para aprimorar o nosso conhecimento científico.

O Comitê Organizador e o Comitê Científico estão fazendo o melhor para levar ao cabo a tarefa que foi honrosamente confiada a nós.

Juntem-se a nós em dezembro de 2012, em São Paulo, Brasil, com  sua participação no XXIV Congresso SIDUO. A sua presença irá contribuir muito para o sucesso da reunião.

Ansiosos para vê-los em São Paulo, Brasil em dezembro de 2012,

Alberto Jorge Betinjane
Honorary President XXIV SIDUO 2012 Congress |São Paulo | Brazil

Norma Allemann
President XXIV SIDUO 2012 Congress |São Paulo | Brazil


MS e ANS ampliam critérios para suspensão de planos de saúde

Em face de múltiplas reclamações de médicos e pacientes, o Ministério da Saúde (MS) e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiram ampliar os critérios para suspensão temporária dos direitos de comercialização de planos. A decisão se deu após a entrega de um novo relatório de monitoramento pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal. O relatório traz os resultados de uma pesquisa realizada entre 19 de dezembro de 2012 e 18 de março deste ano.

As operadoras que não cumprirem com os termos da ANS estão sujeitas a multas entre R$ 80 mil a R$ 100 mil, sendo as reincidentes passíveis de medidas como suspensões parciais ou totais e afastamento dos dirigentes.

Veja matéria completa no Portal da Saúde.


Retina Brasil incentiva participação em consulta pública

Encontra-se aberto o acesso à Consulta Pública feita pela Agência Nacional de Saúde (ANS) para atualização da Resolução Normativa que define o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde.

Dispõe sobre a referência básica para cobertura mínima obrigatória da atenção à saúde nos planos privados de assistência a saúde, contratados a partir de 1º de janeiro de 1999, e naqueles adaptados conforme a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998.

As Consultas Públicas são discussões de temas relevantes, abertas à sociedade e realizadas através da pagina da Agência Nacional de Saúde. Na Consulta Pública, que funciona com tempo determinado, a ANS busca ouvir a população e obter subsídios para o processo de tomada de decisão. Espera-se assim, tornar as ações governamentais mais democráticas e transparentes. A Consulta Pública deve contar com a participação, tanto de cidadãos quanto de setores especializados da sociedade, como sociedades científicas, entidades profissionais, organizações não governamentais, professores e pesquisadores de universidades e institutos de pesquisa e representações do setor regulado (planos de saúde).

 A organização Retina Brasil incentiva a todos a enviarem opiniões e considerações para tentar garantir o direito ao acesso ao tratamento disponível aos pacientes com retinopatia diabética através dos seus planos de saúde.

No Rol de Procedimentos que está em vigor, o tratamento ocular quimioterápico com antiangiogênico (com diretriz de utilização) para a degeneração macular relacionada à idade ? DMRI já está garantido ao paciente com plano de saúde e a Retina Brasil considera importante que este procedimento seja expandido também aos portadores de retinopatia diabética.

 Para dar a sua contribuição nesta causa, manifestando o seu papel de cidadão acesse o link http://www.ans.gov.br/participacao-da-sociedade/consultas-publicas


Reunião discutirá o futuro da medicina

Entidades médicas de todo o Brasil se reunirão em 2 de abril de 2013 para discutir temas de interesse da categoria. Os assuntos a ser abordados incluem políticas públicas, financiamento, formação médica, atuação de profissionais estrangeiros no país e a distribuição irregular de médicos pelo país.
Veja matéria completa no portal do Cremesp.


Esclarecimento da Sociedade Catarinense de Oftalmologia

Esclarecimento da Sociedade Catarinense de Oftalmologia (SCO) para a reportagem, publicada no Correio Lageano em 21/01/2014, intitulada: "Oftalmologista ou optometrista, o que difere esses profissionais?".

A Sociedade Catarinense de Oftalmologia avalia a reportagem publicada neste jornal no dia 21 de janeiro de 2014 de tendenciosa e distorcida. As leis que regem o exercício da medicina não reconhecem o ato de examinar o aparelho visual por outros profissionais que não sejam médicos. O decreto 24.492/1934 que se encontra em vigor e resguarda a população trás o seguinte texto: "O estabelecimento de venda de lentes de grau só poderá fornecer lentes de grau mediante apresentação da fórmula ótica pelo médico". Entre os atos permitidos ao ótico prático não se insere ao de realizar exames oftalmológicos segundo a mesma lei.

Os profissionais oftalmologistas, médicos, são as únicas pessoas com formação adequada para diagnosticar as 3.892 doenças que podem afetar os olhos, assim como a causa de problemas e o efeito de medicações aplicadas para os olhos. A organização mundial da saúde (OMS) classifica a miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia como doenças, da mesma forma que existem alterações relacionadas a estas doenças que só o médico oftalmologista poderá avaliar.

A classe médica e SCO classificam a prática da optometria associada à venda casada de óculos como de cunho comercial, muitas vezes desnecessária e antiética. E o que está se observando muitas vezes é o agravamento de vários problemas oculares não diagnosticados no momento em que houve uma queixa da visão, por conta de avaliações superficiais e por pessoas despreparadas. A população mal informada muitas vezes procura fácil resolução de seu problema em estabelecimentos que oferecem este tipo de serviço resultando em graves consequências.

Então exija do profissional que irá tomar cuidado da sua saúde dos seus olhos, o registro no conselho de medicina (CRM) e o devido registro de qualificação de especialista (RQE) emitido somente após comprovação de residência médica na área da Oftalmologia e de rígidas provas. Fique atento, evite problemas com os olhos que lhe permitem ver o mundo!

Sociedade Catarinense de Oftalmologia
Diretoria


Clique no link abaixo e veja o PDF com a matéria citada.

Matéria Correio Lageano


AMB mantém hotsite “Casa mais Segura”

Estar em seu ambiente domiciliar é desejo de boa parte dos brasileiros, principalmente após intensa jornada de trabalho ou nas merecidas folgas semanais. Porém, o lar é foco de diversos acidentes domésticos, que podem causar até mesmo a morte.

Com o intuito de levar informações para médicos, profissionais da saúde e a população em geral, a Associação Médica Brasileira (AMB) desenvolveu o hotsite "Casa mais Segura", onde reúne uma série de medidas preventivas e possibilidade de impressão de materiais didáticos, elaborados por diversas sociedades de especialidades em parceria com o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo e o Proteste, visando reduzir essas ocorrências que ainda são a maior causa de mortalidade em crianças e idosos.

A iniciativa foi idealizada por Rogério Toledo Júnior que, depois de passar por um acidente doméstico grave, criou a Comissão de Prevenção de Acidentes Domésticos, na AMB.

Navegando pelo Hotsite (www.casamaissegura.com.br), o visitante encontra diversas dicas de como cada cômodo de uma casa normal deve estar preparado, assim como devem ser posicionadas as decorações e demais utensílios diários. O site ressalta a preocupação com aparelhos elétricos e de corte.

Em outra seção do portal, é possível fazer a impressão de cartilhas voltadas para o adulto e também para crianças, o que reforça a conscientização de todos.


Números da Saúde Suplementar disponíveis

Está disponível a quarta edição do FOCO ? Saúde Suplementar. Os dados são de setembro de 2012 e revelam o número de cidadãos atendidos por planos de saúde no país em 25,1%, aumento considerável em comparação a 2002, quando esse índice era de 18,1%. Como seria de se esperar, a maior concentração de pessoas com acesso a convênios localiza-se nas regiões metropolitanas. Em São Paulo (SP), por exemplo, esse número é de 53,6%, enquanto o Rio de Janeiro (RJ) atinge a marca de 42,8%. Os beneficiados por planos coletivos regulamentados também aumentou.
A edição aponta, ainda, o número do IPCA no Brasil em 5,28%. Mais uma vez, o índice das capitais supera a média nacional. A única exceção foi São Paulo.

Veja matéria completa no portal da ANS.


Boletim da Comsu avalia cenários da saúde suplementar

Está disponível no Portal Médico o Boletim nº 27 da Comissão Nacional de Saúde Suplementar (Comsu). O informe traz detalhes sobre a tramitação do PL 6.964/10, que estabelece critérios para a adequada contratualização da relação entre operadoras e médicos, entre outros pontos. Graças à mobilização de médicos e lideranças de todo o país e a articulação política das entidades nacionais, o projeto seguiu para o Palácio do Planalto, onde aguarda a sanção presidencial.

A publicação eletrônica traz também a avaliação das entidades médicas locais sobre as negociações com as operadoras de planos e destaca ainda os possíveis desdobramentos do movimento para o segundo semestre de 2014. A edição destaca ainda informações da reunião ampliada da Comissão, realizada em 23 de maio, quando lideranças médicas de todo o país se reuniram em Brasília para discutir os principais temas de interesse da categoria. No em encontro, foi aprovada uma Carta Aberta de repúdio à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

O Boletim está disponível na seção Informes Comsu e pode ser acessado aqui

* Fonte: portal.cfm.org.br


Vaga para Curso de Especialização em Oftalmologia em Sergipe

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Curso de Especialização em Oftalmologia ofertado pelo Hospital de Olhos de Sergipe (HOS), para o preenchimento de uma vaga.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 24 de janeiro. A especialização do HOS é a única do estado de Sergipe em oftalmologia, tem três anos de duração e é certificada pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

A prova teórica e tradução de texto (inglês) serão realizadas no dia 07/02 e a análise do currículo, entrevista e teste psicotécnico no dia 08/02. Mais informações podem ser obtidas no site do HOS (www.hosergipe.com.br) ou através do telefone (79) 3212-0835.


Área do Congressita: uma infinidade de possibilidades para facilitar sua vida no Congresso de São Paulo

Faltam menos de dois dias para o início do Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado em São Paulo. A organização do evento pensou em todos os detalhes para transformar o Anhembi Parque em um completo polo de emissão do mais atual conteúdo científico da especialidade.

Como o evento possui proporções gigantescas, serão mais de 350 horas aulas, a Comissão Executiva preparou algumas ferramentas que visam facilitar a locomoção dos congressistas e palestrantes, com o objetivo de potencializar o estudo da oftalmologia. Todas as ferramentas estão dispostas na área do congressista. Confira abaixo:

Agenda de Participação Científica

Neste material estão disponíveis todas as atividades dos palestrantes do evento, com informações básicas necessárias sobre onde e quando devem ser ministradas as aulas. O palestrante deve acessar este menu sempre que houver dúvidas. Também é possível imprimir e visualizar este guia nas versões resumida e completa.

Meu Congresso

Outra importante ferramenta é o menu ?Meu Congresso?. Nele é possível elaborar e agendar as principais atividades do evento, de acordo com os interesses de cada congressista, funcionando como um roteiro personalizado.

Após finalizar as inserções, é possível imprimir o roteiro descrito, ou, acessar a ferramenta diretamente na sua área do congressista. Com esses dados em mãos, suas chances de otimizar o tempo e potencializar os estudos são enormes.

Importante

O número de inscrição no Congresso é fundamental e será solicitado na retirada do material na secretaria local do Congresso (Hall Nobre 3, do Palácio de Convenções do Anhembi).Portanto, acesse a sua área do congressista, que o mesmo poderá ser visualizado neste espaço verde, como mostra a foto abaixo.

Visite o site oficial do Congresso e acesse a área do congressista.


Brasil terá centro de treinamento de cão-guia mantido pelo governo em Santa Catarina

Financiado e mantido pelo Governo Federal está sendo construído, pelo Instituto Federal Catarinense, em Camboriú (SC), um centro de treinadores de cães guias. A obra, que deve ficar pronta no segundo semestre de 2012, tem o custo total avaliado em R$ 3,1 milhões.

Assim que construído, o local tem a expectativa de formar cinco profissionais por turma, que ficarão responsáveis pelo treinamento de até seis animais, que posteriormente serão encaminhados aos instrutores.

Apenas as raças Labrador Retriever e Golden Retriever podem ser treinadas para cães-guia. Passados 45 dias do nascimento, os filhotes são encaminhados a famílias que ficam responsáveis pela socialização do cachorro e realizam todas as atividades como parte integrante da família.

Passada essa fase, os cães são levados para os centros de treinamento. E só ficam aos cuidados dos deficientes visuais depois de dois anos de iniciado o processo.

Confira matéria completa no site do R7


O que seu plano de saúde deve cobrir?

Fique atento para o que seu plano deve cobrir, em que estabelecimentos, durante que período e em que localidades do Brasil.







Consultas, exames e tratamentos


A ANS define uma lista de consultas, exames e tratamentos, denominada Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que os planos de saúde são obrigados a oferecer, conforme cada tipo de plano de saúde - ambulatorial, hospitalar com ou sem obstetrícia, referência ou odontológico. Essa lista é válida para os planos contratados a partir de 02 de janeiro de 1999, os chamados planos novos. É válida também para os planos contratados antes dessa data, mas somente para aqueles que foram adaptados à Lei dos Planos de Saúde. Antes de verificar se você tem direito a um procedimento, não deixe de checar qual o tipo de plano de saúde você tem.

 

Confira mais informações sobre a cobertura mínima obrigatória em vigor.






Hospitais, laboratórios e médicos


Você deve notar dois pontos principais sobre a rede de hospitais, laboratórios e médicos conveniados ao seu plano.

O primeiro ponto é que nem todos os planos têm direito à internação hospitalar. Os planos que dão direito à internação hospitalar são os de tipo hospitalar com obstetrícia, hospitalar sem obstetrícia ou plano referência. Veja no seu contrato qual é o tipo do seu plano.

O segundo ponto é a rede credenciada que seu plano cobre. Avalie bem na hora de contratar o plano de saúde quais são os hospitais, laboratórios e médicos a que você terá direito pelo seu plano. Especificamente sobre os hospitais, fique atento: sua operadora de plano de saúde só poderá descredenciá-los em caráter excepcional. Nesses casos, é obrigatório substituir o hospital descredenciado do plano por outro equivalente e comunicar essa mudança ao consumidor e à ANS com 30 dias de antecedência, exceto nos casos de fraude ou infração sanitária ou fiscal por parte do hospital retirado do convênio. Caso a operadora opte por descredenciar um hospital sem substituí-lo por outro equivalente, só poderá efetivar e comunicar a redução da rede hospitalar aos beneficiários após autorização da ANS.






Cobertura a órteses e próteses


Em contratos não regulamentados pela Lei nº 9.656, de 1998, é frequente haver exclusão de cobertura a órteses e próteses.

Órtese é todo dispositivo permanente ou transitório, utilizado para auxiliar as funções de um membro, órgão ou tecido, evitando deformidades ou sua progressão e/ou compensando insuficiências funcionais.

Prótese é todo dispositivo permanente ou transitório que substitui total ou parcialmente um membro, órgão ou tecido.

A Câmara Técnica de Implantes da Associação Médica Brasileira, da qual a ANS participa, realizou o trabalho de classificação destes materiais.

Nos planos regulamentados pela Lei nº 9.656, de 1998 é obrigatória a cobertura às próteses, órteses e seus acessórios que necessitam de cirurgia para serem colocados ou retirados (materiais implantáveis). No entanto, em seu artigo 10, a mesma Lei permite a exclusão de cobertura ao fornecimento de órteses e próteses não ligadas ao ato cirúrgico (ou não implantáveis), tais como óculos, coletes ortopédicos, próteses de substituição de membros.

Consulte aqui a lista completa de órteses e próteses implantáveis.

Consulte aqui a lista completa de órteses e próteses não-implantáveis.






Em que regiões do país seu plano poderá ser utilizado


Você deve verificar no seu contrato qual a área geográfica de cobertura do seu plano. Ela pode ser: nacional, estadual, grupo de estados, municípios e grupo de municípios.

Se ainda tiver alguma dúvida, por favor acesse nossa seção de "Central de Atendimento".

 

 

Dr. Nelson Louzada ? Coordenador da Comissão de Honorários Oftalmológicos do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e presidente da Federação das Cooperativas Estaduais de Serviços Administrativos em Oftalmologia (FeCOOESO)

 


Médicos estrangeiros devem ser avaliados antes de exercer sua profissão em território nacional

Foi esse o consenso atingido durante a audiência pública nesta quinta-feira, 15 de maio, por integrantes das Comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional e de Seguridade Social e Família da Câmara.

?Qualquer um que queira trabalhar nos Estados Unidos, Canadá ou qualquer país da Europa, tem que passar por avaliação criteriosa. E nós defendemos o Revalida como meio de avaliação?, diz Florentino Cardoso, presidente da Associação Médica Brasileira (AMB). Segundo Geraldo Ferreira Filho, presidente da Federação Nacional dos Médicos, o Revalida chega a reprovar 95% dos médicos formados no exterior.

Porém, Doutor Rosinha, presidente da Comissão de Seguridade Social e Família, questionou a rigidez do atual sistema de avaliação. Segundo ele, o Revalida só deve ser usado para profissionais que desejem estabelecer-se permanentemente no mercado de trabalho nacional. O deputado defende uma forma de avaliação alternativa para médicos que venham trabalhar temporariamente no país.

Veja matéria completa no portal da AMB.


Prorrogado prazo para inscrição no Exame de Suficiência para Obtenção do Título de Especialista

Foi prorrogado, nesta manhã, o prazo para a inscrição no Exame de Suficiência em Categoria Especial para obtenção do Título de Especialista CBO/AMB, que terminaria no final do dia de hoje (15/04). Agora, os médicos interessados em prestar o exame terão até 25 de abril para enviar documentação necessária e fazer o pagamento da inscrição.

A iniciativa foi implantada devido aos pedidos de quantidade considerável de oftalmologistas com intenção de prestar o exame, mas que não conseguiram completar sua inscrição e enviar os documentos para a sede do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, em São Paulo-SP, como determina o Edital.

Clique aqui e confira entrevista com a Secretária-Geral do CBO, Keila Monteiro de Carvalho, sobre a realização desta importante prova que tem como público-alvo os médicos que ainda não conquistaram o direito de emitir o Título de Especialista CBO/AMB.


Aprovada a contratualização pelos planos de saúde

Foi publicada hoje (25) no Diário Oficial da União uma alteração na Lei nº 9.656 que torna obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras de planos de saúde e seus prestadores de serviços.

De acordo com o texto, a inclusão de qualquer prestador de serviço de saúde como contratado, referenciado ou credenciado implica compromisso com os consumidores quanto à sua manutenção ao longo da vigência dos contratos. A substituição do prestador é permitida, desde que seja por outro prestador equivalente e mediante comunicação aos consumidores com 30 dias de antecedência.

A lei prevê que a condição de prestação de serviços de atenção à saúde no âmbito dos planos privados por pessoas físicas ou jurídicas, independentemente de sua qualificação como contratadas, referenciadas ou credenciadas, serão reguladas por contrato escrito, estipulado entre a operadora do plano e o prestador de serviço.

O documento deve estabelecer com clareza as condições para a execução do serviço, expressas em cláusulas que definam direitos, obrigações e responsabilidades das partes, incluindo:

- o objeto e a natureza do contrato, com descrição de todos os serviços contratados;

- a definição dos valores dos serviços contratados, dos critérios, da forma e da periodicidade do seu reajuste e dos prazos e procedimentos para faturamento e pagamento dos serviços prestados;

- a identificação dos atos, eventos e procedimentos médico-assistenciais que necessitem de autorização administrativa da operadora;

- a vigência do contrato e os critérios e procedimentos para prorrogação, renovação e rescisão;

- as penalidades pelo não cumprimento das obrigações estabelecidas.

A lei entra em vigor após 180 dias de sua publicação oficial.

De acordo com Napoleão Puente de Salles, Assessor Parlamentar do CBO, esta é uma vitória de todas as entidades médicas que não mediram esforços para impedir que adiamentos e recursos contra a aprovação na Câmara dos Deputados conquistassem êxito, dificultando a sanção presidencial da proposição.

"Como conseguimos? Com a atuação das Entidades Médicas e a união dos Médicos brasileiros, que se empenharam na pressão dos parlamentares nos municípios e nos estados, com telefonemas, e-mails e contato pessoal, foi a "pressão da base ao parlamento", que é irresistível ao parlamentar", reforça.

Veja abaixo a íntegra publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU).

LEI No 13.003, DE 24 DE JUNHO DE 2014

Altera a Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde, com a redação dada pela Medida Provisória no 2.177-44, de 24 de agosto de 2001, para tornar obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras e seus prestadores de serviços.

A P R E S I D E N T A D A R E P Ú B L I C A

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o O caput do art. 17 da Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998, com redação dada pela Medida Provisória no 2.177-44, de 24 de agosto de 2001, passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 17. A inclusão de qualquer prestador de serviço de saúde como contratado, referenciado ou credenciado dos produtos de que tratam o inciso I e o § 1o do art. 1o desta Lei implica compromisso com os consumidores quanto à sua manutenção ao longo da vigência dos contratos, permitindo-se sua substituição, desde que seja por outro prestador equivalente e mediante comunicação aos consumidores com 30 (trinta) dias de antecedência.
.............................................................................................." (NR)

Art. 2o O caput do art. 18 da Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998, com redação dada pela Medida Provisória no 2.177-44, de 24 de agosto de 2001, passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 18. A aceitação, por parte de qualquer prestador de serviço ou profissional de saúde, da condição de contratado, referenciado, credenciado ou cooperado de uma operadora de produtos de que tratam o inciso I e o § 1o do art. 1o desta Lei implica as seguintes obrigações e direitos:
..............................................................................................." (NR)

Art. 3o A Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998, com redação dada pela Medida Provisória no 2.177-44, de 24 de agosto de 2001, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 17-A:

"Art. 17-A. As condições de prestação de serviços de atenção à saúde no âmbito dos planos privados de assistência à saúde por pessoas físicas ou jurídicas, independentemente de sua qualificação como contratadas, referenciadas ou credenciadas, serão reguladas por contrato escrito, estipulado entre a operadora do plano e o prestador de serviço.

§ 1o São alcançados pelas disposições do caput os profissionais de saúde em prática liberal privada, na qualidade de pessoa física, e os estabelecimentos de saúde, na qualidade de pessoa jurídica, que prestem ou venham a prestar os serviços de assistência à saúde a que aludem os arts. 1o e 35-F desta Lei, no âmbito de planos privados de assistência à saúde.

§ 2o O contrato de que trata o caput deve estabelecer com clareza as condições para a sua execução, expressas em cláusulas que definam direitos, obrigações e responsabilidades das partes, incluídas, obrigatoriamente, as que determinem:

I - o objeto e a natureza do contrato, com descrição de todos os serviços contratados;

II - a definição dos valores dos serviços contratados, dos critérios, da forma e da periodicidade do seu reajuste e dos prazos e procedimentos para faturamento e pagamento dos serviços prestados;

III - a identificação dos atos, eventos e procedimentos médico-assistenciais que necessitem de autorização administrativa da operadora;

IV - a vigência do contrato e os critérios e procedimentos para prorrogação, renovação e rescisão;

V - as penalidades pelo não cumprimento das obrigações estabelecidas.

§ 3o A periodicidade do reajuste de que trata o inciso II do § 2o deste artigo será anual e realizada no prazo improrrogável de 90 (noventa) dias, contado do início de cada ano-calendário.

§ 4o Na hipótese de vencido o prazo previsto no § 3o deste artigo, a Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS, quando for o caso, definirá o índice de reajuste.

§ 5o A ANS poderá constituir, na forma da legislação vigente, câmara técnica com representação proporcional das partes envolvidas para o adequado cumprimento desta Lei.

§ 6o A ANS publicará normas regulamentares sobre o disposto neste artigo."

Art. 4o Esta Lei entra em vigor após decorridos 180 (cento e oitenta) dias de sua publicação oficial.

Brasília, 24 de junho de 2014; 193o da Independência e 126º da República.

DILMA ROUSSEFF
Arthur Chioro



Moda x Saúde Ocular: os perigos dos implantes de joias nos olhos

Hoje é cada vez mais comum encontrar pessoas, seja no ambiente de trabalho ou caminhando ao seu lado na rua, que tenham a sua pele tatuada com algum desenho, sua orelha alargada usando piercing em umbigo, orelha, nariz... Definitivamente a moda passou a ocupar não somente as roupas e acessórios, mas também o nosso próprio corpo humano.

Seguindo esta tendência do uso do corpo para se diferenciar dos demais, um procedimento, realizado nos Estados Unidos, ganhou recentemente destaque na mídia nacional: implante direto no olho de uma pequena peça de platina. A microcirurgia leva de 10 a 15 minutos e consiste na incisão direto na conjuntiva, membrana externa transparente do olho, de uma joia no olho do indivíduo. Nos Estados Unidos este procedimento tem o custo entre U$$ 3 mil e U$$ 4 mil dólares.

De acordo com Paulo Augusto de Arruda Mello, Professor Associado da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Presidente da Sociedade Latino-americana de Glaucoma (SLAG), este procedimento invasivo pode levar até a cegueira.

"É um metal que pode danificar as estruturas oculares. Além disso, em ocasião de uma infecção qualquer, uma conjuntivite, por exemplo, pode agravar a situação, pois existe ali um corpo estranho ao olho. As consequências podem chegar até a uma perda de uma visão, não que obrigatoriamente isso vá ocorrer. É importante que cada candidato ao implante saiba que existe esse risco", afirma o professor.

A U.S Food and Drug Administration (USFDA), agência sanitária federal norte-americana, não aprova este procedimento e até já alertou aos consumidores em nota que a prática pode ser prejudicial à saúde.

"Existem vários documentos que comprovam que a médio e longo prazo este procedimento é realmente inseguro", complementa Arruda Mello.

Clique no link abaixo e veja na íntegra a matéria veiculada no Domingo Espetacular.

Brilho no olhar


Disponível revista Arquivos Brasileiros de Oftalmologia

Já está disponível a revista Arquivos Brasileiros da Oftalmologia volume 76, nº 1. Ela está sendo distribuída a todos os associados do CBO. É possível buscar os artigos presentes nas publicações anteriores aqui.


Google Glass na mira da lei

Já imaginou um par de óculos que lhe permitam realizar buscas na internet em qualquer lugar? Eles já existem, é o Google Glass. Porém, antes mesmo de terem sido lançados, esses óculos eletrônicos já são alvo de polêmica legal nos EUA. O legislador republicano Gary Howell, da Virginia Ocidental, propôs uma lei proibindo motoristas de usar o Google Glass quando ao volante.

O aparelho deve ser lançado em 2014 e promete oferecer recursos como mapas, previsão do tempo, rotas de navegação, músicas, chamadas de vídeo e fotografia, exibindo-o sempre acima do campo de visão.
Veja matéria completa no portal da Abioptica.


Lideranças médicas estabelecem calendário de mobilizações

Lideranças médicas de todo o Brasil reuniram-se em Brasília em 17 de julho e estabeleceram calendário de mobilizações e ações para sensibilizarem as autoridades para o atendimento das reivindicações da profissão, principalmente para derrubar os vetos presidenciais a Lei do Ato Médico.

O presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Marco Antônio Rey de Faria, o secretário geral da entidade, Nilo Holzchuh, o coordenador da Comissão de Assuntos Jurídicos do CBO, Elisabeto Ribeiro Gonalves e o coordenador do CBO Brasília, Marcos Ávila, participaram do encontro.

O encontro serviu para firmar o calendário de ações para 23, 30 e 31 de julho quando os médicos realizarão manifestações e paralisações nos estados em que tais ações forem possíveis (mantendo, entretanto, os serviços de urgência e emergência). Após 10 de agosto, quando se finda a programação estabelecida, será realizada uma avaliação das reivindicações da categoria, havendo possibilidade de greve por tempo indeterminado.

Parlamentares compareceram na ocasião, mostrando às causas médicas e, principalmente, acerca das últimas medidas anunciadas pelo governo federal: A Medida Provisória 621/2013, que institui o Programa Mais Médicos, e os vetos à Lei que regulamenta a Medicina. Estiveram presentes o senador Paulo Davim (PV/RN) e os deputados Darcísio Perondi (PMDB/RS), Eleuses Paiva (PSD - SP), Lelo Coimbra (PMDB-ES) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ). A aliança com o Congresso Nacional tem o objetivo de derrubar a MP e os vetos.

 


Especialista em saúde ocular só existe um: Médico Oftalmologista

Mais um exemplo, agora em matéria publicada hoje no Bom Dia STM da TV Tapajós - afiliada a TV Globo, no Pará, reflete os perigos de realizar a consulta ocular em óticas e por não médicos, ou seja, profissionais óticos sem a formação em medicina e a Especialização em Oftalmologia.

Na matéria-denúncia, uma produtora da TV Tapajós recebeu atendimento de um optometrista. O profissional ótico fez exame ocular e receitou óculos de grau, além de identificar hipermetropia e astigmatismo. A mesma produtora foi até o consultório de um médico oftalmologista e o mesmo não identificou nenhuma alteração na vista, também por meio de exames oculares, considerando a saúde ocular da produtora perfeita.

Outro exemplo, ainda mais grave, aconteceu com a filha de quatro anos de Claudenira Vasconcelos. A pequena tinha suspeita de glaucoma e a mãe acabou a levando para ser consultada por um optometrista, que não somente diminuiu o grau de seus óculos, afirmando que eles eram altos demais para a idade da criança, como não identificou nenhuma doença ocular. Ao consultar um médico oftalmologista, Claudenira Vasconcelos descobriu que realmente sua filha tinha glaucoma. É importante ressaltar que o glaucoma é a principal causa de cegueira não curável no mundo inteiro.

Os exemplos citados mostram o perigo de realizar exames oculares com profissionais não habilitados legalmente e com baixo conhecimento científico para diagnosticar não somente o grau dos olhos, mas sim, qualquer doença mais grave que possa acometer sua saúde ocular.

Veja o que diz a lei:


Extraído do Decreto número 20.931 de 11 de janeiro de 1932

Art. 38 - É terminantemente proibido aos enfermeiros, massagistas, optometristas e ortopedistas a instalação de consultórios para atender clientes, devendo o material ai encontrado ser apreendido e remetido para o depósito público, onde será vendido judicialmente e requerimento da Procuradoria dos feitos da Saúde Pública a que, a autoridade competente oficiará nesse sentido. O produto do leilão judicial será recolhido ao tesouro, pelo mesmo processo que as multas sanitárias.

Art. 39 - É vedado às casas de ótica confeccionar ou vender lentes de grau sem prescrição médica, bem como instalar consultórios médicos nas dependências dos seus estabelecimentos.

Extraído do Decreto número 24.492 de 28 de junho de 1934

Art. 13 - É expressamente proibido ao proprietário, sócio, gerente, ótico, prático e demais empregados do estabelecimento, escolher ou permitir escolher, indicar ou aconselhar o uso de lentes de grau, sob pena de processo por exercício ilegal da medicina, além das outras penalidades previstas em lei.
Art. 14 - O estabelecimento de vendas de lentes de grau só poderá fornecer lentes de grau mediante apresentação da fórmula ótica de médico, cujo diploma se ache devidamente registrado na repartição competente.

Clique aqui e confira a matéria na íntegra no site da TV Tapajós


Eleições CFM 2014

Médicos de todo o país elegerão de 25 a 27 de agosto os novos conselheiros que representarão seus estados no Conselho Federal de Medicina (CFM) no quinquênio 2014/2019.

O cronograma das eleições foi estabelecido pela Resolução CFM 2.024/13, aprovada em agosto do ano passado, mas as datas das eleições, dentro do período estabelecido, ficaram a critério de cada Conselho Regional de Medicina.

Em 17 estados, as eleições serão realizadas no dia 25 de agosto; em 5, de 25 a 26; em três, de 25 a 27 e em dois, no dia 27. A data é escolhida por cada CRM, assim como os nomes dos candidatos.

A votação poderá ser de três formas: presencial, por correspondência ou mista. Para o voto por correspondência, cada CRM deve enviar o material para a casa dos eleitores até o dia 5 de agosto. Só será considerado válido o voto que tiver a chancela da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. A correspondência deve chegar até às 18h da data limite do encerramento das eleições. (mantenha seu endereço atualizado)

Estão obrigados a votar médicos em pleno gozo dos direitos políticos e profissionais inscritos no CRM. Quem estiver em débito com a entidade não poderá votar. A participação no pleito é facultativa para os profissionais com mais de 70 anos.

O mandato dos membros terá duração de 5 anos e será meramente honorífico, com a posse em 1º de outubro e encerramento em 30 de setembro de 2019. Ao tomar posse formalmente no cargo, o conselheiro assume uma série de obrigações legais e institucionais. Entre as suas obrigações está o estudo das denúncias, consultas ou outros documentos para os quais tenha sido designado e a atuação ativa nos trabalhos do conselho. (saiba mais sobre o CFM)

Acesse aqui as chapas e candidatos por estado.

Tire suas dúvidas sobre as Eleições CFM 2014:

ELEIÇÃO
Voto direto e secreto
Voto por procuração: não é permitido
De 25 a 27 de agosto, a depender da escolha do estado.

VOTO OBRIGATÓRIO
Médicos com registro ativo em pleno gozo dos direitos políticos e profissionais
Podem votar somente os médicos quites com as anuidades. Se não estiver em dia, poderá quitar até o momento da votação
O voto é facultativo para médicos com mais de 70 anos

PROCESSO DE VOTAÇÃO
Presencial
Por correspondência
Forma mista (adoção simultânea do voto presencial e por correspondência)

PERÍODO ELEITORAL
A critério de cada Conselho Regional, as eleições presenciais poderão transcorrer em até três dias.

PENALIDADE PARA MÉDICOS QUE NÃO VOTAREM:
Cobrança de multa

MÉDICOS INSCRITOS EM MAIS DE UM CONSELHO REGIONAL
Devem votar em pelo menos um deles

NÃO PODEM VOTAR NEM SEREM VOTADOS
Médico inscrito exclusivamente como médico militar
Médico estrangeiro inscrito nos Conselhos Regionais de Medicina

MÉDICOS DE NACIONALIDADE PORTUGUESA
Os regularmente inscritos nos Conselhos Regionais de Medicina podem votar e ser votados, desde que não esteja privado dos direitos equivalentes em Portugal.
Documentos necessários: documento de identidade e comprovação da aquisição de direitos políticos no Brasil

VOTO PRESENCIAL
Documento necessário: documento de identidade pessoal

VOTO POR CORRESPONDÊNCIA
Envio do material necessário ao exercício do voto por correspondência foi encaminhado à casa dos médicos até vinte dias antes do início da eleição e ficará sob a guarda dos Correios.
O envelope com o voto deverá conter a chancela da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos

APURAÇÃO
Será realizada na sede do Conselho Regional, para onde devem ser levadas as urnas eleitorais tão logo se encerre a votação
É facultada a apuração de votos em outros locais, previamente designados e justificados pela Comissão Regional Eleitoral
Para a apuração será designada uma Junta Escrutinadora, composta por um presidente, um secretário e tanto escrutinadores quanto necessários
Cada chapa concorrente poderá designar um fiscal para acompanhar os trabalhos de cada Junta Escrutinadora
Será garantida a identificação ótica ou eletrônica dos votos por correspondência

Votos com rasuras ou anotações serão anulados
Em caso de duplicidade de votos, será considerado válido o voto presencial, anulando-se o voto por correspondência
Considerar-se-á eleita a chapa que obtiver maioria simples dos votos válidos
Entende-se como maioria simples o primeiro número inteiro superior ao percentual de 50% dos médicos votantes
Na hipótese de uma única chapa concorrer às eleições, esta deverá receber ao menos um voto válido para ser declarada vencedora?


Médicos paralisam serviços em protesto contra planos de saúde

Médicos do Brasil inteiro se reuniram, na última quinta-feira, 25 de abril, para protestar contra planos de saúde. Também foram paralisados os atendimentos de pacientes a não ser em casos de emergência.

Em São Paulo, a manifestação ocorreu na Avenida Paulista e foi encerrada com o lançamento de 10 mil balões negros em sinal de luto.

O primeiro vice-presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Jorge Carlos Machado Curi, conversou com a imprensa e declarou: ?Estamos mobilizados hoje para exigir a desburocratização do acesso e a agilidade na correção destes problemas, além da valorização do trabalho médico?.

Veja reportagem completa no portal da ABM.


A Palavra do Presidente

Na semana passada, em audiência pública na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara, foi solicitado ao Ministro da Saúde, Arthur Chioro, que esclarecesse supostas irregularidades associadas ao "Programa Mais Médicos", entre elas, o mau uso do dinheiro público e a exploração do trabalho de mais de dez mil médicos cubanos! Com a primeira questão pretendia-se obter esclarecimentos sobre o destino desconhecido de 85% dos recursos repassados a OPAS para contratar os médicos cubanos de um total de R$1,27 bilhão! Sabe-se, por meio de documento do Tribunal de Contas da União (TCU), que a destinação de 5% dos valores totais vai para a organização do convênio, 10% para os médicos e para o restante não há registro! Com relação à segunda questão, o esclarecimento se tornou público com a divulgação do contrato da médica Ramona Rodriguez, que não há nada de pesquisa, ensino e extensão nos contratos dos médicos cubanos, o que existe é a mera comercialização de serviços!

Ainda na semana passada, um grupo de 41 médicos comunitários brasileiros, a maioria ligada ao Partido dos Trabalhadores (PT) e ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), graduados em novembro pela Escola Latino-Americana de Medicina (ELAM) - riada pelo presidente Hugo Chaves, em 2007 - voltou ao Brasil sem atender as exigências da profissão prevista no artigo 8 da Lei de Exercício da Medicina na Venezuela, ou seja, de atuar um ano como médico rural ou fazer dois de internato. E o pior, chegaram contratados pelo "Programa Mais Médicos", todos com cidades designadas em 14 estados, sete deles em São Paulo.

Sim, as semanas vão passando e todos têm percebido que as investidas da optometria não médica extrapolam os limites da legislação vigente. A impunidade reinante no país certamente os vem tornando cada vez mais audaciosos. Não esqueçamos que esses movimentos vão sendo "tolerados" como parte da política de saúde vigente que insiste em transferir (toda) a responsabilidade pela ineficiência do Sistema Único de Saúde (SUS) na área da saúde ocular para a nossa subespecialidade. E que a mediação nessa luta não usa critérios técnicos, pois se resume a mera opção político-partidária!

Sim, o CBO tem reagido com o Censo Oftalmológico 2011 mostrando ao Ministério da Saúde (MS) que o número de médicos oftalmologistas no País ultrapassa o sugerido minimamente pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O CBO, no que se refere à irregularidade na distribuição dos médicos oftalmologistas, vem oferecendo ao MS treze sugestões para aumentar a abrangência do atendimento oftalmológico, particularmente e prioritariamente, nas áreas mais carentes.

Sim, não podemos esquecer que o País ainda mantém instituições fortes e democráticas, sendo uma delas o Ministério Público (MP) que continua zelando com imparcialidade na fiscalização e cumprimento da legislação vigente. A atuação do MP não é facultativa e sim obrigatória, conforme prevê a Constituição Federal em seu art. 129, II e III, instaurando inquérito para apuração de exercício ilegal da Medicina e como ato contínuo pedido de cessão dos atos dos optometristas que atendem na região, protegendo assim a população, que na maioria das vezes é carente de informação. Os vetos presidenciais à Lei 12.842/13 (chamada Lei do Ato Médico), mesmo atingindo o artigo que explicitava a prescrição de órteses e próteses oftalmológicas como exclusivo do profissional médico não revogaram os decretos 20.931/32 e 24492/34. Portanto, temos que continuar oferecendo ação civil pública contra optometristas que extrapolam suas funções e partem para o exercício ilegal da medicina. Devemos usar o direito de resposta para esclarecer a população quando veiculam nas diversas mídias que podem realizar exames de "vista" ou prescrever óculos. E não devemos deixar de peticionar a vigilância sanitária estadual.

Sim, são bem vindas as sugestões para a formação de um fundo para uma campanha nacional de valorização do exercício profissional do médico oftalmologista. Em verdade, a campanha já está sendo preparada. No entanto, o alcance e repercussão da campanha e de todo o trabalho de defesa profissional da classe por uma saúde ocular de mais qualidade depende totalmente da filiação do colega ao CBO e, também, da sua contribuição financeira por meio do pagamento da taxa de anuidade CBO 2014.

Confira aqui o texto na íntegra dos decretos de 32 e 34

Confira aqui o texto na íntegra da Lei 12.842/13

Confira aqui na íntegra os parágrafos II e III do artigo 129 da Constituição Federal

Milton Ruiz Alves
Presidente do CBO
Gestão 2013-2015


A palavra do Presidente

Na última semana, a Saúde Pública foi discutida no Fórum "A Saúde do Brasil", seminário promovido pela Folha de São Paulo. O financiamento absolutamente insuficiente e problemas de gestão na saúde pública foram as explicações dadas para o caos vigente na área. Atualmente, Estado e município devem investir 12% e 15%, respectivamente da receita bruta da União em Saúde. A União sem ter teto fixo repassou em 2013 apenas 6,5%. Para David Uip, secretário de Estado da Saúde de São Paulo, em 2000, a União foi responsável por 58,5% de todo investimento em saúde. Estados e Municípios por 20,3% e 21,2%, respectivamente. Em 2012, a relação passou para 46% (União), 26% (Estados) e 28% (municípios), respectivamente. O secretário defendeu a aprovação do investimento de 10% da receita bruta da União em saúde o que incorporaria ao orçamento do Ministério da Saúde aproximadamente R$ 42 bilhões. O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse que pretende acabar com a tabela de repasse do Sistema Único de Saúde (SUS) e implantar um novo sistema de pagamento. O professor da Universidade de São Paulo (USP), Miguel Srougi, declarou mais uma vez que o "Mais Médicos" foi instituído com objetivos eleitoreiros, de forma insensível e enganando a nação, enquanto o secretário de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, Mozart Sales, alegou que o programa é "gente cuidando de gente". E assim terminou o Fórum de Saúde Pública da Folha!

No entanto, os problemas de acesso e cuidados especializados no SUS, segundo relatório recente do Banco Mundial, têm mais a ver com desorganização e ineficiência do que com falta de dinheiro, contrapondo-se ao consenso vigente de que para ter bom desempenho o SUS precisa se livrar do subfinanciamento crônico, do baixo percentual do gasto público, e desmentir o bordão de que o Brasil gasta pouco e mal em saúde. De fato, mais da metade dos gastos com saúde no país se concentra no setor privado, e o gasto público (3,8% do PIB) está abaixo da média de países em desenvolvimento. Segundo relatório recente do Banco Mundial é possível fazer mais e melhor com o mesmo orçamento. Diversas experiências têm demonstrado que o aumento de recursos investidos na saúde sem que se observe a racionalização de seu uso, pode não gerar impacto significante na população. A atenção especializada é outro desafio que não se restringe a equipamentos e insumos; é essencial investir em capacitação, criação de protocolos e regulação de demanda que permita o acesso a especialistas, exames e cirurgias.

Importante salientar que o CBO, comprometido com saúde ocular de qualidade, deseja o SUS cada vez mais forte para que em futuro próximo seja possível o "tudo para todos"quando se fala em saúde. O CBO entende que para tal, é fundamental que o governo institua o Credenciamento Universal SUS - "todos os médicos para todos os pacientes". Só assim, o SUS logrará êxito focando nas ações de prevenção, promoção, vigilância, controle de doenças infecciosas e imunização, entre outras, alcançando a recuperação da saúde, sem discriminação e com atendimento integral.

Milton Ruiz Alves
Presidente do CBO gestão 2013-2015


Dia Internacional da Mulher

No Dia Internacional da Mulher nada mais apropriado do que falar sobre as Mulheres Médicas e mais especificamente sobre as Mulheres Oftalmologistas.

A Associação Internacional de Mulheres Médicas (http://mwia.net/), órgão não governamental e que busca representar a mulher médica em cinco continentes, foi fundada em 1919. Nessa época a atuação da mulher na medicina não era tão comum, mas hoje, nós estamos cada vez em maior número e cada vez mais presentes na área acadêmica e científica.

A publicação da pesquisa "Demografia Médica no Brasil", 2013, elaborada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), que foca sobre os cenários e indicadores de distribuição dos médicos no País, mostra no Gráfico "Evolução do número de médicos entre 1980 e 2050, segundo sexo - Brasil, 2013", a crescente participação das mulheres na Medicina. Em 1980 participávamos com 21,24% dos médicos. Já em 2013 atingimos o expressivo número de 42,03%. Entre os novos registros no CFM, em 2011, alcançamos a maioria dos registros, com 52,89%, contra 47,11% de homens. Considerando apenas os médicos na ativa, hoje, temos 40,82% de mulheres e 59,18% de homens.


Esses dados demonstram que não somos mais a minoria. Neste novo cenário, é muito importante estarmos unidas e disseminar o lema da Associação Brasileira de Mulheres Médicas (http://www.abmmnacional.com), filiada à Associação Internacional de Mulheres Médicas, que diz o seguinte: "Cuidar de si para melhor acolher o outro".

Essa atuação vem de encontro aos objetivos maiores das associações de mulheres médicas que trabalham ativamente contra as desigualdades relacionadas com o gênero na profissão médica, entre médicos femininos e masculinos, incluindo oportunidades de carreira e aspectos econômicos.

Com o objetivo de desenvolver um "Manual de Formação para Perspectiva de Gênero na Saúde" a MWIA realizou uma conferência em Bellagio, Itália, em Dezembro de 2001. Desde 1995, tem havido uma mudança ao falar sobre a Mulher no Desenvolvimento (WID) para o Gênero e Desenvolvimento (GAD). A abordagem de gênero reconhece três coisas:

Primeira: mulheres e homens são diferentes e precisam ser valorizados, apesar de suas diferenças. Segunda: a sociedade valoriza o que é do sexo masculino sobre o que é feminino e para que avanços econômicos e sociais possam ser feitos, homens e mulheres devem trabalhar juntos para esta meta de igualdade de gênero. Terceiro: o gênero não é apenas o sexo biológico, mas também o papel que a sociedade lhe dá pelo fato de ser mulher ou homem.

A ciência a respeito das questões de gênero, são primordiais para que nós, como médicos, possamos reexaminar nossas atitudes e desenvolver habilidades e conhecimentos para assegurar que a equidade de gênero seja obtida em saúde e em cuidados de saúde. Como resultado é possível conquistar melhores condições de trabalho como médicos e como Oftalmologistas.

Em 2012, durante o XX Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, realizado em São Paulo-SP, foi criado o CBO Mulher. Os principais objetivos deste grupo, idealizado pelas professoras Denise de Freitas, Keila Monteiro de Carvalho e Maria Cristina Nishiwaki-Dantas, foram, e continuam sendo, valorizar todos os aspectos sociais, econômicos e profissionais da mulher no trabalho, na universidade e, porque não, na vida.



A sua participação nas discussões do CBO mulheres é fundamental. Sua sugestão é essencial para conquistarmos, pouco a pouco, os objetivos citados acima. Participe do nosso grupo, envie um e-mail para keila@cbo.com.br para iniciarmos o primeiro contato.

Abaixo, deixo o link dos sites mais interessantes sobre o tema.

Para finalizar, fica a dica que não podemos esquecer jamais: Cuidar de si para melhor acolher o outro! Feliz dia Internacional da Mulher para todas nós!

Women´s in Ophthalmology: http://www.wioonline.org/
Associação Brasileira de Mulheres Médicas: http://www.abmmnacional.com
Associação Internacional de Mulheres Médicas: http://mwia.net/


A importância da recertificação da normativa ISO 9001:2008 para o CBO

No último sábado, 12 de julho, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia recebeu da empresa DQS do Brasil LTDA a recomendação para a recertificação de seu Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) na norma ISO 9001:2008 pelos próximos três anos. Esta conquista se deu após a realização de auditoria externa pela referida empresa, quando todos os procedimentos do SGQ da entidade foram cuidadosamente analisados.

A iniciativa de normatizar todos os processos internos da entidade teve início na gestão de Paulo Augusto de Arruda Mello, em 2011. Na época, Arruda Mello e sua diretoria identificaram que o CBO apresentava bons índices de crescimento e que já estava mais do que na hora de encontrar mecanismos que pudessem avaliar estes dados e, mais do que isso, estruturar as atividades e profissionalizar todos os processos internos. Desta forma a entidade poderia crescer equilibradamente e não simplesmente "inchar".

A forma encontrada para implantar essa profissionalização foi adequar o CBO aos requisitos do Sistema de Gestão de Qualidade da normativa ISO 9001:2008. Foram meses de estudos para elaborar um SGQ que ratificasse de forma completa os principais pontos de atuação da entidade. Desse estudo surgiu o Escopo do SGQ do CBO: Aprimoramento do Ensino, Estímulo a Pesquisa em Oftalmologia e Defesa Profissional dos Oftalmologistas. O processo teve tal êxito que a entidade conquistou a certificação em 13/07/2011 e a recente recerticação em 12/07/2014.

Confira abaixo o depoimento de Paulo Augusto de Arruda Mello, ex-presidente do CBO, sobre a importância do SGQ da entidade.


"O Conselho Brasileiro de Oftalmologia cresceu e ficou claro que passou a ser cada vez mais necessária a implantação de mecanismos para a profissionalização de seus processos internos. Neste contexto, uma das propostas da minha gestão era classificar todas as atividades exercidas dentro do CBO e elaborar um projeto bem estruturado, com começo, meio e fim, para criar uma sistemática que trouxesse melhorias em todos os quesitos, em tudo que realizávamos internamente com o objetivo de levar a melhor assistência aos associados, nosso principal parceiro. Então, fui pesquisar o que precisava ser feito para implantar esta ideia e nesta pesquisa encontrei a normativa ISO 9001:2008. Eu sabia que com trabalho, dedicação e esforço de todos seria possível implantar um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) para o CBO.

O SGQ, dentro da normativa ISO 9001:2008, busca analisar se existe uma estrutura mínima adequada de funcionamento para o êxito de todos os processos de funcionamento de uma empresa. Além disso, sua implantação ajuda a focar em melhoria contínua de todos esses processos, criando uma sistemática avaliativa de planos de ações e de melhorias para cada braço de funcionamento interno. Por exemplo: Em algum certo momento, a publicação bimestral dos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia pode atrasar por diversos motivos. Isso é um fator que preocupa, afinal, é a principal revista indexada científica de nossa Especialidade feita no País. Com a implantação do SGQ passou a ser possível identificar os principais fatores de risco que fizeram o periódico científico atrasar e traçar planos de ações dentro do próprio SGQ para sanar estas dificuldades e impedir que a revista atrase novamente. Agora, pense neste exemplo para cada departamento do CBO. É esse o papel do SGQ dentro da entidade.

Fico muito feliz em saber que o CBO, graças a excelente gestão do professor Milton Ruiz Alves e ao empenho dos funcionários, conquistou a recertificação da normativa. É gratificante ver a continuidade destes processos com a qualidade auditada por uma empresa conceituada nacionalmente, a DQS, o que indica que o CBO não está inchando e sim crescendo em estrutura e profissionalismo, um crescimento programado. Esta recertificação mostra a grandeza de nossa entidade e garante maior credibilidade em nossos procedimentos relacionados aos associados, patronos e fornecedores".

Paulo Augusto de Arruda Mello
Presidente do CBO
Gestão 2009 -2011


Informativo importante

No último sábado, uma clínica oftalmológica foi assaltada em São Paulo. No ato do crime, foram levados os equipamentos:



O CBO reforça aos responsáveis por clínicas e hospitais oftalmológicos para tomarem o devido cuidado no ato da compra de qualquer equipamento de segunda mão. Procurem solicitar sempre a nota fiscal do equipamento e, mesmo assim, antes de finalizar a compra cheque seu número de série.

Em hipótese alguma compre equipamento roubado ou de procedência duvidosa. Esse tipo de delito só ocorre porque infelizmente existe mercado para a revenda dos equipamentos.

Se você teve sua clínica assaltada, faça o boletim de ocorrência imediato. Após isso, entre em contato conosco informando o número de série do equipamento (se houver algum furtado) que divulgaremos para todo o País.


Nasce a Comissão Mulher do Conselho Brasileiro de Oftalmologia

Não é preciso ser nenhum expert em política para notar que, ao redor do mundo, as mulheres pedem passagem e conquistam cada vez mais espaço em cargos estratégicos e de grande responsabilidade para o cenário global: Ângela Merkel na Alemanha, Dilma Rouseff no Brasil, Michelle Bachelet no Chile e Cristina Kirchner na Argentina, são as principais expoentes.

Esta tendência começa a ficar mais evidente também na medicina. Dados do Conselho Federal de Medicina (CFM) indicam que, em 2009, as mulheres foram maioria em relação aos novos registros e, em 2011, assumiram o primeiro posto entre os médicos com 29 anos ou menos.

O crescimento das mulheres na medicina confirma uma tendência consistente que se observa ao longo da última década e meia e que se acentuou nos últimos anos. Em 2011, 9.168 (52,89%) mulheres ingressaram no mercado de trabalho, contra 8.166 (47,11%) homens. Este crescimento começou a se atenuar no início dos anos 2000.

A tendência é que a diferença se amplie em favor das mulheres. De um lado, porque o resultado reflete o crescimento histórico da predominância feminina na população brasileira. De outro, porque a "feminização" da medicina segue uma tendência mundial. Vale reforçar que o mercado, no entanto, ainda deve permanecer com maioria de homens por mais uma década e meia, já que, até os anos 70, a profissão era predominantemente masculina. Na oftalmologia brasileira temos hoje 30% de mulheres (6.300). Segundo o estudo de projeção do CFM, as mulheres serão maioria no mercado em 2028.

Comissão Mulher

Com esses números consolidados na Medicina Brasileira, é cada vez mais evidente a necessidade criar mecanismos que facilitem a troca de experiências entre as mulheres médicas, aproveitando o know-how de influentes oftalmologistas, que se destacaram por sua liderança e gestão e hoje assumiram, ou fazem parte, as diretorias dos Departamentos de Oftalmologia, Cursos Credenciados, Hospitais e Clínicas Oftalmológicas.

Com foco neste novo cenário, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia criou a Comissão Mulher. A comissão é idealizada pelas Professoras Doutoras Keila Monteiro de Carvalho, Denize de Freitas, Maria Cristina Nishiwaki-Dantas e Liana Ventura, conta também com a participação da médica oftalmologista Camila Ventura e da assessora de marketing Alice Selles.

A Comissão Mulher está sendo pensada com base nas já conceituadas Medical Women?s International Association (MWIA) e Women in Ophthalmology (WIU) - é desenvolvida com o objetivo de buscar a valorização dos aspectos sociais, econômicos e profissionais da mulher no trabalho, na universidade e, porque não, na vida.

Objetivos específicos da Comissão Mulher

Fomentar a discussão sobre a igualdade de gênero na prática médica;

Incentivar a disseminação de experiências de gestão de oftalmologistas brasileiras;

Oferecer ferramentas de estímulo ao empreendedorismo na oftalmologia entre mulheres;

Estimular o surgimento de lideranças entre as oftalmologistas brasileiras e a maior participação das médicas nas Diretorias Executivas das Entidades Representativas;

Promover e estimular ações para adesão de jovens médicas ao CBO e fomentar o interesse pela política associativa entre as oftalmologistas brasileiras.

A Comissão está preparando um grande encontro para o XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado de 03 a 06 de setembro, no Recife-PE. Enquanto mais informações sobre esta atividade não é divulgada, confira abaixo o primeiro vídeo "Mulher Oftalmologista", com a participação da professora doutora Maria Cristina Nishiwaki-Dantas!


Fator de Impacto dos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia cresce 16% em 2013

O "Fator de Impacto", medida que reflete no número médio de citações de artigos científicos publicados em determinado periódico - clique aqui e conheça mais -, da revista Arquivos Brasileiros de Oftalmologia obteve crescimento de 16% - 0,379 em 2012 para 0,440 em 2013 - neste método de medição acadêmica. Os dados foram apresentados na edição de 2014 do Journal Citation Reports (JCR) e baseia-se em estatísticas de dados de citação.

"A notícia do aumento de nosso fator de impacto foi muito grata para todos os editores da revista, uma vez que faz parte da política editorial da publicação não utilizar-se de qualquer artifício para aumentar artificialmente este número. O número ainda é baixo e a revista tem potencial para torná-lo muito maior, mas a tendência para o crescimento é muito positiva", declarou o Editor Chefe dos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, Wallace Chamon.


16º Congresso de Oftalmologia será realizado nesta semana

O 16º Congresso de Oftalmologia/15º Congresso de Auxiliar de Oftalmologia do Hospital de Clínicas da Universidade de São Paulo (HCUSP) será realizado de 29 a 30 de novembro, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo.

O evento contará com a participação de 17 palestrantes internacionais, que desembarcarão em São Paulo para expor o que há de mais atual em Retina, Glaucoma, Uveíte, Plástica, Refrativa, Estrabismo, Oftalmopediatria, Córnea, Visão Subnormal e Catarata. Clique aqui e confira relação completa.

As inscrições online já se esgotaram, porém, ainda é possível se inscrever diretamente na secretaria do evento a partir do dia 26/11. As formas de pagamento são apenas por meio de cheque ou dinheiro. Clique aqui e confira os valores.

O congresso vale 10 pontos no processo de certificação de atualização profissional da Associação Médica Brasileira (AMB).

Durante o Pré-Congresso, o CBO irá realizar mais uma edição do curso de Refração USP/CBO. O evento está marcado para 28 de novembro, no auditório Amarelo. Clique aqui e confira mais informações.

Centro de Convenções Rebouças
Endereço: Av. Rebouças, 600, Pinheiros, São Paulo - SP, 05403-000


Análise sobre a lei 12.842/2013

O Assessor jurídico do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, José Alejandro Bullón, elaborou dois pareceres referentes à Lei 12.842/2013, popularmente conhecida como a "Lei do Ato Médico". "Para se analisar a lei 12.842/2013 deve-se lê-la do fim para o começo", afirma Bullón.

Ainda de acordo com o assessor, a lei do Ato Médico resolve vários problemas da Medicina no Brasil, além de manter em vigor os decretos 20.931/32 e 24.492/34 - que determinam a obrigatoriedade das prescrições médicas para as lentes de grau e proíbem a existência de consultórios de óticos ou optometristas - que são de grande importância para a Oftalmologia.

Confira abaixo os estudos elaborados pelo assessor jurídico do CBO.

Parecer Ato Médico x legislação CBO

Parecer Jurídico 05.2013 - Optometria


Revalidando o diploma de medicina no exterior

O Brasil, assim como todos os países do mundo, abre suas portas para médicos estrangeiros devidamente formados e aptos para a prática da medicina. O médico de fora da fronteira que escolhe o País para trabalhar precisa realizar o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida).

O exame é instituído pelos ministérios da Saúde e Educação, sem a interferência de entidades médicas. O Revalida, aqui no Brasil, exige dos candidatos o que é ensinado aos estudantes brasileiros, cumprindo as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação de Medicina.

Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), entidade apta a aplicar a prova, divulgados na última segunda-feira (23/01) mostram que 1595 médicos formados no exterior prestaram a prova em 2013 e apenas 109 (6,83%) foram aprovados. Ainda de acordo com o Instituto, a taxa de aprovação das provas anteriores também foi baixíssima, com 9,6% em 2011 e 8,7% em 2012.

Por fora de todo este ciclo está o "Programa Mais Médicos", elaborado pelo Ministério da Saúde (MS). Nele, todos os médicos formados no exterior que fazem parte deste programa não prestaram o exame e estão trabalhando normalmente sem critério nenhum.

Por outro lado, alguns afirmam que o Revalida é um exame muito difícil de realizar por parte do médico estrangeiro e este é um dos principais motivos para a baixa taxa de aprovação. Mas, como seria então a revalidação do diploma de medicina para um médico brasileiro que resolve exercer a medicina em outros países do mundo? Aureliano Biancarelli, jornalista especializado em Saúde, elaborou uma interessante matéria sobre o tema e conta a história de médicos brasileiros que trabalham atualmente na Itália, Canadá, Estados Unidos, França e Reino Unido.

A matéria pode ser acessada na íntegra na Revista Ser Médico, editada pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) clicando aqui


Esclarecimento

O CBO recebeu o seguinte e-mail de Eduardo Mello, assessor de imprensa do deputado federal Josué Bengtson (PTB/PA):

Conforme contato telefônico, peço a gentileza de corrigir o posicionamento do deputado Josué Bengtson (PTB-PA) em relação ao Ato Médico. O parlamentar votará a favor da manutenção dos vetos presidenciais.

 


Santa Casa de Santos abre vaga para subespecialização em Retina Clínica

O Centro de Estudos e Pesquisas do Serviço de Oftalmologia da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Santos abre uma vaga (1) para o Programa de Subespecialização em Retina Clínica. O programa é indicado para médicos com formação em oftalmologia geral e que estejam interessados em desenvolver habilidades nessa subespecialidade.

Para concorrer ao programa, os interessados devem enviar o currículo, com o pedido de inscrição explícito, por e-mail para a coordenação do programa de ensino em oftalmologia (oftalmo151.almir@terra.com.br), até às 12 horas do dia 30 de janeiro de 2014.

É pré-requisito para ingresso na atividade a graduação em medicina em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e conclusão de experiência de três anos em serviço de oftalmologia.

Os candidatos devem apresentar uma carta de recomendação do Coordenador do Serviço, no qual cumpriu o programa mencionado acima. O processo seletivo constará de prova teórica (20 questões sobre oftalmologia geral e 10 questões específicas de RETINA), entrevista com a coordenação de ensino em Oftalmologia e análise curricular. Será realizado em 01/02/2014, às 9h, no Serviço de Oftalmologia da Santa Casa de Misericórdia de Santos, localizado na Avenida Cláudio Luiz da Costa, 50, Santos- SP.

O início das atividades será dia 10 de fevereiro de 2014. Clique no link abaixo e confira o edital completo.

Edital de fellow em retina


De olho no calendário: Anuidade 2014 com desconto só até 28 de março

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) informa que o prazo para o pagamento da anuidade CBO 2014, com o valor promocional de R$ 590,00, pode ser realizada até 28/03/2014. Após esta data, o valor sofrerá um pequeno reajuste e passará a ser de R$ 630,00.

Para realizar o pagamento, basta acessar o site exclusivo da anuidade CBO, o www.anuidadecbo.com.br. São três as formas de pagamento:

Boleto bancário: basta imprimir o boleto bancário e realizar o pagamento no estabelecimento bancário de sua preferência (ou via internet banking da sua conta). Nesta modalidade, o pagamento só pode ser efetuado à vista.

Transferência Bancária: Transferência de sua conta para a conta do CBO. Nesta modalidade a transferência também só pode ser efetuada à vista. (Clientes de outros bancos, que não seja o Bradesco, podem cobrar, ou não, taxa mais alta para completar a transação. Consulte valores com o seu banco). Nesta modalidade é necessário enviar o comprovante da transferência para o e-mail financeiro@cbo.com.br para baixa no sistema.

Cartão de crédito: Nesta modalidade existe a possibilidade de parcelar o valor de sua anuidade em até três (03) vezes sem juros e utilizar o seu cartão de crédito.
Os médicos formados há até cinco (05) anos em Medicina tem 50% de desconto no ato de realizar o pagamento da anuidade CBO 2014.


Pague sua anuidade CBO com desconto até 14/03

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) publicou no mês passado um portal exclusivo para facilitar o pagamento da anuidade 2014, o www.anuidadecbo.com.br. Nele, além de publicar todas as principais vantagens exclusivas de associar-se à principal entidade da Oftalmologia nacional, o médico oftalmologista pode escolher entre três possibilidades de pagamento sem sair de casa.

São três as opções para o pagamento:

Impressão do boleto bancário (pagamento à vista)
Internet Banking Bradesco
Cartão de crédito (pagamento em até 3x sem juros)


Para garantir o êxito nas atividades bancárias, o portal obedece todas as principais normas de segurança para pagamento via internet e seu sistema é protegido com a vacina anti-malware. Nos casos de pagamento via cartão de crédito, o médico é redirecionado para o sistema da reconhecida Cielo. Se optar pelo Internet Banking Bradesco é direcionado ao sistema do banco Bradesco.

Para este ano o valor da anuidade CBO não sofreu reajuste, permanecendo em R$ 590,00. Esta promoção é válida para todos os pagamentos efetuados até 14/03/2014, portanto, o médico oftalmologista ainda tem 22 dias corridos para aproveitar o valor promocional. Após esta data, a anuidade sofrerá reajuste para R$ 630,00.

O CBO, além de oferecer todas essas vantagens, aproveita a sua associação para manter projetos fundamentais, como levar a atualização da Refração para todo o País, conscientizar parlamentares e gestores de saúde para a importância da Oftalmologia nacional e aproximar nossa entidade do Ministério da Saúde, além da participação em todos os fóruns institucionais do CFM, AMB e ANS, monitoramento dos cursos de Especialização credenciados, realização, em 2015, do V Fórum Nacional de Saúde Ocular, entre outras ações.

Não espere mais tempo e pague hoje mesmo a sua anuidade CBO com o desconto promocional e aproveite para contribuir para o fortalecimento da Oftalmologia no País.


Registre seu Título de Especialista no CRM de seu Estado

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) reforça aos médicos oftalmologistas a importância de registrar a sua Especialidade nos Conselhos Regionais de Medicina do seu Estado. Por mais que o médico esteja apto para exercer todas as especialidades médica que se sinta capaz, exercer a Especialidade NÃO REGISTRADA é infração médica desde a publicação do novo Código de Ética Médica (CEM), em 2010.

Muitos médicos, com direito a emitir o Título, acabam se esquecendo de registrar sua titulação, ou até não sabem de sua necessidade e acabam se sujeitando ao constrangimento de um processo e ao prejuízo financeiro relativo à produção de materiais de divulgação e da papelada do consultório afirmando ter Título de Especialista.

Além disso, a falta de registro correto no CRM de seu estado acarreta em redução artificial do número de oftalmologistas contabilizados pelo Conselho Federal de medicina (CFM), que contabiliza 7.465, longe do número do CBO. Este dado é prejudicial para nossa especialidade, pois oferece argumentos para aqueles que tentam conseguir a legalização da optometria não médica, alegando que há poucos oftalmologistas no Brasil, e também subdimensiona nossa especialidade no cenário da Oftalmologia mundial.

Para fazer o Registro de Qualificação de Especialista (RQE) é muito simples. O RQE é o número do registro de qualificação de especialista que é fornecido para o médico no ato do registro do Título de Especialista CBO/AMB ou Certificado Nacional de Conclusão da Residência Médica, do Ministério da Educação (MEC). Para isso é necessário que o médico se enquadre em uma das seguintes situações listadas abaixo:

1- Obteve o Título de Especialista por meio da prova CBO/AMB ou concluiu um programa de Residência Médica, credenciado pelo Ministério da Educação (MEC), em Oftalmologia.

2- Se enquadre no que é estabelecido na Resolução CFM nº. 1960, de 2010, que considera que até abril de 1989 as condições previstas para o registro do Título de Especialista eram diversas das atuais, e que grande parte dos médicos não registrou na época as suas especialidades. Entre as condições previstas, destacam-se possuir certificado de curso de especialização; possuir título de docente-livre ou de doutor; ocupar cargo público de caráter profissional na área da especialidade por mais de dez anos; ocupar cargo na carreira de magistério superior na especialidade por mais de dez anos, entre outras.

Veja como fazer para registrar sua especialidade

Com algumas pequenas variações entre os CRMs, para registrar o Título de Especialidade e/ou Área de Atuação, é necessário:

- Carteira Profissional de Médico;
- Preenchimento do formulário específico;
- Pagamento de taxa;
- Documentação que comprove a especialidade:

1- Residência Médica: certificado de conclusão expedido por Instituição credenciada pela CNRM (Comissão Nacional de Residência Médica);

2- Título de Especialista: Certificado expedido por Sociedade de Especialidade reconhecida pela AMB (Associação Médica Brasileira);

3- Especialização Médica até 15/04/1989: Certificado de conclusão;

4- Exercício da Especialidade até 31/12/1982: declaração do local de trabalho, com firma reconhecida do Diretor da Unidade, comprovante de atuação na especialidade por um período de 10 anos anterior a 15/04/1989.

5- Concurso Público: comprovante de atuação na especialidade por um período de 10 anos anterior a 15/04/1989;

6- Pós-Graduação anterior a 15/04/1989: certificado de conclusão;

7- Mestrado anterior a 15/04/1989: certificado de conclusão;

8- Medicina do Trabalho anterior a 15/04/1989: certificado de conclusão;

9- Médico do Trabalho: Certificado com Histórico escolar do Curso (pós-graduação, registro no Ministério do Trabalho) ou Declaração (somente se for atender ao(s) requisito(s) da Resolução 1960/2010).

Clique nos links abaixo e veja o passo a passo para realizar o registro de especialista, assim como toda a documentação necessária e a taxa para o pagamento. Obs: para as páginas que não possuem link direto para este passo a passo, será necessário entrar pessoalmente em contato com o CRM e solicitar mais informações.

CRM-AC - Não oferece link direto para o passo a passo

Cremal - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-AP - Não oferece link direto para o passo a passo

Cremam - Não oferece link direto para o passo a passo

Cremeb - Oferece link direto

Cremec - Oferece link direto

CRM-DF - Oferece link direto

CRM-ES - Não oferece link direto para o passo a passo

Cremego - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-MA - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-MT - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-MS - Oferece link direto

CRM-MG - Oferece link direto

CRM-PA - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-PB - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-PR - Oferece link direto

Cremepe - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-PI - Não oferece link direto para o passo a passo

Cremerj - Oferece link direto

Cremern - Oferece link direto

Cremers - Oferece link direto

Cremero - Não oferece link direto para o passo a passo

CRM-RR - Oferece link direto

Cremesc - Oferece link direto

Cremesp - Oferece link direto

Cremese - Oferece link direto

CRM-TO - Oferece link direto


Programa Atualização em Refração USP/CBO ainda com inscrições abertas

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), em parceria com o Instituto Central Divisão de Clínica Oftalmológica da Universidade de São Paulo (USP), irá realizar mais uma edição do programa "Atualização em Refração USP/CBO". O evento será realizado no Centro de Convenções Rebouças - auditório amarelo - durante o Pré-Congresso da USP, em 28 de novembro das 8h20min às 18h.

Para chancelar o conhecimento científico, o evento contará com as participações de Paulo Gelman Vaidergorn, Murilo Barreto Souza, Fabrício Witzel de Medeiros, Aníbal Mutti, César Lipener, Nélide Skitnevisky Catach, Adamo Lui Netto, A. Duarte, Keila Miriam Monteiro de Carvalho e Nádia Carvalho. O presidente do CBO, Milton Ruiz Alves, abrirá os estudos científicos.

As inscrições estão abertas. Para realizar sua inscrição, basta mandar um e-mail para assessoria@cbo.com.br e informar o seu nome e disponibilidade para comparecer ao curso. Com este processo feito, basta aguardar a resposta pelo mesmo e-mail.

Importante
Os participantes do curso terão desconto de 10% na inscrição para o Congresso da USP.

Centro de Convenções Rebouças
Endereço: Av. Rebouças, 600, Pinheiros, São Paulo - SP, 05403-000


Veja como é fácil editar conteúdo no Prontuário Eletrônico do CBO

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia disponibiliza de forma gratuita para o seu associado o Prontuário Eletrônico Universal P2D. Seu programa foi cuidadosamente elaborado com a participação da Comissão Especial do CBO, que modificou e alinhou os principais aspectos do prontuário, deixando-o mais próximo da realidade e necessidade diária dos médicos oftalmologistas.

Acesse os links abaixo e assista o material didático sobre a edição da ficha clínica e do Termo de Consentimento Esclarecido.

Ficha Clínica

Termo de Consentimento Esclarecido

Importante: Uma equipe da P2D estará presente durante toda a realização do XXI Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual / II Congresso de Oftalmologia de Língua Portuguesa, de 03 a 06 de setembro, em Recife, na ilha "Cyber Lounge", para tirar todas as dúvidas dos usuários.

Conteúdo exclusivo ao associado CBO!



Ainda não tem o prontuário eletrônico instalado nos computadores de sua clínica/consultório? Então clique aqui e faça a solicitação!

Para tornar-se associado e garantir mais esta exclusividade, basta realizar o pagamento de sua anuidade no site www.anuidadecbo.com.br.


Pesquisa de satisfação. Participe!

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia disponibilizou em seu site importante pesquisa para avaliar como está o desempenho de suas atividades. O principal objetivo desta ação é encontrar os pontos falhos na sistemática de atuação da entidade e garantir ao médico oftalmologista, associado ao CBO, o melhor atendimento possível. A Pesquisa de Satisfação ficará disponível por todo o mês de Junho de 2012.

Para participar é só acessar o link abaixo. O procedimento é muito fácil e não levará mais que dois minutos.

http://www.cbo.com.br/novo/medico/pesquisa/

 

 


Confira a grade científica do Curso de Refração em Manaus

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa a grade completa do Curso de Refração, que será realizado em Manaus, no Amazonas, no Condomínio do Centro Médico e Odontológico de Manaus, 09 e 10 de maio de 2014. O evento faz parte do Programa de Atualização em Refração CBO. Clique aqui e leia entrevista com Milton Ruiz Alves, um dos idealizadores deste programa.

O curso terá como coordenadores os professores Adamo Lui Netto e Milton Ruiz Alves. Confira a grade completa abaixo:

Sexta-feira, 09 de maio

19h30 - 19h50 - Refração Subjetiva
19h50 - 20h10 - Ciclopegia. Quando, como e por que aplicá-la?
20h10 - 20h30 - Critérios para a prescrição óptica. Tolerância acomodativa
20h30 - 20h45 - Coffee Break
20h45 - 21h05 - Espaço Essilor
21h05 - 21h25 - Fatores de ajustamento das prescrições: centralização, distanciamento e inclinação das lentes
21h25 - 21h45 - Materiais e tratamentos das lentes oftálmicas
21h45 - 22h05 - Perguntas e respostas

Sábado, 10 de maio

08h00 - 08h40 - Hipermetropia - discussão de casos
08h40 - 09h20 - Miopia - discussão de casos
09h20 -10h00 - Astigmatismo - discussão de casos
10h00 - 10h15 - Coffee Break
10h15 - 10h30 - Espaço Essilor
10h30 - 11h10 - Anisometropia - discussão de casos
11h10 - 11h40 - Presbiopia - discussão de casos
11h40 - 12h00 - Discussão
12h00 - 12h15 - Coffee Break
12h15 - 14h00 - Prática Wet Lab Médicos

As inscrições permanecem abertas para oftalmologistas e residentes de Manaus e localidades próximas. Para garantir sua presença, envie um e-mail para assessoria@cbo.com.br contendo o seu nome completo, CPF, número do CRM e aguarde a confirmação de inscrição.


Escolha da cidade sede para o XXIII Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual de 2018

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que está aberto o período de inscrição para a escolha da cidade sede do XXIII Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual de 2018.

Para sediar um evento com essas características é necessário elaborar um projeto de candidatura e comprovar toda a infraestrutura básica solicitada no "manual de candidatura", localizada no site do CBO. Clique aqui e acesse o documento na íntegra.

Envio da documentação:


A documentação deve ser enviada impreterivelmente via Sedex até o dia 08/08/2014, aos cuidados de Keila Monteiro de Carvalho - secretária-geral do CBO, para o seguinte endereço:

Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Rua Casa do Ator, 1117 - Conjunto 21,22,23
Cep: 04546-004 - Vila Olímpia-SP.


Anuidade CBO 2014 está disponível no site

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que já está disponível a possibilidade de realizar o pagamento da sua anuidade CBO 2014 no nosso portal. O valor não sofreu reajuste e permanece o mesmo (R$ 590,00) cobrado em 2013. A anuidade sem reajuste poderá ser paga até 14/03/2014.

Ao associar-se à principal entidade representativa de nossa classe você estará contribuindo para o fortalecimento da luta em defesa das prerrogativas do médico oftalmologista e sua valorização como o ÚNICO guardião da saúde ocular da população.

E como é feito isso? Com a parceria dos colegas de todo o Brasil que anualmente contribuem com a entidade e se associam. O CBO utiliza a receita desta grande parceria para promover o ensino da especialidade de qualidade, a publicação da revista indexada mais importante da América-Latina, levar a o ensino da Refração por todo o País e promover diversos cursos de educação continuada.

Além disso, está presente em inúmeras reuniões no Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB) Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e luta diariamente no Congresso Nacional, no governo federal, estaduais e municipais para impedir que não médicos exerçam a medicina e prejudiquem a saúde ocular da população.

Muito ainda é necessário para fazer, mas com a sua parceria, com certeza, chegaremos lá.

Clique aqui e faça agora mesmo o pagamento de sua anuidade 2014. Você poderá escolher entre o pagamento via cartão de crédito (sem juros em até 3x), boleto bancário (à vista) ou transferência on-line de Bradesco para Bradesco. Médicos contemplados com o desconto de 50% (formados em medicina há menos de 05 anos) apenas poderão fazer o pagamento à vista.


Inscrições abertas para o XX Congresso

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que já estão abertas as inscrições para o XX Congresso Brasileiro de Prevenção da Cegueira e Reabilitação Visual, que será realizado de 12 a 15 de setembro no Anhembi Parque em São Paulo (SP).

O site oficial do evento é o www.cbo2012.com.br

A Comissão Executiva do congresso estipulou períodos de promoção para o pagamento da inscrição. Vale lembrar que os valores variam de acordo com a situação do médico solicitante.

Para conferir os valores da inscrição do Congresso clique aqui.

Normas também disponíveis

No site oficial do evento, no menu ?Área Científica?, estão as normas para o envio de Cursos de Instrução, Temas Livres e Relatos de Casos, além do Envio de Vídeo. Atenção para as características desses processos e para as datas limites:


  • Cursos de Instrução - 10/04/2012 às 17h.
    Temas Livres e Relatos de casos - 10/04/2012 às 17h
    Vídeo - 07/05/2012


Para conferir as normas de envio de Cursos de Instrução clique aqui

Para conferir as normas de envio de Temas Livres e relatos de Casos clique aqui

Para conferir as normas de envio de vídeo clique aqui


Prazo para o pagamento da anuidade CBO/2012 sem reajuste termina amanhã

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que o prazo para o pagamento de sua anuidade/2012 sem o reajuste esgota-se amanhã. A partir de 28/04/2012, a anuidade sofrerá um pequeno acréscimo de R$ 40,00 para médicos formados* há mais de cinco anos e de R$ 20,00 para os formados* há menos de cinco anos.

*Formados em medicina

Efetuando o pagamento da anuidade 2012

Você, médico oftalmologista que ainda não efetuou o pagamento da anuidade e deseja se associar à principal entidade de sua especialidade, precisa realizar seis pequenos passos para concluir a transação. São eles:

1- Acesse o site do CBO (www.cbo.com.br);
2- Faça o seu login na área restrita;
3- Entre no menu ?anuidade 2012?;
4- Escolha a opção de pagamento que melhor lhe atende (cartão de crédito ou boleto bancário);
5- Se escolher cartão de crédito, não feche as janelas até finalizar a operação;
6- Se a modalidade for boleto bancário, você pode pagar a fatura em até dois dias, desde que impresso em 27 de abril;

Você ainda pode doar!

O CBO reforça também que a possibilidade de contribuir com R$ 50,00 do valor de sua anuidade para uma sociedade estadual de oftalmologia ou para a FeCOOESO termina também no dia 27 de abril. Associados beneficiados com o desconto de 50% da anuidade não podem fazer a doação.

Não perca mais tempo, garanta o pagamento de sua anuidade sem reajuste e contribua com a entidade de sua escolha!!


Importante: lista de aptos para o Exame de Suficiência em Categoria Especial

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia informa que, por motivo de problemas técnicos, não foi possível disponibilizar a lista de aptos a realizar o Exame de Suficiência em Categoria Especial para Obtenção do Título de Especialista, como determina seu edital.

Estamos trabalhando para resolver este problema e disponibilizar, assim que possível, o documento completo.


CBO realizará o curso Noções Essenciais em Saúde Suplementar no dia 09/08

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia irá realizar, em 09 de agosto, das 10h às 12:30hs, no auditório da Essilor, localizado na Rua da Alegria, 262 - Brás - São Paulo/SP, o Curso Noções Essenciais em Saúde Suplementar: Como lidar com o plano de saúde em seu consultório. Sua grade de aulas foi elaborada pelos experts da Comissão de Saúde Suplementar da entidade, com o objetivo de atualizar os conhecimentos dos médicos oftalmologistas nesta matéria em busca do aprimoramento das tratativas com as operadoras de saúde suplementar. Será coordenado pelo médico oftalmologista Carlos Heler Ribeiro Diniz.

As vagas são limitadas. Garanta a sua!


O curso é totalmente gratuito e está com as inscrições abertas. Para garantir a sua presença é necessário enviar um e-mail para diretoria@cbo.com.br , solicitar a sua inscrição e aguardar o e-mail de confirmação. Como as vagas são limitadas, o critério adotado para a inscrição será a ordem de chegada da solicitação ao e-mail determinado, portanto, não perca tempo!

Importante: Os inscritos presenciais devem chegar com pelo menos meia hora de antecedência ao local do curso, pois será oferecido coffee break!

Confira a grade do curso!

Introdução - Cenário da Saúde Suplementar no Brasil em números
Palestrante: Dr. Carlos Heler (Coordenador)

Estrutura organizacional da assistência privada à saúde no Brasil
Palestrante: Dr. Newton Andrade

CBHPM, ROL ANS e dispositivos legais no contexto da Oftalmologia
Palestrante: Dr. Reinaldo Ramalho

Credenciamento de unidades prestadoras de serviços oftalmológicos
Palestrante: Sr. João Fernandes

Aspectos práticos acerca de negociações com operadoras de seguros privados de assistência à saúde (faturamentos, pacotes, glosas, etc)
Palestrante: Sr. João Fernandes

Debate e respostas a eventuais questões de associados
Moderador: Dr. Nelson Louzada

Endereço do auditório
Local: Auditório Essilor
Endereço: Rua Alegria, 262 - Brás - São Paulo-SP
Importante: Os inscritos presenciais devem chegar com pelo menos meia hora de antecedência.

O curso também será transmitido ao vivo!


Os oftalmologistas que não puderem estar presentes presencialmente poderão ter acesso ao curso ao vivo direto do conforto de sua casa. Para participar basta acessar o link www.cbo.com.br/saudesuplementar minutos antes das 10h e realizar o login preenchendo os dados solicitados pelo canal. Participe!


A Palavra da Secretaria Geral

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia é responsável pela Prova Nacional do Título de Especialista em Oftalmologia sendo-lhe conferida esta atribuição por ser o Departamento de Oftalmologia da Associação Médica Brasileira (AMB). A Prova deve ser realizada pelos alunos que concluem os três anos de residência em Oftalmologia, tanto advindos dos Cursos de Especialização em Oftalmologia credenciados pelo CBO, como pelos advindos das Residências em Oftalmologia credenciadas pelo MEC.

O CBO enviou, na semana passada, carta aos médicos que embora tenham o Título de Especialista não fizeram o devido registro no Conselho Regional de Medicina do Estado de atuação do médico.

Esta iniciativa reforça aos médicos a importância de efetuar o registro do Titulo de Especialista no CRM de seu estado. Apenas com essa ação é que o Conselho Federal de Medicina (CFM) ratifica o médico como Oftalmologista. E com isso podemos saber exatamente quantos Oftalmologistas atuam em nosso País.

Para facilitar o conhecimento sobre o tema, foi publicada matéria com as informações básicas para o médico concluir tal procedimento que pode ser acessada aqui

Para o passo a passo do registro do Título informamos as páginas oficiais de todos os Conselhos Regionais de Medicina do País com o devido link.

Abaixo, selecionei os artigos do Código de Ética Médica, válido em sua sexta edição desde 13/04/2010, e da Resolução CFM 1.974/11 que tratam sobre o assunto.

O artigo 115 do Código de Ética Médica, válido desde 13/04/2010, diz o seguinte:

"É vedado ao médico: Anunciar títulos científicos que não possa comprovar e especialidade ou área de atuação para a qual não esteja qualificado e registrado no Conselho Regional de Medicina".

Clique aqui e confira todo o código na íntegra.

A Resolução CFM, número 1.974/11 determina os princípios para a Publicidade Médica. O artigo 3 desta Resolução afirma o seguinte:

"É vedado ao médico: Anunciar, quando não especialista, que trata de sistemas orgânicos, órgãos ou doenças específicas, por induzir a confusão com divulgação de especialidade".

Clique aqui e acesse o documento na íntegra.

A mesma Resolução CFM 1974/11, no artigo primeiro define a publicidade:

"Entender-se-á por anúncio, publicidade ou propaganda a comunicação ao público, por qualquer meio de divulgação, de iniciativa, participação e/ou anuência do Médico".

Caso o colega ainda não tenha efetuado o registro de seu Titulo de Especialista no CRM de seu estado, contamos com sua colaboração para esta ação.

Keila Monteiro de Carvalho
Secretária-Geral
Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Gestão 2013/2015


Prova Nacional de Oftalmologia entra em sua fase final

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia, por meio de sua Comissão de Ensino, informa o resultado das provas Teórico I, II e Teórico-Prática de 2014. Dentre os 642 candidatos inscritos, 603 compareceram ao Centro de Convenções Frei Caneca para prestar o exame e, entre eles, 311 (51,58%) conquistaram a aprovação e o direito de realizar a prova prática.

A prova prática é o último exame prestado pelo médico antes de estar apto a emitir o Título de Especialista CBO/AMB e reforçar o contingente de especialistas no País. Deste modo a população receberá mais médicos especialistas que tiveram sua qualidade reconhecida e aprovada para salvaguardar a saúde ocular do Brasileiro.
Vale ressaltar que atualmente o número de especialistas reconhecidos pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) é de 9.370. É importante lembrar que o CFM apenas reconhece o médico como especialista quando o mesmo registra devidamente o seu Título de Especialista no Conselho Regional de Medicina (CRM) de sua área de atuação.

Para mais informações, acesse o link clicando aqui

Qualidade no ensino dos Cursos Credenciados

Os alunos provenientes de Cursos Credenciados do CBO, espalhados por diversos centros do território nacional, tiveram alto índice de êxito, com 212 aprovados (73,87%, dos 296 alunos inscritos). Este número confirma, além da dedicação e conhecimento dos alunos, a excelência buscada pela entidade para o ensino da Especialidade, uma das principais vertentes do CBO.

Para conquistar o direito de se tornar um Curso Credenciado, a instituição candidata passa por criterioso filtro provido pela Comissão de Ensino. Entre os principais aspectos avaliados estão a infraestrutura básica do curso, seu corpo docente (Titulação e vínculo com a instituição) e se o curso oferece atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, é importante que o curso comprove sua vocação primordial para o ensino da Especialidade. Somente com a união de todos esses fatores é que a Comissão de Ensino indica o curso para credenciamento pelo Conselho Deliberativo do CBO, garantindo a qualidade do ensino da oftalmologia como é comprovada nos números acima.

Para conferir a lista dos aprovados clique aqui

Exame de Suficiência Especial

Ainda em 2014, o CBO irá aplicar o Exame de Suficiência em Categoria Especial para a Obtenção do Título de Especialista CBO/AMB e oferecerá nova oportunidade para a conquista desta importante titulação. Inicialmente elaborado com data de formação mínima de 15 anos, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia conseguiu junto à Associação Médica Brasileira (AMB) que esse critério fosse abrandado em 05 anos - passando para formandos até 31/12/2003 - com o objetivo de garantir que mais médicos tenham a possibilidade de prestar o exame e confirmar seus conhecimentos na Especialidade.

As inscrições para o exame estão abertas até o dia 15 de abril. Será realizado em 03 de setembro de 2014, no Centro de Convenções de Pernambuco, localizado na Avenida Professor Andrade Bezerra, s/n - Salgadinho - Olinda-PE.

Clique aqui e confira mais informações sobre o exame, assim como o seu edital completo.


Consultório de optometrista é fechado no Paraná

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia, representado pela advogada Deborah Medeiros e pelo representante da Associação Paranaense de Oftalmologia (APO), o médico oftalmologista Paulo Yoshio Takeuti, participou de diligência, ontem (28/04), na cidade de Nova Londrina-PR, com a finalidade de apurar fatos relacionados ao exercício ilegal da medicina, praticado por optometrista na cidade.

O procedimento legal foi realizado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). Os profissionais de imprensa do SBT e da Record acompanharam a diligência.

A secretária da clínica FISIOMED, local onde funciona o consultório de optometria denunciado, prestou esclarecimentos junto ao delegado do GAECO, o doutor Elmano Rodrigues Ciriaco, informando que o optometrista realmente possui consultório montado na clínica e atende por volta de dez pacientes por dia (a agenda foi apreendida pelos profissionais do GAECO), realizando testes de visão e indicando o uso de óculos, caso necessário.

O responsável pelo consultório, Brasilisio de Castro Neves, optometrista e vereador de Nova Londrina, afirmou que atende seus pacientes de acordo com orientação do autodenominado Conselho Regional de Ótica e Optometria (CROO) desde 2006, porém, apenas realiza o teste de visão e não indica o uso de medicação. Afirmou, ainda, que atende alguns pacientes pelo SUS através de um convênio firmado há mais de 5 anos entre a prefeitura de Nova Londrina e a empresa Centro de Correção Visual, registrada em nome de Flávio Alexandre Xavier, seu afilhado, e assim, todos os atendimentos são prestados com base nesse vínculo com o município na clínica Fisiomed.

Castro Neves informou ainda que há um Mandado de Segurança (MS) coletivo no Tribunal de Justiça do Paraná que garantiria seu exercício profissional, em contraposição à legislação federal vigente (decretos 20.931/32 e 24.492/34).

Em razão do constrangimento que poderia causar caso o local fosse lacrado, o promotor ofereceu ao optometrista a possibilidade de assinar um termo de suspensão de atividades até a conclusão dos trabalhos investigativos do GAECO e/ou ulterior deliberação judicial competente. O optometrista assinou a declaração de suspensão, sob pena de responsabilidade penal nos termos dos crimes de desobediência e fraude processual.

O promotor afirmou que por volta de 15 dias oferece a denúncia contra o optometrista em razão do art. 282 do Código Penal.


CBO credencia oito Cursos de Especialização em Oftalmologia

O Conselho Deliberativo do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) aprovou, em reunião realizada em 29 de novembro, o credenciamento de oito Cursos de Especialização em Oftalmologia.

Agora, a entidade passa a chancelar 75 Cursos no território nacional, proporcionando educação oftalmológica de qualidade, altamente especializada com o objetivo de qualificar ainda mais seus alunos para garantir o melhor atendimento em saúde ocular para a população brasileira.

Confira abaixo a lista com o nome, endereço, coordenador e quantidade de vagas disponíveis destes cursos:

Universidade Federal de Alagoas - Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (Hupaa)
Coordenador: Mário Jorge dos Santos
Quantidade de vagas: 03
Endereço: Avenida Lourival melo Mota, s/n. Tabuleiro do Martins - Maceió-AL - 54072-900
Telefone: (82) 3202-3874 / 3202-3737
Site: http://www.hupaaufal.org/

Hospital de Olhos Ruy Cunha - DayHorc
Coordenadora: Auta Viviane Figueiredo Rocha Sá
Quantidade de vagas: 05
Endereço: Avenida Ruffo Galvão, 274. Centro ? Itabuna-BA ? 45600-000
Telefone: (73) 3214-2020
Site: http://www.dayhorc.com.br/pt

Hospital Santa Luzia - Fundação Colombo Spínola
Coordenadora: Mariluze Maria dos Santos Sardinha
Quantidade de vagas: 03
Endereço: Praça Conselheiro Almeida Couto, 110. Nazaré. Salvador-BA - 10050-105
Telefone: (71) 2109-3536 / (71) 2109-3500
Site: http://hospitalsantaluzia.org.br/

Universidade Federal do Espírito Santo - Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes
Coordenador: Ângelo Ferreira Passos
Quantidade de vagas: 04
Endereço: Avenida Marechal Campos, Sn. Maruípe - Vitória-ES - 29062-515
Telefone: (27) (27) 3335-7100
Site: http://portal.ufes.br

Hospital da Fundação Banco de Olhos de Goiás
Coordenadora: Luciana Barbosa Carneiro
Quantidade de vagas: 06
Endereço: Rua Couto Magalhães, 50. Jardim da Luz. Goiânia-GO - 74850-410
Telefone: (62) 3219-4106 / (62) 3282-1002
Site: http://www.fubog.org/

Hospital de Olhos Aparecida (HOA)
Coordenador: Alexandre Chater Taleb
Quantidade de vagas: 02
Endereço: Avenida Abel Ribeiro, Qd32 Lt. 05 a 10. Centro. Aparecida de Goiânia-GO - 74980-010
Telefone: (62) 3097-8127 e (62) 3097-2100
Site: http://www.hoa.com.br/index.asp

Hospital Quarteirão da Saúde de Diadema
Coordenadora: Marta Beatriz de Filippi Sartori
Quantidade de vagas: 03
Endereço: Avenida Antônio Piranga, 700. Centro. Diadema-SP - 09911-160
Telefone: (11) 4043-8000 e (11) 4043-8000
Site: -

**Hospital Oftalmológico do Acre
Coordenadora: Natália Pimentel Moreno
Quantidade de vagas: 02
Endereço: Avenida Ceará, 1755. Rio Branco-AC - 69900-088
Telefone: (68) 3224-2161
Site: http://www.hoalaser.com.br/

**Aguarda complementação de documentação.


CFM apoia nova medida do MEC, mas a considera insuficiente

O Conselho Federal de Medicina (CFM) considerou insuficiente a decisão do Ministério da Educação (MEC) de alterar a regulamentação para abertura de cursos de medicina no país. Para Roberto d?Ávila, seria fundamental promover planos de carreira no SUS e buscar interiorizar a assistência medica a fim de garantir a fixação de profissionais em áreas carentes desses profissionais.
A medida do MEC estimula a criação de cursos em cidades que disponham de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) em número suficiente para a realização de programas de residência nas principais especialidades (clínica médica, cirurgia, ginecologia-obstetrícia, pediatria e medicina de família e comunidade). D?Ávila reiterou, no entanto, sua concordância com a regulamentação dos cursos, declarando-se favorável a estes ?desde que ocorra o preenchimento de todos os critérios do MEC e exista a garantia da qualidade de ensino, com vagas para a residência médica?.

Veja matéria no portal do CFM.


Número de médicos cresce, mas distribuição permanece precária

O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou os resultados da última pesquisa ?Demografia Médica no Brasil?. Os dados condizem com as tendências observadas no país ao longo das últimas décadas. O número de médicos tem aumentado exponencialmente e já atingiu os 388.015 em outubro de 2012. Nos últimos 42 anos, a taxa de crescimento da categoria superou os 550%. Ainda assim, a distribuição de profissionais pelo território nacional continua bastante irregular, com a maioria esmagadora fixada nas capitais, deixando os interiores e áreas de difícil acesso bastante carentes.
Confira a pesquisa na íntegra aqui.
Veja outras análises dos resultados no portal do CFM.


Entidades médicas pedirão intervenção federal na saúde do RN

O Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) irão protocolar denúncia à Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a deficitária situação da saúde no Rio Grande do Norte. A iniciativa foi determinada após vistoria ao Hospital Walfredo Gurgel, o maior hospital publico potiguar, em 18 de agosto onde foi identificada uma série de problemas que ferem os princípios da ética e da dignidade humana.

O levantamento, elaborado por uma comissão formada por representante das entidades, apontou para pacientes em macas e sem previsão de atendimento, corredores servindo de quarto de internação, falta de medicamentos e lixo espalhado, além de muitos outros. Estes dados constarão em um relatório que será entregue ao Ministério da Saúde e a OEA. Posteriormente a sua entrega, os conselheiros requisitarão intervenção federal no sistema público de saúde do estado.

"A ideia de trazer a comissão à Natal ocorreu em virtude das graves violações que os direitos dos cidadãos têm sofrido, particularmente na assistência a saúde", completou Geraldo Ferreira, presidente do Fenam.

Confira matéria completa no site do CFM.


CFM e CRMs pedem mediação da presidente

O Conselho Federal de Medicina (CFM) e os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) encaminharam uma carta aberta à Presidente Dilma Rousseff, solicitando que medeie a questão da importação de médicos.

Veja matéria no portal do CFM.


CFM e CRMs divulgam nota contrária ao posicionamento do Governo

O Conselho Federal de Medicina (CFM) em conjunto com representantes dos 27 Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) divulgou nota, em seu site no último dia 7 de março, contrária a proposta do Governo de ampliar o número de vagas e cursos para a formação de médicos no País.

Segundo o consenso dos conselhos, a abertura de novas vagas e cursos de medicina, além da possível atuação de médicos estrangeiros sem a validação de diploma no Brasil, são falácias que tentam desviar a sociedade das medidas que, efetivamente, podem colaborar para o fim da desigualdade na assistência em saúde.

Dados levantados pelo CFM reiteram que existem 372 mil médicos e 185 escolas de medicina em atividade no País, o que coloca o Brasil atrás somente da China, EUA, Índia e Rússia em número absoluto de médicos.

Em termos proporcionais, os dados mais recentes apontam uma razão de 1,95 médico por 1.000 habitantes no país. No entanto, internamente, essa média não é uniforme: no Sudeste, o índice é de 2,6; e no Norte, fica em 0,8.

A desigualdade resulta diretamente da falta de estimulo para que médicos e outros profissionais de saúde deixem os centros mais desenvolvidos e se fixem em áreas distantes e não no número total de médicos.

Veja nota divulgada pelos Conselhos de Medicina no site do CFM


CFM aprova dois pareceres sobre oftalmologia

O Conselho Federal de Medicina (CFM) recomendou ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran) a retirada de artigo 267/08 de sua resolução que exige equipamentos para mensurar a sensação de ofuscamento. O posicionamento do CFM, respaldado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), se deve ao fato de não haver aparelhos com reconhecida eficácia para a mensuração desta perturbação visual.

Segundo José Fernando Vinagre, relator do documento, as restrições devem ser reportadas quando houver necessidade de registro na CNH. "A restrição que veda dirigir após o pôr do sol, por exemplo, não encontra diretrizes adicionais no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), resoluções do Contran ou diretrizes da especialidade, devendo ficar a critério do médico perito examinador de trânsito, decididas após exame de aptidão física e mental", complementa.

Diagnósticos e receitas oftalmológicas - Outro parecer sobre o tema aponta que ?as diferenças numéricas nos vários diagnósticos e receitas oftalmológicas são frequentes e quando pequenas não significam, necessariamente, exames equivocados dos erros de refração?. A consulta efetuada ao CFM levantou dúvidas sobre o exame de refração, abrangendo adaptação de óculos, erros de refração e retorno à consulta médica e ampliou o esclarecimento já prestado por pareceres de conselhos regionais sobre a questão.

Acesse os links abaixo e confira na íntegra os pareceres emitidos pelo CFM para estes dois assuntos.

Campo Visual

Exame de Refracao


Resoulção CFM 1.772/05 é revogada

O Conselho Federal de Medicina (CFM) revogou, na sessão plenária de fevereiro, a Resolução CFM 1.772/05, que institui o Certificado de Atualização Profissional para os portadores dos títulos de especialista e cerfificados de áreas de atuação.

O parecer foi publicado no Diário Oficial da União no dia 14 de março.

Clique aqui e confira no DOU a íntegra do documento.


CFM e MPF fiscalizarão saúde

O Conselho Federal de Medicina (CFM) se juntará ao Ministério Público Federal (MPF) para fiscalizar os serviços de saúde do país, em especial os oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa foi decidia no dia 5 de junho durante uma reunião entre a diretoria do CFM e os presidentes dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs), que implantarão a medida.

Segundo relatório do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), 57,7% dos hospitais do estado têm pacientes alojados nos corredores, 99,2%rportam dificuldade para transferir pacientes para outros serviços e 57,7% não dispõem de equipe médica completa.
Veja matéria completa no portal do CFM.


Entidades entregaram propostas à presidente

O Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) entregaram à presidente Dilma Rousseff, nesta quinta-feira, dia 4, propostas para a resolução de problemas como distribuição dos profissionais de saúde pelo território nacional, a formação de novos médicos, a fiscalização e o financiamento da saúde.

Mais uma vez, as entidades foram críticas à aceitação sem critérios de médicos estrangeiros no país e defenderam a criação de planos de carreira pública. ?Da forma como está hoje, os médicos vão para o interior do país, mas quando se deparam com salários atrasados e com a falta de condições de trabalho, optam por voltar para as capitais. Isso acontece, inclusive, mesmo com os estrangeiros?, diz Carlos Vital Tavares Corrêa Lima, presidente do CFM.

Outras propostas incluíram a destinação de 10% dos recursos brutos da União ao financiamento da saúde e o pedido do apoio da presidente à PLS nº 174/2011, a Lei de Responsabilidade Sanitária.

Veja matéria completa no portal do CFM.


Resolução exige título de especialista para comandar serviços assistenciais

O Conselho Federal de Medicina aprovou, no dia 8 de fevereiro, uma resolução, exigindo título de especialista para exercer o cargo de diretor técnico ou de supervisão, coordenação, chefia ou responsabilidade médica pelos serviços assistenciais especializados. A resolução também permite ao supervisor, coordenador, chefe ou responsável assumir a responsabilidade de até duas unidades de serviços assistenciais.

Ver resolução no portal do CFM.


CFM considera regime de trabalho de médicos cubanos ?próximo à escravidão?

O Conselho Federal de Medicina encaminhou uma representação à Procuradoria Geral da União, denunciando o regime de trabalho dos médicos cubanos atuantes no exterior. Segundo Luiz Roberto d?Avila, presidente do CFM, o tratamento dispensado a esses profissionais seria ?desumano e cruel? e o regime, ?próximo à escravidão?.

Os aspectos criticados do contrato incluem a proibição dos relacionamentos amorosos com nativos que não estejam de acordo com o sistema político cubano, da solicitação de empréstimos aos moradores locais, da comunicação com a imprensa sem prévia autorização, da amizade com médicos desertores e a restrição do contato com os familiares em Cuba e do deslocamento dos médicos pelo país.

Aníbal Antonio Cruz Senzano, presidente da Confernel, órgão semelhante a um Conselho Federal boliviano, criticou a atuação dos cubanos em seu país. ?O trabalho dos médicos cubanos tem sido tão desacreditado, ao ponto de as pessoas pararem de procurá-los, retornando a buscar apenas os médicos bolivianos?, afirmou.

Veja matéria completa no portal do CFM.


CFM lança nova revista

O Conselho Federal de Medicina lançará, em breve, a revista Medicina CFM. A publicação vai tratar das relações entre a medicina e temas como filosofia, antropologia, arte e cultura.
É possível assinar a revista pelo e-mail imprensa@portalmedico.org.br ou pelo site http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=23477:cfm-lanca-revista-de-humanidades-medicas&catid=3, onde também está disponível a primeira edição em PDF.


Oftalmologia é a oitava especialidade em número de Títulos no Estado de São Paulo

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) classificou a Oftalmologia em oitavo lugar no ranking de especialistas registrados no Estado de São Paulo. O estudo, divulgado na edição de outubro do Jornal do Cremesp, mostra que os oftalmologistas respondem por 2.750 médicos especialistas. A especialidade com o maior número de titulados é a Pediatria, com 8.313.

A matéria também afirma que dos 106.418 médicos ativos no Estado em 2012, pouco mais da metade (55,96%) referentes a 59.555 médicos, possuem o Título de Especialista e os demais, que respondem por 44,04% são considerados médicos generalistas.

Acesse o Jornal do Cremesp virtual e confira a matéria na íntegra.


Resultado do Exame do Cremesp é divulgado

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) divulgou ontem os dados referentes ao Exame do Cremesp, realizado em 2013 pela entidade. A prova é realizada anualmente com os médicos recém-formados em escolas médicas.

A matéria informa que 3.328 recém-graduados em Medicina prestaram o exame em 03 de novembro de 2013. Destes números, 458 são médicos que representaram 78 instituições de ensino de outros estados e 2.843 vindos de 30 escolas paulistas.

A taxa de reprovação, dos candidatos de São Paulo, atingiu a marca expressiva de 59,2% (1.684 médicos). Desses reprovados, 71% são alunos de instituição de ensino privado e 33,9 formados em escolas médicas públicas. Para não ser reprovado no exame o médico deveria acertar pelo menos 60% da prova. Ainda, de acordo com a matéria, a aprovação dos alunos vindos de outros estados alcançou 71%.

Confira matéria completa no site do Cremesp


Cremesp e CFM divulgam estudo sobre a concentração de médicos no Brasil em 2020

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) divulgou ontem, em seu site, o estudo "Concentração de Médicos no Brasil em 2020", em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Em suas páginas, disserta sobre a abertura de novos cursos e vagas em medicina, o que poderia acirrar a desigualdade na distribuição desses profissionais pelo território nacional e aumentar sua concentração no setor privado.

O estudo faz também uma simulação, com base fundamentada, da quantidade de médicos brasileiros que estariam atuantes em 2020, no modelo de gestão atual e sem a abertura de novos cursos ou aumento de vagas. Os dados revelam que a quantidade de médicos (na previsão 2,5/1.000) seria superior ao índice determinado pelo Governo Federal, no qual estabelece 2,20 médicos para cada 1.000 habitantes.

Confira o estudo na íntegra acessando o site do Cremesp, clique aqui.


Estudo do Cremesp revela enorme crescimento no faturamento dos Planos de Saúde nos últimos nove anos

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) divulgou, em seu site, um importante levantamento no qual ressalta que o faturamento dos Planos de Saúde (2003 a 2011) cresceu três vezes mais que o valor médio da consulta médica. O levantamento ainda afirma que a receita anual deste mercado passou de R$ 28 bilhões para R$ 83,4 bilhões no período.

Segundo o Cremesp, se o reajuste dos honorários médicos tivesse acompanhado o crescimento do setor econômico, a consulta deveria valer hoje R$ 83,40 em média, valor pouco superior aos R$ 80,00 (mínimo exigido pelas entidades médicas). A média por consulta em 2011 ficou pouco acima da metade deste valor, com R$ 46,12.

Confira o estudo completo acessando o site do Cremesp.


Demografia Médica Paulista é divulgada pelo Cremesp

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) em conjunto com o Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou em 14 de dezembro importante documento que revela a distribuição dos médicos em São Paulo. Nomeado de Demografia Médica Paulista, suplemento da Demografia Médica no Brasil, esta nova pesquisa ressalta o levantamento focado exclusivamente nos mais de 106 mil médicos que atuam diretamente no território paulista.

Confira abaixo uma síntese dos resultados divulgados:

A capital São Paulo reúne 48.947 médicos, o equivalente a 86,40% dos profissionais da regional da Grande São Paulo;
O Estado de São Paulo conta com 1,26 especialista para cada generalista. Presidente Prudente (0,88) e Registro (0,97) são as duas cidades com o menor número para este índice. Já a cidade de Piracicaba (1,81) encontra-se no topo da lista.
Homens representam 59,1% do contingente médico na ativa; já as mulheres 40,9%. Em sete regionais há entre 2 e 2,25 médicos para cada médica: Araraquara (2.62), Barretos (2,50), São João da Boa Vista (2,33), Franca (2,32), Araçatuba (2,32), Registro (2,28) e Piracicaba (2,02).
A média de idade dos médicos paulistas é de 45,1. Registro é a regional com a média mais alta (50,2) e Presidente Prudente (42) é a que possui a menor média.
De todos os médicos na ativa, 61,2% são formados em escolas paulistas; os demais foram formados fora do Estado ou do País. Dentro deste índice, 52% foram formados em escolas públicas. Ribeirão Preto possui 72,5% de seus médicos formados em escolas públicas; Já na regional de Santos, 70,5% de seus médicos foram formados na rede privada.

A Oftalmologia aparece como a oitava especialidade mais presente no Estado de São Paulo. De acordo com o estudo existem 2.670 oftalmologistas em primeira opção, 78 como a especialidade em segunda opção e apenas dois como terceira, totalizando 2.750 médicos. A Pediatria é a Especialidade com maior número de médicos, sendo 8.045 na primeira, 261 na segunda e sete na terceira opção de carreira.

Confira todos os dados da pesquisa no site do Cremesp.


Cremesp pede ao CFM reabertura de protocolo entre médicos e indústria

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) encaminhou documento com algumas considerações contrárias ao protocolo assinado em 14 de fevereiro pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma). O protocolo em questão aborda o relacionamento entre os médicos e a indústria de medicamentos.

Confira abaixo o posicionamento do Cremesp em relação ao tema e que solicita ao CFM a reabertura desta discussão.

1-    O acordo  representa um retrocesso ao  sedimentar   práticas que são eticamente inaceitáveis. Dentre outras distorções, o documento  autoriza o recebimento pelos médicos de presentes e brindes oferecidos pelas empresas farmacêuticas, estipulando valores e periodicidade de difícil aferição;  autoriza o patrocínio de viagens e participações em congressos e eventos sem apontar os critérios para escolha dos médicos beneficiados; submete os médicos a propagandistas de laboratórios visando, inclusive,  o registro de efeitos adversos de medicamentos, tema de relevância sanitária que requer  total autonomia profissional.

2-    É inadequada a parceria entre um órgão federal julgador e disciplinador da classe médica e uma  entidade representativa de empresas privadas com interesses particulares nas áreas de Medicina e Saúde. Cabe ao CFM normatizar o exercício ético da profissão e cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) regular as práticas das  empresas farmacêuticas na  promoção comercial de medicamentos.

3-    O relacionamento entre médicos e farmacêuticas pode influenciar, de forma negativa ou desnecessária, as prescrições de medicamentos e as decisões de tratamento.  Os  gastos com ações dirigidas aos médicos  são repassados ao preço final dos medicamentos e têm impacto no bolso dos cidadãos e nos custos do sistema de saúde. Nenhum fator deve impedir que as prescrições sejam  decididas pelos médicos exclusivamente de acordo com as credenciais científicas dos medicamentos e as necessidades de saúde dos pacientes.

4-     O Cremesp solicita ao CFM que seja reaberta a discussão sobre a necessidade de revisão e de aprimoramento das normas éticas que envolvam a relação entre médicos e indústria farmacêutica.


Atente-se ao prazo de vencimento do boleto para preencher o aplicativo no site da prefeitura

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) reforça aos médicos paulistanos, que receberam indevidamente a cobrança da Taxa de Resíduos Sólidos de Saúde (TRSS), para que não deixem de preencher a declaração de não gerador dessa categoria de lixo até a data de vencimento (10 de abril) constada no boleto enviado.

O aplicativo para o envio das informações on-line está disponível no site da prefeitura e pode ser acessado clicando aqui.

Confira matéria na íntegra no site do Cremesp


Vagas para 2013

O Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) abre vagas para diferentes especialidades. A inscrição deve ser feita apenas pela internet, no site: www.proex.unifesp.br/especializacao e o valor é fixado em R$ 150.

Calendário Geral: 02 a 21 de janeiro de 2013 - Período de Inscrição
02 de fevereiro de 2013 - Prova e Entrevista
18 de fevereiro de 2013 - Divulgação dos resultados
25/02 a 01/03 de 2013 - Matricula Aprovados
04 de março de 2013 - Inicio das Atividades

Clique aqui e veja toda a documentação necessária e os prazos determinados pela entidade.

Instituto CEMA também com processo seletivo aberto

Além da UNIFESP, o Instituto CEMA também abriu inscrições para o Concurso de Residência Médica e Cursos de Especialização em Oftalmologia e Otorrinolaringologia. Os interessados poderão se inscrever até 08 de janeiro de 2013. Os interessados podem se inscrever por correio até 5 de janeiro e pessoalmente, no Centro de Estudos (Rua Paschoal Moreira, 449, Mooca, São Paulo, SP), de segunda a sexta-feira, das 9 às 13h e das 15 às 17h, de 10 de dezembro a 8 de janeiro.

O pagamento da taxa, de  R$ 250,00, deve ser feito por meio de depósito bancário identificado no Bradesco para INSTITUTO CEMA - Agência 3393-6 - C/C 14.600-5. A ficha de inscrição estará disponível no site www.cemahospital.com.br

O gabarito e a lista de aprovados serão divulgados pela internet, respectivamente nos dias 14 de janeiro (aprovados na primeira fase) e 22 de janeiro (resultado final). Mais informações, através do telefone: (11) 2602-4034 ou por e-mail: centrodeestudos@cemahospital.com.br.

Fellow em Glaucoma

A Unidade Avançada de Glaucoma do Hospital Medicina dos Olhos (HMO) está selecionando oftalmologistas para estágio clínico e cirúrgico remunerado na área do glaucoma.

Acesse o site e confira.


Atualize seus conhecimentos no Dia Especial de Cirurgia Refrativa do Congresso CBO 2014

O Dia Especial de Cirurgia Refrativa, que será realizado em 03 de setembro no XXI Congresso Brasileiro de Prevenção de Cegueira e Reabilitação Visual, foi cuidadosamente preparado para proporcionar excelente oportunidade para a atualização científica e troca de experiências entre os colegas do Brasil e convidados internacionais.

Os principais assuntos debatidos serão: novas tecnologias diagnósticas e terapêuticas, técnicas cirúrgicas corneanas e intraoculares, modalidades cirúrgicas para o tratamento da presbiopia, tratamento atual do ceratocone (crosslinking e outras), além dos casos especiais que serão apresentados e discutidos por profissionais com grande experiência.

Outro ponto cuidadosamente elaborado são as mesas redondas, que foram criadas para potencializar os debates sobre os tópicos mais influentes da atualidade, como "o microcerátomo vai acabar?". A ideia é trazer elementos para estimular a defesa dos mais variados pontos de vistas e, com toda a certeza, a mesa redonda será enriquecedora para todos os presentes.

Dedicaremos o último bloco inteiramente ao crosslinking. Veja a grade abaixo:

Crosslinking: princípios e indicações;

Crosslinking: protocolo de Dresden versus tratamentos "acelerados";

Crosslinking: com ou sem remoção do epitélio?;

Tratamento combinado: Crosslinking + anéis intracorneanos;

Tratamento combinado: Crosslinking + ablação com Excimer Laser;

Crosslinking: possíveis aplicações "off label" (ceratopatia bolhosa, infecções, pós-RK);

Crosslinking: complicações;

Mesa Redonda: Crosslinking deve ser indicado em crianças? / Devemos esperar progressão?

Perguntas & Respostas

Será um encontro formidável e excelente oportunidade para o colega aprofundar seus conhecimentos na matéria e discutir o que existe de mais atual em cirurgia refrativa.

Esperamos contar com a presença de todos!

Carlos Heler Ribeiro Diniz e Bruno Machado Fontes
Coordenadores do Dia Especial de Cirurgia Refrativa


Ainda não está inscrito no Congresso? Então clique aqui e faça agora mesmo a sua inscrição!


HBO promove II Seminário de Inclusão e Deficiência Visual

O Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre - HBO - promove em 07 de novembro, das 8h às 17h, no auditório Nicolina Corvatta, o II Seminário de Inclusão e Deficiência Visual Saúde e Tendências em Acessibilidade. Os temas do evento são diagnóstico e tratamento da pessoa com deficiência visual, mercado de trabalho, acessibilidade e tecnologia. Os valores das inscrições são R$ 60,00 para profissionais e R$ 40,00 para estudantes.
Os palestrantes agendados para a edição deste ano do seminário são Maria Aparecida Onuki Haddad, coordenadora do setor de Visão Subnormal da Clínica Oftalmológica do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da USP; Ana Mello, terapeuta ocupacional e consultora em gestão em saúde; Aracy Maria da Silva Ledo,secretária municipal de Acessibilidade e Inclusão Social de Porto Alegre; e Daniela Bertoglio Almeida, diretora da empresa Bengala Branca.

Confira a programação do evento:


8h -8h30: Credenciamento.
8h30: Abertura do evento com a direção Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre ? HBO.
9h: Apresentação do Centro de Reabilitação Visual ? CRV.
9h30: Avaliação Oftalmológica na Pessoa com Deficiência Visual: Diagnóstico e Tratamento. Dra. Maria Aparecida Onuki Haddad, coordenadora do setor de Visão Subnormal da Clínica Oftalmológica do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
10h30: Coffee break/intervalo.
10h45: Inclusão da Pessoa com Deficiência Visual no Mercado de Trabalho.  Ana Mello, terapeuta ocupacional e consultora em Inclusão da AMA Consultoria e Gestão em Saúde, Porto Alegre/RS.
12h: Almoço livre.
13h30: Curta Metragem com Audiodescrição.
14h: Acessibilidade: Tendências e Inovações em Mobilidade Urbana. Aracy Maria da Silva Ledo, secretária municipal de Acessibilidade e Inclusão Social de Porto Alegre.
15h: Coffee break/intervalo.
15h15: Recursos Tecnológicos em Baixa Visão e Cegueira: Tendências e Atualidades.Daniela Bertoglio Almeida, diretora da empresa Bengala Branca.
16h: Encerramento: Exposição dos produtos e recursos para baixa visão e cegueira.

MAIS INFORMAÇÕES:

AMORIM COMUNICAÇÃO
www.amorimcomunicacao.com.br
(51) 3333.8834

Mariangela Amorim
(51) 9807.4072
mariangela@amorimcomunicacao.com.br

Giuliano Mendes
(51) 9223.4366
giuliano@amorimcomunicacao.com.br


Hospital CEMA realiza exames oculares gratuitos em São Paulo

O Hospital Centro de Medicina Avançada CEMA, em parceria com a Associação Comercial do Estado de São Paulo, oferecerá exames oculares gratuitos à população em geral a partir desta sexta-feira, 5 de abril, das 8h30 às 16h30, no Pátio do Colégio, Centro de São Paulo (SP), próximo à Estação Sé do metrô. O Hospital prestará esse serviço à comunidade em celebração ao Dia Mundial da Saúde, 7 de abril. O Instituto CEMA é um Curso de Especialização em Oftalmologia credenciado pelo CBO.

Caso haja necessidade de mais exames, estes serão fornecidos no próprio Instituto CEMA. Quaisquer tratamentos que se façam necessários serão prestados gratuitamente pelo SUS.
Mais informações no portal do Sistema Integrado de Informação em Saúde.


Vagas para Fellow

O Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB) abriu inscrições para 12 vagas em seu programa de Fellowship nas especialidades de Cirurgia Refrativa, Catarata, Glaucoma, Córnea e Retina. As vagas são remuneradas e possuem duração de 01 ano, com início em fevereiro de 2013.

As inscrições são gratuitas e estão disponíveis até 31 de janeiro de 2013. O processo seletivo será em 04 de fevereiro de 2013. Para mais informações, entre em contato com um desses canais: pelo site (www.hobr.com.br), e-mail tatiana.vieira@hobr.com.br e telefone (61) 8213-3379.

 

 


HOS abre 12 vagas para Especialização

O Hospital Oftalmológico de Sorocaba (HOS) abriu inscrições, entre 08/10/2012 à 11/01/2013, para seleção de candidatos para subespecialização não remunerado, no ano de 2013. Poderão concorrer apenas médicos oftalmologistas que possuam o título de especialista.

Confira as vagas oferecidas:

06 vagas para o setor de córnea (02 anos);
01 vaga para o setor de glaucoma (01 ano);
01 vaga para o setor de lentes de contato (01 ano);
02 vagas para o setor de plástica ocular (02 anos);
02 vagas para o setor de retina (02 anos).

Critérios para a inscrição:

A inscrição deverá ser realizada pessoalmente na secretaria do Centro de Estudos Pascoal Martinez Munhóz do Hospital Oftalmológico, das 07h às 17h, ou via internet pelo site www.bos.org.br. Neste caso os documentos deverão ser enviados pelo correio.

Documentos exigidos para inscrição:

Cópia do CRM;
Cópia do Título de Especialista ou Declaração
Curriculum na Plataforma Lattes ? Apresentar no dia da prova

Seleção

A Prova será aplicada em 22/01/2013;
Prova de conhecimentos na subespecialidades às 17h;
Entrevista, análise de curriculum às 18:30 horas

Mais informações: Endereço: Nabeck Shiroma, 210 - Jardim Emília - CEP-18031-060 - Sorocaba - SP FONE: 3212-7077 ? ceo@bos.org.br


Idec lança canal para consumidores relatarem problemas com reajustes de planos de saúde coletivos

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) lançou um canal para receber relatos de consumidores que enfrentam problemas com os abusos cometidos pelas operadoras e seguradoras em relação aos  reajustes desses contratos. ?Com base nos relatos o Idec irá pautar as próximas estratégias de atuação junto às autoridades nessa questão dos reajustes abusivos dos planos coletivos?, afirma a advogada do Idec Joana Cruz.



 O canal é destinado para qualquer consumidor que sofreu reajuste abusivo em seu plano de saúde coletivo, seja anual ou por sinistralidade, e queira contribuir encaminhando sua denúncia, em um breve relato, para o endereço planosdesaude@idec.org.br.

A iniciativa se deu, pois o Idec vem monitorando esses abusos e com base em duas pesquisas recentes, constatou um cenário bastante preocupante. Em uma delas, o Instituto detectou que os reajustes anuais ou por sinistralidade dos planos coletivos podem chegar a mais de 100%, enquanto o IPCA acumulado, nos últimos 10 anos, variou entre 2 a 16%.

A segunda pesquisa demonstrou que, no reajuste  vigente de maio deste ano a abril de 2014, pelo menos três planos ´30 vidas´ elevaram o valor da mensalidade em mais de 20%, sendo um deles mais de 40%.

Esses aumentos abusivos acontecem porque os planos de saúde coletivos, fornecidos a empregados de uma empresa ou a pessoas vinculadas a associações e/ou sindicatos, que representam 77% de todos os planos comercializados no país -- não têm seu reajuste regulado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) por meio de um valor-teto. A maior vulnerabilidade está nos chamados ?miniplanos?, que são contratos com até 30 vidas, representando 85% dos contratos coletivos e abrangendo cerca de cinco milhões de consumidores.

A tentativa da ANS de melhorar essa situação comprovou-se insuficiente. A Resolução Normativa 309/2012 definiu que, a partir de maio deste ano, as operadoras deveriam agrupar todos os contratos 30 vidas e calcular um percentual único de aumento para eles, para diluir os custos entre um número maior de usuários.

?As informações sobre aumentos nos planos coletivos são raras e a ANS os trata como uma verdadeira ?caixa-preta?. Felizmente, com base no Código de Defesa do Consumidor, os consumidores lesados que recorrem à Justiça contra os reajustes exorbitantes tem obtido decisões favoráveis, como mostrou estudo do Idec divulgado este mês?, completa Joana Cruz.

O que deve constar no e-mail:
-nome da operadora ou seguradora de saúde;
-se o contrato é empresarial, por associação ou sindicato;
-o ano em que ocorreu o reajuste (por exemplo, de 2011 para 2012);
-o valor do reajuste (em %).

Esse canal é exclusivo para receber as denúncias sobre reajustes anuais ou por sinistralidade dos planos de saúde coletivos. Se o reajuste aconteceu por conta de mudança de faixa etária, o consumidor deverá especificar a situação no relato. O canal receberá denúncias até 30 de agosto de 2013.

A finalidade do planosdesaude@idec.org.br não é encaminhar soluções para problemas individuais dos consumidores que relataram os aumentos. O que se pretende é reunir elementos para que o Idec atue coletivamente junto às autoridades.


Porcentagem de aprovados no Revalida 2013 fica abaixo de 7%

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, na última segunda-feira (23), os resultados da segunda fase do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) de 2013.

Dos 1.595 médicos, com diploma obtido no exterior e que participaram da edição de 2013 do exame, apenas 109 (6,83%) foram aprovados. Destes, 50 são brasileiros que estudaram Medicina em outros países.

Do total, apenas 155 foram aprovados para a segunda fase, de habilidades clínicas, na qual os candidatos realizaram simulações de atendimento médico, sendo que 111 participaram desta etapa.

Historicamente, os índices de aprovação no Revalida são baixíssimos: 9,6% (65 de 677) em 2011 e 8,7% (77 de 884) em 2012.

É possível consultar os aprovados neste exame clicando no link abaixo
http://revalida.inep.gov.br/revalida/


Falso Médico é autuado em Tubarão/SC

O Jornal Diário do Sul, periódico localizado no sul de Santa Catarina, divulgou em 28 de março, na sua edição on-line, matéria referente à autuação de Marcelo Mainieri - optometrista da cidade de Tubarão/SC - que foi flagrado exercendo as atividades de médico oftalmologista em uma clínica do município.

Ainda segundo a matéria, o optometrista estava sendo investigado desde 19 de março, pela Central de Plantão Policial (CPP), a pedido do Ministério Público Estadual, que aceitou a denúncia da Sociedade Catarinense de Oftalmologia (SCO) e solicitou o início das investigações para a polícia.

Para conferir a matéria completa, e acessar ao vídeo do flagrante, acesse os links abaixo.

Matéria Completa

Vídeo (imagem cedida pela Polícia Civil)


Manifestações de médicos são destaque do Jornal de Medicina

O Jornal Medicina, editado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), de março, está disponível e traz a cobertura das recentes mobilizações de profissionais da classe. Como destaque existe a matéria sobre o I Encontro Nacional dos Conselhos de Medicina do ano, no qual foi duramente criticada a aceitação sem critérios de médicos estrangeiros no país.

Veja mais informações no portal do CFM.


Número de transplantes no Brasil sobe em 2012

O Ministério da Saúde (MS) divulgou, durante o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, que o País teve crescimento de 12,7% na realização de transplantes, em comparação com o primeiro semestre de 2011. O número de cirurgias saltou de 10.905, em 2011, para 12.287 neste ano. O mesmo levantamento apontou aumento na quantidade de doadores de órgãos, que passou de 997 para 1217 no mesmo período.

Os números, apresentados pelo Ministro Alexandre Padilha, indica também que os estados que mais evoluíram no setor foram: Acre (1033%), Amazonas (217%), Pará (104%), Pernambuco (74%), além do Distrito Federal (76%). O estado de São Paulo destaca-se com 4.754 cirurgias, sendo 2.935 responsáveis apenas pelo transplante de córnea.

Clique aqui e confira os dados do levantamento do MS


Novo programa visa a eliminar incidentes médicos evitáveis

O Ministério da Saúde (MS) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) iniciaram, na segunda-feira, dia 1, o Programa Nacional de Segurança do Paciente, destinado a prevenir acidentes como quedas, prescrição de medicamentos inadequados e cirurgias malsucedidas.
O Programa estabelece que cada hospital deve criar de um grupo de fiscais chamado ?Núcleo de Segurança do Paciente?. A equipe será responsável por verificar a segurança do hospital e orientar o próprio paciente e seus acompanhantes. Os núcleos devem ser estabelecidos em até 120 dias. Os hospitais deverão, ainda, notificar os erros por meio da Ficha de Notificação de Eventos Adversos. Os estabelecimentos que não se adequarem às novas regras poderão ser fechados. A iniciativa é herdeira de uma experiência, durante a qual 192 hospitais da Rede Sentinela monitoram situações adversas desde 2011. Uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) revela que 66% dos acidentes médicos brasileiros poderiam ser evitados.
O programa também prevê a criação de seis protocolos com orientações sobre higienização das mãos, cirurgia segura, prevenção de úlcera por pressão, identificação do paciente, prevenção de quedas e prescrição, uso e administração de medicamentos. Outras medidas estão previstas, como a criação de um curso com 1.200 vagas para formação de farmacêuticos hospitalares, a publicação de mais cadernos, guias e protocolos de Segurança do Paciente e um convênio entre com o Conselho Federal de Medicina (CFM) para promover o treinamento de estudantes e profissionais da área de saúde em bioética, ética do exercício profissional e procedimentos clínicos seguros, dentro das próprias escolas médicas.

Veja matéria completa no Portal do Ministério da Saúde.


Ministério da Saúde abre credenciamento de serviços oftalmológicos para o projeto Olhar Brasil

O Ministério da Saúde divulgou ontem, no Portal da Saúde (www.portalsaude.saude.gov.br) que está ampliando e qualificando a assistência oferecida pelo projeto Olhar Brasil. Uma das medidas adotadas será a contratação de estabelecimentos de saúde privados e públicos para atender mais de quatro milhões de exames oftalmológicos, com o objetivo de reduzir as filas de Espera. A inscrição para o estabelecimento fazer parte deste projeto está disponível na internet como indica o Edital, publicado no dia 1º de novembro no Diário Oficial da União (DOU). O cadastro ficará disponível em um site para consulta dos gestores responsáveis pela contratação dos serviços.

O novo projeto prevê, além de oferecer tratamento oftalmológico integral, o reajuste de valores dos procedimentos na tabela SUS, a identificação de problemas de visão de estudantes de escolas públicas. "Nossa meta é ampliar em até nove vezes a quantidade de consultas. A grande mudança no projeto Olhar Brasil é a ampliação da oferta de consultas especializadas e exames de diagnóstico, sobretudo pelas clínicas privadas", afirma o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Ainda segundo o texto do Ministério, este número de consultas se aproximaria de 4,7 milhões de procedimentos, cerca de 871% a mais do que na primeira realização do Olhar Brasil. O valor pago pela consulta terá aumento de 47%, passando de R$ 14,29 para R$ 21. "Estamos criando uma tabela SUS específica para atender esse público definido, por se tratar de parte da população com menor condição de acesso ao atendimento especializado e a óculos, principalmente os que vivem em regiões mais pobres", destaca o ministro Alexandre Padilha.

Clique no link abaixo e confira matéria na íntegra e os links para o Edital e inscrição.

http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/noticia/8102/162/ministerio-da-saude-credencia-servicos-privados-ao-sus.html


Entidades de saúde se unem para o Cadastro de Especialistas

O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estão realizando o Cadastro Nacional de Especialistas, a fim de mapear a distribuição das várias especialidades médicas pelo território nacional e traçar o perfil desses profissionais. O banco de dados será montado com informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), da Comissão Nacional de Residência Médica do Confelho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Médica Brasileira (AMB).

Segundo o Secretário da Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mozart Sales, o Cadastro é o primeiro passo para a criação de uma política de formação de especialistas, a ser realizada ao longo dos próximos 10 a 15 anos.


MS e ONG oferecem atendimento médico a tribos indígenas amazônicas

O Ministério da Saúde e a organização Expedicionários da Saúde se uniram para prover serviços médicos a tribos indígenas no interior da Floresta Amazônica. As consultas e cirurgias estão sendo oferecidas desde 26 de abril e terminarão em 4 de maio no Vale do Javari e no Alto Rio Solimões.

A equipe conta 22 médicos, incluindo cinco cirurgiões oftalmologistas, cinco gerais, cinco anestesiologistas, dois clínicos gerais, dois pediatras, dois ginecologistas e um ortopedista.  As cirurgias oferecidas incluem cataratas, pterígios, hérnias, procedimentos ortopédicos, cirurgias ginecológicas e plásticas restauradoras. Há, ainda, 12 voluntários na equipe de apoio.

Veja matéria completa no Portal da Saúde.


Plano de carreira pública está em avaliação

O Ministério da Saúde está cogitando implantar ainda este ano o plano de carreira pública para médicos, frequentemente citado como uma possível solução para a distribuição irregular dos profissionais de saúde no país. ?Já discutimos no Ministério como induzir a criação de carreira de abrangência intermunicipal ou regional na atenção básica, numa articulação entre estados e municípios, com suporte do Governo Federal?, explica o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mozart Sales.

Veja a matéria completa no portal do Conselho Federal de Medicina.


Novas ferramentas eletrônicas vêm modernizar o SUS

O Ministério da Saúde lançou, na terça-feira, dia 5, o Portal de Saúde do Cidadão, onde usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) poderão registrar seu histórico médico e revelá-lo ao profissional que o atender. Além de internações, cirurgias e atendimentos ambulatoriais de alta complexidade, o paciente também poderá cadastrar suas alergias, doenças crônicas e laudos de exames realizados, fornecendo ao médico valiosas informações para diagnóstico e tratamento adequados.

O portal também auxilia o usuário a encontrar os locais de atendimento do SUS, como hospitais, clínicas e unidades básicas, além de pontos de retirada de medicamentos do programa ?Aqui tem Farmácia Popular? que estejam mais próximos.

Para utilizar a página, o usuário deve comparecer a uma unidade de saúde para efetuar seu cadastro e recolher sua senha.

E-SUS

O SUS também adotará um sistema eletrônico de registro de informações sobre suas unidades de atendimento. O E-SUS Atenção Básica não só armazenará dados do prontuário dos pacientes, mas também soluções para o controle dos estoques de medicamentos e insumos, do agendamento de consultas e dos horários dos médicos.

O Ministério da Saúde e o das Comunicações custearão o acesso à banda larga em todos os municípios que aderirem ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade (PMAQ), permitindo-lhes desfrutar das ferramentas eletrônicas adotadas.

O cronograma de implantação do sistema ainda será definido.


Oftalmologistas Voluntários

O Oftalmologista batalha diariamente para garantir a saúde ocular da população nas clínicas e hospitais. Porém, alguns deles ainda conseguem tempo para realizar trabalhos voluntários de grande importância para a comunidade.

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia apoia o voluntariado e quer conhecer um pouco mais sobre os médicos, alunos e residentes do MEC que oferecem parte do seu tempo disponível para este importante trabalho.

Você se enquadra neste perfil e realiza tais atividades? Entre em contato conosco pelo e-mail imprensa@cbo.com.br. A sua história e o seu projeto podem ser publicados no site da entidade e e nas redes sociais.


Exercício social da profissão é debatido em audiência pública

O Projeto de Lei do Senado (PLS) 168/2012 será discutido hoje em Audiência Pública da Comissão de Educação, Esporte e Cultura (CE). Proposto pelo Senador Cristovam Buarque (PDT-DF), o PLS institui que médicos recém-formados exerçam sua profissão durante um mínimo de dois anos em municípios com menos de 30 mil habitantes ou em comunidades de baixa renda de grandes cidades.

O serviço é chamado ?exercício social da profissão?, proveria ao médico todos os direitos trabalhistas normais e se aplicaria aos egressos de universidades públicas e privadas. A jornada semanal seria de 40 horas.

A medida pretende amenizar a má distribuição de profissionais da saúde pelo território nacional.

Veja matéria completa no portal do Senado.


PL propõe exame obrigatório para formados em medicina

O Projeto de Lei 650/07 está sendo debatido pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. O PL pretende criar um exame obrigatório para a concessão de registro profissional aos recém-formados em Medicina, à semelhança do exame da OAB para os formados em Direito.

Veja matéria completa no portal da Câmara.


Aprovada Medida Provisória do Programa Mais Médicos

O Senado aprovou nesta quarta-feira (16) o projeto de lei proveniente da medida provisória (MP 621/2013) que criou o Programa Mais Médicos, que permite a contratação de médicos estrangeiros e brasileiros formados no exterior para atuar em áreas pobres e remotas. Apesar do consenso a favor da matéria, governo e oposição divergiram quanto à forma de registro provisório dos profissionais vindos do exterior para o programa.

Na forma como foi aprovado pela Câmara dos Deputados, o texto do projeto (PLV 26/2013) transfere ao Ministério da Saúde a incumbência de fazer o registro dos médicos estrangeiros inscritos no programa. O dispositivo foi criticado pela oposição, que, através do senador José Agripino (DEM-RN), apresentou requerimento de destaque pela supressão dos parágrafos do projeto que tiravam dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) a autoridade para emitir os registros.

O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) chegou a classificar o dispositivo como avanço inconstitucional do Executivo, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) enxergou "intervenção estatal nunca vista", e, para Agripino, o projeto representa "humilhação" aos CRMs.

- É uma forma engraçada de deixar o CRM encostadinho. Por que isso? Por que respeitamos o Crea, respeitamos a OAB, mas deixamos isso? - indagou.

Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) sublinhou que o projeto resulta de entendimento do Congresso com a categoria e que o Conselho Federal de Medicina (CFM) manifestou satisfação com o Mais Médicos. Por sua vez, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) lembrou que o texto original da MP dava poder aos CRMs para registrar os médicos estrangeiros, mas as entidades estaduais, em sua avaliação, impunham exigências excessivas para emissão dos registros e impediam o exercício profissional de centenas de médicos.

Submetido a votação nominal, o requerimento recebeu 42 votos contrários e 15 favoráveis. O texto mantido estabelece que apenas a fiscalização do trabalho dos participantes do programa continuaria sendo feita pelos CRMs, e os médicos estrangeiros participantes do programa não poderão exercer a medicina fora das atividades do Mais Médicos.

Médicos cubanos

O consenso a favor do Mais Médicos não impediu questionamentos à oportunidade da vinda de médicos cubanos - o Executivo espera trazer 4 mil profissionais de Cuba até o fim do ano por meio de um acordo intermediado pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). Esses profissionais trabalharão nas regiões com menos proporção de médicos por habitante, com bolsa de R$ 10 mil, mais ajuda de custo para despesas de instalação (no valor de até três bolsas) e o pagamento das despesas de deslocamento até a cidade de trabalho.

Cássio Cunha Lima encaminhou voto a favor da matéria, mas classificou o Mais Médicos como parte de uma "engenhosa manipulação" do PT e enxergou o risco de que os cubanos atuem para doutrinar ideologicamente a população mais pobre. Mário Couto (PSDB-PA) criticou o acordo com Cuba, salientando que trata-se de uma ditadura, e declarou que a presidente Dilma Rousseff está "fora da realidade" do país por apresentar o Mais Médicos como solução para o atendimento de saúde.

João Ribeiro (PR-TO), que classificou o Mais Médicos como "grande tacada" de Dilma, opinou que será necessário trazer médicos do exterior enquanto o Brasil não formar profissionais em número suficiente. Ele lembrou o sucesso da vinda de 300 médicos cubanos  para atuação em Tocantins. Eduardo Suplicy (PT-SP) acredita que os médicos brasileiros aprenderão com a experiência dos estrangeiros, e Humberto Costa (PT-PE) declarou que uma atenção básica organizada resolve 80% dos problemas de saúde de uma comunidade.

O caráter emergencial do Mais Médicos foi assinalado por Jader Barbalho (PMDB-PA), que, no entanto, lamentou a impotência dos médicos diante da pobreza dos pacientes. No mesmo sentido, Inácio Arruda (PCdoB-CE) lembrou que 700 municípios estavam sem profissionais de saúde, o que, em sua avaliação, prevalece sobre eventuais conflitos entre governo e médicos. José Agripino disse que o Mais Médicos é "um pedacinho" da solução, e Cristovam Buarque (PDT-DF) acredita que ainda seja "muito pouco" diante das carências.

Waldemir Moka (PMDB-MS) considera enganoso que a população pense que esses novos médicos serão a solução para o problema dos hospitais. Ele defendeu um plano de carreira que estimule a fixação de médicos no interior. Mário Couto acredita que os médicos têm vontade de atuar no interior, mas são desestimulados pelos baixos salários.

Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) afirmou que, ao apoiar a medida provisória, o Congresso deu uma lição de comprometimento com a saúde. Para ele, o Mais Médicos constitui um apoio importante para as cidades do interior.

- Temos que elogiar a coragem da presidente Dilma sua identificação com os mais pobres - afirmou.

Para Valadares, as críticas ao Mais Médicos vêm das mesmas forças políticas que, em 2008, derrubaram a Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF), o que, em seu cálculo, prejudicou o financiamento da saúde.

Cássio Cunha Lima considerou "falacioso" o argumento da falta de recursos, argumentando que o governo tem batido recordes de arrecadação de tributos. Ele disse que votaria novamente contra a CPMF avaliando que o povo paga demais ao governo.

Agripino pediu atenção ao problema do dinheiro para custeio do setor e pediu apoio à regulamentação da Emenda Constitucional nº 29, que estabelece percentuais mínimos a serem investidos na saúde pela União, estados, Distrito Federal e municípios. Jader Barbalho criticou a redução do investimento da União em saúde, o que sobrecarrega as unidades federadas, e culpou os parlamentares por aprovarem orçamentos inadequados. Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Aloysio Nunes também criticaram o subfinanciamento da saúde.

Revalidação

Um dos pontos mais polêmicos nos debates sobre a MP foi a necessidade de revalidação do diploma do médico estrangeiro. Segundo o texto aprovado, o estrangeiro não precisará revalidar o diploma nos três anos do programa. Os médicos estrangeiros somente poderão participar da prorrogação de três anos do Mais Médicos se integrarem "carreira médica específica", cuja definição depende de regulamentação em projeto de lei.

O registro dos médicos vindos do exterior será feito pelo Ministério da Saúde em substituição aos CRMs. Apenas a fiscalização do trabalho dos participantes do programa continuaria sendo feita pelos conselhos. Os médicos estrangeiros participantes do programa, porém, não poderão exercer a medicina fora das atividades do Mais Médicos.

Diferentemente do que estabelecia a redação original da MP, os médicos aposentados foram incluídos na categoria prioritária de contratação do programa. A medida provisória ainda modifica as regras para formação médica no Brasil. Os programas de residência médica deverão viabilizar, até 31 de dezembro de 2018, a oferta anual de vagas equivalentes ao número de graduados em medicina do ano anterior, consideradas as vagas de residência em medicina geral de família e comunidade e em residências médicas de acesso direto (genética médica, medicina do tráfego, medicina do trabalho, medicina esportiva, medicina física e reabilitação, medicina legal, medicina nuclear, patologia e radioterapia). Quanto ao internato - espécie de estágio exigido para a conclusão do curso de graduação - o texto estipula que ao menos 30% de sua carga horária serão destinados à atenção básica e ao serviço de urgência e emergência do SUS.

Com informações da Agência Câmara

Fonte: Agência Senado


Anuidade CBO com desconto é prorrogada

O Tesoureiro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Mauro Nishi, informa que foi prorrogado o prazo para pagar a anuidade da entidade em 2014 sem o reajuste. Agora, o médico oftalmologista tem até 28/03/2014 para pagar a anuidade com o valor promocional de R$ 590,00. Após esta data, a anuidade 2014 será reajustada para R$ 630,00.

"São mais duas semanas para os colegas realizarem, com segurança pela internet, o pagamento da anuidade 2014 com desconto. Com esta ação você estará contribuindo para o fortalecimento da sua entidade em assuntos cruciais como a defesa de classe, o ensino da Oftalmologia e ainda terá direito a inúmeras vantagens exclusivas para o associado", afirma.

Um CBO de vantagens ao associado

Associados do CBO acessam com exclusividade os programas de Educação Continuada O.N.E, da Academia Americana de Oftalmologia (AAO), a Biblioteca Virtual RIMA e o E-learning CBO, que terá a inclusão de novas aulas a cada semana.

Somente o associado possui, gratuitamente, acesso ao Prontuário Eletrônico Universal P2D, elaborado por oftalmologistas com o objetivo de facilitar e agilizar o preenchimento e o arquivamento com segurança dos dados de sua clínica ou consultório. Clique aqui e confira mais informações.

No site do CBO os benefícios são diversos: Impressão do termo de consentimento esclarecido para procedimentos cirúrgicos; possibilidade de imprimir (com o logo de sua clínica) material educativo sobre a oftalmologia e distribuir entre seus pacientes; Anunciar/vender equipamentos oftalmológicos, vagas de emprego ou equipamentos roubados/furtados; Guia jurídico e contato direto com o departamento jurídico da entidade; download do Censo de Ensino e Oftalmológico (2011) e do Manual de Ajustes de Conduta; Adicionar até três especialidades de atuação e disponibilizar junto com o endereço de sua clínica para a busca pelo médico especialista na área do público-geral no portal.

São inúmeras as vantagens exclusivas, portanto, não perca tempo e faça agora mesmo o pagamento de sua anuidade 2014 com desconto promocional. No site da anuidade você pode escolher três (03) formas de pagamento: impressão do boleto bancário, transferência de Bradesco para Bradesco e pelo cartão de crédito de sua escolha em até 3x sem juros. Clique aqui e confira!


XXII CIOP é realizado no Rio de Janeiro com número recorde de inscritos

O XXII Congresso Internacional de Oculoplástica (CIOP) foi realizado de 15 a 17 de maio, em Búzios, Rio de Janeiro. O evento contou com a participação de 300 congressistas, número inédito e comemorado pelos organizadores. Sua grade científica foi elaborada para proporcionar rico debate sobre os principais avanços cirúrgicos e tecnológicos da Cirurgia Plástica Ocular. Para isso, cinco palestrantes internacionais marcaram presença: Robert Kersten, Ann Murtinson, Juri Bylik, Martin Devoto e Daniel Weil, além de dois professores brasileiros que atuam no oriente médio, Antônio Augusto Velasco Cruz e Patrícia Akaishi.

Esta edição do evento apresentou inovações significativas para o conhecimento, com a introdução no congresso de:

1- áreas médicas transversais à Cirurgia Plástica Ocular, através da participação efetiva de dois Cirurgiões Plásticos Gerais e um Cirurgião Otorrinolaringologista;

2- ensino teórico e prático do uso da endoscopia nasal na oftalmologia para a avaliação de pacientes portadores de doenças das Vias Lacrimais;

3- bloco temático "oculoplástica jovem" especialmente planejado, através de temas pré-selecionados por meio de um plebiscito entre os alunos dos Serviços Credenciados da SBCPO de todo o Brasil, para incentivar a participação do oftalmologista iniciante, visando não somente a transferência de conhecimentos básicos em oculoplástica, mas também, trazê-los à discussão nacional da especialidade.

Em seu último dia, houve seção comemorativa de 40 anos da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular (SBCPO), com apresentação de conferência especial sobre a História da Cirurgia Plástica Ocular no País. A palestra foi proferida pelo professor Eduardo Soares, sócio fundador da SBCPO e grande homenageado do evento. Tal palestra foi sucedida por ato de homenagem aos membros da SBCPO que contribuíram para o desenvolvimento da Cirurgia Plástica Ocular nacional.

Todos os participantes foram presenteados com um livro que conta a história da SBCPO, desde a sua fundação até os dias atuais e os principais responsáveis pelo seu sucesso. O livro é de autoria de Eduardo Soares, sócio fundador e principal ícone da sociedade.


15 fatos importantes sobre a vitamina D e a exposição solar

O brasileiro vem sentindo na pele o verão mais quente das últimas décadas. O calor é tão grande que alguns estudos apontam para o janeiro com temperaturas mais altas de toda a história para as cidades de São Paulo e Porto Alegre. A exposição solar, fundamental para o corpo humano por ser fonte de vitamina D, deve ser realizada com alguns cuidados, porém, é essencial para evitar doenças como a depressão, osteoporose, câncer da próstata e da mama e até mesmo os efeitos do diabetes e da obesidade.

Com o objetivo de esclarecer a população dos principais benefícios desta vitamina, pouco divulgada pela indústria, afinal não é possível vender a luz solar, o professor de medicina, fisiologia e biofísica da Boston University School of Medicine, nos Estados Unidos, Michael Holick, aponta 15 fatos, que você provavelmente nunca soube sobre a vitamina D e a exposição solar. Holick é uma das referências mundiais em vitamina D e escreveu o livro "Vitamina D - Como um tratamento tão simples pode reverter doenças tão importantes".

Veja a lista abaixo:

1. Vitamina D é produzida pela pele em resposta à exposição e radiação ultravioleta da luz solar natural.

2. Os saudáveis raios de luz solar natural que geram a vitamina D em sua pele não atravessam o vidro e, por isto, seu organismo não produz vitamina D quando você esta no carro, escritório ou em sua casa.

3. É quase impossível conseguir quantidades adequadas de vitamina D a partir da dieta. A exposição à luz solar é a única maneira confiável para seu corpo dispor de vitamina D.

4. Seria necessária a ingestão diária de dez copos grandes de leite enriquecido com vitamina D para obter os níveis mínimos necessários de vitamina D.

5. Quanto maior a distância da linha do equador e o lugar onde você vive, maior será a exposição ao sol necessária para gerar vitamina D, pois depende do ângulo de incidência dos raios solares. Canadá, Reino Unido, a maior parte dos EUA estão longe do equador e maior parte do Brasil está perto do equador.

6. Pessoas com a pigmentação escura da pele podem precisar de 20 a 30 vezes mais exposição à luz solar do que pessoas de pele clara para gerar a mesma quantidade de vitamina D. Por isto, também, o câncer de próstata é muito frequente entre homens negros - é a simples deficiência generalizada de luz solar.

7. Níveis suficientes de vitamina D são essenciais para a absorção de cálcio nos intestinos. Sem vitamina D suficiente, seu corpo não pode absorver o cálcio, tornando os suplementos de cálcio inúteis.

8. A deficiência crônica de vitamina D não pode ser revertida rapidamente. São necessários meses de suplementação de vitamina D e de exposição à luz solar para "reconstruir" os ossos e o sistema nervoso.

9. Mesmo filtros solares fracos (FPS = 8) bloqueiam em 95% a capacidade do seu corpo de gerar vitamina D. É por isto que o uso constante de protetores solares provoca deficiência crítica de vitamina D.

10. A exposição à luz solar não gera a produção excessiva de vitamina D em seu corpo, porque ele se autorregula e produz apenas a quantidade que necessita.

11. Se a pressão firme do seu osso esterno dói, você pode estar sofrendo de deficiência crônica de vitamina D.

12. A vitamina D é "ativada" pelos rins e fígado, antes de ser usada pelo organismo e, por isto, doenças renais ou hepáticas podem prejudicar muito a ativação da vitamina D circulante.

13. A indústria de protetores solares não quer que você saiba da necessidade de exposição ao sol, porque esta revelação significaria a queda nas vendas de seus produtos.

14. A vitamina D é um poderoso "remédio" que o seu próprio corpo produz inteiramente de graça e sem necessidade de prescrição médica!

15. Algumas substâncias denominadas "antioxidantes" aceleram muito a capacidade do organismo para lidar com luz solar, sem que ela nos provoque danos, também permitem que você fique exposto ao sol duas vezes mais tempo sem danos. Um exemplo de tais antioxidantes é a astaxantina, poderoso "filtro solar interno". Outras fontes de antioxidantes similares são algumas frutas (açaí, romã, mirtilo, etc.), algumas algas e alguns crustáceos do mar (camarão, "krill", etc.)

Estatísticas da deficiência de vitamina D nos Estados Unidos, segundo o professor:

40% da população dos EUA,
32% dos médicos e estudantes de medicina,
42% das mulheres afro-americanas em idade fértil,
48% das meninas de 9 a 11 anos,
até 60% dos pacientes de hospitais,
até 80% dos pacientes do lar de idosos,
76% das mulheres grávidas e 81% das crianças delas nascidas, as quais terão, mais tarde na vida, maior predisposição ao diabete tipo 1, à artrite, à esclerose múltipla e à esquizofrenia.

A equipe da Vitamina D Brasil publicou matéria completa a respeito e pode ser acessada no link: http://bit.ly/1ePVjgo

Se preferir, confira a entrevista completa do professor sobre o assunto (a entrevista está em inglês) no link: http://bit.ly/1e0iSSQ


Ministro Padilha lança semana de mobilização Saúde na Escola 2013

O cuidado com a saúde ocular e a prevenção da obesidade são os focos da Semana de Mobilização Saúde na Escola 2013, lançada em 11 de março pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, no Centro de Ensino Fundamental, em Brasília. Cerca de 14  milhões de estudantes passarão pela triagem durante a mobilização. A estratégia faz parte do Programa Saúde na Escola (PSE), ação desenvolvida em conjunto com o Ministério da Educação.

Durante a cerimônia, o ministro destacou o esforço do governo para tornar mais acessível o acesso da população à saúde, citando como exemplo o PSE. ?A difusão de bons hábitos na escola acaba refletindo na família, ou seja, crianças passam a cobrar dos pais o que aprenderam no ambiente escolar?, observou Padilha. O ministro disse ainda acreditar que a escola seja um lugar de estímulo à criança a praticar atividades físicas, ajudando a difundir hábitos saudáveis. ?O Brasil precisa enfrentar, agora, os problemas de saúde ocular e obesidade. Vamos aproveitar a oportunidade para transformar esta semana de mobilização na semana da saúde?, completou o ministro.

Esta é a segunda edição da Semana de Mobilização Saúde na Escola. Neste ano, além dos alunos do ensino fundamental e médio, também participarão da triagem os estudantes das creches e pré-escolas, numa iniciativa integrada ao programa Brasil Carinhoso. Após as avaliações feitas durante semana, as visitas dos profissionais de saúde permanecem ao longo do ano letivo para acompanhamento.

Na edição de 2013, devem participar cerca 30 mil escolas, 13 mil Equipes de Saúde da Família e 2.300 municípios. Os investimentos previstos são da ordem de R$ 10 milhões, um incremento de 140% em relação ao ano passado, quando foram direcionados para a ação R$ 4,1 milhões.

Além dos incentivos financeiros regulares do programa, as prefeituras das cidades participantes receberão recursos extras no valor de R$ 594,15 por equipe de Atenção Básica mobilizada pela ação. Em 2012, 1.433 municípios participaram da Semana, envolvendo 16.713 escolas, sete milhões de alunos e 7.441 Equipes de Atenção Básicas.

Os profissionais de saúde que visitam as escolas vão realizar testes que ajudam a identificar problemas relacionados a esses dois temas principais, como avaliação antropométrica e triagem de acuidade visual. Também é verificada a situação vacinal, avaliada a saúde bucal e são prestadas orientações sobre alimentação saudável, estímulo a práticas corporais e atividades físicas, entre outras. O objetivo da mobilização é sensibilizar a comunidade para a importância das boas condições de saúde no desenvolvimento pleno do educando.

Os problemas de visão constituem-se numa das principais causas da evasão escolar e da dificuldade de aprendizagem. Estudos apontam que 30% das crianças em idade escolar apresentam problemas de refração ocular.

Já o crescimento da obesidade na infância e na adolescência e a grande repercussão obtida por esta temática no ano de 2012 motivaram a retomada do tema em 2013. Dados da Pesquisa Nacional de Orçamentos Familiares, (2008/09), das duas últimas décadas, indicam que a prevalência da obesidade em crianças, de 5 a 9 anos, saltou de 4,1% para 16,6% entre os meninos e de 2,4% para 11,8% entre as meninas. Nos adolescentes, o excesso de peso passou de 3,7% para 21,7% nas últimas quatro décadas.

O slogan deste ano da campanha é ?A Saúde e a Educação Juntas no Mesmo Ritmo?. Diversos materiais informativos foram produzidos, como: filme para TV (incluindo TVs de ônibus, metrô e shopping), jingle de rádio, cartilha infantil, cartazes, anúncios para revistas, vans door e banners para internet.

No filme para TV, que foi ao ar neste final de semana, estudantes utilizam materiais escolares para falar sobre a importância dos cuidados com a visão e a alimentação. Uma curiosidade sobre as peças gráficas é que os ?modelos? que estrelam os cartazes são trabalhadores reais da saúde e da educação. O público-alvo da campanha é diversificado, abrangendo desde crianças e adolescentes de 0 a 17 anos, que são os beneficiários primários do PSE, bem como pais e educadores.

Em 2012, durante todo o ano, 2.495 municípios aderiram ao PSE, contemplando 56.157 escolas e envolvendo 14.439 Equipes de Saúde da Família. Quase 12 milhões de educandos foram beneficiados pelas ações. O investimento total chegou a R$ 120 milhões.

(Com informações fornecidas pela Assessoria de Imprensa do Ministério da Saúde)


Contratualização na Saúde Suplementar agora é lei. Comemore!

O dia 24 de junho pode ser considerado histórico para os médicos que atuam na saúde suplementar. O motivo é muito simples: foi sancionada pela presidenta a Lei nº 13.003 que torna obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras e seus prestadores de serviços.

Foram anos de lutas e empenho de todas as entidades médicas, que não mediram esforços para impedir todas as manobras elaboradas exclusivamente para dificultar a chegada da pauta à sansão presidencial. O Conselho Brasileiro de Oftalmologia, as Cooperativas Estaduais de Serviços Administrativos em Oftalmologia e sua Federação estiveram presentes nas discussões por todos esses anos.

Esta conquista é considerada "a mais importante vitória política da Medicina, desde a problemática aprovação da Lei 12.842/13, conhecida pela Lei do Ato Médico, e da implantação do discutido "Programa Mais Médicos", portanto, deve ser comemorada", afirma o presidente do CBO, Milton Ruiz Alves.

No início deste ano, o CBO criou a Comissão de Saúde Suplementar (CSS) (conheça mais aqui), que incorporou as atividades da Federação das Cooperativas Estaduais de Serviços Administrativos em Oftalmologia (FeCOOESO) e, com esse Know-How de excelência, esta comissão passou a ser responsável pelas negociações com as operadoras de saúde e, também, pela busca da valorização dos médicos oftalmologistas que atuam na Saúde Suplementar.

Confira abaixo o artigo de Nelson Louzada, integrante da CSS, sobre a nova Lei, que será obrigatória em 180 dias.

A Comissão de Saúde Suplementar do Conselho Brasileiro de Oftalmologia tem a grata satisfação de informar a todos os oftalmologistas que a Presidente Dilma sancionou em 24/06/2014 a Lei nº 13.003 que torna obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras e seus prestadores de serviços.

Em linhas gerais, a nova lei determina a definição dos direitos, obrigações e responsabilidades das partes contratantes; os valores dos serviços; a periodicidade anual dos reajustes, a serem aplicados no prazo improrrogável de 90 dias contado do início de cada ano-calendário; a possibilidade de intervenção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) nas hipóteses de não ser observado pelas operadoras o reajuste anual; e o estabelecimento de prazos e procedimentos para o faturamento e pagamento dos serviços prestados.

O descredenciamento de médicos e serviços continua sendo possível, mas dependerá de comunicação aos consumidores com 30 (trinta) dias de antecedência, e só será aceitável com a substituição do prestador por outro equivalente.

A aprovação da referida lei sem qualquer veto presidencial consagra a vitória dessa importante luta da classe médica que contou com a efetiva atuação do CBO e das ações iniciadas pelas Cooperativas Estaduais de Serviços Administrativos em Oftalmologia e por sua Federação, que por anos acompanharam o projeto hoje transformado em lei, com o intuito de garantir aos médicos um contrato escrito com as operadoras de planos de saúde, e a estipulação, com clareza, das condições para a execução dos serviços prestados.

Importante salientar a decisiva contribuição do assessor parlamentar Dr. Napoleão Puente de Salles que muito auxiliou nas tratativas com os Deputados e Senadores em Brasília.


Nelson Louzada
Integrante da Comissão de Saúde Suplementar do Conselho Brasileiro de Oftalmologia


Dez coisas que você precisa saber sobre o diabetes

O diabetes consiste na produção ou ação deficiente da insulina no corpo. Veja 10 informações importantes sobre essa doença no portal Mutirão do Diabético.


Comissão de financiamento e CFM discutem futuro

O médico e deputado federal Rogério Carvalho (PT-SE) encontrou-se com representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM) no dia 16 de abril em Brasília (DF) para discutir as atividades da comissão especial para o financiamento público da Saúde, da qual é relator.

Roberto D?Avila, presidente do CFM inclui entre as metas do setor a melhora da saúde pública e a destinação de 10% da receita da união ao financiamento do setor. A comissão terá até fevereiro de 2015, fim da atual legislatura, para apresentar sua proposta de financiamento.

Veja matéria completa no portal do CFM.


Claudio Lottenberg é eleito “Cidadão Sustentabilidade 2014″

O médico oftalmologista e Presidente do Hospital Israelita Albert Einstein, Claudio Lottenberg, será homenageado como "Cidadão Sustentabilidade" no próximo dia 19 de agosto, durante a solenidade de entrega dos troféus às empresas e organizações vencedoras do Prêmio Marketing Best Sustentabilidade 2014. A escolha aconteceu em reunião realizada entre os 40 integrantes da Academia Brasileira de Marketing (Abramark), que, por aclamação, elegeram Lottenberg como o profissional que mais vem contribuindo para a disseminação do conceito de sustentabilidade no País.

Lottenberg é Mestre e Doutor em Oftalmologia, graduado pela Escola Paulista de Medicina (EPM), sendo professor coorientador do curso de Pós-Graduação em Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e professor titular de Políticas Públicas de Saúde do curso de MBA em Saúde do Insper. Entre outras funções foi Secretário Municipal de Saúde de São Paulo e indicado como um dos líderes de melhor reputação pela Revista Exame.

O Prêmio Marketing Best Sustentabilidade tem como objetivo estimular e disseminar os melhores exemplos de empresas, fundações, institutos e associações que atuam na promoção e demonstração prática de valores e princípios da sustentabilidade. Premiou, com o título "Cidadão Sustentabilidade", personalidades de destaque no tema: Marina Silva (2011), Fábio Barbosa (2012) e Fernando Henrique Cardoso (2013).

Realizado pelo MadiaMundoMarketing, o Prêmio Marketing Best Sustentabilidade 2014 é uma iniciativa da Editora Referência e MadiaMundoMarketing, com apoio da Academia Brasileira de Marketing (Abramark) e J.Cocco Comunicação e Marketing.


Entidades médicas enviam proposta ao Ministro da Saúde

O médico é o "guardião da vida" da população. Para isso, traça uma linha tênue entre viver, como mortal, e atu